domingo, 29 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 704

Arte de capa por Marko Djurjevic

Arte de capa alternativa (em um mês onde as capas das revistas da Marvel apresentavam suas versões vampiras) por Gerald Parel
 - Captain America n° 611 (Dezembro de 2010)

* "The Trial of Captain America, Part 1", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Daniel Acuña, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América & Os Vingadores Secretos n° 6 ("O Julgamento do Capitão América - Parte 1"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins, editada por Paulo França

A imprensa se atropela diante da Torre dos Vingadores para saber mais informações sobre Bucky Barnes e o fato de ele ser considerado um traidor. Gavião Arqueiro tem que ser contido por Harpia para que não acabe hostilizando demais os repórteres. Diante da situação, mostrar-se irritado diante das câmeras só irá piorar a situação. Na verdade, a irritação de Clint está além da acusação pela qual o atual Capitão América enfrenta. Sua irritação é dirigida a seus colegas de equipe (Steve Rogers, Natasha, Tony Stark) que sabiam sobre o passado de Bucky e o esconderam até agora, imaginando que isso nunca seria descoberto.

Cada vez mais, o Gavião Arqueiro afunda no mar de acusações contra Bucky. Entre as muitas apresentadas (e talvez as mais chocantes) estão o atentado em Filadélfia, onde vários civis foram mortos, e o assassinato de Jack Monroe, o antigo Nômade. Clint está chocado. Natasha, no entanto, o lembra de boas pessoas que merecem redenção. Afinal, foi assim com ela e com o próprio Gavião Arqueiro. E, verdade seja dita, boa parte dos vingadores tiveram suas segundas chances.

Na Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos quer saber quantas pessoas o Soldado Invernal assassinou durante os trinta anos em que esteve em atividade. Descobre-se que há o registro de cerca de duas dúzias de mortes, entre diplomatas, generais e membros de encontros de paz. O presidente está furioso com Steve Rogers por ter escondido essa informação. Rogers garante que Bucky não era responsável por suas ações, como pode provar o arquivo da KGB em suas mãos. E garante que seu estado mental foi restaurado por um poderoso artefato (o Cubo Cósmico). Mas há uma acusação recente, muito mais grave, da qual o Soldado Invernal é apontado. Rogers explica que ele estava sob a influência do Caveira Vermelha. Os membros do governo, estupefatos, gostariam de saber onde Barnes está agindo nesse momento.

O presidente conversa em particular com Steve Rogers e deixa claro que a situação está muito complicada. Chega a perguntar até mesmo sobre a obediência de Rogers... caso ele tenha que ser demitido. Não chega a tanto. Steve lembra que o presidente pode conseguir praticamente tudo. Franklin Roosevelt chegou a perdoar Namor quando este inundou Manhattan. Mas Roosevelt não tinha uma mídia que agia 24 horas, cavando mais e mais informações. Além do que, tecnicamente, Namor era um príncipe de outra nação. O crise agora era sobre um soldado americano.

O Capitão América chega a um galpão onde está havendo uma grande reunião de neonazistas naquele momento. Exercício perfeito para que ele possa descontar sua atual frustração. Após derrotá-los, encontra um cartaz anunciando a volta do Grande Mestre. Tem sido sempre assim. A ameaça vermelha, homens bomba, terroristas, fascistas secretos. E ainda há tanto para ser feito...

Steve pousa no alto de um edifício, onde o Capitão América observa os neonazistas serem presos. Pela cara de Steve, Bucky percebe que a situação não está nada boa. Na verdade, Steve está furioso com Zemo, que foi quem causou toda essa confusão. Chega a sugerir que Bucky fuja. No entanto, o herói prefere enfrentar as consequências de seu passado. É isso o que ele quer. Enfrentar o passado.

Na manhã seguinte, Bucky se entrega para as autoridades federais para ser julgado. Pecado, a filha enlouquecida do Caveira Vermelha, presa em um manicômio, vê com interesse as atuais notícias... e gargalha.

Continua...

sábado, 28 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 703

Arte de capa por Carlos Pacheco
- Steve Rogers: Super-Soldier  n° 4 (Dezembro de 2010)

* "Steve Rogers: Super-Soldier - Parte 4", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Dale Eaglesham, colorizada por Andy Troy, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Avante, Vingadores n° 49 ("Steve Rogers: Supersoldado"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Rodrigo Barros, editada por Paulo França

Em um galpão de aeroporto, Smith organiza um leilão com representantes de vários países para vender a fórmula do super-soldado. Mesmo a caminho do local, Steve Rogers ainda não tem um plano de como deter o vilão. Pode até interferir o leilão, mas nada impedirá Mecanus de "saltar" para qualquer dispositivo eletrônico que esteja nas proximidades. Se ele fugir, a ameaça de se produzir mais do soro não será detida.

Steve contata Hank McCoy (o Fera), seu "gênio científico" de plantão, para tentar encontrar uma solução para o problema Mecanus. Hank, no entanto, assume que não será fácil atacar o vilão diretamente. Porém, a amiga robótica que acompanha Steve pode ser o trunfo que precisavam. Atendendo pelo nome de Anita Erskine, sua programação não permite que ataque seu criador, mas Hank, através de uma conexão com o sistema do androide, passa uma nova programação que pode direcioná-la de forma diferente.

O automóvel chega até o local do leilão e Anita usa o fato de ser a presidente interina da farmacêutica para conseguir passar pelo segurança. Após receber autorização de entrada, ela abre o porta malas onde Steve ficou escondido. Ele lamenta que as coisas tenham que acontecer daquela forma. Mas Anita sabe que é apenas um ser de linhas de código programadas para fazê-lo lembrar de uma pessoa de seu passado. Ainda assim é estranho o fato dela estar ajudando. Não há uma explicação, a não ser que tenha sido programada para sentir raiva.

