sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 607

 - Captain America 65th Anniversary Special (Maio de 2006)

* "Secrets of Iron & Fire", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Marco Martin, Javier Pulido e Mike Perkins

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Universo Marvel Anual n° 1 ("Segredos de Ferro e Fogo") e no livro Marvel Deluxe: Capitão América n° 2 - A Ameaça Vermelha.

Abril de 1944: Capitão América e Bucky se juntam ao Sargento Nick Fury e seu Comando Selvagem em uma missão atrás das linhas inimigas. Na fronteira entre a Alemanha, Latvéria e Áustria, eles são identificados por uma patrulha inimiga. Durante a batalha, Bucky é seriamente ferido. Capitão América corre com seu parceiro para a cidade (dominada pelo inimigo) onde o único médico capaz de atendê-lo é o pai de seu contato. Ele chega à casa de Gretchen e seu pai, Richard, e descobre que eles são os últimos membros sobreviventes da resistência. Bucky é tratado, mas tem que ficar em repouso.

Durante sua estadia, Gretchen e seu pai revelam que o Caveira Vermelha tem agido nas ruínas de um castelo próximo dali. Enquanto isso, o Capitão América tem acesso a plantas que podem ter ligação com os planos do vilão neste castelo. Já Gretchen e Bucky descobrem antigos registros de que o barão daquele castelo tencionava a criação de uma espécie de robô gigante, muito provavelmente o verdadeiro interesse do Caveira.

Enquanto o Comando Selvagem distrai os soldados inimigos, o Capitão América consegue entrar no castelo. Na cidade, Bucky e Gretchen resgatam um cientista que confirma a existência de um robô como descrito nos esquemas. Quando o Capitão encontra o Caveira Vermelha, ele já ativou a gigantesca criatura. O herói atinge o que parece ser um enorme coração artificial, que destrói o robô e o castelo. Ao fim da aventura, Bucky beija Gretchen e promete procurá-la após o fim da guerra.

Hoje: Capitão América está contando esta história para Sharon Carter, revelando que Gretchen foi o grande amor da vida de Bucky. Infelizmente, eles nunca mais se viram e ela envelheceu e morreu sem tê-lo visto novamente. E foi justamente para se despedir dela que o Soldado Invernal apareceu na cidade dominada pela IMA.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 606

 - Captain America n° 17 (Junho de 2006)

* "Collision Courses - Part 2", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Mike Perkins

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Poderosos Vingadores n° 41 ("Rota de Colisão - Parte 2") e no livro Marvel Deluxe: Capitão América n° 2 - A Ameaça Vermelha.

Steve e Sharon acham estranho que um integrante da IMA peça ajuda logo a eles, que os enfrentaram várias vezes. O problema maior, no entanto, está na presença de Ossos Cruzados e alguém que eles dizem ser "uma garota maluca", que tomaram um de seus laboratórios. O casal decide investigar. No caminho, o integrante da IMA lhes dá mais detalhes.

"Vocês provavelmente já devem ter reparado que Pilsburg não é uma cidadezinha comum... Desde o início dos anos 90, ela tem sido literalmente governada por uma célula de pesquisas subterrâneas da IMA... Nossa instalação funciona debaixo da maior parte do centro... E os funcionários públicos locais ou se calam de medo, ou estão em nossa folha de pagamento. E foi assim por anos... nós fazendo nossa pesquisa e a cidade prosperando". 

"Mas, na semana passada, um superagente invadiu nosso laboratório. Ele destruiu vários protótipos cruciais bem como dominou um de nossos prédios na cidade. Tudo tem sido uma confusão desde pouco antes de o Caveira Vermelha ser assassinado. Várias divisões da IMA se desligando e levando consigo nossas pesquisas. Um dos nossos agentes de campo estava seguindo Ossos Cruzados, à espera que ele contatasse os grupos que agora se chamam IDA. Ideias de Destruição Avançada. Ao que parece, o disfarce do nosso agente foi descoberto... quer dizer, estou supondo... porque tudo que eu sei é que duas noites atrás fomos invadidos de novo... mas dessa vez foi diferente. Ossos Cruzados e essa menina, uma louca desvairada, de alguma forma obteve acesso ao nosso túnel principal e simplesmente... bem, nós somos cientistas, não soldados. Vocês sabem disso. Mas nem todos se entregaram. Eu me escondi... assim como meus amigos. Os caras que vocês deixaram no hotel."

"Quando Ossos e a garota abriram o cofre... eles viram aparelhos que, se usados corretamente, podiam destroçar um quarteirão inteiro... e, se usados incorretamente, bem... Quando eu vi o olhar em seus rostos ao abrirem aquele cofre... principalmente a expressão da garota... senti até um calafrio. Conseguimos escapar pra superfície e ficamos sabendo da presença de vocês na cidade."

Após o relato do cientista da IMA, para sua surpresa, Sharon ordena o avança de vários outros agentes da SHIELD, que pousam de modo furtivo. Na entrada principal do laboratório subterrâneo, Sharon lembra ao cientista que o acordo é que ele seja levado sob custódia após digitar os códigos de acesso. Antes que ele responda, no entanto, um tiro certeiro o mata. O Capitão América avança em meio a um tiroteio entre os agentes da SHIELD e os cientistas da IMA, que estão sendo liderados por Ossos Cruzados.

Por outra porta, Steve e Sharon veem a entrada de vários agentes uniformizados diferentes. O Capitão América já os enfrentou na Filadélfia. Trata-se do Esquadrão Modoc. Unidades militares com mente de colmeia. Possivelmente já foram humanos um dia. Agora são apenas armas. A única forma de detê-los é mirando na cabeça. Já o Capitão América, os enfrenta da melhor forma possível. Após derrotarem o Esquadrão Modoc, Sharon constata que os agentes já prenderam todos os operativos da IMA. Porém, o grupo responsável por garantir o cofre da organização não responde.

O saldo do ataque da SHIELD é de cinco agentes feridos, dois mortos... e um que foi levado. Não levaram absolutamente nada do cofre. Sharon pede para ligarem o GPS do agente que foi levado... se ele ainda estiver vivo. Agora, o Capitão América sabe por que Bucky esteve ali.

Steve e Sharon visitam a Srta Tolin, que mora nos arredores de Pilsburg. Ela confirma ser filha dos antigos donos da pousada local e que sua mãe, cujo nome de solteira era Gretchen Zeller, veio da Alemanha. Apesar de desconfiada, a Srta Tolin diz que alguém lhe fez perguntas sobre sua mãe uma semana atrás. O Capitão América lhe mostra uma foto e ela diz que foi quem lhe questionou uma semana antes, só que com um cabelo mais curto do que o da foto. Quando a Srta Tolin exige saber o porquê do interesse em sua mãe, Steve abre sua camisa e mostra seu uniforme. Ele também a conheceu... durante a Segunda Guerra. Mais tranquila, Tolin diz que o homem que a visitou só queria saber onde sua mãe estava enterrada... e que queria prestar as últimas homenagens antes que fosse tarde demais.

Apesar de Bucky, como Soldado Invernal, ter vários contatos que lhe possibilitariam encontrar alguém que imigrou para os Estados Unidos e mudou de nome, Steve acha muito improvável que conseguisse alguma ajuda nesse sentido. Ele desconfia do envolvimento de Nick Fury, que está foragido desde sua empreitada particular contra a Latvéria. Quanto ao "tarde demais" citado por Bucky, acredita-se que ele irá tentar matar Lukin.
ÂmagoNews:

* Falando sobre a primeira aparição da Tropa Alfa: Se Com Um Único Canadense Já Havia Encrenca...

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 605

 - Captain America n° 16 (Maio de 2006)

* "Collision Courses", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Mike Perkins

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Poderosos Vingadores n° 40 ("Rota de Colisão") e no livro Marvel Deluxe: Capitão América n° 2 - A Ameaça Vermelha.

