domingo, 31 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 747

Arte de capa por Alan Davis

Arte de capa alternativa por Mike Perkins
 - Captain America n° 7 (Março de 2012)

* "Powerless - Part 2", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Alan Davis, artefinalizada por Mark Farmer, colorizada por Laura Martin, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América & Os Vingadores Secretos n° 19 ("Incapacitado - Parte 2"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins e editado por Paulo França

Mansão dos Vingadores.

O Capitão América tenta acalmar Sharon enquanto o Fera o examina. Clint foi o único que esteve no local para testemunhar o herói gritar muito, se debater, pra logo em seguida ficar franzino e fraco. Quando acordou (após o ataque do Enguia), o Esquadrão Serpente havia sumido... e o Capitão América voltou ao normal. Steve nem se lembra de ter voltado ao normal após ter desmaiado. O Fera confirma que o hemograma e exames sorológicos estão em ordem. Ele não identifica o que causou a reversão. Steve, no momento, está mais preocupado com a origem da Bomba Enlouquecedora.

Originalmente, havia três tipos de Bomba Enlouquecedora... cada uma projetada para afetar áreas maiores com base em seu tamanho. Quando ativadas, elas emitem uma descarga sonora que enlouquece as pessoas. Da última vez que foi usada, ela quase deflagrou uma guerra racial no Harlem. Até então, acreditava-se que o Capitão América e o Falcão haviam destruído todas elas anos atrás. Com certeza alguém encontrou os planos e fez modificações, uma vez que a que encontraram tinha um aspecto novo. Uma nova e aprimorada Bomba Enlouquecedora. Apesar da presença do novo Esquadrão Serpente, montar um dispositivo dessa natureza está além de suas habilidades. Devem estar trabalhando para alguém que está fornecendo a bomba. Os vilões são a fonte para descobrir quem é o fornecedor. Eles precisam ser encontrados... pois haverá outro tumulto naquela noite.

Falcão usa sua habilidade de falar com os pássaros para conseguir maximizar a investigação. Gavião Arqueiro está revirando o submundo atrás de pistas. O Capitão América gostaria de estar nas ruas também, mas ele pode reverter a qualquer momento. Por enquanto, está se submetendo a uma série de testes físicos propostos pelo Fera. Ainda assim, ele detesta ficar de fora. Por enquanto, seu desempenho nos testes tem sido perfeitos até a última sondagem. A maior preocupação de Steve não está no fato de que Mecanus conseguiu desativar o soro de seu sangue anos atrás, da mesma forma que Bravo conseguiu também. O que o preocupa é que ele sentiu que isso aconteceu antes, como se, perdendo a fé, sua força fosse junto.  As palavras de Bravo sobre os rumos que a América tomou realmente o afetaram.

Falcão parece ter encontrado algo, mas não é o Esquadrão Serpente. É um novo tumulto, em plena luz do dia. Enquanto a polícia envia os esquadrões antitumulto, ele irá fazer o possível até a chegada dos heróis. Sharon não está muito tranquila em levar o Capitão América. O herói sabe que o que interessa ao Esquadrão Serpente é o dinheiro. Por se tratar de um ataque em plena luz do dia, seguem para um banco, onde realmente os vilões estão assaltando e ameaçam o gerente com uma nova Bomba Enlouquecedora. Capitão e Sharon os enfrentam. É hora de o herói saber se realmente está bem.

Continua...

sábado, 30 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 746

Arte de capa por Alan Davis

Arte de capa alternativa por Gerald Parel
 - Captain America n° 6 (Fevereiro de 2012)

* "Powerless - Part 1", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Alan Davis, artefinalizada por Mark Farmer, colorizada por Laura Martin, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América & Os Vingadores Secretos n° 19 ("Incapacitado - Parte 1"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins e editado por Paulo França

Capitão América está enfrentando um antigo inimigo... e está levando a pior. O fato mais impressionante é que esse inimigo é... Batroc! Para piorar, de alguma forma o vilão parece se multiplicar. E para piorar ainda mais, Steve sente seu corpo se tornar franzino novamente, sendo praticamente linchado pela legião de Batroc.

Então ele acorda.

Mais um pesadelo... e bem esquisito dessa vez. Steve vem tendo esses pesadelos quase todas as noites durante as últimas semanas... desde que enfrentou o Codinome: Bravo. Sharon o aconselha a falar com alguém a respeito. Apesar de não ser exatamente o tipo de ajuda que Sharon sugeriria, Steve acaba procurando... Tony Stark.

Aparentemente, Stark não encontra nada de errado. Como única pista, Steve diz que o soro do supersoldado ficou inerte em seu sistema, quando enfrentou Mecanus em Madripoor. Até então, ele acreditava que havia revertido o procedimento. Stark irá comparar os resultados dos testes com as anotações do Fera sobre aquela missão. Clint Barton, o Gavião Arqueiro, já acredita que tudo está apenas na cabeça de Steve. Para relaxar, ele sugere que façam dupla em uma patrulha pela cidade.

De fato, Clint estava certo. Logo a dupla encontra um grupo de assaltantes em fuga e tenta impedir de escaparem. A adrenalina do momento faz Steve deixar de se preocupar com seus pesadelos. Um dos assaltantes parece estar equipado com armamento de tecnologia futurista. Mas isto não impede que Steve o derrube com o escudo. Parece até que o Consertador está de volta à cidade. Enquanto patrulham a cidade, Steve se ressente pelo Gavião Arqueiro ainda pensar que Bucky está morto. Seu ex-parceiro pretende que seu nome seja esquecido para que possa cumprir suas missões. Sharon entra em contato e interrompe a patrulha. Parece ter algo muito mais grave na Baixa Zona Leste.

Um tumulto em larga escala eclodiu faz cerca de quarenta minutos. Sharon rastreia a fonte de origem pelo satélite... mas a multidão parece atípica e está mesmo fora de si. A polícia de Nova York não está dando conta. O plano do Capitão é salvar a polícia e não machucar ninguém. 

