sexta-feira, 30 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 219

 - The Incredible Hulk nº 232 (Fevereiro de 1979)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 48, pela Editora Abril ("A Derrota Final")


História:

* "The Battle Below" - Escrita por David Michelinie e Roger Stern, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Mike Esposito

Hulk, Capitão América e Quasar estão no meio de uma guerra entre as facções da organização criminosa Corporação, nos subterrâneos da prisão de Alcatraz. Como centro das negociações, o jovem Jim Wilson, sobrinho do herói Falcão (que foi sequestrado pelos criminosos), que já pertenceu ao grupo e agora é um dos poucos capaz de acalmar e controlar o Hulk.

A vilã Rocha Lunar, assecla de um dos líderes da Corporação, acerta o Capitão América, lançando-o na água. O local tem a aparência de um estaleiro. Hulk enfrenta a criatura conhecida como Animus, que anteriormente era a agente Vamp. Animus, com poderes telecinéticos, contém Hulk em uma carapaça feita de rochas.

Capitão América aproveita a distração, quando os vilões pensam que ele se afogou, e nada até onde o Falcão está acorrentado, libertando-o. Os heróis revidam e Rocha Lunar aproveita a confusão para fugir. Só que a fenda que seus raios abrem nas paredes fazem com que a água do mar inunde ainda mais o local. Hulk escapa da prisão de pedra e destrói a clava de cristal carregada por Animus, fazendo-o retornar a forma de Vamp. O choque, no entanto, faz com que a vilã fique catatônica.

Kligger, um dos líderes da Corporação, decide se unir a Curtis Jackson, seu rival, para revidarem. Jackson, em sua cabine, aproveita para metralhar Kligger, matando-o. Jackson aproveita para fugir, com sua cabine se transformando em um veículo subterrâneo. O Hulk, enfurecido, persegue-o e some nas profundezas atrás do criminoso.

Capitão América olha para o corpo de Kligger e se entristece por ver um político americano (ele era senador) envolvido com o crime. Anteriormente, essa realidade o chocou a ponto dele desistir de ser o Capitão América. E, hoje, novamente, se depara com essa situação. Só que, desta vez, entende que é algo que irá ver novamente... e que o mundo precisa dele para amenizar esse mal.
A+:

* O jovem delinquente Jim wilson era um personagem coadjuvante corriqueiro nas aventuras do Hulk da década de 70. Mas apenas nessa saga é que foi revelado que ele também é sobrinho do Falcão (Sam Wilson)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 218

 - Captain America nº 230 (Fevereiro de 1979)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 48, pela Editora Abril ("A Ilha do Diabo")


História:

* "Assault On Alcatraz" - Escrita por Roger Mckenzie e Roger Stern, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Don Perlin

Capitão América, Quasar e Vamp seguem para Alcatraz no intuito de libertar o Falcão. Ao mesmo tempo, em uma estrada, os agentes da Corporação estão sequestrando um ilustre viajante: Bruce Banner, também conhecido em seus momentos de fúria como... o Hulk.

O trio de heróis invadem os subterrâneos da ilha de Alcatraz e encontram o Falcão, desmaiado e acorrentado nas comportas de uma espécie de estaleiro. Um dos líderes da Corporação, protegido em uma cabine logo acima, explica que o Falcão é uma espécie de isca para capturar seu sobrinho, Jim Wilson, que já foi um associado da organização, um trombadinha que fazia serviços menores para o grupo.

Kligger, outro líder da Corporação, responsável pelos ataques ao Capitão América e que, secretamente, é um senador americano, também aparece no local, acompanhado da vilã Rocha Lunar, também mostrando interesse no garoto. Mas a intenção dele é outra. Jim se tornou amigo do Hulk e, por isso, é capaz de controlá-lo. Por esse motivo, capturaram e doparam Banner, para usar o Hulk a favor da Corporação.

Diante da negociação entre os dois líderes, Vamp se mostra uma traidora, também trabalhando para o grupo. Capitão e Quasar estão praticamente sozinhos. Em meio a batalha dos heróis contra os agentes da Corporação, Banner acorda e se transforma no Hulk. Diante dessa desvantagem, mesmo com os raios de Rocha Lunar a favor dos criminosos, Vamp insiste a Kligger que libere seu poder. Concordando, surpreende a todos quando a traidora se transforma... em Animus.

O primeiro líder da Corporação, por trás de sua cabine, decide abrir as comportas logo abaixo, fazendo com que a água do mar comece a inundar o local.

Continua...
A+:

* Canabis pode segurar até o Hulk. Não fica implícito mas a cena chega a ser cômica. Hulk dentro de um veículo com um motorista que (nervoso, talvez) não pára de fumar. A fumaça do cigarro atinge o Hulk que diz se sentir sonolento... sonolento... até voltar a ser Bruce Banner. Éééééééé... E pensar que o General Ross utilizava toda a força militar para capturar o Hulk...

