quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 303


 - Captain America 303 (Março de 1985)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 102 ("Duplo Desafio")

História: 

* "Double Dare" - Escrita por Mike Carlin, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Dennis Janke

Bernie, que tirava um cochilo no apartamento de Steve (na verdade, já era de madrugada) acorda com a chegada do Capitão América e Nômade. A dupla está desolada após a luta com Machete e Zaran, pois, no final, o escudo do Capitão foi roubado pelos vilões. O próprio Capitão está entristecido por motivo óbvio e Nômade por ter falhado com seu parceiro.

Em outro local, mais especificamente nas Indústrias Stane, o trio de vilões (os já citados Machete e Zaran, acompanhados pelo vilão Batroc) entregam o famoso escudo para um dos funcionários de Stane. O industrial mantém preso o homem que criou acidentalmente o escudo do Capitão América no passado. A intenção é reproduzir o mesmo acidente que criou a liga metálica e, com ela, criar uma armadura indestrutível.

Capitão e Nômade saem para mais uma ronda noturna, com a esperança de encontrar os ladrões do escudo. No meio do caminho, Nômade sugere que eles deviam se separar um pouco. O Capitão aceita a ideia, mesmo porque isso aumentaria a área de atuação dos dois. 

Em um bar, Batroc está completamente bêbado e comemora com seus dois comparsas o roubo do escudo e a gorda recompensa paga por Obadiah Stane. Zaran e Machete lembram que eles é que fizeram todo o serviço e que, talvez, Batroc não seria capaz de enfrentar o Capitão. Completamente embriagado, Batroc vê seu orgulho ferido e sai à procura do Capitão. Os dois outros vilões o seguem mais para se divertir com o vexame que está por vir.

De fato, Batroc encontra o Capitão América e o enfrenta. O herói, percebendo que Batroc está bêbado, prefere mudar de tática: negocia a informação sobre o paradeiro de seu escudo e, em troca, deixará Batroc o acertar sem resistência. O vilão acaba dando com a língua nos dentes e o Capitão cumpre sua promessa, sendo atingido por um poderoso golpe dele. Poderoso, mas não o suficiente para derrotá-lo. O herói se recupera e nocauteia Batroc. Seus dois comparsas, assustados com a força do Capitão, pegam o dinheiro de Batroc e fogem.

Agora, o Capitão América sabe que seu escudo está em poder das Indústrias Stane... e fará tudo para recuperá-lo.

Continua...
A+:

* Obadiah Stane foi criado como um dos grandes vilões das histórias do Homem de Ferro. É também conhecido como o vilão do primeiro filme do herói, assumindo a armadura do Monge de Ferro.

* Apesar de não ser citado nessa história, o nome completo do homem que acidentalmente criou o escudo do Capitão América é Myron MacLain

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 302


 - Captain America 302 (Fevereiro de 1985)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 101 ("... E Outros Estranhos Na Noite")

História: 

* ".. And Other Strangers" - Escrita por Mike Carlin, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Dennis Janke

Um novo vilão ataca o Capitão América. Com um sotaque sul-americano, Machete tem habilidade com uma série de armas brancas e seu uniforme parece imantá-las para que retornem depois de serem atiradas. Apesar de perceber que não é páreo para o Capitão e bater em retirada, Machete consegue a ousadia de cortar as alças do escudo do herói.

Mais tarde, em uma ronda com o Nômade, o herói novamente encontra Machete acompanhado de outro vilão: Zaran, o mestre das armas (inimigo de Shang Chi, o Mestre do Kung Fu). Impulsivo, Nômade joga os dois discos atordoantes de sua capa, desperdiçando munição quando poderia utilizar forma mais estratégica. Esse erro faz com que o herói seja capturado por Machete, dando tempo para que os vilões fujam com um prêmio muito peculiar: o próprio escudo do Capitão América.

É revelado, posteriormente, que o mandante do roubo do escudo é um velho conhecido do Capitão América: o vilão Batroc.

Continua...

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 301



- Marvel Fanfare 18 (Janeiro de 1985)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 79 ("Lar em Chamas")

História: 

* "Home Fires" - Escrita por Roger McKenzie, desenhada por Frank Miller, artefinalizada por Josef Rubinstein

Capitão América enfrenta uma série de incêndios criminosos pelo bairro. A única pista que a polícia tem é um pedido de resgate. Mesmo com o herói investigando dentro do submundo, nenhum indício dos envolvidos nos crimes aparece.

Enquanto isso, o grupo responsável pelos incêndios se reúne para planejar o próximo ataque. É formado por cidadãos que acreditam que os imigrantes estão destruindo a América e tomando a oportunidade de americanos nativos. No final da reunião, decidem incendiar uma casa de repouso, mesmo contra o protesto de um dos integrantes, que é policial.

A casa de repouso é incendiada e o Capitão América ajuda a evacuar o local. Porém, é com pesar que ele constata que uma senhora faleceu, mesmo sendo salva por ele, porém sufocada pela fumaça. A caçada do herói se torna cada vez mais feroz. Mas, desta vez, o Capitão encontra uma pista: um distintivo de policial no local do crime. 

O herói localiza o policial, que delata seus companheiros. Fica chocado ao descobrir que o líder é um pai de família (que não sabe das atividades criminosas de seu patriarca). Chegando ao local onde se reúnem ficam horrorizados com o pseudo-patriotismo que pregam. Um dos integrantes tenta atear fogo na bandeira americana, mas acaba causando uma enorme explosão devido ao estoque de combustível no local, utilizado nos incêndios. Capitão América escapa e consegue salvar os remanescentes e ainda tem tempo para volta para o meio do incêndio e recuperar a bandeira americana, a qual representa. Com isso, demonstra que a América nem sempre dá a seus cidadãos coisas em uma bandeja de prata; algumas vezes tudo o que oferece é a esperança.
A+:

* Interessante notar como o Capitão América é retratado de uma forma, a ponto de agir como outro super-herói da Marvel: o Demolidor. Isso se deve a Frank Miller ter feito sucesso na editora com o herói cego. Várias características dele estão nessa história. Desde a forma de mostrar o escudo do Capitão ricochetear (algo que o Demolidor fazia com um bastão) e  até a forma de investigar sobre um crime, espancando criminosos em bares suspeitos.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 300


- Captain America 300 (Janeiro de 1985)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 99 ("O Crepúsculo da Maldade - parte 3")

História: 

* "All Good Things..." - Escrita por Mike Carlin, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Dennis Janke

Madre Superiora e as Irmãs do Pecado chegam ao encalço do Capitão América e Nômade. Sua intenção, no entanto, não é atacar, mas recuperar o corpo de seu pai, o falecido Caveira Vermelha. O herói, achando correto que o corpo do vilão fique com sua família, o entrega. Logo em seguida, Madre Superiora joga o corpo de seu pai em uma pira, onde ele é cremado. O discurso da vilã é cheio de ódio por ter descoberto que seu pai a desprezava, no final.

