sábado, 27 de setembro de 2014

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 769

Arte de capa por John Romita Jr.
 - Captain America n° 10 (Setembro de 2013)

* "Castaway In Dimension Z - Parte 10", história escrita por Rick Remender, desenhada por John Romita Jr., artefinalizada por Klaus Janson, Scott Hanna e Tom Palmer, colorizada por Dean V. White e Rachelle Rosenberg, editada originalmente por Tom Brevoort

Publicada no Brasil, pela Editora Panini, na revista Capitão América & Gavião Arqueiro n° 9 ("Náufrago Na Dimensão Z - Parte 10"), letreirizada por Gisele Tavares, traduzida por Fernando Lopes e Jotapê Martins e editado por Paulo França

Após a derrota de Zola, Steve consola sua filha, Jet, e observa que é hora deles partirem para salvar a Terra. Ela se lembra de que seu irmão, Ian, ainda precisa ser resgatado. Mas Steve a informa... que Ian está morto. Sharon ainda a lembra de que há explosivos implantados para que a base flutuante de Zola não consiga atravessar o portal dimensional. Jet se enfurece com o fato de que tudo que seu pai criou está prestes a ser destruído. Por isso, ela se desvencilha de Sharon, dirigi-se a uma das motos voadoras... e os deixa para trás, possivelmente indo destruir o detonador da base. Steve já é de opinião que ela não fará isso... Está apenas confusa, perdida... mas ciente das mentiras do próprio pai. Os danos que Zola promoveu na mente da própria filha durante todos esses anos são inimagináveis. Mas Jet sabe que ele era mal, que não tinha razão. Ainda há esperança de que ela faça o correto.

De carona na moto voadora pilotada por Sharon, Steve tenta chamar a atenção (e a razão) de Jet. Mas uma voz logo atrás deles interrompe a tentativa. Antes, Steve deu cabo de uma das criaturas que utilizavam um uniforme parecido com o seu. Mas havia uma segunda criatura dessa categoria, que parte pra cima deles liderando uma horda de mutantes. Steve salta da moto para lutar com o monstro e dar tempo para que Sharon alcance e convença Jet.

O monstro de Zola, feito do sangue de Steve, evoca suas memórias e tenta humilhá-lo lembrando de que sua mãe morreu de vergonha por ele ser fraco. Steve se enfurece e lembra que sua mãe, na verdade, tinha medo de deixá-lo só. Agora, mais do que nunca, ele sabe que ela nunca o abandonou. Tem certeza de que seu espírito o ajuda naquele exato momento. Mesmo que o monstro compartilhe suas memórias, suas palavras não o convencem do contrário. Steve fere a criatura antes de saltar da moto voadora... que se dirige velozmente para um enorme paredão. Steve cai sobre a moto de Jet, que voltou para salvá-lo.

Jet e Steve seguem para o portal que os levará para a Terra, tentando alcançar a base de Zola antes que ela infecte a humanidade com seus mutantes. Mas são surpreendidos por uma voz que parece sair da chama vinda das turbinas da base: a voz do próprio Arnim Zola. Ele transferiu sua mente para um gigantesco corpo. Através de seus olhos, dispara uma rajada, derrubando Sharon primeiro. Ela é resgatada por Steve. Os três estão quase no portal e Jet acelera ainda mais. Steve pede que Sharon acione os detonadores, mas, se ela fizer isso, uma vez que estão tão perto, poderão morrer. Sharon olha para Steve e, com um sorriso, lembra que, novamente, ele irá escapar do altar. Logo em seguida ela afrouxa a luva, soltando-se da mão dele. Sharon pousa sobre o monstruoso Zola o atinge com vários disparos e aciona o detonador. Steve, desesperado, pede a Jet que volte... mas já é tarde demais. A base e boa parte de Dimensão Z explodem... no exato momento em que Jet e Steve conseguem atravessar o portal. Os dois caem no que parece ser um túnel de metrô abandonado. Steve ainda volta para o brilho do portal logo à frente, com o intento de salvar Sharon. Quando chega à Dimensão Z, no entanto, vê escombros dominados pela vegetação. O tempo, que passa de forma diferente em relação à Terra, fez com se passassem anos após a explosão, e não instantes como lhe parece. O mesmo efeito aconteceu enquanto ele estava naquela Dimensão e teve impressão de passar doze anos de sua vida por lá (enquanto Sharon lhe confirmou que, na Terra, se passaram apenas trinta minutos).