"Tumulto é caos e selvageria. Poucas coisas são mais aterradoras do que uma turba descontrolada. Uma manada irracional de humanidade. Prestes a se tornar letal a qualquer momento. Mas Sharon tinha razão sobre estes manifestantes. Alguma coisa aconteceu com eles... e eu já vi este tipo de coisa. Uma multidão enlouquecida... destruindo tudo em seu rastro... à medida que percorre a cidade."

Esse surto não foi espontâneo. Alguma coisa compeliu as pessoas a atacarem. Os olhos dilatados denunciam isso. A Agente 13 confirma que o tumulto começou três quarteirões ao norte de onde o Capitão América e o Gavião Arqueiro estão. Começaram pelo Bar McNulty, de onde partiram, já enfurecidos. Enquanto o Capitão segue para o local, ele se preocupa por, repentinamente, se sentir mal. Mas logo deixa essa preocupação de lado.

No Bar, os heróis encontram aquilo que o Capitão desconfiava ser a causa do tumulto: uma Bomba Enlouquecedora. Faz anos que ele não vê uma dessas... mas, da última vez, parecia diferente. Parece que alguém aprimorou a velha tecnologia. Eles precisam da presença de Tony Stark e Hank Pym para que a bomba seja desmontada.

De repente, o Capitão América já não pode deixar sua preocupação pessoal de lado. Ele sente a fraqueza... e sabe o que está acontecendo. Sabe que não está apenas se sentindo mal. Seus pesadelos... estão se tornando realidade. O Gavião Arqueiro é surpreendido pelo novo Esquadrão Serpente, formado pelo Cobra, Enguia e o novo Víbora. Enguia dispara uma rajada elétrica, destruindo a Bomba Enlouquecedora, para que não descubram nada sobre ela. Com o Capitão América agora enfraquecido e em uma forma mais franzina, os vilões não se contêm em linchá-lo.

Continua...

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 745

Arte de capa por Steve McNiven
 - Captain America n° 5 (Fevereiro de 2012)

* "American Dreamers Part 5", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Steve McNiven e Giuseppe Camuncoli, artefinalizada por Jay Leisten e Matteo Buffagni, colorizada por Justin Ponsor e Laura Martin, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América & Os Vingadores Secretos n° 18 ("Sonhadores Americanos - Parte 5"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins e editado por Paulo França

No interior da Terra de Lugar Algum, Bravo parece ter perdido o controle da realidade que criou. Tudo a sua volta está desmoronando. O Capitão América aproveita esse momento para golpeá-lo. Mas o vilão se recupera a dispara contra o Capitão... fazendo-o reverter seu corpo para uma forma mais franzina. Mas Bravo demonstra não conhecer a perseverança de Steve. Ela não está ligada ao fato de ele ser um super-herói... mas em sua vontade de lutar. Mesmo com o corpo mais fraco, Steve o golpeia com o escudo.

Em meio à batalha, os dois são expelidos do mundo dos sonhos para a realidade. Foi o sacrifício final de Jimmy Júpiter que, mesmo após ser alvejado pela nova líder da Hidra (a mulher de Bravo), utilizou suas últimas energias para salvar o Capitão América. No laboratório onde aterrisam, também estão Nick Fury, Sharon Carter e o Falcão. Bravo ainda tenta reagir, mas os amigos do Capitão conseguem desarmá-lo. Após capturarem o vilão, Sharon beija seu namorado. Bravo se mostra convicto quanto ao que estava fazendo:

"Não comemore ainda, Rogers. Você sabe que estou certo. Sua América perdeu o rumo. Olhe ao seu redor, desgraçado. Os barões da corrupção compraram todo o país. São donos da imprensa e as pessoas acreditam em qualquer mentira que eles dizem. Você fracassou, Capitão América. Fracassou!"

A "abelha rainha" da Hidra desapareceu. Mas Steve sabe que aquele é só o primeiro lance.

Logo depois, Steve e Sharon comemoram no alto do edifício onde moram. Enquanto ela lhe traz uma cerveja... seu corpo volta a ficar franzino repentinamente!

Steve acorda gritando. Foi um pesadelo. Ele é confortado por Sharon, que volta a dormir em seguida. É difícil para ele acreditar... mas às vezes ele esquece que é um homem fora de seu tempo. E esta noite... ele se pergunta do que mais se esqueceu.

A+:

* Ed Brubaker começa a nova revista do Capitão América em um ritmo diferente do que vinha fazendo durante anos nas aventuras do herói. Apesar de essa nova fase ter menos elementos de espionagem, o escritor ainda demonstra seu conhecimento da mitologia do universo Marvel, dessa vez indo um pouco além: trazendo Jimmy Júpiter, um personagem obscuro que surgiu, realmente, na década de 40. Foi criado em 1942, para a revista Marvel Mystery Comics, quando a editora ainda se chamava Timely.

* Outro personagem trazido das mais remotas paragens das memórias de Brubaker é o Ameridróide, um androide gigante com o formato do Capitão América e a mente de um nazista (mais bizarro, impossível). O também obscuro personagem não aparecia desde 1981, quando enfrentou o herói em uma história que foi ignorada nas edições brasileiras.

* O grande chamariz para essa nova fase são os desenhos de Steve McNiven que, além do traço característico, mostrava elaboradas cenas de ação com o personagem.

* Peggy Carter não surgiu nas primeiras histórias do Capitão América, datadas da década de 40, como se faz entender. O então "primeiro amor" do Capitão América foi apresentado já na década de 60, mostrando o passado do herói. Pouco depois, surgiria Sharon Carter, que o herói confundiria com Peggy. Sharon, no entanto, era irmã de Peggy. Com o passar dos anos, ficou meio estranho dizer que a jovial Sharon era irmã de alguém que se relacionou com o herói na cada vez mais longínqua Segunda Guerra. Por isso, adotou-se dizer que Sharon era sobrinha de Peggy.