* A vilã Rocha Lunar já foi vista antes nas histórias do Capitão América, mas não com esse nome. Karla Sofen era a assistente do Doutor Faustus, quando este reuniu a nata do crime em um avião no qual Steve Rogers embarcou. Saiba mais acessando: http://quadrinhosdarkmarcos.blogspot.com.br/2012/11/o-diario-de-steve-rogers-parte-194.html

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 217

 - Captain America nº 229 (Janeiro de 1979)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 47, pela Editora Abril ("O Veneno da Traição")


História:

* "Traitors All About Me" - Escrita por Roger Mckenzie, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Don Perlin

Capitão América consegue escapar dos escombros da destruição ocorrida na base da SHIELD, que eliminou o local por considerá-la vulnerável. Carregando o vilão Constritor, que está desacordado, interroga-o a respeito da organização criminosa Corporação (que o contratou para matar o herói) e sobre o desaparecimento do seu parceiro, Falcão. Descobre que terá de seguir para Los Angeles, onde os novos superagentes da SHIELD estão treinando.

O herói passa por uma situação difícil, quando volta a seu apartamento e, só lá, lembra-se da destruição causada por um fusca, controlado pelo vilão Animus. Pior, o mesmo vilão atacou um trem onde ele estava viajando e também, só agora, se lembra que seus cartões estavam nos destroços. Com isso, é obrigado a ir até a Mansão dos Vingadores pedir... dinheiro para ir para Los Angeles. Quem acaba lhe emprestando algum é o fiel mordomo Jarvis.

Capitão América invade a base dos superagentes e os confronta no intuito de descobrir quem é o traidor. Blefando, descobre que Raio Azul trabalha para a Corporação. Furiosa, a agente Vamp, que absorveu a força do Capitão América, graça a seu cinto especial, espanca Raio Azul quase até a morte, sendo impedida pelo próprio Capitão América. Ainda ferido, Raio Azul confessa que a Corporação está mantendo o Falcão na prisão de Alcatraz.

Continua...
A+:

* Na edição brasileira, Steve Rogers viaja ao lado de um garotinho que está encantado com uma revista em quadrinhos. O motivo é que a história é desenhada por Frank Miller e a revista é a do Demolidor. O garotinho pergunta a Steve qual o seu herói favorito. Balbuciando, ele responde... Capitão América. Ironicamente, o garoto diz que se trata de um herói muito velho. Essa cena foi alterada de forma a divulgar as aventuras do Demolidor publicadas pela própria Editora Abril na época, na fase em que o herói era desenhado por Frank Miller. No original, o garotinho se refere ao mesmo Demolidor, porém na fase desenhada por Gene Colan.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 216

 - Captain America nº 228 (Dezembro de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 47, pela Editora Abril ("Com Os Minutos Marcados")


História:

* "A Serpent Lurks Below" - Escrita por Roger Mckenzie, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Mike Esposito e John Tartaglione

Na Mansão dos Vingadores, o Capitão América desabafa com o Homem de Ferro sobre a melancolia que lhe abate por não ter uma vida social como Steve Rogers. Afinal, quem é o Capitão América quando não o herói não é necessário? Percebe que até mesmo outros vingadores se ocupam com suas vidas pessoais, como pode ver em Hércules e Thor, simplesmente disputando braço de ferro ou mesmo o Fera, que passa apressadamente para ir se encontrar com uma garota.

Da sacada da Mansão, onde o Homem de Ferro tenta alegrar o amigo lembrando-o do quanto representa para o mundo a sua volta (na verdade tenta dizer que deve parar de sentir pena de si mesmo), o herói pode ver duas crianças brincando logo abaixo, uma delas, com uma tampa de lata de lixo nas mãos, fingindo ser o próprio Capitão América. Mas o momento reflexivo acaba quando percebe que a criança irá ser atropelada por um caminhão. Ele salta para a rua e consegue salvá-la e, depois de um leve sermão sobre segurança no trânsito, recebe uma saraivada de perguntas das crianças.

Um de seus fãs lembra do Falcão. De fato, faz um bom tempo que o Capitão não vê seu parceiro. Por isso vai até a barbearia que é uma das bases da SHIELD, mas a encontra deserta. Um dos agentes, comunicando-se por um visor, alerta o herói que aquela base se tornou obsoleta e irá ser destruída em alguns minutos (na verdade, a parte subterrânea a barbearia). Descobre que mesmo os novos superagentes que o Falcão treinava não sabem de seu paradeiro. O máximo que sabem é que ele partiu para salvar alguém chamado Jim.

Quando está para sair da base, Capitão América é atacado pelo vilão Constritor, enviado pela organização criminosa conhecida como Corporação. O vilão veste um uniforme especial que contem cabos de adamantium em suas mãos e, além de resistentes, são capazes de eletrocutar a vítima. Durante a luta com Constritor, é revelado que há um traidor entre os novos superagentes. Assim que derrota o vilão, a base subterrânea, destruída por explosivos, desaba sobre a dupla.

Continua...
A+

* Aqui é o fim da barbearia que servia de fachada para a SHIELD. Local que se tornou icônico nas aventuras do Capitão América.