Smith recebe a informação de que o leilão será interrompido e avisa seus potenciais compradores para procurarem um abrigo. Por outro lado, verão, de forma prática, o que o supersoro é capaz de produzir. Para surpresa de todos, o corpo de Smith se abre, revelando ser apenas um invólucro para o vilão Mecanus. Logo em seguida, Steve Rogers o ataca. Utilizando seu escudo energético, ele decapita Mecanus. Obviamente, por tratar-se apenas de um corpo mecânico por onde o vilão se movimenta, isso não tem efeito em eliminá-lo. No mesmo instante, Mecanus começa a se transferir e atacar através de outros dispositivos e armas, na velocidade de uma batida de coração. Nenhum ataque de Rogers surte efeito. Mas, em dado momento, Mecanus percebe que suas transferências foram bloqueadas. Cada recepção de satélite, cada torre de celular... graças à interferência de Anita, que esteve ocupada em destruir o sistema eletrônico da base. Rogers estava apenas ganhando tempo. Ainda assim, resta um sistema eletrônico que não está bloqueado... a própria Anita. Imediatamente, Mecanus transfere sua consciência para a androide. O que ele não esperava era que o sistema operacional dela foi reajustado, permitindo que fizesse um último sacrifício. Antes que o vilão possa tentar fugir... Anita se autodestrói. Rogers desliga o que sobra dela, com o vilão ainda dentro de seus circuitos, e recupera a maleta com as amostras do supersoro.

No dia seguinte, no QG móvel dos Vingadores Secretos, Steve ainda pensa sobre os velhos tempos (como até mesmo Sharon pode perceber). O relatório de Hank mostra que o soro contido na maleta sequer pode curar gripe. Muito menos ser um soro do supersoldado. Aparentemente, essa missão não fez o menor sentido.

Em Detroit, o professor Erskine ainda está vivo e comemora o sucesso de seu plano: usar Mecanus para que Steve Rogers acredite que não há ameaça da recriação do supersoro, além de simular sua própria morte. Ele negocia com um integrante do chamado Conselho das Sombras e já encontraram um jovem que será perfeito para a experiência. Dezessete anos, sua mãe faleceu anos atrás e a economia atual arrasou sua vida. Praticamente a mesma história de Rogers. A ideia é justamente essa. Se o soro funcionou apenas em Steve Rogers, mais do que recriar o soro... eles irão criar novos Steve Rogers. Há outros para serem checados... para que, um dia, o Conselho das Sombras tenha seu próprio exército de supersoldados.

A+:

* A tenente Cynthia Glass apareceu, anteriormente, apenas na minissérie As Aventuras do Capitão América, como vimos em O Diário de Steve Rogers - Parte 409.

ENQUANTO ISSO:

* A revista holandesa Veronica revelava algumas fotos sobre a produção de Capitão América: O Primeiro Vingador, além de uma curiosidade a respeito dos escudos utilizados. Sim, DOS ESCUDOS, no plural. Não que a história mostrasse vários tipos de escudo, mas a quantidade era em relação dos tipos de escudos utilizados nas filmagens. Foi um total de 25 escudos de diferentes materiais, desde os mais leves até um modelo todo feito em bronze, impossível de se manejar (exceto se você tivesse o soro do supersoldado em suas veias). Dos menos difíceis de se manejar, havia até mesmo um que se assemelhava a um grande freesbee, que seria substituído quando aplicado o CGI.

UIA!
* Para comemorar a 700ª postagem do Diário de Steve Rogers, contratamos até um palhaço, daqueles que faz figuras com balões e... bem... ele é um excelente profissional, como podem ver...

GALERIA:
* Capitão América, por Joe Bennett

SEM FILA:
* O escudo do Capitão: notório... e muito útil:

ÂMAGO CLASSIC:

( O Diário de Steve Rogers - Parte 1 ) O Professor Erskine, curiosamente, surgiu nos quadrinhos com o nome de Josef Reinstein, em uma alusão a Albert Einstein. Décadas depois, seu nome seria alterado para o atual Erskine, com o qual o personagem se popularizou como criador do soro do supersoldado.

ÂmagoNews:
* Como surgiram (aos trancos e barrancos) os atuais (e disfuncionais) Guardiões da Galáxia: A Turma de Peter Quill

sexta-feira, 27 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 702

Arte de capa por Carlos Pacheco
 - Steve Rogers: Super-Soldier  n° 3 (Novembro de 2010)

* "Steve Rogers: Super-Soldier - Parte 3", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Dale Eaglesham, colorizada por Andy Troy, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Avante, Vingadores n° 49 ("Steve Rogers: Supersoldado"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Rodrigo Barros, editada por Paulo França

Steve Rogers ainda se lembra que, em sua infância, sua principal companhia era... o medo. Medo de apenas ir da escola para casa, quando outras crianças, simplesmente por sua natureza cruel, insistiam em agredi-lo. Medo e a impotência diante de tal situação quando, na verdade, tudo que ele queria era saber lutar.

Com a mesma impotência, Steve está agora preso em uma mesa de laboratório do vilão Mecanus, com seu corpo sem o efeito do soro do supersoldado. A intenção do vilão é estudar o sangue de Steve para descobrir o que tornará o soro ativo sem destruir o corpo de suas cobaias. Mecanus demonstra ser frio e sádico, pois não tem como objetivo usar os benefícios do soro em si mesmo. Afinal, já faz muito tempo que seu corpo foi destruído e seus robôs criaram uma nova forma onde sua mente pudesse ser armazenada e transferida.

Mecanus conta que usou Jacob Erskine, inclusive convencendo-o a adotar o sobrenome de seu avô para atrair Steve Rogers. O vilão teve a sorte de encontrar uma foto antiga, onde o Capitão América aparece com quem aparenta ser seu primeiro amor: Cynthia Glass. Com essa nova informação, Mecanus criou um simulacro com as feições da moça para desconcertar ainda mais Steve. Com os detalhes de seu plano revelado, o vilão faz com que seus capangas, com corpos alterados pelo soro, desacordem Steve mais uma vez.