* A última edição desse arco teve o auxílio da arte dos italianos Giuseppe Camuncoli e Matteo Buffagni

ÂmagoNews:
* E maaaaaaaaaais Guardiões da Galáxia. Dessa vez, singrei as áreas mais inexploradas do universo ao lado do Coveiro, J.O.A.O., Paulo Artur e Rafael Felga. Reunimos-nos em uma nova missão, falando sobre cada um dos personagens que foi adaptado para o cinema, comentando sobre os impressionantes detalhes usados como cenários do filme e onde destacamos alguns easter eggs que só os olhos mais atentos poderiam captar. Além disso, há correlações entre os personagens e as novelas brasileiras. Debatemos sobre qual dos Guardiões é o menos perturbado psiquicamente. Falamos sobre a curiosa adaptação da dublagem brasileira e ainda algumas resenhas que rolaram sobre o filme.
Já assistiu ao filme? Agora venha se divertir com nossos comentários sobre ele: Os Guardiões da Galáxia Conquistam o Cinema

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 744

Arte de capa por Steve McNiven

Arte de capa alternativa por Marko Djurdjevic
 - Captain America n° 4 (Janeiro de 2012)

* "American Dreamers Part 4", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Steve McNiven, artefinalizada por Jay Leisten, colorizada por Justin Ponsor, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América & Os Vingadores Secretos n° 17 ("Sonhadores Americanos - Parte 4"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins e editado por Paulo França

Steve e Sharon perderam o lançamento do novo carro da Onda Motors. O novo modelo é o primeiro carro movido a água salgada. Há muito tempo considerado uma revolução para o complexo industrial-ambiental, o carro Onda na verdade dessaliniza seu combustível enquanto roda, produzindo água potável como único resíduo. Apesar de não estar presente no lançamento, o casal já se dá por satisfeito por, de certa forma, estar na primeira fila para assistir ao futuro.

A nave os leva chega até a base lunar Zero. O agora Comandante Rogers é recepcionado e informado que o Conselho preparou o detalhamento de seu próximo trajeto. Ele e Sharon, no entanto, preferem comer primeiro e tomar um banho. Todos estão empolgados com a presença do Capitão América na Lua. "Capitão América". Já faz muito tempo que não o chamam assim. O casal observa a paisagem, onde se pode ver a Terra ao longe. Para Steve chega a ser engraçado olhar o mundo que não precisa mais do Capitão América. Os planos deles agora é ter filhos que provavelmente vão nascer nas luas de Júpiter e povoar as estrelas. Steve acha todo aquele progresso repentino demais, como se jamais tivesse achado que aquele dia aconteceria.

De volta à Terra, Steve é entrevistado pela Srta Novak, do Clarim Diário. As crianças lhe pedem autógrafos. Novak quer mais do que a costumeira modéstia de Steve. Precisa ir pra trás da máscara... encontrar o verdadeiro Capitão América... mesmo que o herói não exista mais. Steve se sente muito bem com isso. O sonho americano virou realidade... e todos estão vivendo nele. Ele viu os americanos se salvarem de sua ganância e mesquinharia e erguer um mundo melhor.

De repente, um detalhe chama atenção de Steve. Uma estranha luz em um beco. Steve vai até a fresta e começa a tirar os tijolos da parede. Do outro lado, um cenário de pesadelo. Steve jurava que haviam impedido toda aquela decadência. Do outro lado, sob um torrencial e cinzento mundo, a população é arredia e teme até mesmo a ajuda que possa receber. Ele percebe que tudo está muito errado quando vê um mastro... com a bandeira americana destruída. Bravo diz que foi isso que sentiram quando Jimmy Júpiter acordou do coma e todos eles foram arremessados para o mundo real.

Dentro do mundo onírico, o tempo simplesmente não tem significado. Aqueles que ficaram presos foram, por décadas, párias em um mundo sem regras. No começo, foi aterrador... como se estivessem presos num pesadelo que se alterava constantemente. Bravo perdeu dois homens na primeira noite... para monstros que ele sequer sabe como eram. Em pouco tempo, seu esquadrão e os agentes da Hidra que tinham se perdido com eles perceberam que a única maneira de sobreviver era trabalhar em conjunto. E assim como o pequeno Jimmy Júpiter... aprenderam a moldar o lugar. A alterá-lo às suas vontades. Foi assim que conquistaram aquela dimensão... que ergueram um mundo imaginado em seus sonhos. Para o fascismo, o sonho americano soa bem diferente do que o Capitão América imagina. Por isso ergueram o que consideram um paraíso... pras suas vidas sem envelhecimento. Bravo, na verdade, nunca foi abandonado de propósito. A missão foi sabotada. No entanto, acostumado com o mundo utópico que criaram, ficou furioso quando Jimmy acordou e eles foram lançados no mundo real e perceberem quanto tempo ficaram fora. E perceber que o Capitão América ainda é o campeão dessa realidade.

O mundo a volta do Capitão e Bravo parece estar desmoronando. A mulher de Bravo está mudando o mundo... o mundo real... sem que o Capitão América possa fazer nada, por estar preso no mundo de Bravo.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 743

Arte de capa por Steve McNiven

Arte de capa alternativa por Salvador Larroca
 - Captain America n° 3 (Novembro de 2011)

* "American Dreamers Part 3", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Steve McNiven, artefinalizada por Jay Leisten, colorizada por Justin Ponsor, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América & Os Vingadores Secretos n° 17 ("Sonhos Americanos - Parte 3"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins e editado por Paulo França

O gigantesco Ameridróide agarra o Capitão América e o atira na rua abaixo do apartamento. A ação foi tão repentina que o herói leva segundos para se dar conta de que está em uma luta. Seu inimigo se move tão rápido quanto ele. Isso elimina, de imediato, uma das suas maiores vantagens. O tamanho e força do Ameridróide dão cabo de outra. O enorme robô sempre foi mais perigoso do que parece. Ele andou sumido. O Capitão chegou a acreditar que tinha sido feito em pedaços e sua cabeça robótica estivesse em exibição numa estante de troféus do Caveira Vermelha.

