sexta-feira, 15 de março de 2013

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 318


 - Captain America 318 (Junho de 1986)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América n° 125 ("Justiça Seja Feita")

História: 

* "Justice is Served" - Escrita por Mark Gruenwald, desenhada por Paul Neary e artefinalizada por Dennis Janke

Víbora Assassina, o vilão mudo da Irmandade da Serpente, tinha apenas que levar a desacordada Princesa Pithon para seus antigos colegas do Circo do Crime. Mas, no meio do caminho, sua nave foi atingida e cai. Sem entender o que aconteceu, ele se vê em uma situação embaraçosa, uma vez que a nave explode e ele não pode usar o código Morse. E, por ser mudo, obviamente não pode usar uma comunicação como um fone, por exemplo.

Saindo para a rua, perto de onde sua nave caiu, o vilão aborda e invade um táxi. O que ele não esperava era que o falastrão motorista furtivamente sacasse uma arma e atirasse no banco do passageiro... matando o Víbora. O táxi é abandonado e dentro dele, além do corpo do vilão, está uma máscara de borracha, com as feições do motorista. Um homem se afasta calmamente e diz: "a justiça foi feita".

Após a mudança de Bernie, Steve Rogers também decide se mudar, voltando a morar na Mansão dos Vingadores. Morar em termos. Na verdade, apenas suas coisas estão na Mansão. Com o auxílio dos técnicos do Pantera Negra, o Capitão América agora tem um furgão com toda a tecnologia e recursos para sair pelo país, sempre alerta para o chamado de americanos que necessitem de sua ajuda. Ele garante para a Vespa que sempre voltará aos sábados para as reuniões dos Vingadores.

Em um bar afastado, onde se reúnem apenas supervilões, o assunto não é outro senão a série de assassinatos seriais, vitimando sempre vilões diversos.

Na estrada, Steve presencia uma perseguição policial a alguém que anda em alta velocidade. Coincidentemente, ao descansar em uma parada, Steve reconhece o vilão Raio Azul, um operativo renegado da SHIELD, dotado de patins movidos por alta velocidade... trata-se do alvo da polícia. O vilão foge quando Steve veste o uniforme de Capitão América. O herói parte ao seu encalço com a moto que traz dentro de seu furgão.

Após uma longa perseguição, Raio Azul consegue despistar o Capitão jogando parte de seu uniforme em um precipício, fazendo com que o herói pense que ele está morto. O vilão tenta roubar a moto do herói, enquanto isso, mas percebe que seu inimigo levou as chaves. Raio Azul prefere que o Capitão pense que ele está morto e pega carona com o primeiro caminhão que passa pelo local. Dentro da cabine do caminhão ouve-se um disparo. O motorista diz: "A justiça foi feita". Raio Azul está morto.
 

SALA DE PERIGO

Quer ter esta história em sua coleção? Visite a Sala de Perigo, a loja oficial do blog Âmago, e adquira agora o exemplar nacional onde ela foi publicada. Para ir ao anúncio desta revista, acesse o link abaixo:


Capitão América 125 

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá

“Após a mudança de Bernie, Steve Rogers também decide se mudar, voltando a morar na Mansão dos Vingadores. Morar em termos.” Já entendi q Mark não se importa com o Steve e só quer colocar mais ação nas estórias do Capitão América, mas precisa mesmo regredir dessa forma?
Além de escrever Mark G, continuava a ser o editor? (E deveriam ter mantido Mike Carlin como escritor.)

“Com o auxílio dos técnicos do Pantera Negra, o Capitão América agora tem um furgão com toda a tecnologia e recursos para sair pelo país, sempre alerta para o chamado de americanos que necessitem de sua ajuda. Ele garante para a Vespa que sempre voltará aos sábados para as reuniões dos Vingadores.” Quero SUA opinião, o q vc achou disso??
O Steve q já viajou de moto pelos Estados Unidos, agora vai de furgão?!!!! Nada cool. (se bem q ele ta levando a moto junto....)
Ao menos é legal ele não ficar só em NY.

“Em um bar afastado, onde se reúnem apenas supervilões, o assunto não é outro senão a série de assassinatos seriais, vitimando sempre vilões diversos.” ISSO sim é uma excelente idéia, talvez o Mark ainda tenha salvação. Veremos.

“O vilão tenta roubar a moto do herói, enquanto isso, mas percebe que seu inimigo levou as chaves.” Q espécie de vilão não sabe fazer ligação direta? Teria salvado a vida dele.

Beijos
Jovie

Marcos Dark disse...

Eu até entendi que a intenção de Gruenwald, que também já foi editor, era ambientar as histórias do Capitão em cidades mais desconhecidas dos Estados Unidos. Leve em conta que quase todos os heróis estavam nas imediações do Nova York. Foi por isso, por exemplo, que foi criada a revista Vingadores da Costa Oeste, que fez muito sucesso na época.

Mike Carlin, em uma inversão de cargos, se tornou o editor da revista. Já Gruenwald, quando deixou de escrever o Capitão (apesar de uma longa carreira na revista), só o fez porque... faleceu.