* O vilão Constritor surgiu nas histórias do Hulk, herói que também estava passando por problemas com a organização Corporação. Era um agente da SHIELD que se infiltrou na corporação fantasiado como supervilão. Mas, devido a um colapso nervisi, o agente passou realmente a agir como vilão e, pior ainda, trabalhando para a Corporação, desertando a SHIELD.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 215

 - Captain America nº 227 (Novembro de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 45, pela Editora Abril ("Desafio Mortal")


História:

* "The Deadly Gauntlet" - Escrita por Roger Mckenzie, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Mike Esposito


Dentro do porta-aviões aéreo da SHIELD, Capitão América tenta sobreviver em meio a uma tripulação inteira de caveiras vermelhas. A armadilha do vilão, que comanda essa transformação, está em uma enorme lente que irá refletir os raios do sol, assim que o dia amanhecer, incinerando o corpo de Nick Fury.

Após passar por inúmeros obstáculos, o herói entra em uma sala onde, aparentemente, o verdadeiro Caveira Vermelha o aguarda. Capitão atira seu escudo, mas este é preso por uma espécie de barreira magnética. A decisão agora é salvar Nick Fury, que pede socorro ao herói, ou deter o avanço do Caveira. A situação lembra o herói de quando ele perdeu seu parceiro, Bucky, na Segunda Guerra.

O herói decide deter o Caveira, destruindo o controle de seu satélite. O "verdadeiro" Caveira Vermelha começa a sofrer um transformação, voltando a ser... Nick Fury. Após a derrota, o herói revela que escolheu enfrentar o falso Caveira, pois o Nick Fury que estava preso, na verdade um andróide, implorava por socorro, algo que o verdadeiro jamais faria.
A+:
* Na versão original, a decisão do Capitão América deveu-se ao fato dele se atentar que o falso Nick Fury não estava sequer suando.

* Primeira tentativa do Caveira Vermelha no sentido de destruir o que o Capitão América representa e não simplesmente matá-lo. Com isso, a batalha entre os dois antagonistas se tornava mais ideológica do que física.

domingo, 25 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 214

 - Captain America nº 226 (Outubro de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 45, pela Editora Abril ("Eu Ainda Sou o Capitão América?")


História:

* "Am I Still Captain America?" - Escrita por Roger Mckenzie, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Mike Esposito

Apesar de ter perdido seus poderes, o Capitão América insiste em provar que sua determinação de herói está acima da capacidade que o soro do supersoldado possa lhe ter dado (e que agora não tem mais efeito). Mesmo aparentemente franzino, enfrenta um enorme robô na sala de treinamento da SHIELD, para protesto e desespero de Nick Fury.

Quando vai desativar a sala de treinamento, Fury vê um dos seus agentes ser transformado... em Caveira Vermelha! O vilão atinge o painel de controle, descontrolando ainda mais o robô que luta contra o Capitão. Para piorar, o próprio sistema de segurança do robô o faz destruir a comunicação e controles de dentro da sala.

Um satélite em forma de caveira continua disparando raios contra a base da SHIELD transformando todos os seus agentes em novos Caveiras Vermelhas. Até mesmo Dum Dum, o mais fiel operativo de Fury, é transformado. Surpreso, o coronel é derrotado pelos vilões.

O robô da sala de treinamento tenta eletrocutar o Capitão América. Porém, o choque reativa o soro do supersoldado em seu sangue e ele volta a ter sua força e agilidade sobrehumana. O herói destrói o robô mas agora tem que enfrentar um exército de Caveiras Vermelhas e tentar salvar um desacordado Nick Fury das mãos dos vilões.

Continua...

sábado, 24 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 213

 - Captain America nº 225 (Setembro de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 44, pela Editora Abril ("Devastação")


História:

* "Devastation" - Escrita por Steve Gerber, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Mike Esposito

Nick Fury resgata Capitão América do local do acidente com o trem (onde o herói enfrentou a criatura conhecida como Animus) e o leva para uma das bases da SHIELD. Lá, o coronel se espanta com a idéia do Capitão em pedir ajuda ao psicólogo Mason Harding (criador da Bomba de Pavor) para desbloquear suas memórias e para que ele possa descobrir a verdade sobre seu passado.

Ainda na base da SHIELD, o agente Dum Dum Dugan mostra o arquivo sobre a garota que, aparentemente, tem ajudado o herói, Veda. Descobre que ela realmente é filha da Agente R, que esteve presente no laboratório onde o herói ganhou sua força sobre-humana. Mas se espanta com a deformidade em seu rosto, detalhe que Veda não lhe contou.

Enquanto isso, a Corporação, grupo criminoso para quem Veda trabalha, a recebe apenas para matá-la, transformando-a em um monte de cinzas.

Sob a supervisão de Nick Fury, Harding aceita o pedido do Capitão e o conecta em seu dispositivo experimental de desbloqueio mental. Anteriormente, o talentoso cientista tentou fazer o mesmo através de hipnose, mas o treinamento militar do herói criou barreiras contra essa técnica.

O experimento tem sucesso e o Capitão América se recorda de seu passado... sua infância onde era considerado muito franzino e passivo... em comparação a seu irmão Mike, que acabou morrendo ao servir em Pearl Harbor. Porém, ao fim da lembranças, um efeito colateral se abate sobre o herói. O choque do maquinário e seus traumas do passado parecem ter anulado o soro do supersoldado do seu corpo... e ele volta a ser o franzino Steve Rogers.