A filha do Caveira Vermelha, Pecado, está de volta e, junto com Ossos Cruzados, estão espalhando o terror pelo centro dos Estados Unidos. Até agora, contam-se vinte civis mortos em seus ataques. Isso já ocorre a uma semana e o Capitão América indaga porque só está sendo informado agora. Acontece que Fury desertou e os Novos Vingadores não são exatamente um grupo que agrada o governo... assim como Rogers também não concorda muito com a nova administração da SHIELD. Sharon teve que se desdobrar para conseguir convencer a nova diretora, Maria Hill, a convocar o herói. Na verdade, a rota de destruição do casal de vilões sugere que a próxima cidade seja a mesma em que se suspeita da presença do Soldado Invernal. Sharon fez isso por Steve e por saber que ele acredita que seu ex-parceiro ainda está vivo e tentando compensar seus erros enquanto assassino. Mas ela não acredita que ele tenha saído vivo das montanhas em Virgínia.

Sharon e Steve chegam à pequena cidade no Iowa e investigam sobre uma explosão de um automóvel. Apesar de o xerife local estranhar o envolvimento da SHIELD, confirma que isso realmente ocorreu, mas que deve ter sido apenas uma batida onde o motor explodiu. Não houve vítimas. O xerife ainda confirma que o motorista se parece com o homem da foto que Steve carrega, sem saber que se trata de Bucky.
 Ele não está mais na cidade. Roubou um caminhão e partiu. Resta a Steve e Sharon apenas investigar o local da explosão.

Há algo estranho na própria cidade. O local onde o carro explodiu é em frente a um prédio incendiado recentemente e que já está sendo reconstruído. Estranho porque a pequena cidade de Pilsburg sequer tem uma fábrica ou outra fonte de renda aparente para um desenvolvimento tão rápido. A cidade toda, aliás, parece próspera demais para uma cidadezinha norte-americana. Bucky não esteve ali por acaso.

No hotel onde se hospedam, Steve estranha uma foto na parede, que a recepcionista confirma ser do dono anterior e sua mulher, tirada nos anos cinquenta. Ao jantarem em um bar próximo, Sharon pergunta ao atendente sobre o acidente com o carro. Quando apresenta sua credencial, o atendente se mostra claramente nervoso com o envolvimento da SHIELD. Ele diz não saber nada a respeito. Steve percebe que está mentindo. Não pelo suor repentino ou pelo movimento rápido dos olhos na credencial, mas por não ter cobrado pelo lanche. A dupla é abordada por um estranho chamado Carl Jackston, que diz saber algo a respeito (e confirmando que estão escondendo a verdade). Jackson conta que...

"Foi no meio da noite e eu tava pra tirar água do joelho, se é que me entende... quando, de repente, o lugar inteiro começa a tremer e parecia um trovão ou coisa parecida. Achei que fosse terremoto, mas... voltei pra rua e o que vi foi... foi uma loucura. Tinha uma coisa enorme de metal parecida com aranha... e um cara... dando o maior cacete no bicho, apesar de ser muito menor que ele. Mas o doido não parava de jeito nenhum. Ficava batendo com um braço que parecia feito de metal também... e nele tinha uma estrela vermelha brilhante. Toda vez que o cara esmurrava o bagulho, a estrela piscava com luz vermelha por um segundo. Como se fosse um efeito especial. Bom, seja lá o que ele fez, deu certo, porque a tal aranhona pirou de vez... tipo, começou a ter curto-circuito. Aí, ela trombou com um prédio e explodiu. E o maluco... simplesmente desapareceu no meio do fogo e da fumaça. Como se não fosse nada."

Jackston confirma que várias pessoas testemunharam a batalha, mas ninguém está querendo falar a respeito. Ele também estranhou essa atitude, principalmente porque não é da cidade. Sharon percebe que a testemunha pode estar correndo perigo e aconselha que ele saia da cidade.

Apesar de conseguirem pistas, Steve está com a cabeça em outro fato. Bucky está vivo! Ele está tão feliz que beija Sharon no instante em que saem do bar. Ele tinha esperança... mas saber, ter certeza... é bem diferente. Sharon gostou de vê-lo feliz... e do beijo. Talvez eles tenham uma nova chance, afinal.

À noite, no quarto do hotel, Steve começa a se lembrar de fatos passados. De seu envolvimento com Sharon. Do dia em que pensou tê-la perdido. E de como é perigoso, em se tratando de quem ele é, se envolver com outras pessoas. Algo parecido aconteceu quando Bucky se envolveu com uma garota durante a Segunda Guerra e... De repente, Steve se lembra da foto na recepção do hotel. Mas os pensamentos são interrompidos quando ele e Sharon percebem que estão cercados por integrantes da IMA. Apesar de dominá-los, se surpreendem com o motivo da visita. A IMA veio pedir ajuda ao Capitão América.

Continua...

GALERIA
Prova irrefutável de generosidade! No dia seguinte ao seu aniversário, o desenhistas Greg LaRocque (que já foi responsável pela revista mensal do Flash e da Legião dos Super-Heróis) decide nos presentear com essa fantástica arte, colorizada por Blair Smith. Recentemente envolvido com o projeto independente The Dreaming, pela Exiled Studio, essa arte faz parte de uma série de releituras de suas passagens nos quadrinhos durante sua carreira. Essa, inclusive, acabou sendo conclamada por seu filho e está exposta no quarto dele. Para se inteirar das novidades desse artista, visite seu perfil no Facebook: https://www.facebook.com/greglarocque

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 604

 - Captain America n° 15 (Abril de 2006)

* "Red is the Darkest Color", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Mike Perkins

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Poderosos Vingadores n° 38 ("Vermelho É A Cor Mais Soturna") e no livro Marvel Deluxe: Capitão América n° 2 - A Ameaça Vermelha.

Interlúdio.

Ilha dos Exilados. Muitos anos atrás. 

O Caveira Vermelha está insatisfeito com o nascimento de sua filha. Afinal, imaginava que teria um filho. Quando está prestes a eliminar a bebê, jogando-a no mar bravio, é impedido por uma criada, que o convence de que qualquer descendente do vilão, mesmo sendo mulher, é digna de continuar seu reino de terror. A criada promete criá-la, dando-lhe uma infância cheia de dor e ódio como o a do Caveira.

Aos nove anos, a pequena Synthia já era violenta o bastante para agradar até mesmo o Caveira Vermelha. No entanto, quando o vilão percebeu que estava morrendo e sua filha era muito jovem para assumir seus negócios, utilizou seus cientistas para acelerar seu crescimento, tornando a garota em uma mulher adulta em questão de semanas.

Hoje.

Ossos Cruzados sequestrou a garota que ele afirma ser Synthia Schmidt, filha do Caveira Vermelha, e tenta recondicionar sua mente apresentando um antigo filme do Capitão América em ação na Segunda Guerra Mundial e explicando como o herói sempre atrapalhou os planos do Caveira. A jovem reluta em aceitar o recondicionamento e Ossos Cruzados usa de espancamento para trazer a fúria da velha Pecadora novamente. Ela acredita que tudo não passa de um engano e que, na verdade, ela nasceu em um hospital em Washington, sendo criada pelos militares depois que seus pais morreram em um acidente. Mesmo sob protestos da jovem, Ossos Cruzados a joga em uma espécie de solitária.

Na escuridão da solitária, a jovem tem lampejos em sua mente sobre dois cientistas da SHIELD tentando injetar uma solução em seu corpo. Uma das mãos, que parecem ser suas, agarra o pescoço de um deles e o traz para perto. Ela o mata rasgando sua garganta com os dentes. Mas, quando acorda, a jovem imagina que tudo foi um sonho, induzido pelas palavras de Ossos Cruzados.