Capitão América pede que as pessoas saiam das ruas onde ele enfrenta o Ameridróide. Se aquele for mesmo o robô que ele enfrentou antes... há uma consciência de um ser humano enterrada sob a carcaça. O professor Lyle Dekker... um velho espião e cientista nazista. Foi ele quem construiu aquela aberração e transferiu sua mente para a criatura de cinco metros e meio trajando o uniforme do Capitão América. Sharon atira o escudo para o Capitão. Ela não tem a mesma desenvoltura que ele teria com a arma... e o escudo fica preso no alto de um dos prédios. Agora ele está realmente sozinho.

Dekker parece estar mais enlouquecido do que antes. No entanto, não há tempo para tentar entender por quê... ou tentar dialogar com ele... pois ele está longe do alcance de qualquer argumentação. Tomando impulso através dos golpes do monstro, o herói consegue alcançar o escudo e retirá-lo da parede onde ficou preso. Em seguida, ele volta a atacar o Ameridróide e torce para que o "cérebro" dele esteja onde deveria estar. Golpeando-o com o escudo, o Capitão derruba a criatura. Fácil demais. Sharon é atacada e atirada pela janela do apartamento. Rapidamente, o Capitão América corre até ela e consegue pegá-la, amortecendo o impacto.

Em um dos laboratórios do Projeto Pégaso, Steve diz a Fury que achou estranho sua vitória repentina. Apesar do golpe, ele não causou danos o suficiente pra provocar a pane no Ameridróide. Ainda assim, ele parece estar desativado. Steve observa que ele estava diferente na luta... mais errático e furioso. Apesar de Dekker ser insano, parece que o Barão Zemo, que atacou Sharon no apartamento enquanto ele o enfrentava, fez alguma coisa para deixá-lo completamente fora de si. De certa forma, Steve sente pena da criatura. Afinal, em algum lugar dentro de todos aqueles circuitos havia um homem. Nick já acha estranho o suficiente o fato de um espião nazista idolatrar o Capitão América, a ponto de criar um androide gigante com com seu uniforme. Steve já acredita que ele enlouqueceu muito antes disso. O Caveira Vermelha provocou seu desequilíbrio.

Fora do prédio, parece estar havendo alguma agitação. Tiros parecem ter sido disparados. De repente, o corpo do Ameridróide se levanta! Ele derruba Nick Fury antes de se atirar contra Steve. Os dois caem para a morte nas ruas abaixo. Porém, antes de atingir o chão, um portal se abre em pleno ar e os dois passam por ele... atingindo o que parece ser um lago em meio à natureza. Milagrosamente, o Ameridróide toma a forma de... Dekker, jovial e feliz pela transformação. Ele agradece a Zemo por ter cumprido sua promessa. Mas, em meio a sua comemoração... é atingido por um disparo em sua cabeça. O autor do assassinato é... Bravo! Steve lança seu escudo, mas Bravo o pega em pleno ar e golpeia o herói, desacordando-o. Afinal, ali é o mundo dele.

Continua...

terça-feira, 26 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 742

 - Captain America n° 2 (Outubro de 2011)

* "American Dreamers Part 2", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Steve McNiven, artefinalizada por Jay Leisten e Dexter Vines, colorizada por Justin Ponsor, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América & Os Vingadores Secretos n° 16 ("Sonhos Americanos - Parte 2"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins e editado por Paulo França

Nick Fury explica para Sharon Carter que aquilo que os místicos conhecem como mundo dos sonhos, os cientistas da SHIELD entenderam como uma espécie de corrente espacial. Uma dimensão entre camadas da realidade. Um local que Jimmy Júpiter era capaz de controlar. Provavelmente sendo um dos primeiros mutantes a que se tem conhecimento, Jimmy tinha a habilidade de entrar no mundo surreal e até moldá-lo à sua imaginação. Além disso, poderia levar pessoas pra dentro e pra fora dele. Em 1944, a ideia era utilizar as capacidades de Jimmy para se infiltrar na base da Hidra, uma vez que ele conseguiria tocar o sonho dos agentes. Era a passagem secreta pra base escondida dos terroristas. 

No entanto, Steve ainda se ressente pelo que aconteceu na época. Bucky se estivesse presente, teria percebido. Peggy e o Capitão haviam arrasado a fortaleza de Zemo... enquanto Jimmy levava a equipe dois pela sua terra dos sonhos. Mas a resistência tinha um espião da Hidra entre eles... que atingiu o garoto com uma máquina de escrever. O portal que Jimmy havia aberto... fechou-se. Com isso, Bravo e sua equipe, além de alguns agentes da Hidra que haviam sido grampeados, ficaram preso no mundo dos sonhos por décadas... enquanto Jimmy estava em coma. Ninguém sabe o que aquele local se tornou sem o garoto estar no controle. Aparentemente, o tempo passa de outra forma, pois os agentes não envelheceram. E também pode parecer com séculos para quem ficou preso. Agora eles seguem para encontrar os agentes. Quatro meses atrás, os corpos de alguns agentes da IMA apareceram nas praias de Jersey. Provavelmente, a equipe de Bravo tomou a base para se armar.

O Capitão América localiza o prédio onde se encontram. Na verdade, só sabe disso... pois acabam de atirar contra o avião deles! O Capitão salta, enquanto Fury ordena ações evasivas. Lá se vai a aproximação discreta. Antes mesmo de chegar ao solo, o herói os atinge com seu escudo. Ele logo é seguido por Fury, Agente 13 e Dum Dum. Ao invadir a base, Capitão América percebe que deixou alguém fugir. Um aparelho emitiu um clarão... e logo que ele chegou... alguém desapareceu. Ao que tudo indica, os agentes aprenderam uma nova tecnologia no mundo dos sonhos. Sharon percebe que os agentes da Hidra dessa base usam o uniforme comum do grupo e não a versão hibrida dos novos agentes. Alguma espécie de acordo estava sendo feita.