Fora da mansão, a dupla reencontra Falcão, Arnie e Bernie. Os Vingadores também acabam de chegar ao local. Preocupados com o estado do Capitão, que ainda continua envelhecido, levam-no para a Mansão dos Vingadores a fim de tratá-lo. Lá, o doutor Hank Pym faz o que pode com o refugo dos equipamentos do Caveira, trazidos por Hércules e Fera, e montados pelo androide Visão.

O tratamento com o novo equipamento produz radiação e tem que ser feito em uma sala fechada, sem interferência, pois caso contrário poderá fulminar de vez o Capitão América. Mas, no momento em que é iniciada a sessão, Madre Superiora e as Irmãs do Pecado, capazes de atravessar objetos sólidos, entram na sala para matar o herói. O enfraquecido Capitão América evita um confronto direto o tanto quanto pode. Os Vingadores só podem assistir, sem nada fazer, pois não podem entrar na sala.

A radiação utilizada consegue reverter o Capitão América de sua velhice. Em contrapartida, o mesmo efeito é sentido pela Madre Superiora e as Irmãs do Pecado, que revertem para a sua forma verdadeira... a de meninas de dez anos de idade (o Caveira havia acelerado sua maturidade artificialmente). As perigosas vilãs agora não passam de crianças chorando.

Bernie entra na sala e, finalmente, encontra seu noivo, Steve Rogers, recuperado dos efeitos de envelhecimento.
A+:

* Aqui, novamente, o Fera... não é o Fera. Na verdade trata-se do herói Starfox, simplesmente pintado de azul para parecer o Fera. Isso na edição brasileira. Devido ao desacerto cronológico das histórias da Marvel publicadas pela Editora Abril, Starfox ainda não era conhecido do público, mas o Fera sim. Starfox viria a fazer parte dos Vingadores nas histórias futuras publicadas no Brasil. Outra personagem que foi apagada (e não substituída) foi a Capitã Marvel, presente nessa história, menos na edição brasileira. Em alguns casos, onde ela ficava muito em evidência, foi substituída por um desenho da Feiticeira Escarlate.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 299


- Captain America 300 (Dezembro de 1984)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 99 ("O Crepúsculo da Maldade - parte 2")

História: 

* "Das Ende" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Dennis Janke

Enquanto o Capitão América e o Caveira Vermelha lutam no subsolo da mansão do vilão, Jesse Corvo Negro assume sua forma totêmica e voa em auxílio ao herói, pois teve uma visão aterradora sobre ele. 

Dave Cox, o amigo de Steve Rogers que foi transformado forçosamente no vilão Assassino, agoniza em um hospital. Seu estado se agrava e sua esposa teme que ele não sobreviva.

O Caveira vermelha revela que o veneno que injetou nele e no Capitão não tem antídoto. Eles estão realmente condenados. O vilão provoca cada vez mais o Capitão América, para despertar-lhe ira suficiente nele a ponto deste tentar matá-lo. No entanto, para desespero do Caveira, o Capitão recua... pois sabe que, assim, estará realizando o último desejo de seu inimigo: mostrar que o ódio prevalece sobre a razão. O vilão sucumbe nos braços do Capitão, vítima primária do veneno que aplicou. No instante em que o Caveira morre... Dave Cox volta milagrosamente do coma! A sombra do Corvo Negro está na janela do hospital e, vendo que a família finalmente está bem, parte em direção ao Capitão.

Ironicamente, o Capitão América descobre que a destruição da Mansão foi uma farsa, armada pelo Caveira para desesperar o herói. No final, esse truque de nada adiantou. Porém, o veneno ainda corre nas veias do Capitão. Corvo Negro, utilizando seus poderes místicos, consegue dissipar os efeitos da substância do corpo do herói. 

Nômade entra na mansão e encontra o Capitão América carregando o corpo do Caveira. "Está mais do que na hora de enterrar o passado. De uma vez por todas".

Continua...
A+:

* Além de J.M. DeMatteis, um escritor que dividiu a autoria dessa história com ele foi Michael Ellis. Era um escritor muito peculiar (apesar de seu caso não ser único). A diferença de Michael Ellis e outros escritores era que... Michael Ellis nunca existiu!

Tudo aconteceu quando DeMatteis, para comemorar a 300ª edição da revista do Capitão América, criou um roteiro com o dobro de páginas costumeiras, onde o herói zelava por manter a paz ao invés de sucumbir ao ódio proclamado pelo Caveira. Essa decisão tomaria proporções mundiais, com o Capitão América zelando pela paz mundial a qualquer preço. A polêmica estava em vilões como o Doutor Destino apoiando seu ponto de vista (obviamente com segundas intenções), o que colocaria o Capitão em descrédito perante o público.

Era uma espécie de crítica ao período político pelo qual os Estados Unidos passavam, onde a era Reagan transformou o país em uma espécie de "império do mal" devido à corrida armamentista, no auge da guerra fria.

O enredo ainda mostrava que o único capaz de deter a cruzada do Capitão era Nômade, que acabaria matando seu parceiro em nome do governo. Com a chocante morte, o mundo de fato ficaria pelo menos alguns minutos sem nenhum conflito e o Universo Marvel teria um marco em sua história. É claro que, em se tratando de super-heróis, já havia um planejamento para a volta do herói (mesmo que não fosse pelas mãos de DeMatteis).

Roteiro aprovado, DeMatteis entregou todo o material para o editor Mark Gruenwald, que aprovou previamente a ideia. Porém, ao chegar no editor-chefe, Jim Shooter, não só desaprovou a história (ou parte dela), como tomou a liberdade de alterar ele mesmo vários trechos. Bem, DeMatteis havia trabalhado e deveria receber créditos por isso, afinal. Mas não assumia o que foi alterado, mesmo porque mudou totalmente o rumo do que havia planejado. Dessa forma, para assumir a adulteração, DeMatteis criou... Michael Ellis.

O escritor saiu em seguida a esse período e ficou com uma espécie de trauma em relação a quadrinhos, principalmente do gênero de super-heróis. Se voltasse a escrever, provavelmente não colocaria seu nome na indústria. Michael Ellis, talvez. Porém, quando mais tarde trabalhou para a concorrente da Marvel, a DC Comics, Paul Levitz proibiu que se usassem pseudônimos nas histórias (a DC já tinha sua cota de escritores fantasma no passado). Também encorajado pelo escritor Keith Giffen, DeMatteis voltou a assinar seu nome e, justamente com Giffen, foi um dos co-autores de um dos maiores sucessos da segunda metade da década de 80 nos quadrinhos: a versão cômica da Liga da Justiça.