No dia seguinte, o vilão treina a jovem em sua mira e precisão com facas, fazendo atirá-las contra uma foto do Capitão América. Ele exige o máximo dela, pois terá que assumir o lugar de seu pai, que foi morto recentemente (e, desta vez, Arnim Zola não está por perto para tentar revivê-lo novamente). Como está de posse das facas, ela tenta atacar seu sequestrador, mas ainda não há ódio o suficiente nela para que o supere. Em uma nova tentativa em despertar sua fúria, Ossos Cruzados a leva até uma sala onde há um homem preso (vigia noturno de um lugar onde ele invadiu) e pede para que ela atire nele. A jovem não consegue executá-lo... mas Ossos Cruzados o mata mesmo assim. Há outro motivo para que o vilão esteja enfurecido... Havia planos para que ele e Synthia dessem um herdeiro digno ao Caveira Vermelha.

Na calada da noite, depois que a jovem tem mais pesadelos, onde o Caveira Vermelha, mesmo sabendo do treinamento de sua filha, a considera indigna de assumir seu posto, por ser de opinião que todas as mulheres são fracas, ela sai de sua cela. No entanto, ao invés de fugir, ela segue para o quarto onde Ossos Cruzados está dormindo... e coloca uma lâmina em seu pescoço. Ele nota que há algo diferente nos olhos da garota. É então, quando ela abaixa a lâmina e ambos se abraçam, que ele percebe que Synthia Schmidt está de volta.
ÂmagoNews:

* Escrevendo sobre um herói muito... estranho: Stephen, o Estranho

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 603

 - What If: Captain America (Fevereiro de 2006)

* "What If... Captain America Fought in the Civil War?", história escrita por Tony Bedard, desenhada por Carmine Di Giandomenico, artefinalizada por John Stanisci

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Wizard Brasil n° 36 ("O Que Aconteceria Se O Capitão América Tivesse Lutado Na Guerra Civil?")

Em plena Guerra Civil americana, o cabo Stephen Rogers chega ao Regimento Redlegs e seu idealismo (e ingenuidade) são tratados com escárnio por seus companheiros. A dura realidade fica mais clara para o cabo diante do comando sanguinário do Coronel Buck Barnes.

A missão seguinte é deter o exército rebelde na fronteira do Kansas com Missouri, mas o que Rogers vê é que seu próprio Regimento aproveita a batalha para massacrar e saquear civis... com conivência do Coronel Barnes. Ao confrontar seu superior, mostrando que, definitivamente, não faz parte desse esquema, Rogers se vê sob a mira de Barnes... quando, repentinamente, uma águia ataca o rosto do coronel. Ainda assim, Rogers é atingido nas costas e arrastado por cavalos por vários quilômetros.

Durante o tortuoso caminho, ao qual sobreviveu milagrosamente, Cabo Rogers tem visões com o espírito da águia. No fim de sua "viagem" é resgatado por um soldado negro chamado Wilson, que tem conhecimentos xamânicos e revela que Rogers foi escolhido pela águia para unificar todas as nações. Para libertar todo seu potencial, Wilson executa um feitiço xamânico. Barnes chega até o quarto onde o feitiço está sendo realizado e é rechaçado, tendo seu rosto queimado até o crânio.

Os homens do Coronel Barnes, agora desfigurado e ainda mais enlouquecido, recebem ordens para matar os negros e os índios. Wilson é morto durante a batalha. Rogers ressurge transformado e trazendo uma espécie de escudo instransponível, derrotando o Coronel Barnes (que, mais tarde seria conhecido como Caveira Branca, devido a seu rosto cadavérico). 

Devido as suas ações, que levaram a Guerra Civil americana a terminar mais cedo do que se sabe, Rogers foi apelidado de Capitão América. Impediu, inclusive, o assassinato de Lincoln. O Caveira Branca ressurgiria e reformularia a Klu Klux Klan em um novo grupo da supremacia branca, que seria combatido pelo novo herói.
A+:

* A série "O Que Aconteceria Se...", que já chegou a ter sua própria série mensal, era geralmente narrada pelo personagem Vigia, que observava todas as realidades alternativas do Universo Marvel. O curioso dessa nova leva de histórias desse tipo é que as realidades alternativas eram vistas por uma espécie de hacker, que acessava as mesmas através de seu computador. O codinome utilizado pelo hacker era... O Vigia.

* Apesar dessa versão de Bucky (ou seria ou Soldado Invernal?) ser utilizada como vilão, sua aparição prova a aposta da Marvel no personagem ou mesmo a popularidade que o arco, escrito por Ed Brubaker na revista mensal do Capitão América, alcançou.

domingo, 23 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 602





 - Captain America 14 (Abril de 2006)

* "The Winter Soldier Conclusion", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Steve Epting

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Os Poderosos Vingadores n° 37 ("O Soldado Invernal - Conclusão"); no especial Marvel Deluxe: Capitão América n° 1; e pela editora Salvat, no fascículo n° 45 da Coleção Graphic Novels Marvel

Valendo-se de sua conexão com Asa Vermelha, Falcão localiza um atirador na entrada da base da NextGen. Isso lhe dá tempo de desviar do disparo que é direcionado para sua posição. O Capitão América reage atirando seu escudo e desestabilizando o atirador. Apesar disso, um pequeno exército surge da base e o herói tenta passar por eles tendo a retaguarda garantida pelo Falcão. Sharon informa que está chegando, mas alerta o Capitão de que o Soldado Invernal (o atirador da entrada) está rumando em direção ao Cubo Cósmico. Se chegar nele, poderá fugir. Para a surpresa do herói, ao perseguir o Soldado, ele mesmo retorna para enfrentá-lo.

O Soldado Invernal realmente parece não se lembrar de quem ele foi. Ou, como demonstra durante a violenta luta que tem com o Capitão América, talvez não queira se lembrar. Mesmo assim, ele se detém por um momento quando tem o Capitão em sua mira. Assim que Sharon e o Falcão chegam até eles... o Soldado Invernal dispara. O Capitão consegue se desviar e derrubar o Cubo Cósmico que seu oponente estava levando para fora da base. O objeto que torna realidade tudo o que seu portador deseja, vai parar nas mãos do herói e, de posse dele... o Capitão apenas pede "Lembre-se de quem você é". O Soldado Invernal cai ao solo, sem poder impedir as lembranças de sua época como Bucky invadirem sua mente. Ele também fica ciente de como se tornou o assassino que é hoje.

O Capitão acalma Sharon e lhe garante que aquele não é quem matou seu amigo. O Soldado Invernal se lembra... mas preferia que o Capitão o tivesse matado. Furioso, ele toma o Cubo Cósmico de suas mãos e o destrói. A explosão aparentemente pulveriza o soldado. Sam e Sharon acreditam que ele se matou, pois esse era seu último desejo. No entanto, o Capitão América acredita que ele ainda está vivo... em algum lugar. Ele conhece bem seu ex-parceiro... e sabe que ele é um sobrevivente.

Clique na imagem para ver o original em tamanho maior

Clique na imagem para ver o original em tamanho maior
Clique na imagem para ver o original em tamanho maior
ENQUANTO ISSO:

* O principal responsável pela Marvel Studios, Avi Arad, anunciava um acordo entre a Marvel e a Paramount para um futuro filme do Capitão América. Segundo Arad, o filme estaria pronto antes de 2009 e seria distribuído pela Paramount. O roteirista David Self (de Estrada para a Perdição) estaria envolvido na produção. O roteirista sempre afirmou que o Capitão América foi seu herói preferido na infância, principalmente porque seu pai dizia que ele poderia se tornar como o herói no futuro, ideia que chega a ser crível, já que o personagem não demonstra ter superpoderes espalhafatosos. Self, inclusive, já teria escrito outros dois roteiros para produções da Marvel, um com o Príncipe Namor e outro com o ciborgue Deathlok. O diretor Jon Favreau se mostrou interessado na produção, mas preferiu se envolver com o primeiro filme do Homem de Ferro. De qualquer forma, a ideia de Favreau era fazer de Capitão América um filme com tom de comédia, algo que talvez não fosse exatamente o que a Marvel estivesse procurando.