Continua...
A+:

* Aqui temos uma tentativa de enriquecer a mitologia do personagem, mostrando fatos de seu passado até então desconhecidos. No entanto, essa fase nunca foi explorada ou sequer considerada, deixando vários pontos sem explicação ou mesmo com informações conflitantes tanto com o passado do personagem quanto em suas histórias futuras. Para todo efeito, a confusão mental devido ao trauma do congelamento do Capitão nos anos 40 parecem ter gerado lembranças que podem não ter acontecido.

A história de Steve Rogers antes de se tornar o Capitão América é uma das menos exploradas nos quadrinhos, sendo que a maior parte dos fatos desse período foram respondidas em sessões de correspondências com os leitores, em sua própria revista.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 212

 - Marvel Two-In-One nº 43 (Setembro de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 63, pela Editora Abril ("A Seita do Cubo Cósmico - parte 2")


História:

* "The Day the World Winds Down" - Escrita por Ralph Macchio, desenhada por John Byrne

Capitão América e Coisa rastrearam e encontraram o Cubo Cósmico, roubado pelo vilão Victorious para que o culto da Entropia invocasse o Homem-Entrópico. O próprio Victorious, explicando sua origem, mostra uma certa ligação com o Capitão. Afinal, ele foi um cientista que tentou duplicar o soro do supersoldado para a SHIELD. Expulso da agência, traiu o governo e continuou seus experimentos juntamente com os terroristas da IMA. Um acidente na elaboração do soro fez com que seu laboratório explodisse, porém, ele sobreviveu graças a absorção do mesmo e ainda teve sua força aumentada.

O Homem-Entrópico, já conjurado, tem poder suficiente para destruir a humanidade. Enquanto a entidade se concentra, Coisa e Capitão América lutam contra Victorious, que mostra ter força suficiente para derrotar o próprio Capitão. Mas, sem que percebam, um outro espectador é atraído pelo brilho do Cubo. Trata-se da criatura de lodo conhecida como Homem-Coisa (sei que é muita "coisa" pra uma história só, mas trata-se de um personagem distinto do herói do Quarteto Fantástico). Enquanto a criatura se aproxima, o Homem-Entrópico hipnotiza o Capitão América e o convence a se entregar.

O Coisa, para salvar o Capitão, se atira dentro do Homem-Entrópico e o resultado é que ele volta a sua forma humana. Porém, isso se torna uma vantagem para Vitorious, que o ataca nessa forma mais frágil. O Homem-Entrópico julga que a humanidade ainda não está preparada para recebê-lo. Dessa forma, sua atenção se volta para Victorious, que está tentando retirar o Cubo das mãos do Homem-Coisa. Quando o Homem-Entrópico o toca, Victorious sente medo... e tudo aquilo que tem medo, queima ao toque do Homem-Coisa. Isso, mais o fato do Cubo estar no meio da ação, causa uma enorme explosão que parece destruir o corpo lamacento do Homem-Coisa e transforma os vilões em uma espécie de cristal.

Capitão e Coisa recuperam o Cubo e retornam ao Projeto Pegasus. Perto dali, o Homem-Coisa reconstitui seu corpo e se aproxima do cristal. Sua mão, ao tocá-lo se torna humana. Não compreendendo que seria sua chance de voltar a ser o homem que foi no passado, a criatura se afasta.

A+:

* A arte-final dessa história foi feita por vários artistas, provavelmente com o intuito de entregá-la a tempo de ser publicada no prazo (mesmo porque, por se tratar de um continuação, não podia ser substituída). Seria uma prova da presença do editor mão de ferro Jim Shooter?

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 211

 - Marvel Two-In-One nº 42 (Agosto de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 63, pela Editora Abril ("A Seita do Cubo Cósmico")

História:

* "Entropy, Entropy" - Escrita por Ralph Macchio, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Alfredo Alcala e Sam Grainger

O alienígena com mente de criança Wundarr havia sido levado por Namorita (prima do Príncipe Submarino) para o Projeto Pegasus, onde seus poderes estão sendo estudados. Desconfiado de que o "garoto" está sendo torturado, o Coisa, integrante do Quarteto Fantástico, invade o local a procura de resposta (o herói era uma espécie de mentor de Wundarr, antes deste ser levado). Capitão América está no local e ajuda a acalmar o Coisa, mostrando que os cientistas apenas querem direcionar os poderes de Wundarr para estudar as capacidades de um Cubo Cósmico (a arma criada pelo Caveira Vermelha para alterar a realidade).

O próprio Wundarr parece nervoso e nem os seguranças do projeto são capazes de deter sua força. O Coisa, já mais calmo, consegue convencê-lo de que o experimento será indolor. Porém, o vilão Victorius, líder do Culto da Entropia, está infiltrado no local e distrai os heróis, desferindo uma grande quantidade de energia em Wundarr. Com isso, tem tempo de fugir com o Cubo Cósmico.

Victorius segue para os pântanos da Flórida, onde seus seguidores o esperam para que conjure a entidade conhecida como Homem Entrópico. Quando o Coisa e o Capitão América chegam ao local, os cultistas, agora com o Cubo Cósmico, já conseguiram invocar a poderosa entidade.

Continua...