A cela em que Steve é colocado parece ser a prova de contato exterior. Ele não consegue chamar por Sharon. Como soldado experiente, ele tenta passar o tempo da forma com a qual foi condicionado: treinando. Só lhe resta esperar. Quando Mecanus reaparece, anuncia que os testes foram positivos... e que não irá mais precisar de Steve. Seus capangas entram na cela. No entanto, Mecanus cometeu um grande erro. Ao contrário do que se imagina, Steve não se tornou o homem, pelo qual é conhecido, na guerra ou em um laboratório. O verdadeiro herói nasceu nas surras que suportava, em sua infância, quando ainda era um magricela impotente. Além do que, os anos o fizeram se tornar o homem mais bem treinado do mundo. Quando o vilão o tornou franzino novamente, não conseguiu tirar seu condicionamento tático no processo. E não são tamanho e força que importam, mas sim a habilidade. Graças a isso, Steve, mesmo em seu estado atual, consegue derrotar os capangas.

Steve chega até o laboratório e reativa o androide que simula Cynthia. Através dela, ele descobre que estão embaixo da casa na praia. Aparentemente, Anita Erskine demonstra certa emoção e raiva por descobrir que não é humana. No momento, Steve a convence (ou reativa sua memória) de que ela deve mostrar onde Mecanus está fazendo suas experiências com o soro e como reverter o processo que o enfraqueceu.

Chegando a outro laboratório, Anita se lembra de que Jacob criou um processo que serve como segurança caso os experimentos com o soro dessem errado. Isso significava que o soro ainda estava nas veias de Steve, mas o que sumiu foi o efeito dos raios vita. Ela se lembra da programação e reativa a máquina, que bombardeia Steve com raios. O processo funcionou. Quando os capangas chegam até o laboratório, Steve já recuperou sua forma física e ativa seu escudo energético contra os disparos desferidos contra ele. O herói não se contém ao atacar os capangas, mesmo com eles tendo força sobre-humana.

Anita parece chocada com a selvageria de Steve. Na verdade, foi para agir dessa forma que ele foi criado. Levando em conta as memórias de Cynthia, a androide deveria se lembrar. Agora eles correm para encontrar o vilão, que está prestes a negociar a venda do soro para terroristas.

Continua...

quinta-feira, 26 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 701

Arte de capa por Carlos Pacheco
- Steve Rogers: Super-Soldier  n° 2 (Outubro de 2010)

* "Steve Rogers: Super-Soldier - Parte 2", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Dale Eaglesham, colorizada por Andy Troy, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Avante, Vingadores n° 49 ("Steve Rogers: Supersoldado"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Rodrigo Barros, editada por Paulo França

Os tiros com balas de alta velocidade, capazes de perfurar até o vidro blindado do escritório do professor Erskine, continuam. O professor, alvo do primeiro tiro, está agonizando nos braços de Steve Rogers. Seu último pedido é que sua esposa, Anita, seja protegida de Smith. Quando Erskine morre, Steve ouve os passos dos seguranças já cercando a sala. Mas ele tem que sair dali. Ele salta pela janela do edifício e tenta desacelerar a queda agarrando-se a bandeira de Madripoor, estendida em um mastro. Ela aguenta menos do que imaginava. Ainda assim, mesmo de forma desajeitada, sua queda é amortecida por um chafariz logo abaixo.

No solo, Steve pode ver a janela de onde se posicionou o atirador. No entanto, ao chegar ao local... descobre que o assassino utilizou algum dispositivo de controle remoto para efetuar os disparos. Mal humorado, ele percorre o submundo de Madripoor em busca de pistas. Sem muito sucesso. Apenas com um nome como suspeito, Steve pede a Sharon que lhe forneça informações sobre Myron Smith, chefe de segurança da farmacêutica. No entanto, mesmo que Sharon desconfie que haja algo a mais do que mau humor, Steve não quer se abrir. Sua cabeça ainda está no fato de que viu uma mulher de seu passado, a Cynthia Glass, espiã nazista que morreu ao se apaixonarem. O primeiro amor que ele perdeu. No momento, o que ele pode fazer é seguir Myron, que leva Anita para uma casa protegida perto da praia. É muito arriscado para Steve se aproximar mais. Então ele espera pelo momento oportuno.

Steve encontra Anita passeando na praia, sozinha. Ele diz conhecê-la e sabe o que aconteceu com seu marido. Anita, de repente, parece se lembrar dele. Ele se apresenta e, ao dizer seu nome, Anita se lembra perfeitamente... e o beija. Ele a afasta, sabe que há algo errado. Ela, transtornada, volta para a casa. Steve a segue. Sharon volta a se comunicar com ele (que gagueja, surpreso). Ela não descobriu nada sobre Myron Smith... porque Myron Smith não existe. Sua documentação é totalmente forjada. De repente, tudo faz sentido. O atirador por controle remoto, um dos cientistas carbonizado em seu próprio carro... o nome Smith. Steve agora sabe com quem está lidando.

Ao confrontar Smith em seu escritório, Steve diz que sabe sobre sua verdadeira identidade. A farsa terminou. Myron agarra a cabeça de Anita e a torce. Com isso, o rosto da mulher literalmente se solta, mostrando que ela é um robô. Além disso, o próprio Myron também é um robô. Um típico e cruel plano do vilão... Mecanus.

A sala se fecha automaticamente e Steve se prepara para lutar. No entanto, é surpreendido por raios que o atingem e desativam os efeitos do soro do supersoldado em seu sangue, diminuindo seu tamanho para o franzino Steve Rogers.