Poucos meses depois, Arad teve que mudar sua agenda para o filme do Capitão América, uma vez que o diretor que imaginava para a produção só poderia trabalhar nele a partir de 2009.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 601


Clique na imagem para ver ooriginal em um tamanho maior
 - Captain America 13 (Janeiro de 2006)

* "The Winter Soldier Part 5", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Steve Epting, artefinalizada por Mike Perkins

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Os Poderosos Vingadores n° 37 ("O Soldado Invernal - Parte 4"); no especial Marvel Deluxe: Capitão América n° 1; e pela editora Salvat, no fascículo n° 45 da Coleção Graphic Novels Marvel

No apartamento, Steve Rogers conta ao Falcão sobre o Soldado Invernal. Sam concorda que é uma situação para pirar qualquer um. Ainda há o detalhe de que Aleksander Lukin está por trás de tudo isso e planejou por anos, aguardando o momento certo de adquirir o Cubo Cósmico para iniciar seu ataque. O Cubo Cósmico. Ironicamente, Steve e Sam se conheceram em uma das inúmeras vezes em que o Caveira Vermelha tentou conquistar o mundo com o objeto. É estranho como ninguém que usa o objeto, que realiza qualquer desejo de seu detentor, consegue o que realmente quer. É como se ele interpretasse, em algum ponto, algo literal demais e acabasse com os planos de conquista de seu dono. Porém, não se sabe exatamente o que Lukin quer. Além do que, o empresário tem outro trunfo contra o Capitão América: Bucky. Mesmo assim, Steve quer salvá-lo.

De manhã, na baixa zona leste de Nova York, Homem de Ferro, Capitão América e Falcão invadem um depósito da IDA, uma facção da IMA. A armadura do Homem de Ferro identifica que um grupo de terroristas está se aproximando do ponto onde estão. O Capitão América não está preocupado com a resistência, mas com os que estão fugindo. Afinal, se estão fugindo é porque tem algo a esconder. Homem de Ferro ruma ao telhado, onde parece que um helicóptero espera os fugitivos. No entanto, ele é interceptado por um dos criminosos, que consegue controlar uma enorme armadura munida de canhões em seus membros. Enquanto o Homem de Ferro auxilia o Capitão América com a nova ameaça, Falcão segue para o telhado para deter o fugitivo. Com o escudo, o Capitão consegue avariar a enorme armadura e o Homem de Ferro termina o serviço retirando seu ocupante dela. O Falcão consegue capturar o cientista fujão. Agora eles podem conseguir a informação que foram buscar: como rastrear um Cubo Cósmico.

Na Stark Empreendimentos, Divisão de Nova York, Stark consegue rastrear a trajetória do Cubo (pois o mesmo está sendo levado para algum local, naquele momento) e identifica que está indo para uma unidade de pesquisa da Nextgen, nas montanhas da Virgínia Ocidental, recém-adquirida pela Kronas (empresa de Lukin). O motivo talvez seja porque o local tem um cofre à prova de explosões nucleares. Tony Stark, no entanto, não pretende seguir com heróis. Recentemente, suas empresas rechaçaram uma investida da Kronas e, se estiver envolvido, sua diretoria poderá entender isso como guerra corporativa. Em suma, com o recente problema causado pela Feiticeira Escarlate e os Vingadores, as empresas Stark estão em um momento delicado demais para Stark perdê-las.

Falcão (mesmo não concordando com a ausência do Homem de Ferro) segue com o capitão América para a base de pesquisa da Nextgen. Sharon contata a dupla e quer saber o que eles pretendiam atacando um grupo de terroristas da IDA. Steve sabe que o local para onde Lukin enviou o Cubo Cósmico com certeza está sendo guardado por seus melhores homens... inclusive o Soldado Invernal. Só não informaram a SHIELD antes para não ficarem presos pela burocracia. Porém, antes de desligar, Steve deixa as coordenadas para Sharon.

Os heróis chegam às Montanhas Allegheny, Virgínia Ocidental. Falcão ainda está impressionado como Sharon se tornou uma mulher severa. Steve garante que, apesar de ela ter perdido um namorado recentemente no ataque em Filadélfia, Sharon sempre foi meio sisuda. Talvez menos sorridente nos dias de hoje. Enquanto o Capitão segue pelo solo, Falcão fica escondido nas copas das árvores. Mas identificam que os criminosos já chegaram ao local.

Continua...

A+:

- De fato, como o Capitão América citou, ele e o Falcão se conheceram quando o Caveira, munido do Cubo Cósmico, trocou de corpo com o herói e o lançou em uma ilha habitada por criminosos. Entre os habitantes, estava Sam Wilson, que também ganhou fama como o criminoso Snap Wilson. Tornou-se o Falcão após treinamento com o Capitão América, como vimos na parte 110 do Diário de Steve Rogers

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 600

 - Captain America 12 (Dezembro de 2005)

* "The Winter Soldier Part 4", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Steve Epting e Michael Lark, artefinalizada por Mike Perkins

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Os Poderosos Vingadores n° 36 ("O Soldado Invernal - Parte 3"); no especial Marvel Deluxe: Capitão América n° 1; e pela editora Salvat, no fascículo n° 45 da Coleção Graphic Novels Marvel

Quartel Lehigh. Agosto de 1941.

Steve Rogers é apresentado ao jovem James Buchanan Barnes, também conhecido como Bucky. Apesar de ter apenas dezesseis anos de idade (quatro a menos que Steve), é notável sua desenvoltura com combate corpo a corpo, habilidades que adquiriu treinando no quartel, onde mora desde a morte de seu pai, um militar de carreira que morreu anos atrás. O jovem até mesmo já participou de uma missão na Grã-Bretanha. Foi naquele dia que o Capitão América conheceu seu parceiro.

Brooklyn. Hoje.

Steve entrega os documentos sobre o projeto Soldado Invernal para Nick Fury e Sharon Carter. Ele ainda está abalado com a possibilidade de Bucky estar vivo. A teoria de como aquele envelope foi parar ali é que Lukin utilizou o Cubo Cósmico para fazê-lo aparecer no apartamento de Steve. Apesar de uma manobra arriscada, a intenção talvez fosse justamente abalar ainda mais a mente do herói. Sharon tenta amenizar a situação lembrando que, mesmo sendo o corpo de Bucky, a mente já não existe mais, pois ele foi transformado em um assassino programado. Porém, o fato de que ele se rebelou contra seus superiores, quando de seu sumiço na missão dos Estados Unidos, prova a Steve que ainda resta alguma coisa de sua humanidade. Algo que ainda possa ser resgatado.

Steve evita falar com Sharon, pois sabe que a teoria dela é que Bucky... o Soldado Invernal... deva ser morto por ser apenas um assassino programado. Ele mantém sua opinião de que seu ex-parceiro precisa de ajuda e que o responsável por tudo isso é Lukin. O Capitão América precisa ajudar Bucky. Mas ele conhece muito bem o garoto. Sabe que aquela é o tipo de situação em que ele gostaria que o Capitão América o detivesse. Que freasse seus instintos.