Hã... Alguém em algum momento citou... Guerra Civil?

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 298


 - Captain America 299 (Novembro de 1984)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 99 ("O Crepúsculo da Maldade - parte 1")

História: 

* "The Bunker" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Roy Richardson

Bernie, Arnie, Nômade e Falcão estão perdidos dentro da mansão do Caveira Vermelha, procurando pelo paradeiro do Capitão América. O herói, por sua vez, também se embrenha pelos corredores enevoados do local. Em certo momento, vai parar em uma sala sinistra, um verdadeiro altar ao nazismo. Sente um arrepio e dá meia volta. Teria se assustado ainda mais se visse um objeto perdido na escuridão: um cubo cósmico, onde está presa a essência de ninguém menos de Adolf Hitler.

O Capitão América vai para em um cômodo subterrâneo onde encontra o Caveira Vermelha. O vilão revela que seus amigos, inclusive Bernie, estão em seu poder. O herói se desespera e tenta sair do local para ajudá-los, mas as portas são seladas. O Caveira ainda revela que injetou veneno no Capitão e nele mesmo, fazendo com que tenham apenas três ou quatro horas de vida.

A Madre Superiora, furiosa por seu pai ter escolhido o Barão Zemo como herdeiro de seu legado, ataca o vilão com toda a sua fúria, ferindo-o gravemente. Sua ira é tamanha, que a batalha interrompe até mesmo o ataque das Irmãs do Pecado, que encontraram os amigos de Steve Rogers e lutavam contra Falcão e Nômade.

Visualizando tudo por um painel, Capitão América tenta convencer o Caveira Vermelha a libertar seus amigos e que o vilão fique junto de sua filha, que precisa de seu apoio. Mas o Caveira ainda mantém seus planos de vingança... e explode a mansão. Enfurecido com esse ataque traiçoeiro, o Capitão América ataca o Caveira Vermelha, determinado a terminar com sua carreira de terror.
A+:

* Os Vingadores também se movimentam para irem ao resgate do Capitão América. Mas essa cena foi cortada na edição brasileira.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 297


 - Captain America 298 (Outubro de 1984)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 98 ("Memórias do Caveira")

História: 

* "Sturm und Drang: The Life and Times of the Red Skull" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Roy Richardson

História focada na origem do Caveira Vermelha, narrada pelo próprio. Mas é tão focada que o Capitão América não emite um som sequer, nem uma fala. Apenas ouve o que seu pior inimigo tem a relatar. E é bem pior do que imaginava. O herói, apenas com um olhar, impede até mesmo Nômade (vestido como Bucky) de reagir, deixando-o ser levado para a cela onde estão os demais amigos sequestrados de Steve Rogers.

Sentados à mesa de uma réplica de taberna alemã, o Caveira começa sua história para o Capitão.

A mãe do vilão morreu quando deu a luz. Seu pai, enlouquecido e culpando o bebê pela tragédia, tentou afogá-lo em uma bacia, sendo impedido pelo médico que atendeu no parto. Ainda enlouquecido, o pai do futuro Caveira Vermelha cometeu suicídio, cortando a própria garganta com uma navalha. Nesse ponto da narrativa, o vilão demonstra sua natureza cruel, revelando que tentou encontrar o médico que salvou sua vida. Mas não para agradecê-lo, e sim para matá-lo como vingança por tê-lo tirado das trevas do útero de sua mãe para a incômoda luz da vida.

Johann Schmidt (verdadeiro nome do vilão) passou sua adolescência entre fugas de orfanatos, prisões por pequenos furtos e como morador de rua. Uma curiosidade é que se sentia seguro apenas procurando por locais onde a escuridão predominava.

Trabalhou para um comerciante judeu cuja filha foi a primeira pessoa a tratá-lo bem. Apaixonando-se por ela (mas admitindo que se tratava apenas de atração física), Johann tentou aproximar-se, mas a forma como foi criado não lhe deu desenvoltura para demonstrar seus "sentimentos" de forma educada e gentil. Percebendo que a garota se assustou com seu assédio, reagiu da única forma que sua existência ensinou... com violência. Espancou a garota com uma pá até matá-la.

Vivendo sempre em fuga, Johann acabou como rapaz de recados em um luxuoso hotel. Certa vez, nesse mesmo hotel, hospedou-se ninguém menos que Adolf Hitler. Johann testemunhou Hitler gritando com um de seus generais, chamando-o de incompetente e apontando para ele... pois dizia ser capaz de tornar um mero rapaz de recados um comandante muito mais eficaz do que os que já tinha. Por algum motivo, Hitler levou adiante aquela ideia e treinou pessoalmente Johann como um dos integrantes de sua elite militar.

Percebendo um ódio incomum em Johann, Hitler decidiu torná-lo um símbolo de terror para a Europa e, após seu treinamento, deu-lhe uma máscara para se tornar... o Caveira Vermelha.

De fato, o Caveira Vermelha se tornou um terror conhecido e temido. Até que seu caminho se cruzou com o do americano conhecido como Capitão América. Em uma das lutas com o herói, o Caveira foi soterrado em um local onde se produzia um gás experimental. Foi esse gás que o manteve em animação suspensa e conservou-o até os dias de hoje, onde foi acordado por uma organização criminosa.

Após inúmeras batalhas e derrotas contra seu inimigo, o Caveira Vermelha se recolheu em sua ilha para planejar seus próximos passos. Uma das ideias que se passaram por sua cabeça, levava em conta que ele pudesse ter um herdeiro. Nesse mesmo dia, conheceu a faxineira que foi contratada por seus lacaios, tomou-a como mulher e a engravidou. Em uma coincidência macabra, a faxineira faleceu durante o parto. E, para o desespero do vilão, havia lhe dado... uma filha, e não um filho como esperava. O vilão, amaldiçoando a criança, decidiu jogá-la nas águas furiosas do mar. Mas... alguma coisa o impediu de fazer isso. Criando a menina, passou todo o seu conhecimento e ódio para ela. Até mesmo acelerou geneticamente seu crescimento e a criança, com apenas dez anos, já se tornara uma mulher adulta... a vilã conhecida como Madre Superiora.

Apesar de tudo, o Caveira descobriu que o gás que o conservou esses anos todos estava perdendo o efeito. Ele envelhecia dia a dia rapidamente. Estava morrendo. Por isso, elaborou um plano para matar seu maior inimigo, o Capitão América. Apesar de ter treinado a Madre Superiora (e dar-lhe outras meninas como suas discípulas, as Irmãs do Pecado), ainda a considerava incapaz. Chegou a cogitar alguém que fosse eleito seu herdeiro, pensando no Barão Zemo. Mas também o considerava inadequado. (quando relata isso, conquista o ódio da Madre e de Zemo, pois estes assistem à narrativa).