A+:

* O Projeto Pegasus (que aparece, pela primeira vez, nesta história), apesar de parecer um centro de pesquisa, traz uma realidade um tanto quanto assustadora e pouco esclarecida nas histórias da Marvel. Serviu, mais tarde, como uma espécie de prisão para vilões superpoderosos mas, além disso, explorava e estudava a energia deles... praticamente uma espécie de campo de concentração de vilões, onde era praticado todo tipo de experimento neles. Aqui, os laboratórios do Pegasus estão em Nova York. Atualmente, por motivos (óbvios) de segurança, o projeto está situado no meio do deserto, no estado de Wyoming, fortemente protegido por oficiais militares.

* O Cubo Cósmico foi levado ao Projeto Pegasus após a derrota o vilão Thanos, que o manipulava anteriormente.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 210

 - Captain America 224 (Agosto de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 33, pela Editora Abril ("Os Perigos de Sábado à Noite")


História:

* "Saturday Night Furor" - Escrita por Peter B. Gillis, desenhada por Mike Zeck, artefinalizada por Mike Esposito

Um casal, correndo a beira do rio Hudson, encontra o Capitão América, inconsciente, flutuando na água. Quando o herói acorda na residência do casal, que o socorreu, descobre que não é seu próprio rosto por trás da máscara! E mais, não se lembra do que aconteceu recentemente.

Retornando a Mansão dos Vingadores (pois sequer consegue lembrar o número do telefone), esconde o estranho rosto dos companheiros de equipe mas, quando descobrem o que lhe aconteceu, o crédito em ser o verdadeiro herói só se deve a legitimidade do escudo e até mesmo a forma como o agarra em pleno ar (algo que só o verdadeiro Capitão América faria). Recebe a ajuda do Homem de Ferro, que mostra que seu "rosto falso" é uma máscara de pele sintética. Perguntando sobre a última vez que foi visto, Vespa lhe diz que participaram de um encontro social, onde o Capitão conheceu Al Avision. Mas o herói não se lembra de ninguém com esse nome. Continuando a investigar sobre o mistério, descobre que foi envenenado (o veneno só não foi eficiente devido a reação com o soro do supersoldado em seu sangue). E, ao pesquisar as últimas ligações na Mansão, pode ter encontrado a resposta.

A resposta está em uma missão onde, juntamente com um amigo militar, tentavam desbaratar um esquema de contrabando de uma bomba de nêutrons. Disfarçados para não serem reconhecidos (daí o motivo da máscara de pele sintética), acabam entrando em confronto com os contrabandistas, quando o Capitão foi desacordado e envenenado pelo Tarântula (que era líder da operação, juntamente com o vilão Senhor Sorte) e jogado desacordado no rio.

Ao voltar a interceptar os contrabandistas, Capitão América descobre que seu amigo de missão foi torturado e morto. Enfurecido, derrota os vilões e o exército chega em seguida para desarmar a bomba.

A+:

* Essa história serve como interlúdio dos acontecimentos recentes na revista do Capitão América.

* Curiosa combinação de vilões em uma trama de espionagem e terrorismo. Afinal, Tarântula e Senhor Sorte (inimigo do herói Luke Cage) são latino-americanos. Em tempos de guerra fria, seria esse algum recado?

* Apesar do Capitão América ter sido envenenado pelo veneno de uma tarântula (graça ao vilão de mesmo nome), essa aranha não é venenosa. Essa má fama se deve a seu aspecto corpulento e um tanto assustador. Para se ter uma idéia de sua passividade, é a espécie de aranha mais criada em cativeiro. No Brasil, também é conhecida como caranguejeira.

* A versão brasileira da história apresenta uma espécie de resumo do que se trata uma bomba de nêutrons, dita pelo próprio Capitão América. Segundo suas palavras: "...não sei se poderei repousar, sabendo que acabo de salvar a pior arma já inventada pelo homem... algo capaz de matar os seres vivos, deixando intactas as construções." De fato, a bomba é uma variação avançada da bomba nuclear, que é capaz de matar apenas organismos, deixando, por exemplo, edifícios inteiros. Uma vantagem estratégica militar.

Curiosamente, essa explicação foi dada apenas na tradução da edição brasileira. No original, sequer é citado "bomba de neutrons", optando-se por fazer referência a Bomba de Pavor, da fase escrita e desenhada por Jack Kirby. Fez-se assim, uma espécie de alerta sobre os perigos de armamento nuclear.

* O personagem coadjuvante Al Avision, que depois se revela o contato militar do Capitão América, é uma homenagem ao desenhista Al Avison, que produziu as primeiras histórias do Capitão América nos anos 40.

* O título da história faz referência ao filme Os Embalos de Sábado à Noite, dirigido por John Badham, em 1977, e que catapultou a carreira do ator John Travolta, em uma história mostrada no universo da música disco, que era de grande sucesso nessa época.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 209

 - Captain America 223 (Julho de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 43, pela Editora Abril ("O Enigma de Um Passado - Parte 3")


História:

* "Call Me Animus" - Escrita por Steve Gerber, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Mike Esposito

Capitão América luta contra Animus, uma criatura que aparenta ser um homem primitivo com um enorme crânio e poderes telecinéticos. O herói consegue ludibriar o monstro, mas este desaparece em pleno ar quando vai ser derrotado.