Continua...

quarta-feira, 25 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 700

Arte de capa por Carlos Pacheco
Capa alternativa por David Finch
Capa alternativa por Marki Djurdjevic
 - Steve Rogers: Super-Soldier  n° 1 (Setembro de 2010)

* "Steve Rogers: Super-Soldier - Parte 1", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Dale Eaglesham, colorizada por Andy Troy, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Avante, Vingadores n° 49 ("Steve Rogers: Supersoldado"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Rodrigo Barros, editada por Paulo França

O agente inglês Pete Wisdom apresenta, para Steve Rogers, as fotos de um cientista que trabalhava para a uma emergente farmacêutica... antes de ser carbonizado em seu próprio automóvel. Mas o que interessa realmente a Steve é o fato de a empresa contar um novo pesquisador chefe chamado... Jacob Erskine. O sobrenome não é estranho para ele. Afinal foi um professor Erskine quem lhe administrou a fórmula do supersoldado na Segunda Guerra. Jacob, na verdade, era um neto do professor Erskine. Filho de uma das filhas desconhecidas do cientista com outro nome conhecido por Steve: Tyler Paxton, outro dos candidatos ao experimento com o soro. Mais um "magricela" que concorreu à vaga com ele. O real motivo da presença de Wisdom (tão secreta, que a  escondeu de seus superiores), no entanto, estava ainda mais intimamente ligada ao homem que já foi conhecido como Capitão América. Jacob, dentro desta empresa, parecia ter desvendado e colocado em produção a fórmula do supersoldado, oferecendo-a para quem pagasse mais.

Steve segue para Madripoor, um dos locais mais corruptos do planeta, e se infiltra em uma das festas patrocinadas pela farmacêutica, com o intuito de localizar Jacob. Depois de uma hora de conversa fiada com convidados, Steve localiza Jacob e fica impressionado com algo que não imaginaria ver. A esposa de Erskine... tem uma incrível semelhança física com uma antiga namorada dos tempos da Segunda Guerra. Sua mente deve estar lhe pregando uma peça.

Vestindo seu uniforme da SHIELD, Steve segue para outro andar do prédio, onde, utilizando dardos, põe para dormir seguranças que guardam o elevador privativo de Erskine. Apesar de se precaver e decidir seguir pelas escadas, ao final delas encontra três outros seguranças que aparentam uma força bruta descomunal. De fato, são rápidos demais para o tamanho deles. Ao que parece, já estão usando o soro do supersoldado em sua própria equipe. O que é um erro. Afinal, Steve não foi o único em quem o soro foi testado. Na verdade, foi o único com o qual ele funcionou perfeitamente. Nos outros, o resultado mais próximo os levou a loucura. Um dos seguranças parece demonstrar os efeitos colaterais quando desmaia, sentido uma forte dor de cabeça. Após derrotar os demais, Steve descobre que o segurança caído teve uma espécie de aneurisma. Utilizando um dispositivo criado por Hank McCoy (o herói conhecido como Fera) ele retira uma amostra de sangue e comprova suas suspeitas.

Quando Steve chega até a cobertura de Erskine, o local está apagado. No meio das sombras, no entanto, o cientista já o esperava. Steve pergunta por que Jacob está fazendo aquilo. Seria vingança por seu pai, uma vez que ele não foi o escolhido para testar soro? Erskine se mostra indignado com a acusação. Afinal, enquanto Steve se tornou o Capitão América e enfrentava supervilões nas trincheiras, Tyler seguiu trabalhando para inteligência militar, decifrando códigos alemães. De certa forma, serviu como herói de guerra... sem nunca guardar nenhum rancor por não ter sido o escolhido. E mais, Jacob confessa que mudou seu sobrenome... para chamar a atenção de Steve, pois ele pode ser a chave para aperfeiçoar o soro e levá-lo até seu objetivo: criar a cura do câncer.

Rogers não acredita em uma palavra de Jacob. Seus seguranças mostraram ter sido cobaias do soro e ainda havia o fato da esposa do cientista se parecer com uma mulher que ele acreditava ter morrido setenta anos atrás. Jacob se mostra surpreso com as duas acusações, mas não acredita que seu chefe de segurança possa ter usado a fórmula. Mas antes mesmo que conclua seus pensamentos, Erskine é atingido por uma bala de alta velocidade. Como no passado, havia outro professor Erskine morrendo nos braços de Steve... e ele não tinha ideia do que estava acontecendo.

Continua...

terça-feira, 24 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 699

Arte de Capa por Marko Djurdjevic
 - Captain America n° 610 (Novembro de 2010)

* "No Escape, Conclusion", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Butch Guice, artefinalizada por Rick Magyar, colorizada por Frank Martin, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Capitão América e os Vingadores Secretos n° 5 ("Sem Saída - Conclusão"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Fernando Lopes, editada por Paulo França

Steve Rogers (acompanhado da Viúva Negra e do Falcão) ainda não tem nenhuma pista de onde Zemo possa ter levado Bucky. O estado de tensão de Steve é tamanho que ele deixa de atender uma ligação do próprio presidente, transferida por Sharon (que o alerta sobre a gravidade de sua atitude). O semblante dele congela quando, de repente, surge-lhe a ideia de um local para onde Bucky pode ter sido levado.

Em uma ilha no Canal da Mancha, onde acreditavasse que Bucky havia morrido no passado, o herói é deixado sem seu uniforme ou escudo. Depois de enfrentar capangas paramentados com roupas da época, Bucky chega até Zemo que o questiona sobre o direito do herói em continuar vivendo. Lembra-o de sua vida como Soldado Invernal e de todas as mortes que causou nesse período. Destaca que ele, mesmo assumindo o uniforme, não é e nunca será alguém como o Capitão América, pois suas mãos estão manchadas com o sangue de suas vítimas. Quando a fúria de Bucky o leva próximo a matar Zemo, o vilão lhe questiona o que ele realmente fez até hoje para merecer redenção. Enquanto se encontra em um momento de dúvida, Bucky não percebe que há um dispositivo elétrico em seu recuperado escudo. O dispositivo emite uma descarga que o desacorda.