E seus planos o levaram até aquele momento, onde pretende lutar pela última vez com o Capitão América. Ainda mais que, depois de narrar toda sua história, percebe nos olhos do também envelhecido Capitão que ele sente pena e não ódio de seu inimigo, mostrando como os dois são opostos.

Continua...
A+: 

* Várias cenas dessa história são homenagens ao desenhista Jack Kirby, co-criador do Capitão América.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 296



- Captain America 297 (Setembro de 1984)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 97 ("A Hora de... Zemo")

História: 

* "All My Sins Remembered" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Roy Richardson

Madre Superiora e Barão Zemo brigam pelo tiro de misericórdia no Capitão América. O próprio Caveira Vermelha interrompe a briga para lembrar sua filha de que Zemo carrega muito mais ódio do que seus planos podem demonstrar. 

Enquanto isso, sem nenhuma explicação, o Capitão América se vê em um missão em uma base aérea, sendo seguido por... Bucky!!! Tudo está acontecendo na cabeça do herói, que está sendo induzido em uma máquina reviver o dia em que perdeu seu companheiro. Se a morte acontecer novamente, Nômade, que também está ligado à máquina, morre.

Na cela onde estão preso os entes queridos de Rogers, Falcão tenta encontrar uma falha que os possibilite sair dali.

Surpreendentemente, o "sonho" do Capitão América acaba bem e ele consegue salvar "este" Bucky. Dessa vez, o herói está cara a cara com o Caveira, que retira sua armadilha e mostra seu rosto envelhecido pelo tempo e olhos frios e cheios de ódio, como antigamente.

Continua...

A+:

* Para tornar a ilusão ainda mais real, aqui o Barão Zemo veste uma variação de seu uniforme que o torna parecido com o Barão Zemo original (seu pai).

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 295



- Captain America 296 (Agosto de 1984)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 97 ("Tormenta Mental")

História: 

* "Things Fall Apart" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Sam DeLarosa

As Irmãs do Pecado atacam uma nova vítima ligada a Steve Rogers: o herói Falcão. Ele não é páreo para o veneno da Irmã Agonia e é capturado.

Na mansão do Caveira Vermelha, Capitão América e Nômade descobrem que o Arnie Roth que eles descobriram estar disfarçado de Barão Zemo é, na verdade... outro robô. A armadilha em que se encontram se abre e a dupla investiga o local. Encontram o corpo do lacaio do Caveira, Horst. Dentro dessa sala, encontram um espelho onde o Capitão América constata algo atemorizante... ele parece estar envelhecendo rapidamente. 

Em seguida a dupla de heróis chega até uma sala decorada como se fosse um cabaré alemão dos anos 40, onde a plateia é formada por vários robôs com a fisionomia de Arnie. A Irmã Prazer se apresenta no palco e Nômade a reconhece, chegando a uma conclusão assustadora. Durante os últimos dias, ele a salvou e foi seduzido, sendo induzido através do veneno em seus lábios e colocar um produto em toda bebida e comida que oferecia a Steve. Esse produto foi responsável por anular o efeito do soro do supersoldado e agora está envelhecendo o Capitão América.

Outra apresentação no palco do cabaré traz o verdadeiro Arnie, que sofreu uma lavagem cerebral e agora está em choque. A Madre Superiora revela ser a arquiteta desses ataques e pelo envelhecimento do herói. Ela ainda mostra que seus amigos agora são reféns, inclusive Bernie. Apesar de furioso, o Capitão América lembra que ela foi criada pelo Caveira e isso, de certa forma, foi traumático o suficiente para torná-la a vilã que é. Tenta convencê-la disso e que pode lutar contra a má influência de seu pai. Confusa, sua primeira reação é de ira e descontrole. Por fim, ela consegue envenenar o cada vez mais fraco Capitão América... fazendo com o que o próximo, e talvez definitivo ataque, seja do Barão Zemo.

Continua...
A+:

* A ideia de mostrar o Capitão América envelhecido, mostra ao leitor como seria se ele tivesse envelhecido normalmente desde a década de 40.

* Uma cena mostrando Vespa e Starfox entrando no apartamento de Bernie e descobrindo a marca do Caveira Vermelha foi cortada na versão brasileira. Dessa vez, nem tentaram optar por pintar o Starfox de azul e transformá-lo no Fera. Outra página cortada é a que mostra o dramático monólogo de Arnie Roth, que sofreu lavagem cerebral e é obrigado a declamar sobre sua homossexualidade sob a ótica distorcida e preconceituosa do Caveira (de forma discreta, porém chocante).

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 294


 - Captain America 295 (Julho de 1984)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 96 ("A Mansão Sinistra")

História: 

* "The Centre Cannot Hold" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Brett Breeding

Arrasado, Capitão América visita Dave Cox, que está à beira da morte em um hospital após ser usado pela vilã Madre Superiora, que tentou transformá-lo no vilão Assassino. 

E por falar em Madre Superiora, ela e seu parceiro, o Barão Zemo, atacam outro amigo de Steve Rogers. Dessa vez a dupla sequestra... Arnie Roth.

Verificando sua secretária eletrônica, Rogers encontra uma mensagem apavorada de Arnie. Com Bernie e Jack Monroe (identidade do herói Nômade), ele segue para o apartamento do amigo e encontra uma mensagem muito clara: um crânio queimado na parede, mostrando que se trata das maquinações do Caveira Vermelha, e um robô de Arnie que se desfaz quando eles chegam, deixando uma pista de seu paradeiro.

Capitão América e Nômade invadem a mansão onde está o Caveira Vermelha e são atacados pelas Irmãs do Pecado. O herói percebe que o Barão Zemo observa a batalha de longe e o ataca selvagemente. Nômade o segura e, para o estarrecimento do Capitão, mostra que na verdade se trata de... Arnie, desacordado e vestido como Zemo. O momento de choque é suficiente para que a dupla caiam em uma armadilha, com as paredes se fechando em volta deles.

Em um dos quartos da mansão, o Caveira Vermelha vela pelo corpo de seu mordomo, Horst, que faleceu de velhice após anos de humilhação. Zemo vem lhe confortar, mas o Caveira não assume pesar. Diz estar ali apenas estudando a face da morte.

A Madre Superiora continua atacando pessoas próximas a Rogers. Dessa vez, consegue sequestrar... Bernie.