A ideia de Nick Fury em mandar Sharon Carter para falar com o Capitão América... falhou. Talvez até tenha aumentado sua urgência em ajudar seu companheiro antes que a SHIELD pudesse localizá-lo... e executá-lo. É por isso que Fury tem a ideia de enviar alguém, digamos, mais amigável para conversar com Rogers. Alguém que também já foi parceiro do herói por um tempo. O Falcão.

Continua...
A+:

* A edição brasileira da revista Novos Vingadores, onde essa história foi publicada, trouxe duas capas para o leitor escolher. Uma com arte de David Finch para a história dos próprios Vingadores e uma alternativa com a arte de Steve Epting, utilizada na revista do Capitão América onde esta história foi publicada originalmente.

ÂmagoNews:

* Wolverine no Japão... em uma época que não se sabia muito sobre ele... muito menos se era imortal: Um carcaju canadense no Japão 

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 599


- Captain America 11 (Novembro de 2005)

* "The Winter Soldier Part 3", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Steve Epting, artefinalizada por Mike Perkins

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Os Poderosos Vingadores n° 35 ("O Soldado Invernal - Parte 3"); no especial Marvel Deluxe: Capitão América n° 1; e pela editora Salvat, no fascículo n° 45 da Coleção Graphic Novels Marvel

Steve Rogers chega a sua residência e encontra um envelope em cima de sua mesa. Ninguém tem autorização para entrar ali. Desconfiado, ele constata que, mesmo assim, não houve nenhuma falha de segurança automática. Então... como aquele envelope foi parar ali? E o envelope parece trazer um documento que lhe é um tanto explosivo: os arquivos confidenciais do Projeto Soldado Invernal.

O documento dá conta de um "espécime", supostamente encontrado após uma explosão de um avião, em 5 de maio de 1945 (dia em que Bucky morreu e Steve caiu nas águas geladas). O espécime, que parece ter perdido um de seus braços na explosão, foi mantido congelado e levado para Moscou. Tudo indicava que aquele poderia ser o parceiro do Capitão América, de acordo informações do camarada Karpov. Desta forma, havia enorme interesse no sangue do espécime, já que poderia conter o mitológico soro do supersoldado. Apesar de encontrarem o espécime morto, o efeito de congelamento em que se encontrava, dava a chance dele poder ser revivido. Após várias tentativas, eles finalmente conseguem! Ele, no entanto, não se lembra de nada. Surpreendentemente, mesmo com um único braço, o espécime mantém apenas a memória reflexa de seu corpo, demonstrando incrível habilidade para combate corpo a corpo. Após descobrirem que não havia nenhum resquício do soro do supersoldado em suas veias, o espécime foi colocado em animação suspensa.

Em 1954, com a liberação do Projeto Soldado Invernal, o espécime foi acordado, ganhou um braço robótico e sua mente foi reprogramada para servir a Rússia. Com seus traços de americano, foi fácil para o Soldado Invernal se infiltrar na ocupada Berlim. Após matar três soldados, o Soldado Invernal voltava para a base para aguardar novas missões. Com o tempo ele elimina vários dos alvos pré-determinados. Generais, embaixadores, equipes diplomáticas. Em qualquer lugar do planeta. O Soldado Invernal tem sucesso na maioria de suas missões de execução.

Mas o estado mental do Soldado Invernal parece se tornar instável com o decorrer do tempo, fazendo-o adquirir curiosidade pelo seu passado e até se tornar agressivo contra a própria equipe. Ele mesmo não sabe informar o porquê desses ataques de fúria. É decidido que ele seja mantido em animação suspensa entre cada uma de suas missões e que sua mente seja reprogramada após cada uma delas. Porém, em uma missão nos Estados Unidos, o Soldado Invernal não retorna para a base e a equipe de resgate tem trabalho para trazê-lo de volta.

Na década de 80, o Soldado Invernal cumpriu seu dever sendo guarda-costas pessoal de Karpov. Após a morte de Karpov, a ordem era que o Soldado Invernal fosse mantido em animação suspensa e assim ele foi abandonado por muitos anos, junto a outros experimentos militares.

Chocado após ler os documentos, Steve chama por Nick Fury. Steve se lembra do jovem cheio de vida que, de certa forma, servia-lhe de elo com a realidade fora das batalhas. E ele olha para a documentação do envelope misterioso, mal acreditando no que acaba de ler.

Continua...

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 598


- Captain America 10 (Outubro de 2005)

* "House of M", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Lee Weeks, artefinalizada por Jesse Delperdang e Mike Perkins

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Os Poderosos Vingadores n° 32 ("Dinastia M")

Canal da Mancha, Abril de 1945.

Capitão América e Bucky interceptam o pequeno avião-bomba que segue para a Inglaterra. O Capitão quase cai da nave, mas Bucky consegue agarrá-lo. Juntos, eles avariam os comandos da bomba e redirecionam sua rota diretamente para o castelo do Barão Zemo, matando-o na explosão. Por sorte, ambos conseguem saltar antes do impacto.

Berlim, Abril de 1945.

O Capitão América e os Invasores conseguem derrotar os nazistas e ajudar as tropas americanas a tomarem a capital alemã. O conhecido vilão Caveira Vermelha é morto e Adolf Hitler é capturado pelos heróis para ser levado à justiça.

Washington, DC, Janeiro de 1946.

A Guerra acabou e o Capitão América encerrou suas atividades... por enquanto. Steve Rogers planeja casar-se com uma espiã que conheceu no front, chamada Peggy Carter. O presidente dos Estados Unidos está feliz que o melhor soldado da nação tenha seu momento de paz. No entanto, sua preocupação quanto ao conturbado relacionamento com os russos deixa Rogers em alerta caso a nação precise novamente do herói. Além disso, há o crescimento da população mutante preocupando as autoridades.

Audiência no Senado sobre Atividades Mutantes nos Estados Unidos da América, 1951.

McCarthy se preocupa com o crescente número de mutantes pelo mundo, considerando-os uma verdadeira ameaça. Capitão América é chamado para depor sobre seus contatos com essa raça. Afinal, Namor, o Príncipe Submarino, um dos primeiros mutantes a serem reconhecidos, esteve presente em inúmeras missões e até mesmo no casamento de Steve Rogers. No entanto, o Capitão América se recusa a entregar seus antigos parceiros, inclusive Centelha, parceiro do herói Tocha Humana. Em repúdio aos rumos que o governo vem tomando, o Capitão América decide revelar sua identidade publicamente.

1955, na Lua.

Com a ajuda de cientistas humanos e mutantes, o veterano Steve Rogers se torna o primeiro homem a pisar na Lua. Fica notória (e polêmica) sua frase no momento em que isso acontece e é veiculada aos televisores. "É um pequeno passo para um homem, mas um salto gigantesco para a paz entre humanos e os mutantes."

Peggy Carter, a esposa de Steve Rogers, não está nem um pouco contente com os rumos que seu marido tem tomado. Desde a decisão precipitada de revelar sua identidade até suas frases, em tom provocativo, de apoio a comunidade mutante. É algo que a SHIELD e até mesmo o ex-parceiro do Capitão, Bucky, não vê com bons olhos. A tensão entre o casal se torna tamanha que eles acabam se separando.

Nova York, 1957.

Steve Rogers se surpreende com o posicionamento anti-mutante de Bucky. Nem mesmo a antiga amizade dele com Centelha parece sobreviver ao incômodo que os mutantes causam no ex-parceiro do Capitão América. Para eles, os mutantes são mais do que terroristas em potencial. Eles são a própria bomba. É claro que há mutantes com péssimas intenções no uso de seus poderes. Além disso, há um crescente aumento na população mutante a ponto de ameaçar deixar os humanos como uma minoria. E a ascensão de Magnus, também conhecido como Magneto, como líder mundial só tem piorado as coisas. O discurso de Steve sobre Magnus ser um novo Hitler tem péssima repercussão (em um mundo cada vez mais mutante) e ele é obrigado a se aposentar das Forças Armadas.