Durante a noite, Steve não consegue dormir. Sharon tenta acalmá-lo, mas Steve está preocupado com a nova tecnologia que Bravo está dominando. Eles estão armados e livres. Só não sabe o que querem com Jimmy. Finalmente, ela o acalma para que possa dormir.

Na manhã seguinte, Sharon parece acordar agitada. Ela diz que "ele" estava em seu sonho. Antes que explique quem é “ele”, uma enorme mão irrompe pela janela e agarra o herói. Uma mão enluvada como a sua. Uma versão gigantesca de si mesmo. A criatura conhecida como Ameridróide!

Continua...

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 741

Arte de capa por Steve McNiven

Arte de Capa alternativa por John Romita Sr.


Arte de capa por Olivier Coipel

Arte de capa alternativa por Neal Adams

Arte de capa alternativa por Dale Eaglesham

Arte de capa alternativa por Harvey Montecillo
 - Captain America n° 1 (Setembro de 2011)

* "American Dreamers Part 1", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Steve McNiven, artefinalizada por Mark Moraels, colorizada por Justin Ponsor, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América & Os Vingadores Secretos n° 16 ("Sonhos Americanos - Parte 1"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins e editado por Paulo França

Paris, França. 1944.

A França pode ter sido libertada, mas a batalha ainda não acabou. Há informações de que o Barão Zemo se encontra em uma base secreta de um grupo chamado Hidra. Rumores dizem que a Hidra é sucessora da S.S. nazista. O fato de Zemo ter se unido a eles é uma forte indicação de que isso seja verdade. Porém, o que se sabe sobre a Hidra se resume apenas a isso: rumores. Isso e o fato de que eles tem acesso a armas super avançadas. O tipo de arma que pode ser uma grande vantagem caso um soldado nazista comum a carregue no campo de batalha.

O sargento Fury designa a agente Carter e Capitão América para conduzir um ataque a fortaleza de Zemo fora da cidade. Bucky já está por lá, fazendo o reconhecimento. Ao mesmo tempo, Dum Dum e Codinome: Bravo levam um grupo até a base da Hidra. O problema é que eles têm um esquema que "parece" ser a base. É por isso que Peggy e o Capitão irão atacar o esconderijo de Zemo. Já o fato de se atacar um local que nem se sabe onde se encontra, tem a ver com a mais nova arma secreta dos aliados: o garoto Jimmy Jankovics, também conhecido como Jimmy Júpiter, que será o passaporte do grupo para dentro da base secreta.

Mais tarde, Capitão América recebe Peggy com um beijo. Bravo observa do alto do edifício. O supersoldado  roubou sua garota. Ou assim ele imagina.

Cemitério Père Lachaise, Paris, França. Hoje.

Às vezes, Steve se esquece de que é um homem fora de seu tempo. Ele sabe que sua infância foi durante a Grande Depressão... e que atingiu a maioridade na Guerra. Em seus cinco primeiros anos como Capitão América, a Guerra era praticamente tudo o que conhecia. Ainda assim, às vezes, ele se esquece que deveria ser um idoso agora. Não que ele tivesse muito tempo ocioso ou que seu deveres fossem mais fáceis. Mas então, algo triste acontece. Alguém morre. Algum velho amigo. Ou, neste caso, um velho amor. São nesses momentos que aqueles dias distantes parecem tão próximos.

Peggy se foi.

Sharon também está triste. Ela era a última de sua família. Steve se lembra de quando conheceu Sharon... pensando que ela fosse Peggy. Ambos superaram aquilo. O trabalho de Peggy com a Resistência Francesa nunca foi esquecido. Por isso, eles ficaram honrados em atender seu último pedido e enterrá-la em Paris. Peggy amava Paris. Mesmo correndo contra os nazistas, ela ainda dizia que era a cidade mais bela do mundo.

Os sorrisos entre o luto nos funerais sempre impressionaram Steve. Peggy teria gostado. Então... Steve vê a mira a laser no peito de Dum Dum. Ele só tem tempo para tirar o amigo do caminho. O disparo atinge um túmulo logo atrás deles. Logo em seguida, Steve parte velozmente em direção ao atirador, que aparenta ser tão rápido quanto ele. Ao saltar o muro do cemitério, Steve cai em uma via onde transitam automóveis. O atirador parece conhecer bem o caminho. Tinha uma rota de fuga traçada. Antes que Steve o alcance ele salta na garupa de uma moto, que parecia estar esperando. Antes, o atirador dispara uma espécie de bomba. Steve o vê... e não acredita.

Sharon, Fury e Dum Dum chegam quando a bomba detona um carro atrás de Steve, que consegue escapar do pior. Steve sabe que tem que voltar aos Estados Unidos imediatamente. Ele acaba de ver alguém que não via desde 1944. Codinome: Bravo. Isso significa que Jimmy Jankovicz acordou.

Virginia.

Após décadas de coma, Jimmy acordou há seis meses. Porém, ele ainda continua catatônico. Os outros também podem ter voltado. Dum Dum está escaneando mensagens de satélites para encontrar Bravo. Steve acredita que Bravo não entrou em contato antes... porque o odeia. Bravo era um americano vivendo no exterior antes de lhe darem um tratamento experimental.

Ao saírem do asilo, Steve, Sharon e Fury são atacados por agentes da Hidra. Steve recebe o impacto das armas, mas o escudo em suas costas o salva. Fury também é atingido por uma explosão, mas consegue se levantar. Apesar de parecerem agentes da Hidra, aqueles são uniformes diferentes. Sharon quase é atropelada por um carro em fuga... um carro que está levando Jimmy. Fury acredita que eles, sem intenção, acabaram levando os terroristas até Jimmy. E, o pior, Bravo parece estar trabalhando com eles.