Continua...
A+:

* Na página final dessa história, os Vingadores Starfox e Vespa visitam o apartamento de Bernie para protegê-la, a pedido do Capitão (chegando tarde demais para deter o ataque da Madre Superiora). Quando esta história foi publicada pela primeira vez no Brasil, a Editora Abril optou por alterar Starfox por este ainda não ser conhecido do público (ele iria entrar para os Vingadores, em publicações futuras da Abril).  A Solução encontrada foi pintar o herói de azul, dando-lhe uma bizarra semelhança com outro vingador, o Fera (que também já foi dos X-Men).

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 293


 - Captain America 294 (Junho de 1984)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 95 ("O Valor de Um Homem")

História: 

* "The Measure of a Man" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Joe Rubinstein

Enquanto Nômade faz o que pode para defender-se do Assassino, Capitão América desperta Mas, ao tentar ajudar, percebe que está preso em uma espécie de campo de força. É então que o herói vê os responsáveis por aquela confusão: Madre Superiora, acompanhada pelo Barão Zemo.

O Assassino consegue derrotar Nômade, mas a natureza pacifista de Dave Cox prevalece e ele não consegue dar o golpe fatal. Enfurecida a Madre Superiora ataca Dave, deixando-o inconsciente e sumindo em meio às névoas.

No hospital, a esposa de Dave está desesperada, pois há danos no cérebro de Dave, colocando-o em risco de vida.

No Retiro dos Condenados, mansão que serve de base para o Caveira Vermelha, a Madre Superiora apresenta a Zemo seu grupo de discípulas. Conhecidas como Irmãs do Pecado, o grupo é formado por Irmã Sonho, Irmã Prazer, Irmã Agonia e Irmã Morte. Vendo sua filha por um monitor, o Caveira Vermelha não se empolga com a confiança dela.

Steve Rogers visita Bernie e diz que não pode aceitar seu pedido de casamento, pois teme que ela possa ser alvo de algum de seus inimigos. Bernie acha um absurdo que ele pense assim. Nas palavras dela:

"... às vezes eu acho que você vive fora da realidade. Pensa que só você tem problemas porque é um dos "poucos escolhidos" que andam por aí vestidos feito palhaços, caçando psicopatas. Está sempre dizendo que é um risco casar com você. Pois saiba que todo casamento é um risco. Eu vi um explodir na minha cara anos atrás e não foi nada bonito. E fique sabendo de mais uma coisa... a vida é um risco. Não só pros super-heróis... mas pra todos os simples mortais. Você melhor do que ninguém sabe que não se pode passar a vida evitando os riscos e perigos. Então por que você não faz aquilo que mais sabe? Seja um herói!"

Diante das palavras de Bernie (entrecortada por vários beijos), Bernie acaba convencendo Steve... que aceita se casar com ela. Porém, o momento é interrompido com a chegada de um pacote para Bernie. Dentro do pacote, para o horror de Steve, está a máscara do Caveira Vermelha.

Continua...

domingo, 17 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 292


- Captain America 293 (Maio de 1984)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 94 ("O Assassino das Sombras")

História: 

* "Field of Vision" - Escrita por J. M. DeMatteis, desenhada por Paul Neary, artefinalizada por Eduardo Barreto

Na Mansão do Caveira Vermelha, a filha do vilão faz uma espécie de lavagem cerebral no Barão Zemo, mostrando-lhe a história da violência dentro da humanidade.

Capitão América retorna das Guerras Secretas e visita seu velho amigo, Dave Cox, na Virgínia (ele foi visto pela última vez na parte 163 do Diário de Steve Rogers : http://quadrinhosdarkmarcos.blogspot.com.br/2012/10/o-diario-de-steve-rogers-parte-163.html ). Como Dave foi um grande amigo da falecida Sharon Carter, ex-namorada do Capitão (na verdade ele era apaixonado por Sharon), o herói quer desabafar com ele sobre relacionamentos, uma vez que foi pedido em casamento por sua atual namorada, Bernie.

Após a visita do Capitão, Dave é raptado pela Madre Superiora e Barão Zemo. A intenção é torturar o pacifista e torná-lo a antítese de tudo o que acredita, através da violência.

Na noite seguinte, Capitão América e Nômade fazem uma ronda pela cidade. Nômade acha que Dave Cox é um frouxo apenas por ser um pacifista. Durante a ronda, a dupla tem a chance de impedir um assalto. Nômade não se contém ao esmurrar o assaltante e quase o mata. Capitão América o lembra de sua superforça e que uma assaltante comum não é um supervilão, dando-lhe uma bronca na frente da polícia e da multidão em volta, o que enfurece seu parceiro.

Magoado, Nômade sai da cena. Capitão América o segue para pedir desculpas, pois também perdeu a paciência. Encontra-o desmaiado por um novo vilão chamado Assassino, que é ninguém menos que... Dave Cox. Usando seu manto de teleporte e uma maça em sua mão (lembrando que Dave não tem um dos braços), o vilão consegue desacordar o Capitão. Resta a Nômade, que acaba de se levantar, deter o vilão.

Continua...
A+:

* Bom lembrar que, apesar do Capitão América citar que voltou do planeta das Guerras Secretas, paralelamente a minissérie ia acontecendo, pois teve doze números mensais. Cabia ao roteirista a desenvoltura para não revelar nada que desse ideia de acontecimentos que viriam a aparecer durante esse um ano.

* Dave Cox usa o manto e as armas do personagem Mata Demônios. Pouco conhecido em publicações brasileiras, foi um herói que já integrou o grupo Defensores.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 291



- What If nº 44 (Abril de 1984)
> Publicada no Brasil na revista Almanaque do Capitão América n° 66 ("O Que Aconteceria Se O Capitão América Fosse Descongelado No Mundo de Hoje?")

História: 

* "What If... Captain Ameria Were Not Revived Until Today" - Escrita por Peter B. Gillis, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Dave Simons

E se o Capitão América fosse descongelado hoje? "Hoje", no caso, refere-se ao ano de 1984, data original em que essa história foi publicada (algo que, em um raro caso, não foi publicado com muita defasagem pela Abril, já que aconteceu no mesmo ano). Por outro lado, a história também poderia se chamar “O que aconteceria se o Capitão América NÃO FOSSE descongelado”, já que mais da metade da história se passa em um período em que ele realmente continuou sumido.

A ideia é mostrar uma pequena alteração na já conhecida mitologia do Capitão América. Através da narrativa do personagem Vigia, que mostra um realidade alternativa, relembramos os fatos que levaram o herói a ressurgir nos anos 60. Após o acidente que o lançou em águas geladas e conservou-o em um bloco de gelo, anos se passaram até que ele fosse encontrado por uma tribo de esquimós e adorado como se fosse um deus. Nessa época, o Príncipe Namor encontra os esquimós adorando aquele homem congelado e, enfurecido, o lança novamente nas águas. Momentos depois, os Vingadores encontram o herói, que acorda no submarino do grupo, sendo reintegrado posteriormente ao mundo "moderno". Essa é a história como a conhecemos.