Anos depois, no funeral de Bucky, ele observa a ironia do mundo a sua volta ter se tornado mais e mais dos mutantes. A própria SHIELD, antes um foco contra essa raça, hoje praticamente é dominada por eles.

 Steve Rogers, já idoso, é homenageado entre outros veteranos de guerra... veteranos de uma época bem diferente dos tempos atuais. Ele se lembra do que Peggy sempre lhe disse: "Você teve tudo o que sempre quis, Steve Rogers... Se ao menos o mundo não tivesse mudado tanto..." Mas assim é a vida. Algo em constante mutação. Mesmo que elas pudessem ter acontecido de forma diferente.
A+:

* Esse pequeno interlúdio nas histórias do Capitão América, mostra a participação da revista no evento conhecido como Dinastia M. Nessa saga, é mostrado o que aconteceu com a insana Feiticeira Escarlate após ela ter dizimado os Vingadores e, desacordada, ser levada por Magneto. Um novo ataque de insanidade faz com que Wanda crie uma realidade diferente, onde os mutantes são a maioria da população mundial. Nessa ocasião, as revistas mensais da Marvel mostraram a versão de seus heróis nesse universo. Inclusive o Capitão América.

* A perseguição do senador McCarthy aos mutantes praticamente aconteceu no mundo real. Joe McCarthy, na verdade, incitou uma verdadeira caça às bruxas nas décadas de 40 e 50, porém perseguindo supostos comunistas que estariam infiltrados nos Estados Unidos. Qualquer atitude que pudesse denotar uma postura comunista era tida como criminosa, com atitudes que desrespeitavam até mesmo os direitos civis nos Estados Unidos.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 597


Clique na imagem para visualizar a arte original ampliada
 - Captain America 9 (Outubro de 2005)

* "The Winter Soldier - Part 2", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Michael Lark

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Os Poderosos Vingadores n° 33 ("O Soldado Invernal - Parte 1"); no especial Marvel Deluxe: Capitão América n° 1; e pela editora Salvat, no fascículo n° 45 da Coleção Graphic Novels Marvel

Nick Fury pretendia liderar uma missão para capturar Aleksander Lukin, mas nem solicitou autorização a seus superiores por ter muito pouco para provar o envolvimento do empresário. Na verdade, tudo que eles têm são suposições de que ele esteve envolvido no atentado em Filadélfia. Lukin é esperto e conseguiu manipular todas as provas para culpar o falecido Jack Monroe. Porém, provavelmente também está envolvido na morte dele. Mais um motivo para Steve querer botar as mãos em Lukin. De qualquer forma, Fury avisa Steve que vai se arriscar em uma missão independente. Steve concorda, mas pede a Fury que Sharon não seja envolvida nessa missão.

Sharon faz uma visita pouco amigável a Steve Rogers. Ela está furiosa porque ele disse a Nick Fury para tirá-la da equipe destinada à Operação Kronas. Steve se surpreende com o fato de Nick Fury ter quebrado o sigilo de sua última conversa e revelado seu pedido a Sharon. Mas acontece que Fury não disse nada. Sharon simplesmente "jogou verde" e colheu a surpresa de Steve mais que madura. Na verdade, Steve a quer fora por estar envolvida emocionalmente. Afinal, no atentado em Filadélfia, um dos operativos da SHIELD que já teve um relacionamento com ela morreu na detonação da bomba. Por outro lado, Sharon acha que o motivo de Steve a querer que fique longe da missão é outro: que ele acredita ser ela capaz de matar o Soldado Invernal que, supostamente, é o seu parceiro do passado, Bucky. Enfim, querendo ou não, Sharon seguirá nessa missão.

Steve Rogers segue com Sharon Carter e Nick Fury sobre as Montanhas Altai, na Mongólia, em uma missão complicada. Na verdade, Steve está incomodado com seus problemas pessoais (principalmente em relação à Sharon) interferirem na missão, que já é complicada demais. Na verdade, Fury está prestes a causar um incidente internacional. O objetivo é invadir o prédio administrativo de Aleksander Lukin e tomar o Cubo Cósmico de suas mãos.

O elemento surpresa garante que a equipe derrube os seguranças de Lukin. No entanto, é notável que o Capitão América esteja alterado com a possibilidade de capturar o empresário. Tanto é verdade que, contrariando o comando de Fury, ele invade a sala de reuniões de Lukin, o captura e também o ameaça. Para o azar da equipe de ataque, a reunião de Lukin envolvia ninguém menos que o chefe de gabinete do vice-presidente americano e o assistente do secretário-geral da ONU. Eles negociavam com Lukin, que comprou a petrolífera Roxxon, sobre um oleoduto em Madripoor. Fury é obrigado a se retirar depois da saia justa... para desespero do Capitão América. A missão foi um desastre total.

Continua...
A+:

* No ataque ao prédio de Aleksander Lukin, o operativo que serve como braço direito de Nick Fury chama-se Kirkman. O nome é uma homenagem ao escritor Robert Kirkman, criador da série The Walking Dead.

ÂmagoNews:

* O desenhista que definiu o Super-Homem da Era de Prata: O Que Aconteceu a Curt Swam? 

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 596

 - Captain America 8 (Setembro de 2005)

* "The Winter Soldier - Part 1", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por Steve Epting e Mike Perkins

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Os Poderosos Vingadores n° 33 ("O Soldado Invernal - Parte 1"); no especial Marvel Deluxe: Capitão América n° 1; e pela editora Salvat, no fascículo n° 45 da Coleção Graphic Novels Marvel

Em 1945, um submarino russo recebe a transmissão de que o herói americano Capitão América e seu parceiro, Bucky, estavam em um protótipo de aeronave que explodiu sobre o Canal da Mancha. Karpov, que conheceu o herói, está feliz por estar próximo ao local da explosão, apesar dos oficiais alertarem pelo fato de não ter autorização para navegar naquela região. O submarino, no entanto, encontra um corpo entre as águas geladas e o trazem para dentro. É o corpo de um jovem, que parece ter perdido um braço antes de cair nas águas. Karpov sabe que aquele não é o Capitão América.

Presente. O Capitão América está ocupado tentando resgatar o máximo de sobreviventes perto da explosão que ocorreu na Filadélfia. Através de uma informação de Sharon, o herói descobre que agentes da IMA também estão no local. Capitão América os enfrenta, uma vez que estão eliminando as testemunhas do atentado. Um dos criminosos cita que estão enviando o Esquadrão Modoc. Ao contrário do que o Capitão imagina (pois Modoc foi um monstro que já foi líder da IMA), o esquadrão é formado por operativos e o nome é a sigla para Militantes Operacionais Destinados à Ofensiva e Combate. De fato, muitos deles chegam ao local.

Os modocs parecem agir em coletividade e analisam cada golpe do Capitão, aumentando a velocidade de seu ataque em vinte por cento. Ele consegue derrubá-los, mas é ferido durante a luta. O último modoc está para eliminá-lo... quando é morto por um agente estranho entre as sombras. O Capitão América reconhece seu rosto e diz seu nome: Bucky. Mas o agente desconhece quem é Bucky. Uma parede desmorona entre os dois e os separa.

No aeroporta-aviões da SHIELD, Nick Fury mostra insistentemente imagens para Steve Rogers e quer que ele preste atenção nas marcações feitas nela. Steve, no entanto (e contrariando Sharon Carter), parece relutar em aceitar a verdade. Ele não quer aceitar que Bucky está vivo, está trabalhando para o inimigo e foi responsável pelo que aconteceu na Filadélfia, na noite passada.