O herói ainda está confuso sobre as descobertas de seu passado. Em seu apartamento, encontra rastreadores em seu escudo. Culpa Nick Fury e a SHIELD por o estarem perseguindo, no entanto pede ajuda do coronel para descobrir mais sobre a garota chamada Veda. Após um cochilo, um sonho pode ter lhe dado uma pista. Na verdade, a busca por seu passado o leva a sonhar com o tempo em que estudava e estava escrevendo em um caderno sobre Carl Jung, que afirmava que "animus é a parcela masculina da alma da mulher."

Steve janta com Veda e lhe diz que está voltando para Nova York de trem. A garota, uma espiã da Corporação, passa essa informação a seus superiores.

Animus ataca o trem onde Steve está viajando, ferindo vários passageiros, o que deixa o herói furioso. Ao lutar novamente com a criatura, descobre que ela não pode usar sua força física e mobilidade ao mesmo tempo em que emprega a telecinésia (nesse momento, Animus controla o escudo do Capitão contra ele mesmo). Mas, quando está quase derrotando-o... Animus desaparece novamente.

A+:

* O escritor Steve Gerber, apesar de ter as idéias mais bizarras dos quadrinhos, também é versátil. Prova disso é a citação e a criação do vilão baseado nos estudos do psiquiatra suíço Carl Jung, amigo (e, de certa forma, rival) de Sigmund Freud.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 208

 - Captain America and the Falcon 222 (Junho de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 43, pela Editora Abril ("O Enigma de Um Passado - Parte 2")


História:

* "Monumental Menace" - Escrita por Steve Gerber, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Mike Esposito

Após ter seu apartamento invadido e ser atacado por um fusca (absurdo? E eu nem disse que o apartamento ficava no terceiro andar...), Capitão América tenta encontrar Veda na Mansão dos Vingadores, mas ela parece ter saído. Também contata Nick Fury e descobre que o Falcão não está. Ao que tudo indica, tudo está sendo arquitetado pela organização Corporação. Sem que o herói saiba, sua idosa vizinha é Veda, que faz parte da Corporação, disfarçada e, provavelmente, orquestrando o ataque.

Investigando sobre o seu passado, o herói se vê sozinho e é atacado por uma monstruosa criatura.

Continua...

A+:

* O texto utilizado no Brasil, pela Editora Abril, para uma cena dessa história... é "primoroso". Principalmente por não ser uma versão tão literalmente traduzida do original. Trata-se da cena em que um fusca invade o apartamento do Capitão (a idéia e a cena, por si só já dizem tudo). O texto narrativo diz "Embora pareça absurdo, tente imaginar-se morando no terceiro andar de um pequeno edifício... e, de repente, seu apartamento ser invadido por um Volkswagen 1600, tentando, a todo custo, atropelá-lo! Agora, responda, isso não seria suficiente para enlouquecer qualquer pessoa?". Bem... apesar do original não ser exatamente igual (como citar um modelo 1600, por exemplo), de fato, dá idéia do absurdo da cena.

* Outra peculiaridade da tradução/adaptação: ao pedir para utilizar o telefone (residencial) de uma senhora, o herói recebe um alerta para que seja breve, pois cada quatro minutos conta um impulso. Essa medida, obviamente, era utilizada para cobrança da tarifa de telefonia fixa no Brasil.

* Agora uma adaptação do roteiro. Enquanto no original, o herói é atacado pela conhecida estátua de Abraham Lincoln (cena absurda, porém, simbólica), a edição brasileira optou por "cortar" essa cena e transformá-la no ataque do vilão dessa saga: Animus. Essa prática era comum nas adaptações brasileiras, inclusive montando quadros em disposição diferente do original, praticamente dando uma nova versão da mesma história.

* Situações bizarras eram especialidade do escritor Steve Gerber, responsável por esta aventura. É de sua autoria, por exemplo, a criação do personagem Howard, o Pato, uma espécie de herói coadjuvante com um visual ao estilo Disney, e que era um pato alienígena, porém dentro do universo Marvel

* Investigando sobre seu passado, Steve Rogers descobre que seu nome completo é Steven Grant Rogers.

* Primeira história no qual o pôlemico editor Jim Shooter comanda o título.

* Última edição onde a revista é chamada de Captain America and the Falcon. Como a parceria entre os dois heróis parece ter terminado, o título agora passa a se chamar apenas Captain America.


domingo, 18 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 207

 - Captain America and the Falcon 218 (Fevereiro de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 43, pela Editora Abril ("O Enigma de Um Passado - parte 2")

História:

* "One Day in Newfoundland" - Escrita por Don Glut, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Mike Esposito

Capitão América leva Veda para a Mansão dos Vingadores (sem saber que, na verdade, ela trabalha para a organização criminosa conhecida como Corporação). Através de uma foto, Steve fica reconhece a mãe de Veda, conhecida como Agente R. No passado, a Agente R recepcionou o jovem Steve Rogers na base onde ele foi "transformado" em Capitão América. Vendo a foto, o herói se lembra desse fato.

Sharon Carter, ainda desiludida, visita a base da SHIELD onde tem a oportunidade de conversar com o Falcão. O parceiro do Capitão, que está treinando os novos agentes da SHIELD, tenta confortá-la confirmando que o amor da vida de seu amigo é ela.

Continua...