No conto do vigia, um pequeno desvio muda todo o destino do herói. Namor mudou sua rota e não topou com a tribo de esquimós. Logo, não lançou o congelado Capitão América de volta às águas e, por sua vez, o herói continuou congelado por muito tempo.

As consequências dessa mudanças impactaram outros acontecimentos no Universo Marvel. Os Vingadores, por exemplo, acabaram se desfazendo como grupo e nunca conheceram um Capitão América que continuasse a liderar a equipe (mesmo que com novos integrantes). Era o fim definitivo dos Vingadores. Para suprir essa extinção do grupo, o Capitão América é trazido à vida. Mas não se trata do herói que lutou na Segunda Guerra, e sim o seu substituto dos anos 50, que enlouqueceu, juntamente com sua versão do Bucky, e foi congelado artificialmente em um laboratório.

O novo Capitão tem uma atitude muito mais radical no que diz respeito a defender os poderes da América. É contra, por exemplo, a entrada de estrangeiros nos Estados Unidos, alegando que estão tomando o lugar de trabalhadores e cidadãos americanos. Com essa atitude ensandecida, esse Capitão envolve-se com a política, chegando a apoiar até mesmo os obscuros integrantes do Império Secreto. Com isso, a América se torna uma terra fascista, onde as minorias são separadas por muros, que as trancafiam em guetos de miséria.

Em meio a essa trágica história, um submarino militar encontra certo bloco de gelo com o verdadeiro Capitão América dentro dele. O herói fica estarrecido quando descobre que seu Estados Unidos se tornou um local tão opressor quanto o mundo que os nazistas pregaram. Unindo-se a resistência contra o governo, formado por heróis como Nick Fury, Homem Aranha e Sam Wilson (que, nessa realidade, não veio a se tornar o super-herói Falcão), o verdadeiro Capitão América acaba enfrentando seu duplo, desmascarando-o diante da população, que agora acredita estar diante do verdadeiro guardião da liberdade. Com o fim e humilhação do Capitão fascista, o verdadeiro Capitão é ovacionado como novo herói nacional.
A+:

* O uniforme dos militares dessa realidade, levando em conta que seguem o Capitão América como seu general, é formado por um capacete com a marca do "A" do herói. Curiosamente, se parece muito com o capacete utilizado na versão cinematográfica do Capitão, em um telefilme feito na década de 70.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 290


- Marvel Super Heroes Secret Wars 12 (Abril de 1985)
> Publicada no Brasil Guerras Secretas, pela Panini ("... Nada a Temer")

História: 

* "... Nothing to Fear" - Escrita por Jim Shooter, desenhada por Mike Zeck, artefinalizada por Arthur Adams e John Beatty

Doutor Destino matou todos os vinte e um heróis das guerras secretas. Mas não está tranquilo. Sua maior preocupação agora é seu próprio poder. Afinal, apesar de ser onipotente, ainda tem falhas humanas. Dessa forma, um mero descuido seu pode desencadear a morte de um sistema solar inteiro. Até mesmo dormir pode fazer com que seu sonhar, por mais abstrato que seja, se torne realidade. QUALQUER pensamento seu pode se tornar realidade.

Baseado na angústia de Destino, Garra Sônica apresenta uma interessante teoria: e se Destino, acidentalmente, ressuscitasse os heróis? Demonstrando através de hologramas, Garra apresenta uma simulação do que poderia acontecer, mostrando a curandeira Zsaji seguindo até onde os heróis foram mortos e os encontrando despedaçados... menos um... seu amado Colossus. E se... Colussus revertesse a sua forma metálica pouco antes do raio mortal cair? (afinal, o Capitão América alertou que isso poderia acontecer). E se... Zsaji sacrificasse a própria vida para trazer Colussus à vida? E se, enfurecido por sua amada estar morta, Colussus conseguisse recuperar o Senhor Fantástico, que não foi despedaçado graças a seu corpo elástico, e o colocasse em uma das milagrosas máquinas daquele mundo alienígena, fazendo com que ressuscitasse? E se... Senhor Fantástico utilizasse a mesma tecnologia para ressuscitar todos os heróis?

As ideias passadas pelo Garra Sônica atormentam o Doutor Destino ainda mais. Principalmente agora que uma simples teoria pode se tornar realidade pelo simples fato de existir na mente de Destino. E se... essa teoria, enquanto contada, estivesse se tornando realidade? E isso acontece, como demonstra o martelo de Thor entrando pela Torre de Destino. Os heróis, liderados pelo Capitão América, avançam contra o vilão.

Destino dá uma pequena parcela de poder ao Garra Sônica, que cria um exército de monstros para derrotar os heróis. O único que consegue entrar na torre é o Capitão América, mesmo com seu escudo despedaçado. Destino atomiza o Capitão, mas o vê renascer toda vez que repete o processo. Isso acontece devido ao medo inconsciente de Destino em fazer algo apenas por imaginar. Morrendo e renascendo várias vezes, Capitão América consegue chegar até Destino, abatendo-o. Mas o vilão está totalmente descontrolado e o Capitão oferece ajuda... como se fosse uma âncora na realidade ao qual Destino precisa se agarrar... Nesse momento, Garra Sônica entra no salão e revela estar possuído... pelo Beyonder. A entidade se aproveita do momento de fraqueza de Destino e toma de volta seu poder supremo. Novamente poderoso, Beyonder devolve Destino (restaurando a sua forma anterior, com suas cicatrizes) e Garra Sônica para a Terra, desaparecendo em seguida.

Há uma energia residual no planeta que aparentemente faz com que os desejos dos heróis se tornem realidade (de certa forma, o prêmio prometido pelo Beyonder). Isso facilita o trabalho do Senhor Fantástico ao montar o aparelho que os leva de volta para casa, bem como o Capitão América em restaurar seu escudo destroçado. Os heróis são enviados para a base espacial para onde o Beyonder os transportou e, dali, de volta para casa.

A+:

* Edição final com mais páginas do que o usual. Essas páginas extras, quando publicadas pela primeira vez no Brasil, foram cortadas, adaptando-se ao número de páginas das edições anteriores e suprimindo informações sobre fatos que ainda não haviam acontecido na cronologia dos heróis Marvel nas revistas mensais. A cena onde é mostrado o destino de Denver, transportada pelo Homem Molecular, e onde também é explicado um pouco mais sobre a entidade Beyonder, foi totalmente cortada dessa primeira versão.