As fotos foram tiradas de vários locais e períodos, entre 1955 e 1976, coincidentemente nos mesmos locais e dias onde importantes oficiais, de diversos países foram assassinados. Não foi fácil localizar o mesmo rosto em fotos tiradas quando nem mesmo havia tecnologia que permitisse isso na época. Ainda assim, muitas delas apresentam a evidência de um rosto em comum. O mais estranho é que o suposto assassino praticamente não envelheceu entre elas. Fury acredita que se trata do mito conhecido como Soldado Invernal, um supersoldado da KGB, capaz de se infiltrar e executar missões quase impossíveis. O retardamento de seu envelhecimento acontece, pois ele é "hibernado" após cada missão, sendo descongelado para executar uma nova. Como Fury disse, até então isso era um mito militar, mas que parece realmente existir.

Fury acredita que o Soldado Invernal possa ser o antigo parceiro do Capitão América, Bucky. Até mesmo Steve viu alguém muito parecido com ele na Filadélfia. O Capitão está confuso e furioso. Mas a missão principal agora é capturar Aleksander Lukin, suspeito de arquitetar o ataque terrorista e supostamente em poder de um Cubo Cósmico.

Continua...

domingo, 16 de fevereiro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 595

 - Captain America 7 (Julho de 2005)

* "The Lonesome Death of Jack Monroe", história escrita por Ed Brubaker, desenhada por John Paul Leon

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Os Poderosos Vingadores n° 31 ("A Solitária Morte de Jack Monroe"); no especial Marvel Deluxe: Capitão América n° 1; e pela editora Salvat, no fascículo n° 44 da Coleção Graphic Novels Marvel

A doutora Jane Foster tem más notícias para Jack Monroe. Os exames de sangue mostram que a variante do soro do supersoldado que ele usou está se deteriorando. Como resultado, seu sistema imunológico ficou maluco.

"Então, depois de todo o esforço pra arranjar alguém com experiência meta-humana capaz de me ajudar, a Dra. Jane Foster me diz, na lata, que vou morrer. Ela só não sabe direito quando. Mas sabe que não vai ser nada agradável. Primeiro, à medida que o soro do supersoldado for sumindo, vou continuar a perder a força e o vigor extras que tenho. Depois, vou começar a passar mal. E não vai ser pouca coisa, porque meu sistema imunológico vai ter quase desaparecido. Ah, sim, é muito provável que eu comece a perder o juízo. Só pra ficar mais divertido. Tem a ver com o efeito do soro original sobre mim. Sei lá... depois de um tempo, não ouvi mais o que ela disse."

"A doutora recomendou que eu me despedisse de amigos e familiares, que pusesse minhas coisas em ordem. Mas será que eu tenho o que organizar? Será que tenho amigos e familiares? O único cara que encaro como amigo talvez seja o Capitão... mas nossa amizade é um lance muito complicado... Capitão América... Steve Rogers. Mesmo hoje, quando penso nele, lembro na hora do MEU Steve Rogers... o professor que conheci no início dos anos 50. Um cara que, de tanto idolatrar o herói, localizou a fórmula que criou o Capitão América e reinventou o composto. Um sujeito que até mudou de nome e depois de rosto pra ficar parecido com o verdadeiro Steve Rogers."

"Como é estranho pensar naqueles dias... a Coréia, os primórdios da Guerra Fria, as audiências da Comissão de Atividades Antiamericanas do Senado, transmitidas pelo rádio e pela televisão. E lá estávamos nós, tentando ser os novos Capitão América e Bucky. Sem perceber que estávamos enlouquecendo devagar. Que o soro em nossas veias era adulterado. Ele nos fez ver inimigos onde não havia. Acho que devo agradecer por termos sido postos e animação suspensa até que encontrassem uma cura, e não trancafiados numa prisão militar secreta."

"Às vezes, eu me pergunto: e se aquele extrema-direita não tivesse nos libertado há... Nossa, já faz oito anos? Será que ainda estaríamos em algum depósito do governo, às espera da cura? Não que minha vida tenha sido um passeio no parque desde que recebi a suposta "cura", mas teve seus bons momentos. Afinal, eu atuei lado a lado com o verdadeiro Capitão. E pude conhecer o verdadeiro Steve Rogers. Ele me ajudou a deixar de ser um parceiro e me tornar alguém independente. Até me deu uma de suas antigas identidades secretas, pra que ela se tornasse minha... o Nômade. Mas esse é o grande problema, não é? Eu nunca fui independente nem tive identidade própria. É triste ter de admitir, mas o que foi Jack Monroe senão a sombra de outros homens?"

"Quando moleque, tentei assumir o lugar de Bucky, um herói de guerra, um cara que viu mais combates do que vinte soldados juntos. O que me deu esse direito? O fato de me parecer com ele? Anos depois, me vi na ativa de novo, perto do fim do século 20, como o segundo Nômade. Como se eu pudesse seguir os passos do Capitão América... Pô, eu não consegui ser nem o primeiro Carrasco. Encare os fatos, Jack... você é um zero à esquerda. E sempre tentou preencher o vazio de ser quem realmente é brincando de ser outras pessoas. Como um menino que nunca cresceu. Mas agora chegou o momento de crescer. É hora de dizer adeus aos meus amigos e aos meus... familiares?"

"Não vou decidir. Já decidi. Posso sentir minha força diminuir, mas não estou ficando doente. Talvez eu nunca fique. Vai ver a Dra. Foster está enganada. Talvez eu seja mais durão do que nós dois supúnhamos. Tudo que sei é que vou continuar forte o bastante para encontrá-la. Minha filha adotiva... Bucky. Não vou deixar este mundo até saber se ela está bem."

Com esse objetivo, Jack veste novamente o uniforme de Nômade e combate criminosos. Porém, em uma de suas empreitadas contra o crime, ele sente seu peito doer... e começa a tossir sangue.

"Eu digo a mim mesmo que não é nada. Só um pouco de secreção nos pulmões... um resfriado bravo. Eu vou ficar bem. Tomo um bocado de vitaminas. Vou me sentir melhor. Por volta do segundo dia de cama, entendo o que a Dra. Foster quis dizer com perder o juízo."

Jack delira. Em seu espelho, ele vê o rosto de Bucky. Ele quebra o espelho com um soco "mas o rosto dele apenas gargalha do outro lado do espelho".

"Depois disso, a coisa vem e volta, como um arranhão no meu cérebro... tipo uma estática. Eu começo a me esquecer das coisas, a ter dificuldades em saber o que é real ou não. É muito pior do que ficar doente. Estou enlouquecendo e sei disso. Dá pra ver que acontece, mas não consigo fazer nada pra impedir. A Dra. Foster quer que eu vá me tratar. Posso ser um perigo pra mim e pros outros. Mas eu a convenço a me dar mais um tempo. Mostro a ela que estou bem... que tenho coisas importantes a fazer. Assuntos a concluir. Acho que a convenci, pelo menos. Na verdade, não lembro como terminou nossa última conversa."

"Não me recordo de nada até uma semana atrás, quando acordei de um sonho estranho. No sonho, estou em contato com o Príncipe Submarino e o Tocha Humana, a fim de trocar... alguma coisa. O quê? Da janela, Bucky gargalha de mim por eu ter sonhado com os amigos dele, os Invasores. Sonhado com sua vida em vez da minha. No entanto, em meio à confusão na minha mente, descolo uma cópia dos registros da adoção da minha filha. Não faço ideia de onde veio."

Jack vai até Pittsburgh e vê, de longe, a garota que criou por um tempo e chamou, também, de Bucky. Ele, vendo que a menina encontrou uma família e está feliz, prefere não se aproximar.

"Agora o nome dela é Júlia. Júlia Winters. Ela parece muito feliz, e está sendo criada por pais que evidentemente a amam, que podem lhe dar coisas que eu nunca pude. Como uma vida normal. Estabilidade. Estou feliz por ela. No duro. E penso em voltar pra Nova York, como a Dra. Foster pediu, mas mudo de ideia quando ouço alguma coisa no bar."