Bucky acorda amarrado em uma bomba-foguete, similar a que o pai de Zemo o lançou na Segunda Guerra, levando a ser pego pela explosão da mesma ao tentar impedir seu curso. O vilão imobilizou o braço biônico do herói por trinta segundos a partir do lançamento do foguete. Segundo ele, é tempo suficiente para que Bucky repense nas mortes que cometeu... e se merece perdão... ou uma chance de pagar pelo que fez. O foguete é lançado... e lampejos das mortes que causou assombram Bucky. No entanto, mesmo sabendo de seu passado, ele está ciente de que, apesar de ser fácil e lógico desistir de tudo... este não seria ele. Antes que a bomba exploda, o herói consegue se soltar. Ao retonar para a ilha... Zemo já partiu... deixando o uniforme e o escudo na praia.

Uma hora depois, a Viúva Negra, o Falcão e Steve Rogers chegam até a ilha. O Capitão América os está esperando. Ele lhes conta que Zemo já deve estar longe e de como é bizarro estar naquele local. Os heróis voltam para casa, mas Bucky, já reconhecendo sua rotina, sabe que haverá outro inferno inteiro os esperando.

ENQUANTO ISSO:

* Era revelado que, inicialmente, havia nove longas-metragens previstos com a participação de Chris Evans como Capitão América. Porém, tal compromisso era por demais extenso e o estúdio cedeu para seis participações (não exatamente divididas em filmes do personagem, obviamente).

* A ideia original do filme do Capitão América era mostrá-lo com saltos entre o passado e o presente. Tal narrativa não deu muito certo e decidiu-se que o filme se passaria praticamente todo na Segunda Guerra, com uma pequena ligação ao presente (afinal, a aparição seguinte do herói seria em Os Vingadores).

* O submarino da Hydra, criado para o filme, realmente consegue submergir, subir e viajar a 12 nós.

* Definida a data de estreia do filme do Capitão América no Brasil: 29 de Julho de 2011, uma semana depois de sua estreia nos Estados Unidos.

* Capitão América versus Homem-Aranha... na vida real! Só que não... Em Stamford, no estado de Connecticut (Estados Unidos) os jovens Michael Sanchez, 25 anos, utilizando uma fantasia de Capitão América e Vincent DeCarlo, 21, fantasiado de Homem-Aranha, foram presos após se envolverem em uma briga. Os "heróis" estavam fantasiados para o Halloween.

GALERIA:
Capitão América por Michael Atiyeh

UIA!:
* O mascote do time da Universidade de Iowa tendo o seu dia de herói.

SEM FILA:
* Algumas fotos até então divulgadas sobre a produção do filme: 

ÂMAGO CLASSIC:
( O Diário de Steve Rogers - Parte 62 ) Primeira aparição de Sharon Carter, ainda uma frágil moçoila a serviço da SHIELD.

ÂmagoNews:
Falando sobre o rei dos vilões... ou do vilão que é rei... depende do humor de sua majestade no dia...: O Vilão - Parte 1

segunda-feira, 23 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 698

Arte de capa por Marko Djurdjevic

Capa alternativa por Mike Perkins
 - Captain America n° 609 (Outubro de 2010)

* "No Escape, Part 4", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Butch Guice, artefinalizada por Andrew Hennessy e Rick Magyar, colorizada por Paul Mounts, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Capitão América e os Vingadores Secretos n° 4 ("Sem Saída - Parte 4"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins, editada por Paulo França

Bucky faz as malas para se esconder em um lugar previamente escolhido pela Viúva Negra. Antes de terminar, no entanto, vê um recado de Zemo em seu próprio banheiro, onde o vilão o desafia para uma batalha final no local onde ele nasceu. Ele sabe que Zemo se refere ao lugar onde o herói "Bucky" nasceu: o Forte Lehigh. Vestindo seu uniforme (e sabendo que estará contrariando Natasha) para o encontro com Zemo.

Zemo, de fato, está em Forte Lehigh, mas diz que só foi ao local por prever que Bucky o interpretaria de forma errônea. As roupas de Zemo formam uma espécie de exoesqueleto que o protegem de golpes e permitem que ele dispare raios de energia. Em dado momento, Bucky pensa tê-lo nocauteado, mas a máscara de Zemo também é feita do mesmo material que lhe protege o corpo. Essa distração possibilita que o vilão coloque um dispositivo capaz de desligar o braço biônico de Bucky. Em seguida, um raio de energia deixa o herói inconsciente.

Ao acordar, Bucky se vê preso e dentro de um avião. É então que Zemo revela que o local de nascimento a que se referia, na verdade, é a ilha no Canal da Mancha onde seu pai teria causado a morte do herói. O local onde Bucky deveria ter morrido.

Após a identidade de Bucky ter sido revelada publicamente, Falcão e Steve Rogers procuram por ele antes que cometa alguma besteira. Lá chegando, se encontram com a Viúva Negra... mas Bucky não está no local. Vendo a mensagem de Zemo, também concluem que o local do encontro seja Forte Lehigh. Falcão, através de seu contato com os pássaros, toma ciência de que há um atirador no telhado. Isso lhes dá tempo de escapar da explosão que acontece em seguida. O herói alado segue em direção ao atirador e descobre que ele é Hauptmann Mão de Ferro. O vilão chuta as costelas do herói, que ainda estão feridas, mas é atingido em seguida pela Viúva Negra. Steve chega em seguida. Na tentativa de fazer Hauptmann falar, Steve esmaga sua "mão de ferro". Porém, para sua surpresa e ao contrário do que imaginavam... não se trata de uma mão robótica. É, na verdade, uma luva de ferro que a envolve. O vilão grita de dor pela mão quebrada. Hauptmann não sabe detalhes sobre os planos de Zemo, sabe apenas que o vilão partiu levando Bucky.

Continua...

ENQUANTO ISSO:

* A revista Entertainment Weekly estampava, em sua capa, a primeira foto oficial de Chris Evans vestido com o uniforme do Capitão América.

* A SEGA anunciava a produção do game Captain America: Super Soldier, para ser lançado no rastro do filme do herói.