Um aliado superespião da Segunda Guerra trabalhando com um grupo renegado da Hidra. Sharon realmente quer saber o que deu errado em 44.

Continua...

domingo, 24 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 740

Arte de capa por Butch Guice

Arte de capa alternativa por Lee Bermejo
 - Fear Itself n° 7.1 (Janeiro de 2012)

* "Fear Itself: Capitain America", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Butch Guice, colorizada por Elizabeth Breitweiser, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista A Essência do Medo n° 8 ("Capítulo 7.1: Capitão América"), letreirizada por Valéria Calipo, traduzida e editado por Paulo França

Depois da batalha de Washington, os paramédicos estavam fazendo o possível por Bucky... mas todos sabiam que ele estava morrendo. Inclusive uma desesperada Natasha, que estava presente no resgate. Ainda havia pulso. Muito fraco, mas havia. Era a hora de dizer as últimas palavras para o, então, Capitão América.

Dentro dos laboratórios da SHIELD, Natasha se espanta como até mesmo os ferimentos da duplicata se parecem com o do verdadeiro Bucky. O plano ia de encontro com os problemas recentes que o herói teve, que esteve até mesmo em um gulag. Natasha foi treinada para mentir. E a farsa, conhecida apenas por ela e Fury, continua quando outros heróis chegam para ver o corpo. Diante de uma desconsolada Viúva Negra, Homem de Ferro mal pode acreditar que seu amigo está morto.

Os cientistas da SHIELD aplicam a Fórmula do Infinito no verdadeiro Bucky. É a última dose da droga que deu longevidade a Nick Fury. Porém, o agente da SHIELD não a usa por décadas, como se o uso constante estivesse estabilizando seu organismo. Com a autorização de Natasha, a fórmula é administrada. 

Dois dias depois, Bucky acorda. Natasha está no quarto. Ele não vê Steve.

Para Steve, Bucky não só foi o melhor irmão de armas que ele poderia ter... mas que qualquer soldado poderia encontrar. Tanto que foi com muito orgulho que o viu empunhar o seu escudo. Ainda assim, depois do que aconteceu, ele preferia que ele nunca tivesse empunhado. Mas Bucky era assim.

Nick Fury chega em uma má hora. Steve ainda está chateado após o funeral de seu amigo. Mas Fury tem algo a contar. Ele fala sobre a aplicação da Fórmula do Infinito. Steve fica furioso e começa a espancar Fury, que se defende com o escudo do próprio herói. Afinal, não foi ideia dele. No final, quem acalma o Capitão... é o próprio Bucky.

Bucky diz que Steve já havia sofrido demais, por décadas, pensando que ele estivesse morto. Preferiu lhe contar a verdade dessa vez para isso não acontecer. Já a Viúva preferiu guardar o segredo, pois não queria dar falsas esperanças, uma vez que não sabia se o experimento daria certo. Além do que, o herói precisaria se concentrar na guerra contra a Serpente. E Fury não contou, pois sabia que iria levar uma surra.

O plano funciona como fuga para Bucky, já que ele era considerado fugitivo. Agora, é considerado um herói de guerra enterrado em Arlington. Mas essa não é a maneira com a qual o Capitão aprova que se encontre uma solução para sua situação. De qualquer forma, Bucky tem trabalho a fazer... e prefere fazê-lo nas sombras. Steve, afinal, respeita o que Bucky deseja. Há alguns assuntos relacionados ao tempo do Soldado Invernal. Assuntos que, com a merecida atenção, irão dar a paz e redenção que Bucky tanto almeja.

No funeral, Clint achou estranho o sorriso de Steve enquanto fazia seu discurso de despedida.


A+

* O nome original dessa minissérie/evento vem de uma frase do ex-presidente Franklin Roosevelt: "A única coisa que devemos temer é nosso próprio medo."

* Skadi, nome que Pecado assumiu após dominar o martelo encantado, refere-se a deusa nórdica do inverno, de mesmo nome. Acredita-se que o nome da Escandinávia origina-se do nome dessa deusa (Scandin-avia = ilha de Skadi). Apesar de não ser exatamente um consenso entre estudiosos, há várias localidades na Escandinávia e na Suécia que se referem ao nome dessa deusa.

* A minissérie "A Essência do Medo" serviu como prólogo para a mudança de status de vários personagens Marvel e o lançamento de novos títulos de alguns deles. No caso do Capitão América, surge o novo título mensal do herói, agora trazendo o próprio Steve Rogers com o uniforme (reflexo da franquia cinematográfica). Para tanto, era necessário "livrar-se" de Bucky, que vinha atuando como o novo Capitão América. No entanto, o escritor Ed Brubaker, responsável pela renovação do parceiro do herói, teve a chance de não deixar que ele fosse "limado" do universo Marvel... novamente. A saída foi forjar uma morte para o personagem, dando-lhe novas perspectivas e até mesmo um título próprio.

ÂmagoNews:

* Tá todo mundo falando! E o Argcast não poderia deixar para trás: Guardiões da Galáxia!!! Participei desse cósmico podcast, onde relembramos a formação original do supergrupo, surgida nos anos 60 e bem diferente do que o grande público conhece hoje. Mas a nova formação não foi deixada de lado e também falamos sobre ela... e sobre os planos futuros da Marvel Studios. Ouçam e divirtam-se! : ArgCast n° 147 : Os Guardiões da Galáxia

sábado, 23 de agosto de 2014

DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 739

Arte de Capa por Steve McNiven

Arte de capa alternativa por Stuart Immonen

Arte de capa alternativa por Billy Tan
- Fear Itself n° 7 (Dezembro de 2011)

* "Thor's Day", história escrita por Matt Fraction, desenhada por Stuart Immonen, artefinalizada por Wade Von Grawbadger e Dexter Vines, colorizada por Laura Martin, Matt Milla e Justin Ponsor, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista A Essência do Medo n° 7 ("O Dia do Trovão"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida e editado por Paulo França

O Serpente ataca a cidade de Broxton onde, antes, ficava a Árvore do Mundo, quando Asgard pairava sobre o local. Capitão América alveja uma parte dos asseclas de Skadi que utilizam as armaduras que atacaram Washington. O reforço chega quando o Homem de Ferro retorna de Asgard, trazendo armas abençoadas por Odin para os Vingadores. Ironicamente, o Homem de Ferro não preparou nenhuma dessas armas abençoadas para o Capitão, pois julgava que seu escudo era formidável o suficiente. O problema é que ele não sabia que o escudo havia sido destruído pelo Serpente.