Dois homens na mesa ao lado conversam e um deles revela que trabalha ao lado do estacionamento do jardim da infância. O que mais chama a atenção de Jack é quando o homem cita que "a gurizada se liga mesmo... dá a maior grana..."

"Há um traficante da pesada operando nesta cidade, bem aqui neste bar. Ele vende drogas pras crianças na escola de Júlia. Ela está no pré-primário e já têm canalhas querendo ferrar com sua vida. A menina pode ter novos pais... mas ainda precisa de proteção... Ao que parece, ainda resta uma última missão pro Nômade realizar. E não consigo imaginar um jeito melhor de passar os últimos meses da minha vida do que prendendo traficantes. Protegendo minha filha. Mantendo sua inocência a salvo pelo máximo de tempo que puder."

"Já fiz isso antes. Enfrentar o crime organizado... a distribuição de drogas. A gente começa pelos peixes pequenos e vai subindo até o topo do esquema. É sempre assim. Mesmo no meu estado, eu dou conta do recado. Até dormindo consigo eliminar capangas como esses... abutres que atacam criancinhas... Pra destruir essa corja, eu posso manter a sanidade um pouco mais. Sei que posso. E, por um tempo, é o que parece."

"Eu investigo por alguns meses... atacando rápido, quando e onde eles menos esperam. Mas começo a perder tempo de novo, acordando em meu quarto de motel sem ter ideia de como cheguei lá... despertando ao lado de mulheres de quem nem me recordo. A dúvida começa a me atormentar. Posso sentir tudo acontecendo, como antes. É como se duas partes da minha mente estivessem em guerra. A mente racional e a que está tentando matá-la, o lado insano. Às vezes, logo que acordo, tenho uma visão febril do conflito. Na imagem, tem outro eu crescendo na minha cabeça... Como um tumor, mas com eu rosto... ou será o de Bucky? Seja lá o que for, posso sentir, naquele instante, que cresce dentro de mim, preenchendo minha pele, enxergando pelos meus olhos. Eu sei o que a coisa quer... tomar o meu lugar. Meu sósia maluco está crescendo no meu cérebro."

"Será que o impostor sou eu: Afinal, já não fui tanta gente diferente? Talvez nós todos sejamos diferentes o tempo todo... talvez nossa identidade não passe de fragmentos de tempo e de recordações... Talvez o tempo todo a gente mude de vida, de direção, de penteado e de roupas. Outra parte de nós cresce pra tomar o nosso lugar. Ela rasga o que fomos como uma pele de cobra. Ou talvez cada ideia maluca na minha cabeça venha de um impostor canceroso, que me perseguiu a vida inteira. Essa é a pior parte de saber que se está perdendo o juízo... Depois de um tempo, começa a fazer sentido. A parecer inevitável. Eu tenho de aguentar firme... por ela. Tenho que manter o miserável dentro da cabeça. Isso eu consigo fazer."

"Eu provavelmente não deveria beber tanto, eu sei... mas meus comprimidos acabaram faz tempo e o álcool é o único remédio que me resta. E, entre os meus apagões, eu tento me inteirar da situação. Tento me aproximar do traficante. Ele não aparece muito por aqui, mas já seu nome... Gunnar. Só preciso descobrir onde ele guarda a droga e depois prendo o miserável... mas é mais fácil falar do que..."

Pela TV do bar, Jack vê o noticiário onde diz que os Vingadores (após o ataque da Feiticeira Escarlate) decidiram encerrar suas atividades.

"O Capitão. Eu devia telefonar pra ele. O cara deve estar arrasado. Os Vingadores... eram praticamente a família dele... Eu devia..."

"Então, de algum modo, já se passaram três meses. Perdi três meses inteiros. Onde eles foram parar? O que estou fazendo? Detonando outra boca do tráfico? É isso? Claro! Só pode ser. Certo, disso eu sei cuidar. No entanto, alguma coisa está diferente. Minha força e agilidade quase sumiram. Mesmo assim, sou mais rápido do que esses manés. Mas não é só isso... Minha cabeça está lúcida. A estática desaparecendo. Seja lá o que aconteceu nos últimos três meses, eu voltei ao controle. Só tem uma pessoa dentro da minha cabeça agora. No fim, o traficante abre o jogo e, pra variar, a informação é quente. Gunnar vai encontrar seu contato amanhã no boteco e depois vai trazer a grande remessa. As peças estão e encaixando... finalmente..."

"E, no dia seguinte, eu aguardo. Estou prestes a terminar tudo. Mas bem que o canalha podia aparecer... Onde ele está? Deu algo errado. O cara já devia ter chegado. Espere... Estou suando. Por que estou tão nervoso: Bebi demais? Não, não pode ser. Mas alguma coisa tá esquisita. A cerveja ficou espessa, como se fosse xarope ou... O Capitão de novo na TV? Será que isso é real? O que está acontecendo comigo? Tudo parece tão estranho... tão errado. De repente, é como se eu não fosse a pessoa dentro de mim. me vejo discutindo com o balconista sobre alguma coisa. Me assisto sair, irritado. Não está certo. A Dra Foster não disse que ia ser assim... que eu ia ficar preso dentro da minha cabeça. Então, penso na minha visão, no eu crescendo dentro de mim... E logo que alguém me chama, percebo o que aconteceu... desde o começo, eu estava certo... Eu tomei o lugar dele antes e agora... ele cresceu dentro de mim. Rasgou minha pele e veio tomar o meu lugar... Tudo faz sentido. Se ao menos eu tivesse terminado meu..."

E a última coisa que Jack Monroe vê, quando está saindo do bar,... é Bucky, em seu velho uniforme... ou o que sua mente delirante quer ver... e depois... um disparo lhe tira a vida. O homem que assassina Jack Monroe, simplesmente joga seu corpo na porta malas e parte. Jack morreu imaginando estar ficando mais vigoroso conforme enfrentava mais traficantes. No entanto, isso era uma falsa impressão... da mesma forma que as pessoas que espancava não eram traficantes, mas inocentes que sua mente não deixava ver. 

Logo que o carro com o corpo de Jack deixa o bar, Gunnar chega a seu caminhão de sorvetes. Afinal, ele tem que pagar as contas e as crianças adoram sorvete. Ele percebeu isso quando começou a trabalhar ao lado do jardim da infância. "A gurizada se liga mesmo".
A+:

* Pequeno (e trágico) interlúdio antes de continuar a saga do Soldado Invernal.

* Bem... era natural que, com a fascinação do escritor Ed Brubaker pelo personagem Bucky, a versão "genérica" do herói fosse "limada" da existência. Jack Monroe surgiu como o parceiro do Capitão América que atuou durante os anos 50 (e que não era Steve Rogers). Sendo realocado no universo Marvel com a mente perturbada pelo soro do supersoldado, que foi administrado incorretamente. Com a ajuda de Steve, conseguiu se firmar por um tempo como seu parceiro e, depois, sentindo-se ainda deslocado, teve suas aventuras próprias (inclusive sua própria revista, chamada Nômade). Nessa "queima de arquivo", escrita por Brubaker, é possível notar que os problemas mentais do personagem tiveram uma melhora apenas temporária. 

* A Dra. Jane Foster é uma personagem conhecida de longa data dos fãs de quadrinhos. Na verdade já foi par romântico de Thor (e motivo de várias brigas do deus do trovão com seu pai), quando trabalhava para a identidade secreta do herói, o doutor Donald Blake.

* Durante o período em que Jack Monroe atuou como Nômade, resgatou e cuidou de uma garotinha a qual chamou de Bucky, em homenagem ao antigo parceiro do Capitão América.