GALERIA:
* Versão do Capitão América criada por Daniel-Heard

SEM FILA:
Cena de filmagens do filme "Capitão América, o Primeiro Vingador" onde Peggy Carter é surpreendida por uma explosão : 

ÂMAGO CLASSIC:
* ( O Diário de Steve Rogers - Parte 169 ) Helmut Zemo (filho de Heinrich Zemo), surgiu nos quadrinhos em 1973, quando ainda utilizava o nome de Fênix. Era um típico vilão genérico (com uma arma de raios genérica) que surpreendeu por ser filho do Barão Zemo original. Sua história se tornaria mais dramática com o final de sua primeira história, quando caía em um tonel de adesivo efervescente, tendo o rosto deformado e originando o uso da máscara pelo qual ficaria conhecido e com a qual seu próprio pai ostentou durante a Segunda Guerra.

ÂmagoNews:

domingo, 22 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 697

Arte de capa por Marko Djurdjevic
 - Captain America n° 608 (Setembro de 2010)

* "No Escape, Part 3", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Butch Guice, artefinalizada por Rick Magyar e Mark Pennington, colorizada por Dean White, Elizabeth Dismang Breitweiser e Frank Martin, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Capitão América e os Vingadores Secretos n° 3 ("Sem Saída - Parte 3"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins, editada por Paulo França

Capitão América e Viúva Negra enfrentam a nova Besouro, identidade da atendente de drogou o herói. Apesar de usar uma armadura munida com poderosos raios, a vilã é derrotada pelo herói que a prende e leva para a prisão conhecida como Balsa, hoje administrada por Luke Cage, novo diretor dos Thunderbolts. No interrogatório, a Besouro surpreende o Capitão e a Viúva ao revelar que sabe que ele é Bucky. Não só isso. Sabe seu nome civil... e até mesmo que ele foi o Soldado Invernal. Quando tentam um acordo para que ela revele para quem está trabalhando... ela simplesmente ri da proposta. O casal de heróis repensa todos os suspeitos que sabem sobre Bucky e ela chega à conclusão de alguém que está desaparecido: Zemo. Para piorar a situação, a imprensa já sabe toda a verdade e assedia Bucky sobre sua identidade como Capitão América e seu passado com Soldado Invernal, que se tornou de conhecimento público.

Armador, finge ser um fiel integrante dos Thunderbolts (vilões trabalhando para o governo e, assim, minimizando suas penas). Mas, através de uma transmissão embaralhada, consegue contatar Zemo e revelar que a Besouro foi capturada. Mas Zemo tem tudo sob controle e diz que a vilã é descartável. O plano é justamente desestabilizar Bucky deixando que ela revele saber a verdade.

Falcão e Steve, no hospital em que o primeiro se recupera do primeiro ataque de Zemo, ficam sabendo das más notícias pela TV. Mesmo em recuperação, Falcão decide agir antes que as coisas piorem.

Continua...

A+:

* Observação interessante sobre o mundo atual. Quando a Besouro está atacando, ela coloca civis em perigo ao atacá-los para distrair o Capitão América. Na verdade, são pessoas que foram até o local da batalha para filmá-la. O Capitão América se pergunta por que as pessoas não fogem como antigamente. Nos dias atuais, uma situação de perigo atrai ainda mais curiosos que querem registrar a ocorrência de qualquer forma para compartilhar em redes sociais.

ENQUANTO ISSO:

* Na escolha do Comics Bulletin pela dez melhores obras da Marvel nos anos 70, as histórias do Capitão América do escritor Steve Englehart e do desenhista Sal Buscema ficaram com o quarto lugar (sendo o primeiro lugar para Os Defensores, de Steve Gerber e do mesmo Buscema). Vale lembrar que essas histórias culminaram na emblemática saga do Império Secreto, onde o Capitão América descobre que o líder da organização criminosa era alguém de alta patente dentro do próprio governo americano (supostamente, o próprio presidente, em uma alusão/protesto contra Nixon), levando ao herói, desacreditado dos ideais americanos, a abandonar seu uniforme e adotar o de Nômade. Esse episódio da história do personagem foi relatado em O Diário de Steve Rogers - Parte 175.

* A Sideshow Collectible lançava uma estatueta do Capitão América, na versão assumida por Bucky Barnes. A peça trazia uma versão com uma cabeça trocável, ou seja, era possível trocar a cabeça da imagem por uma versão do herói sem a máscara.

* "Existem ligações entre todos os filmes da Marvel, a maioria coisas que apenas os fãs vão perceber. Nós temos diversas referências sutis a certos elementos do filme do Thor, mas como Capitão América é um filme de época que se passa na década de 1940, temos menos oportunidades de relacioná-lo com os demais filmes contemporâneos da Marvel. Mas podemos, no entanto, criar eventos em nossa história que serão relevantes no filme dos Vingadores e outras produções Marvel" (Joe Johnston, diretor do filme Capitão América, o Primeiro Vingador)

* "Dois terços do filme se passam na Europa e há várias cenas em Londres, então fez sentido filmá-lo por aqui. A produção chegou há dois meses e meio para a preparação e estamos rodando há 20 dias. O histórico de filmes do Pinewood Studios é impressionante" (Kevin Feige, chefe da Marvel Studios, sobre filmar na Inglaterra)

* "Hugo Weaving está trabalhando há duas semanas com seu uniforme e tem sido muito divertido. Demos um gostinho do visual dele para as pessoas na Comic-Con em San Diego e agora começamos a trabalhar efetivamente na versão final do crânio. Vai ficar um vilão assustador." (Kevin Feige sobre o Caveira Vermelha)

* "Fiquei noites sem dormir antes de decidir se aceitaria ou não. Foi uma decisão difícil, até porque já passei por isso, não sabia como os fãs iam reagir e, também, é algo com que terei de conviver até os meus 40 anos. Não é algo muito fácil. Mas acho que vale a pena." (Chris Evans, sobre seu papel em Capitão América - O Primeiro Vingador)

* Paparazzis dos Daily News conseguiram imagens das filmagens do Capitão América: o uniforme do herói, utilizado por um dublê, e motos com o emblema da Hydra. Em outro set, era mostrado o visual da atriz Hayley Atwell como Peggy Carter, e Chris Evans como Steve Rogers.