Thor enfrenta o Serpente e seu martelo é arremessado em direção ao Capitão, que é rechaçado com o impacto da arma. Quem o ajuda é um cidadão que decidiu ficar e lutar por sua cidade. Não há tempo para novas escolhas. Todos aqueles que decidiram defender o mundo... agora são considerados Vingadores. O Capitão levanta o martelo de Thor e o atira contra Pecado (Skadi). Quando a Serpente finalmente cai, os martelos encantados deixam seus respectivos portadores. Com isso, Skadi volta a ser Pecado.

Diante do corpo daquele que se tornou o Serpente há um Thor cambaleante. Odin desce com seus exércitos para a Terra, apenas para ver seu filho dar alguns passos em sua direção... e morrer em seus braços.

Depois da batalha, o Capitão América avisa a Odin que a pira preparada pelos Vingadores está pronta. O monarca de Asgard, no entanto, diante do corpo de Cul, a Serpente, seu próprio irmão, decide levá-lo para a cidade dourada. Odin tentou mudar a profecia que dizia que Thor o mataria... ao custo de sua própria vida. Mas a profecia se realizou. Após a partida para Asgard, Odin lança os asgardianos para a Terra... e sela a passagem. Sua intenção é ficar só, com o corpo de seu irmão... dessa vez servindo de guardião dessa ameaça. Algo que deveria ter feito desde o início.

No domingo seguinte, Bucky é enterrado no Cemitério de Arlington.

Na terça feira, Stark devolve o escudo ao Capitão América. Ele havia levado seus pedaços para que os ferreiros do reino dourado o fundissem novamente, dessa vez com um pouco do metal uru, o mesmo material do qual é feito o martelo de Thor. Apesar de o escudo estar ainda mais forte, ainda há uma rachadura visível nele. Stark poderia polir de forma a essa marca sumir. Mas o Capitão América prefere deixar, pois isso dá, de certa forma, certa personalidade a seu velho companheiro.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 738

Arte de Capa por Steve McNiven

Capa alternativa por Stuart Immonen

Capa alternativa por Mike McKone

Capa alternativa por Humberto Ramos
 - Fear Itself n° 6 (Novembro de 2011)

* "Blood-Tied and Doomed", história escrita por Matt Fraction, desenhada por Stuart Immonen, artefinalizada por Wade Von Grawbadger, colorizada por Laura Martin, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista A Essência do Medo n° 6 ("Ligados Pelo Sangue e Condenados"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida e editado por Paulo França

Thor derrotou seus oponentes, mas está gravemente ferido. Enquanto os Vingadores o levam, ele apenas murmura que quer ser mandado de volta para Asgard. Enquanto caminham pelos entulhos da cidade e do que sobrou da Torre dos Vingadores, chegam à conclusão que o importante é não passar para a população a ideia de que estão batendo em retirada. Ao ver seus heróis saindo de cena, o pânico seria generalizado. Os heróis, apesar de tudo, precisam ficar. Parte do grupo vai cuidar da evacuação. O restante, seguindo pelo portal doado por Heimdall a Torre dos Vingadores, seguirá para Asgard.

Ao chagarem em Asgard, Capitão América encara Odin e exige que ele cuide de Thor, seu próprio filho que enfrentou duas das criaturas de seu inimigo. Odin se surpreende com a ousadia do mortal... que não se impressiona com sua presença. Steve sabe que apenas Thor será capaz de derrotar o Serpente. Steve desdenha até mesmo dos exércitos asgardianos, que estão prestes a atacar a Terra. Odin se enfurece e, com seu poder, devolve todos para a Terra. Menos Thor. Ele ainda quer ter uma última conversa com seu filho antes que a noite caia. Enquanto isso, Steve, que não aceita essa derrota, sabe apenas que eles têm que evacuar a população. Não apenas de Nova York... mas de todo o planeta. Ele só não sabe como.

Steve está nervoso. Homem de Ferro foi conseguir ajuda de Odin e Thor também está em Asgard. De vantagem, eles apenas sabem mais sobre os objetivos do Serpente. O castelo do Serpente se aproxima. Resta ao Capitão América pegar em armas e formar uma barricada com cidadãos comuns. 

Continua...

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 737

Arte de capa por Steve McNiven

Arte de capa alternativa por Stuart Immonen

Arte de capa alternativa por Billy Tan
 - Fear Itself n° 5 (Outubroro de 2011)

* "Brawl", história escrita por Matt Fraction, desenhada por Stuart Immonen, artefinalizada por Wade Von Grawbadger, colorizada por Laura Martin, Matt Milla e Larry Molinar editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista A Essência do Medo n° 5 ("Confronto"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida e editado por Paulo França

O Capitão América pode ouvir os trovões ao longe. É Thor. Mas não são exatamente seus trovões que causam tal som. O deus do trovão está enfrentando Nul, o quebra-mundos, e Angrir, o quebra-almas. Respectivamente são Hulk e Coisa transformados pelos martelos místicos. Skadi (Pecado, igualmente transformada) está prestes a enfrentar o Capitão. Enquanto se enfrentam, um enorme castelo sobrevoa o local. É o Serpente, responsável pelo caos que está alastrando o medo pelo mundo. Medo do qual ele se alimenta. Ele exige que supliquem por sua piedade. O serpente está satisfeito com o que Skadi tem feito. 