A+:

* Quando publicada pela Editora Abril, pouco se mostrou desta edição, utilizando-se apenas três páginas da mesma. Um dos detalhes que acabaram não aparecendo é que a superforça do Capitão América, ocasionada pelo veneno do vilão Víbora em contato com o soro do supersoldado, não mais existe. O herói ainda tinha uma força acima do normal, mas não a superforça mostrada anteriormente.
 

sábado, 17 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 206

 - Captain America and the Falcon 217 (Janeiro de 1978)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 43, pela Editora Abril ("O Enigma de Um Passado - parte 1")


História:

* "The Search for Steve Rogers" - Escrita por Don Glut e Roy Thomas, desenhada por John Buscema, artefinalizada por Pablo Marcos

Nick Fury designa Capitão América para treinar um novo grupo de superagentes. No entanto, o herói indica o Falcão para tarefa, decisão que é aprovada por Fury.

O recrutamento de novos e poderoso agentes se deve a caçada que a SHIELD estabeleceu contra o grupo conhecido como Corporação. O grupo é formado por Raio Azul, que utiliza patins superimpulsionados; Vamp, que utiliza um cinto que rouba a força de seus oponentes; Tornado, capaz de produzir ventos que se assemelham a um furacão; e Quasar, dotado de braceletes que disparam energia.

Ao sair da base da SHIELD, Capitão é monitorado por agentes da Corporação, um casal chamado aqui de Kligger e Veda. Esta última aborda o herói dizendo que tem revelações sobre o seu passado. Emocionada, Veda beija Steve Rogers (pois ela diz saber que essa é a identidade do herói). A cena é vista, de longe, por Sharon Carter, que havia marcado um encontro com Steve e deixa o local furiosa.

Continua...

A+:

* Nessa história, o Falcão deixa um pouco da parceria com o Capitão de lado para treinar os novos agentes da SHIELD. Continuaria, no entanto, a aparecer no título, mesmo que de forma menos regular do que anteriormente. Em contrapartida, um ilustre coadjuvante, que andou sumido por um tempo, reaparece. Trata-se de Asa Vermelha, o mascote do Falcão.

* Um dos novos agentes da SHIELD é Wendell Vaughn, codinome Marvel Boy (baseado no personagem que lutou nos anos 50, de mesmo nome). O personagem tornaria-se, no futuro, o herói conhecido como Quasar. Curiosamente, na edição brasileira, Vaughn já aparece com o nome de Quasar. Seus "poderes" na verdade vem de braceletes criados pelas Indústrias Stark.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 205

 - Marvel Team-Up 52 (Dezembro de 1976)
> Publicada no Brasil na revista Superalmanaque do Aranha nº 4. pela Rio Gráfica Editora - RGE ("Perigo... Um Demônio Em Ação")


História:

* "Danger: Demon On A Rampage" - Escrita por Gerry Conway, desenhada por Sal Buscema, artefinalizada por Mike Esposito

Ao fazer sua ronda pela cidade, o Homem-Aranha vê um portal abrir em pleno ar e, de dentro dele, surgir uma criatura parecida com um demônio. Ele tenta detê-la, uma vez que começa a destruir tudo a volta, mas o monstro parece ter imensa força. Do mesmo portal surgem Falcão, Leila, Texas Jack, várias pessoas que aparentam estar confusas... e o Capitão América. As pessoas que acompanham os heróis pelo portal são os internos de um hospício que foi enviado para outra dimensão por um deles, que tinha conhecimentos de física. Eram também conhecidos como Fantasmas da Noite. Falcão, que havia sido lobotomizado pelos Fantasmas, ainda reage violentamente, necessitando que o Capitão América o golpeie para desacordá-lo. Homem-Aranha que, como de costume, tem que escapar da polícia, não entende nada que está acontecendo.

Em outra parte da cidade, o vilão Batroc descansa em seu apartamento, quando vê a criatura, que saiu do portal, em um beco próximo. Percebendo que o monstro se assemelha a um animal assustado, oferece segurança ao mesmo e tenciona usá-lo em seus crimes.

Nas docas da cidade, a SHIELD está levando um carregamento de urânio, quando Batroc e a criatura aparecem para roubá-los. Capitão América, que já se encontrava na base da agência, chega rapidamente ao local para detê-los. Por sua vez, assim que o Capitão é abatido pela criatura, recebe auxílio do Homem-Aranha, que ouviu sobre o ataque na TV. Batroc é nocauteado e a criatura, que foge em seguida, começa a emitir um estranho brilho (por ter manipulado o urânio).

O monstro invade um iate. Homem-Aranha enfrenta a criatura enquanto o Capitão América tenta armar uma bomba para destruir a embarcação (e deter o monstro). Homem-Aranha se vê preso em um apertado abraço da criatura, mas consegue se desvencilhar e fugir do iate com o Capitão América. A embarcação explode e mata o monstro.