* Christopher Towsend, supervisor de efeitos especiais de "Capitão América - O Primeiro Vingador", explicava como seria feita a transposição de um Steve Rogers franzino para o super-herói, utilizando o mesmo ator. A técnica consistia em mostrar apenas a cabeça do ator no corpo de outro ator mais magro.

SEM FILA:
* Filmagens de uma cena de perseguição, no filme "Capitão América - O Primeiro Vingador", onde Steve Rogers corre atrás de um táxi: 

UIA!:

* Não basta ser cosplay... tem que ser boneco de papelão!:

ÂMAGO CLASSIC:
* ( O Diário de Steve Rogers - Parte 626  ) Após a morte do Capitão América, Tony Stark, então diretor da SHIELD, estava de posse do escudo do herói e incumbiu a Viúva Negra para transportá-lo para um local seguro. Ela é interceptada pelo Soldado Invernal que, coincidentemente, era a identidade de Bucky Barnes, com quem a Viúva já esteve envolvida no passado. Mais tarde, ela e o Falcão resgatam Bucky dos asseclas do Caveira Vermelha e o levam para Stark, que o convence a se tornar o novo Capitão América. Desde então, Natasha acompanha o novo Capitão América como sua parceira.

ÂmagoNews:
* Parte final na trilogia de artigos sobre um pequeno grande herói Marvel : Cuidado Onde Pisa - Parte 3


sábado, 21 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 696

 - Captain America n° 607 (Agosto de 2010)

* "No Escape, Part 2", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Mitch Breitweiser, artefinalizada por Butch Guice, colorizada por Dean White e Elizabeth Dismang Breitweiser, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Capitão América e os Vingadores Secretos n° 2 ("Sem Saída - Parte 2"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins, editada por Paulo França

Bucky (que veste o uniforme de Capitão América antes das ambulâncias chegarem) se culpa por seu parceiro, o Falcão, ter se ferido na explosão de sua moto. Alguém armou a emboscada para ele e o fato de se sentir drogado o lembra bem disso. Isso também explica o fato de se sentir agitado dentro do hospital ao qual Sam foi internado. Após o momento de agitação, onde esbraveja com enfermeiros, sente seu corpo relaxar além do normal. É quando Hauptmann, o Mão de Ferro, invade o local atrás dele (parte dos planos de Zemo). Bucky o reconhece como sendo um antigo assecla do Caveira Vermelha. Levando a batalha para fora do hospital, logo se vê cercado também... por soldados nazistas. Provavelmente parte da tropa que dá cobertura para Hauptmann. 

Steve Rogers localiza Bucky lutando fora do hospital e é obrigado a intervir, mostrando que ele não está esmurrando nazistas. Na verdade, a droga o fez ver inimigos... em policiais. Durante a confusão, Hauptmann foge. Bucky pede ajuda contra a droga em seu corpo.

A doutora Jane Foster consegue localizar o problema com Bucky. Não se trata exatamente de uma droga, mas de nanitas que estão em sua corrente sanguínea. Após a doutora neutralizar os nanitas, Bucky começa a repensar quem poderia ter inserido-os em seu sangue. Ele então se lembra de uma atendente do bar onde frequenta no Brooklyn. A situação parece piorar quando a imprensa começa a noticiar sobre seu ataque contra os policiais e duvidar da credibilidade desse "outro" Capitão América.

Bucky e Natasha investigam a garota do bar e acabam encontrando-a vestindo uma versão feminina do uniforme do vilão Besouro.

Enquanto isso, Zemo, através de um contato russo, parece ter conseguido informações importantes sobre um tal de Projeto Soldado Invernal.

Continua...
ÂmagoNews:
Você não sabia que os Guardiões da Galáxia foram criados décadas atrás e até tiveram uma revista de relativo sucesso na década de 90? Que coisa feia! Faça bonito e leia a série de artigos que estou escrevendo, para o site Dínamo, sobre o grupo futurista. No quarto artigo, falo justamentes sobre a revista mensal deles: Guardiões da Galaxia - A primeira geração que surgiu depois da segunda - Parte 4 - Uma revista de futuro

sexta-feira, 20 de junho de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 695

Arte de capa, por Marko Djurdjevic

Arte de capa alternativa, por Butch Guice
 - Captain America n° 606 (Agosto de 2010)

* "No Escape, Part 1", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Butch Guice, colorizada por Dean White, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, em Capitão América e os Vingadores Secretos n° 1 ("Sem Saída - Parte 1"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Jotapê Martins, editada por Paulo França

Fantasma, integrante dos Thunderbolts, que eram controlados por Norman Osborn, invade o antigo esconderijo do grupo original. Coincidentemente, acaba encontrando o Barão Zemo, líder-fundador do grupo. Tentando se livrar do dispositivo de rastreamento, Fantasma conta a Zemo sobre seu encontro com o novo Capitão América. O detalhe surpreendente para Zemo é que a identidade desse novo herói era ninguém menos que... Bucky. O mesmo Bucky que seu pai acreditava ter sido o responsável pela morte na Segunda Guerra. Zemo critica os planos de Osborn pois, graças a eles, o mundo voltou a ter tons de preto e branco, bem e mal, certo e errado... heróis e vilões. E, com essa revelação, descobre que está mais do que na hora de voltar à ativa.

Acompanhado de Armador, integrante dos Thunderbolts originais, Zemo procura por Jurgen Hauptmann, o Mão de Ferro, que já pertenceu ao grupo do Caveira Vermelha conhecido como Exilados (o mesmo grupo de criminosos presos em uma ilha, onde Sam Wilson encontrou Steve Rogers pela primeira vez). Zemo ameaça Hauptmann sobre cumprir uma antiga dívida que o vilão tinha com seu pai. Zemo também invade o Instituto Kurtzberg, onde está internada a deformada Pecado, e pede mais informações sobre Bucky... e como ele sobreviveu. Pecado gargalha.