Os Vingadores o atacam, mas o Serpente os vê como crianças. Apenas um golpe de seu martelo, quando atinge o chão, causa uma enorme destruição, jogando todos os heróis para longe. O Capitão atira seu escudo contra o Serpente... e ele o destrói com suas próprias mãos. O próximo golpe do martelo destrói os edifícios a sua volta.

Após um tempo desacordado, Steve é acordado pelo Homem-Aranha. Há um grande rastro de destruição a sua volta. Os vilões partiram. Mas não foram derrotados. E, apesar do líder dos Vingadores precisar de todos os heróis presentes... Homem-Aranha observa que muitos deles precisam ver seus entes queridos. É hora de partir. Assim que o Aranha parte, Steve tem que admitir para os demais... que eles estão perdendo.

Continua...

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 736



Arte de capa por Steve McNiven

Arte de capa alternativa por Stuart Immonen

Arte de capa alternativa por Terry Dodson

- Fear Itself n° 4 (Setembro de 2011)


* "Worlds On Fire", história escrita por Matt Fraction, desenhada por Stuart Immonen, artefinalizada por Wade Von Grawbadger, colorizada por Laura Martin, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista A Essência do Medo n° 4 ("Mundos Em Chama"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida e editado por Paulo França

O Capitão América... Bucky... está morto. Morto por Pecado. Na verdade, ela mais parecia alguma coisa... asgardiana. Bucky a chamou de... serpente. Mas há pouca informação. Natasha lamenta que nem mesmo Tony Stark ou Nick Fury saibam algo a respeito. Thor chega até os heróis. Ele avisa que o serpente é um segredo... uma guerra particular... que o próprio Odin escondia dos asgardianos. E agora essa guerra chegou até a Terra. A serpente golpeia o homem e o medo que o homem sente por ele deixa-o mais forte. A ameaça é tão grave... que Odin está disposto a exterminar a Terra para eliminar seu inimigo.

Steve Rogers está pronto. Ele novamente será o Capitão América! Até o momento, o que sabem é que Pecado, Fanático, Homem-Absorvente, Titânia, Attuma, Gárgula Cinzento, Hulk e Coisa se transformaram em algo mais poderoso e selvagem após encontrarem os martelos encantados. Agora, estão destruindo tudo ao redor do mundo. Steve conta com um contra ataque no mesmo nível, principalmente contando com Thor. O deus do trovão os informa que eles estão enfrentando um ser muito parecido com o próprio Odin. Ele se alimenta do medo, por isso seus agentes infligem à destruição. Com o medo, ele se tornará mais forte e será páreo para enfrentar Odin. Do outro lado, o monarca de Asgard está preparando seus exércitos para exterminar a humanidade e cortar a fonte de poder de seu inimigo antes da batalha final. Além disso, existe uma profecia onde Thor enfrenta "a serpente", mas perderá a vida após nove passos. Thor quer que Steve evite que mais heróis, como Bucky, percam a vida... uma vez que ele mesmo pode se sacrificar para evitar isso. Steve acha a ideia inaceitável. O melhor, no momento, é que Thor fale com o poderoso inimigo no mesmo patamar, a ponto que ele sinta medo do deus do trovão.

Capitão América (Steve) segue para Manhattan para ajudar os demais Vingadores. Skadi sorri. Afinal, terá a oportunidade de matar o Capitão América duas vezes.

Continua...

terça-feira, 19 de agosto de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 735

Arte de capa por Steve McNiven

Arte de capa alternativa por Giuseppe Camuncoli
 - Fear Itself n° 3 (Julho de 2011)

* "The Hammer That Fell On Yancy Street", história escrita por Matt Fraction, desenhada por Stuart Immonen, artefinalizada por Wade Von Grawbadger, colorizada por Laura Martin e Larry Molinar, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista A Essência do Medo n° 3 ("O Martelo que caiu na Rua Yancy"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida e editado por Paulo França

Em Washington, o Capitão América avança contra a vilã que utiliza uma armadura que mais parece um tanque. Ao que tudo indica, parece ser Pecado, a filha do Caveira Vermelha. A ordem, no entanto, para Viúva Negra, Falcão e Shang Chi, que o acompanham, é salvar as pessoas primeiro. Pecado finalmente sai de sua armadura e ataca o herói. No entanto, a vilã agora é bem diferente da garota que o Capitão conheceu antes (apesar de, ainda assim, ter a psicopatia característica). Além de estar acompanhada por outros em armaduras semelhantes, e que estão massacrando a população, ela ainda está em poder de um misterioso e poderoso martelo.

Em outro local, Steve tem pontos de interrogação demais. Eles não sabem quem os está atacando de forma tão coordenada. Não sabem o que significam os martelos que caíram do céu (e Thor foi levado por Odin). A verdade é que estão agindo como tolos enquanto atacam sua capital. Mas Steve sabe... tem certeza... de que ele não é apenas um símbolo da defesa do país. Ele, na verdade, é um soldado. E está saltando da nave para salvar a capital.

Apesar de estar ferido, Capitão América não quer seguir os conselhos de Viúva Negra e Falcão para recuarem. Afinal, pode não haver um amanhã. Em um primeiro contra-ataque, seu escudo consegue derrubar Skadi (o nome que Pecado adotou), a primeira avatar do deus-serpente. Furiosa, ela recupera seu martelo, arranca o braço mecânico do Capitão e o atira por sobre edifícios. Não satisfeita, ela crava o cabo de seu martelo no peito do herói. Mortalmente ferido, quando encontrado pelos demais heróis, ele apenas balbucia que Thor deve ser contatado. O deus-serpente está chegando.

Continua...