* Existem teorias de que Mike Zeck não teria desenhado todas as páginas de Guerras Secretas no decorrer da minissérie. Essa impressão é ainda mais acentuada na última edição, onde a arte parece mostrar vários estilos diferentes de seus desenhos. Na verdade, exceto pelas edições 4 e 5 (de fato, desenhadas por Bob Layton, e não por Zeck), o que aconteceu é que vários arte finalistas ajudaram na empreitada. Além do prazo curto entre uma edição e outra (leve em conta que eram vários personagens desenhados em uma única saga), a última edição ainda apresentou mais páginas e o "mutirão" foi ainda maior, deixando estilos mais evidentes dos finalistas. Para piorar a situação, o escritor da série era ninguém menos que Jim Shooter, que também era o editor-chefe na época e tinha uma fama de ser um tanto carrasco no que diz respeito a prazos.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 289


- Marvel Super Heroes Secret Wars 11 (Março de 1985)
> Publicada no Brasil Guerras Secretas, pela Panini ("... E do Pó ao Pó")

História: 

* "... And Dust to Dust" - Escrita por Jim Shooter, desenhada por Mike Zeck, artefinalizada por John Beatty

Agora, dotado com o poder de um deus, Doutor Destino estarrece a todos os heróis ao retirar sua máscara... mostrando que curou todas as suas cicatrizes. Destino não tem a intenção de lutar, mas dialogar. Essa atitude enfurece o grupo de vilões, agora liderados pelo Homem Molecular. Este, por sua vez, separa Destino dos heróis deslocando uma enorme parte da crosta do planeta.

Os heróis perdem contato com Destino e voltam para a base. Observam parte da cidade terrestre de Denver, trazida para formar o planeta das guerras secretas, simplesmente levitar e sumir no espaço (isso é obra do Homem Molecular que, após discutir com Destino, teve sua mente desbloqueada de receios psicológicos, permitindo que usasse seu poder mais plenamente; com isso, junto ao grupo de vilões, decide usar seu poder para levar Denver de volta para casa.)

No meio da noite, os heróis são despertados com o grito da Mulher Aranha. Ela explica que viu Destino remontar o corpo do Garra Sônica com o que restou dele... e levá-lo embora. Antes de partir, Destino ainda restaurou a Capitã Marvel. A Mulher Aranha mostra que Destino deixou um recado para os heróis: "Vocês estão convocados pra a Torre de Destino no crepúsculo de amanhã".

No dia seguinte, os heróis ouvem Destino explicar que, agora que é onipotente, sente-se completo e sereno. Os sombrios e agitados desejos que já o impulsionaram no passado não existem mais. Também tem a intenção de corrigir alguns erros do passado, começando por ressuscitar Kang e devolvendo-o para sua época, no futuro. Destino também revela que cuidou para que Galactus fosse resgatado no espaço por seu arauto, a mulher chamada Nova. Oferece aos heróis a realização de qualquer desejo, mas eles, temerosos, recusam. Pede então que partam e não o incomodem... sob a ameaça de serem exterminados.

Na saída da Torre de Destino, os heróis percebem que a Mulher Aranha não se encontra entre eles. Capitão América retorna sozinho e explica a situação para Destino. Enquanto o Garra Sônica procura pela heroína, Destino explica que tem a intenção de resgatar a alma de sua mãe do inferno regido pela entidade conhecida como Mefisto. A Mulher Aranha é encontrada, se mostra um tanto desorientada, pois diz que não sabe como adormeceu nos corredores da torre, e retorna com os heróis para a base.

Os heróis se reúnem e o Capitão América ainda se preocupa com Destino. Apesar de o vilão afirmar que mudou, o fato de restaurar suas cicatrizes e desejar resgatar sua mãe mostra que ele não está longe de tentações humanas, como disse. Isso, inclusive, mostra que Destino pode até mesmo voltar a ser o vilão ambicioso que todos conhecem, com a diferença de agora ser onipotente. Em uma votação, os heróis decidem por unanimidade, que devem confrontar Destino. No exato momento dessa decisão, um raio cai na sala de reuniões... matando a todos.

Continua?

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 288


- Marvel Super Heroes Secret Wars 10 (Fevereiro de 1985)
> Publicada no Brasil Guerras Secretas, pela Panini ("Morte ao Beyonder")

História: 

* "Death to the Beyonder" - Escrita por Jim Shooter, desenhada por Mike Zeck, artefinalizada por John Beatty

Galactus começa a devorar sua própria nave para recuperar sua energia e, após, devorar o planeta das guerras secretas. Porém, enquanto um turbilhão de energia inimaginável ilumina cegantemente os heróis, algo estranho acontece... Essa mesma energia é repentinamente desviada... até a base dos vilões.

Capitão América pede a Capitã Marvel que faça um reconhecimento do local para saber o que está acontecendo. A heroína transforma seu corpo em luz e chega rapidamente à base. O Professor Xavier estabelece um contato telepático entre a Capitã e Senhor Fantástico. Ele é capaz de ver o próprio Doutor Destino, que montou um maquinário capaz de transferir a energia gerada por Galactus para ele... tornando-o praticamente onipotente... e onisciente. Repentinamente, Destino descobre a presença da Capitã Marvel... e o contato com ela é cortado.

Os heróis precisam chegar urgentemente na base dos vilões, mas seus veículos foram avariados. Magneto utiliza seus poderes para levantar o que restou da nave dos X-Men e levar todos ao local. O mutante se gaba de seu poder e de que, talvez, o Capitão América demonstre receio diante dele. O Capitão retruca lembrando que, apesar da ajuda, não se deve esquecer-se das vezes em que tentou conquistar o mundo e de que só está entre os heróis devido a um pedido do Professor Xavier. Wolverine se incomoda com a discussão e lembra o Capitão que, apesar do herói lutar pela liberdade e justiça, os mutantes fazem o mesmo, só que sempre se preocupando em escapar do preconceito humano. Inclusive, muitos americanos defendidos pelo Capitão América tem opiniões bem extremistas em relação aos mutantes.

Chegando a base de Destino, os heróis descobrem que o vilão já partiu. Verificam que os vilões que foram presos em sua última invasão ainda estão nas celas. Capitã Marvel está congelada em uma forma de luz, parecida com um holograma. O vilão Garra Sônica está desmontado, restando apenas uma cabeça falante. Senhor Fantástico conclui que Destino criou o maquinário de absorção de energia através do corpo de som sólido do Garra.

A base de Destino, bem como todo o planeta, começa a sofrer com abalos sísmicos violentos. Garra Sônica revela que Destino partiu para o ataque contra o próprio Beyonder. Senhor Fantástico, através de um monitor, confirma a história do Garra e também encontra o corpo inerte de Galactus no espaço. Colossus se enfurece com o Tocha Humana quando revela que a curandeira Zsaji está em apuros na vila e o herói do Quarteto Fantástico simplesmente diz que não tem tempo para a "vadia". A base de Destino começa a se desmanchar em escombros.