Falcão desabafa com Steve Rogers que o novo Capitão América parece estar agindo de forma mais perigosa do que necessária. Em um recente enfrentamento com a Gangue de Demolição, ignorou a própria segurança e colocou sua vida em risco em manobras que mais pareciam formas de se deixar ferir propositalmente. Chegou ao ponto de suas ações ocuparem o Falcão, o que possibilitou a fuga dos vilões. Bucky tem agido assim desde a morte de Burnside. De fato, o herói tem pesadelos com aquela execução até hoje.

Em um bar, Steve e Sam tentam conversar com Bucky e descobrir o que está acontecendo com o amigo. Bucky desdenha e prefere não levar sermões de seus parceiros. Até mesmo pede desculpas por ter colocado a vida de Sam em risco no caso da Gangue de Demolição, como se esse fosse o principal problema. Quando Steve vai embora, Sam se oferece para dirigir a moto de Bucky, pois este parece estar bêbado. Bucky concorda, mas estranha o fato de estar bêbado com apenas duas cervejas. Tarde demais, ele descobre que isso só pode significar que ele foi drogado. É então, percebendo que caiu em uma armadilha, que se volta urgentemente para Sam... que, ao ligar a moto, é atingido por uma explosão. Bucky chama uma ambulância para o amigo.

A explosão só não foi mais fatal, pois a intenção de Zemo, acompanhado do Armador, era ferir. A primeira fase do plano do vilão estava completa.

A+:

* No Brasil, esta história foi publicada na volta da revista mensal do Capitão América, algo que não acontecia desde os tempos da Editora Abril, ou seja, 14 anos atrás. O impulso para o lançamento foi o filme do herói nos cinemas. Ainda assim, dividia o titulo com os Vingadores Secretos, que também figuravam no nome da revista.

* O Instituto Kurtzberg, onde Pecado está internada, é uma homenagem ao criador do Capitão América e do Caveira Vermelha, Jack Kirby, nome artístico de Jacob Kurtzberg.

* O pesadelo de Bucky é uma homenagem à arte do desenhista Jim Steranko, que teve uma curta, porém, cultuadíssima passagem pelas aventuras do Capitão America no final da década de 60, como vimos em O Diário de Steve Rogers - Parte 103.

ENQUANTO ISSO:

* Kevin Feige anunciava que tanto o filme do Capitão América quanto o do Thor teriam suas versões em 3D.

* Na Comic-Con 2010 era apresentado um cartaz sobre o filme. Apesar de se tratar de uma arte conceitual, dava uma melhor ideia de como o personagem ficaria utilizando o uniforme:

* No painel da Comic-Con referente ao filme, uma das cenas mostra que o Cubo Cósmico, famoso artefato do Universo Marvel, estaria presente. E mais: a cena mostra Hugo Weavin (o Caveira Vermelha, porém, ainda sem o famoso semblante) invadindo uma espécie de templo atrás do objeto. Ludibriado, descobre que o verdadeiro está escondido em uma gravura de Yggdrasil, a árvore da vida que aparece nas histórias do Thor. Com isso, estariam conectando os filmes do Capitão América com o do deus do trovão.

* O diretor Joe Johnston declarava que a adaptação de Steve Rogers para a tela mostraria o personagem como uma pessoa boa, que queria fazer a coisa correta, mas não uma espécie de superpatriota. Bem... até aí... esse é um erro recorrente de quem não lê histórias do personagem e pode julgá-lo como um mero herói propagandista e "puxa-saco" dos Estados Unidos. Suas histórias nos quadrinhos, no entanto (mesmo que esses tenham surgido com intenções propagandistas), mostram justamente um Steve questionador da América que tanto se impõe ao mundo.

* E Joss Whedon, escolhido como diretor do vindouro filme dos Vingadores, justamente para criar ligação com o seu filme, escreveria alguns dos diálogos em Capitão América, para que o personagem tivesse seus propósitos refletidos na equipe em que viria a participar no futuro.

* É revelado um set montado em Farnham, no condado de Surrey, na Inglaterra, onde se vê o palco onde Steve Rogers fez sua performance para elevar o moral das tropas:

* Cena com figurantes rodada no meio da Trafalgar Square, em Londres. A cena mostra as comemorações no dia em que as forças aliadas aceitaram a rendição dos nazistas no fim da Segunda Guerra Mundial, o chamado VE-DAY:

* "Eu faço o papel do Dr. Erskine, descrito como um cientista alemão velho. Eu tenho que fazer sotaque e ser velho. Quando me pediram para fazer isso de início, eu não sabia dizer se era um cumprimento ou um insulto." (Stanley Tucci)

* Com a onda de notícias envolvendo o filme do Capitão América, a Marvel começa a divulgar projetos especiais com o personagem nos meses seguintes. Um desses projetos é a minissérie Captain America : Man Out Of Time, onde o personagem, na época em que voltou a ativa (após ficar congelado por décadas), tenta se adaptar a uma sociedade americana muito diferente da que conhecia. O escritor responsável é Mark Waid.

* A atriz Hayley Atwell, interpretando a personagem Peggy Carter:


GALERIA:
* Versão de Capitão América, por Tony Aros. 

SEM FILA:
* Na Comic-Con 2010, a Marvel Studio apresentava ao público o escudo do Capitão América a ser utilizado no filme:

ÂMAGO CLASSIC:

* Em Setembro de 1969, surgia o primeiro super-herói afro-americano dos quadrinhos: Sam Wilson, o Falcão. Foi criado pelo escritor Stan Lee e pelo desenhista Gene Colan. Para mais detalhes, veja O Diário de Steve Rogers - Parte 110.

ÂmagoNews:
* Falei sobre a "superheroirização" de Hank Pym, fazendo-o se tornar... hã... um... digamos... grande herói da Marvel, na segunda parte do artigo sobre o Homem Formiga, para o Impulso HQ: Cuidado onde pisa - Parte 2