Jet puxa Steve de volta ao túnel... antes que tudo desabe e o portal se feche. Não há mais nada que o herói possa fazer por Sharon. Ele e Jet saem do túnel, por uma escadaria onde Steve vê cidadãos americanos novamente. O portal de Zola foi destruído. Não existe modo de voltar. Ironicamente, Steve e Jet estão "presos" na Terra... definitivamente. Steve pensa no tempo em que passou naquela dimensão... em Ian... em Sharon. E percebe que, agora, ele é um homem ainda mais fora de seu próprio tempo.

Epílogo.

Após a partida de Steve Rogers, uma furiosa guerra continuou na Dimensão Z. Os mutantes acabaram se recuperando e revidando contra os demais habitantes. Continuaram as mesmas diretrizes pregadas por Zola. Apesar de nunca ter sido provado, havia quem acreditasse que Zola tivesse sobrevivido em um novo corpo. Até mesmo a batalha contra o chamado Capitão América era vista como uma espécie de truque do próprio Zola para minar as esperanças dos habitantes. Ou que essas eram apenas lendas.

As lendas que se formaram após o surgimento do mítico Capitão, no entanto, só serviam para mostrar aos habitantes que eles podiam, sim, lutar por sua própria liberdade pela verdade e pela justiça. Um pequeno exército, formado por aqueles que realmente acreditavam, montaram a resistência contra a tirania definida por Zola.

Falava-se também sobre uma lenda específica, na qual um misterioso guerreiro estaria ajudando a vitória daqueles que acreditavam. Talvez fosse o espírito do homem que, um dia, teria vencido Zola. Sempre que uma fortaleza de mutantes era arrasada, essa lenda aumentava ainda mais. Assim como a esperança daqueles que enfrentavam adversidades. Daqueles que devem sempre se manter de pé. 

Esse misterioso guerreiro, tornou-se lenda por não se saber se ele tinha um nome. Ou um rosto. Ou um lar. Aqueles que haviam lutado a seu lado sabiam apenas... que ele era um Nômade. Mas, em um passado distante, ele também já foi chamado de filho. Em uma época em que nem mesmo ele se lembra. Em uma época em que ele honrou seu nome: Ian.

A+:

* O primeiro arco de Remender a frente do Capitão América "Marvel Now" divide opiniões. E até o próprio escritor está incluso nesse "vai-não-vai". Em uma história tão dramática, há elementos que não dão muito certo no decorrer da narrativa e que foram sendo "limados" durante os meses em que se seguiram. A mais notória é a questão do retcon mostrando o passado de Steve Rogers, algo que foi abandonado nessa segunda parte, apresentando apenas ecos de suas consequências em lembranças das lições que a vida deu ao personagem (afinal, Remender pode ter deixado essa narrativa pra lá... mas não iria jogar tudo o que já fez no lixo...).

O arco tem uma infinidade de ganchos que poderão ser usados no futuro, mas traz a cruel tarefa de voltar a um antigo elemento das histórias do Capitão: o fato de ele se sentir deslocado em uma época que não é a dele. Após doze anos na Dimensão Z, essa sensação foi aumentada a outro nível. Voltando para a Terra, sua melancolia está em se sentir deslocado em UMA DIMENSÃO da qual ele pode não se adequar mais.

* O Arnim Zola gigante chegou a ser apelidado carinhosamente de... Godzola!!!

* A identidade de Ian, chamada Nômade, remete ao mesmo nome assumido por Steve Rogers no passado e, tempos depois, por Jack Monroe.

2 comentários:

Anônimo disse...

Não me diz q MATARAM mesmo a Sharon outra vez? Ainda mais q colocaram ela no 2º filme......

O Ian tá vivo \o/
Se esses dois não se reencontrarem em algum momento vai ser muito triste.

********

*joga confeti*
Ah Dark Marcos, o Diário foi maravilhoso e como leitora fiel só tenho a elogiar a evolução dos textos (e comemorar q nós conseguimos sobreviver aos anos 90) <3
Parabéns pelo excelente trabalho!!!!

Eu AMEI o foco do novo diário (e a música do video, boa escolha)!

Boa Sorte.

Beijos
Lisbeth

Marcos Dark disse...

A Sharon morreu... mas, daí, aprovaram ela pra entrar no segundo filme. Entendeu onde isso vai acabar? Além do que, morreu com um sorriso no rosto, o que já é uma baita gancho.

Muito obrigado pela audiência!

SIM! Sobrevivemos aos anos 90! (ainda estou fazendo terapia... mas sobrevivi também...) E nada poderá nos deter.

Enfim, nos vemos em outro universo!