Subitamente, Destino aparece em forma de energia e diz que o segredo das guerras secretas é vencer o inimigo... mas que o inimigo é representado pelo próprio Beyonder, que deve ser extirpado do universo. Afinal, uma criatura com tal poder poderia muito bem fazer o que imaginasse independente de uma guerra ou não. Oferece poder aos heróis presentes para derrotarem Beyonder. Magneto é quem primeiro aceita, mas olha para Xavier e vacila por um momento. Gavião Arqueiro, Homem de Ferro e Vespa o detém, enquanto Destino desaparece. Os heróis se enfurecem com a atitude de Magneto, mas o Capitão América os lembra de que, apesar disso, ele vacilou no último momento.

Enquanto a base desmorona, Capitão América se preocupa com os vilões presos e tenta libertá-los. Seu escudo, no entanto, não consegue abrir as celas. Ele é auxiliado por Wolverine que, com suas garras, consegue abrir as celas. Tocado pela atitude do Capitão, Wolverine confessa que acredita que os ideais do herói consideram mutantes. O Capitão lembra Wolverine que alguns de seus melhores amigos são mutantes (lembrando diretamente de Mercúrio e Feiticeira Escarlate).

Todos estão fora, quando a base é totalmente destruída, e vislumbram uma luz se aproximando. Ao tomar forma, ela mostra ser... Doutor Destino... em uma forma gigantesca e anunciando que Beyonder está morto. Destino reduz seu tamanho e avisa que... a guerra acabou!

Mas... Continua...

A+:

* Esta foi a última aparição de Galactus na minissérie (que já está chegando ao fim). Estranhamente, no meio da confusão, estão ausentes alguns vilões como Doutor Octopus, Homem Molecular, Titania, Vulcana e Destruidor.

* A armadura/placa peitoral utilizada por Doutor Destino quando enfrenta o Beyonder, traz um visual que condizia com seu formato na linha de bonecos da série também chamada Secret Wars.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 287




- Marvel Super Heroes Secret Wars 9 (Janeiro de 1985)
> Publicada no Brasil Guerras Secretas, pela Panini ("Ataque a Galactus")

História: 

* "Assault on Galactus" - Escrita por Jim Shooter, desenhada por Mike Zeck, artefinalizada por John Beatty

Os heróis partem da base dos vilões com urgência, pois Galactus começou o processo para devorar o planeta e os X-Men não irão aguentar por muito tempo. Gavião Arqueiro e Capitã Marvel já haviam voltado para a vila para trazer o corpo da Vespa... e dar-lhe um enterro decente. 

Dentro da nave, Homem-Aranha está descontrolado de felicidade por ter adquirido um novo uniforme e, com ele, também, suas teias de volta (o Senhor Fantástico precisou desmontar os disparadores de teia para tirar os heróis de baixo da montanha atirada pelo Homem-Molecular). E mais, seu novo uniforme lança teias quando ele pensa nisso e se adapta a seu corpo conforme seus comandos mentais. Apesar do momento descontraído do Aranha, Senhor Fantástico se preocupa com Galactus e é até pessimista quanto ao destino de todos.

Uma rajada de energia atinge a nave dos heróis, mas a queda dela é amortecida por... Colossus, x-man que estava se recuperando na vila. Capitão América se preocupa com os ferimentos do mutante, mas também porque precisará de força bruta contra o ataque a Galactus. A rajada que os atingiu é justamente do maquinário que Galactus acionou para devorar o planeta. Diante da eminente ameaça, os heróis atacam o gigante. Na subida à montanha onde Galactus está, os heróis ainda enfrentam sondas de defesa dele. Homem de Ferro é o primeiro a atingir o maquinário. É diante de algo fácil demais que o Senhor Fantástico pede que todos... parem! Não devem impedir Galactus. Quando surge esse impasse, os heróis são jogados para trás por uma onda de energia.

Reed explica que essa é a chance de livrar o universo da ameaça de Galactus. Tudo que eles têm que fazer é o deixar vencer a guerra. Se o Beyonder conceder a realização do desejo do devorador de mundos, ele estará livre de sua fome de consumir planetas. E mais... Reenergizado por devorar o planeta das Guerras Secretas, Galactus terá força para atacar até mesmo Beyonder, eventualmente forçando-o a cumprir sua promessa... ou ser destruído na tentativa. De uma forma ou de outra, o universo vence e incontáveis bilhões de seres que podem se tornar presas de Galactus... viverão em paz. Isso em troca do sacrifício de todos os heróis. E, para deixa-los mais desnorteados, Reed Richards desaparece juntamente com Galactus e todo o seu maquinário.

Os heróis se reúnem na vila, enquanto os x-men também chegam, mostrando que conseguiram sobreviver as sondas de Galactus. Para surpresa de todos, encontram a Vespa... viva! Ela, na verdade, estava em uma espécie de coma profundo e foi trazida de volta graças aos esforços da curandeira Zsaji.

Alguns heróis querem atacar Galactus, mesmo que seja na nave dele. O Coisa retruca, dizendo que devem seguir as ordens de Reed Richards e esperar. É quando o próprio Richards reaparece, dizendo que ele e Galactus conversaram. O devorador de mundos disse que Richards era uma "força do universo", exatamente como ele... e que era um "campeão universal da vida", assim como ele é um instrumento da morte. Também mostrou sua esposa, a Mulher Invisível, esperando o bebê, e seu filho, Franklin. Richards, na verdade, está confuso. E isso só aumenta a tensão entre os grupos que se dividem entre aqueles que querem e os que não querem atacar. Capitão América resolve o impasse, decidindo atacar e convocando quem o quer seguir. Ele ainda agradece os x-men... e Magneto... pela ajuda prestada até ali.

Os heróis atacam Galactus, que retorna ao topo da montanha e ataca diretamente, sem o auxílio de sondas. Hulk se enfurece e tenta um ataque mais direto, mas é rechaçado. Reed Richards decide entrar na batalha, pois quer muito ver seu filho nascer. Ele diz que Galactus pode estar enfraquecido por ter teleportado sua nave e por não se alimentar a um bom tempo. Reed, inclusive, lidera o grupo para atacar Galactus diretamente, deixando seu equipamento de lado. Mas, para seu desespero... Galactus foge. O problema é que o gigante está devorando sua própria nave... seu mundo artificial... que talvez seja a maior fonte de energia do universo. Logo em seguida, ele irá devorar o planeta das guerras secretas. Os heróis não serão capazes de detê-lo. Ele irá consumir o sol também. Vai querer cada gota de energia disponível, para o caso de ter que confrontar o Beyonder. Heróis e vilões... todos... estão condenados.

Continua...