Pouco depois, o jovem Peter Parker (identidade secreta do Homem-Aranha), vê o Capitão América passar ao lado dele e, de certa forma, tem inveja pelo herói não ter nenhum dos seus problemas. Peter, no entanto, não percebe que o Capitão está cabisbaixo e tem, sim, vários problemas, como a condição em que seu parceiro, o Falcão, se encontra, bem como a recente discussão com sua amada Sharon Carter.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 204

 - Captain America and the Falcon 202 (Outubro de 1976)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 20, pela Editora Bloch ("A Nova Dimensão")


História:

* "Mad, Mad Dimension" - Escrita e desenhada por Jack Kirby, artefinalizada por Frank Giacoia

Capitão América procura por Texas Jack para perguntar sobre o desaparecimento do Falcão... e não poupa derrubar seguranças e arrombar a porta do milionário para conseguir isso. Apesar da entrada pouco convencional, Texas o recebe bem.

Com a ajuda de um engenheiro, chegam até o local onde ocorreu o desaparecimento. Na verdade, um grande pedaço da rua, conhecida como Rua Zero, também desapareceu, deixando uma grande cratera. Segundo o engenheiro, havia indícios de que tudo que ali se encontrava foi parar em algo que só poderia ser outra dimensão (hã... os engenheiros eram muito bons naquela época...). Uma das explicações era que o local abrigava um hospício, onde estava internado o Doutor Abner Doolittle, físico nuclear que vivia criando máquinas avançadas... e perigosas. Os Fantasmas da Noite seriam, portanto, um grupo formado pelos internos do hospício.

Na outra dimensão, Leila e o Falcão, agora com suas mentes apagadas, juntam-se aos Fantasmas da Noite usando, respectivamente, os nomes de Irmã Doçura e Irmão Super-Herói (cada um dos integrantes do Fantasmas usavam a alcunha de "Irmão" seguido da característica que os distinguia). Ao Falcão é designada a tarefa de enfrentar um monstro que atacava o hospício dentro daquela dimensão. De fato, uma gigantesca criatura se aproxima e é atacada pelo Falcão. No entanto, o monstro, também capaz de cuspir fogo, joga uma enorme quantidade de rochas contra o herói, desacordando-o.

Capitão liga para sua namorada, Sharon Carter, e diz estar em Nova York a espera de uma pista de seu parceiro. Sharon se irrita pois o herói nunca terá tempo para dedicar-se a ela. Discutem e o herói fica chateado pela situação.

Aguardando por uma pista próximo a cratera, logo a enorme bola de fogo que serve como portal para o hospício aparece e o Capitão salta para dentro dela. Do outro lado, o Irmão Maravilhoso (como ficou conhecido o cientista Abney Doolittle) planeja resolver o problema dos monstros que os atacam... criando uma máquina que os enviará para a Terra (os testes dessa máquina é que criaram o portal por onde o Capitão saltou). Pegando carona, Texas Jack também salta no portal.

Continua...

A+:

* O final dessa história continua inédita no Brasil, uma vez que a Editora Bloch encerrou a revista do Capitão América no vigésimo número, onde foi publicada. Curiosamente, apesar do último quadro anunciar a continuação no próximo número da publicação brasileira (que não aconteceu), também está escrito "fim".

* Apesar de não termos a continuação da história publicada por aqui, vale dizer que Capitão América e Texas Jack chegaram a outra dimensão e acabaram ajudando os internos do hospício a derrotar um exército de monstros, que começaram a destruir o local. Ao se verem cercados, Capitão América ludibriou o cientista Abney, que pretendia mandar os monstros para a Terra, a testar o portal em outras pessoas. No caso, Falcão, Leila e Texas Jack serviram como "cobaias". Em seguida, questionou se havia algum dispositivo de segurança caso a máquina que gerava o portal caísse em mãos erradas. Abney, ingenuamente, mostrou um pequeno aparelho manual de autodestruição. Capitão retira o aparelho a força de Abney, jogando o cientista pelo portal (que os leva a Terra) e liderando os internos a fazerem o mesmo (pois estavam apavorados). Por último, o herói atravessa o portal e deixa o dispositivo armado. Quando os monstros chegam, o portal e o hospício são destruídos por uma grande explosão.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 203

 - Captain America and the Falcon 201 (Setembro de 1976)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 20, pela Editora Bloch ("Os Fantasmas da Noite")


História:

* "The Night People" - Escrita e desenhada por Jack Kirby, artefinalizada por Frank Giacoia

Um grotesco exército, com a aparência de mendigos, tem aterrorizado as noites de Nova York, roubando a mais variada espécie de objetos. E, o que é mais curioso, nunca roubam dinheiro. A rapidez com que agem e desaparecem deu-lhes a fama como... os Fantasmas da Noite.

Enquanto Falcão fala com sua namorada, Leila, ao telefone, os Fantasmas, que percebem que a moça tem uma relação com o herói, decidem raptá-la. O herói, percebendo que a namorada está em perigo, arrisca até mesmo a voar alto o bastante para pegar carona na asa de um avião. O ocupante do avião, no entanto, conhecido como Texas Jack, salva o Falcão de uma queda pior, laçando-o para dentro da nave e lhe dando uma carona mais adequada.

Quando o Falcão sai do avião, voa novamente com suas asas e acaba se chocando com uma espécie de portal dimensional, que o leva até a o esconderijo dos Fantasmas. Capturado, o herói passa por uma espécie de julgamento e, juntamente com Leila, é submetido a um tratamento de choque, onde um elmo é colocado em sua cabeça e ele recebe uma forte descarga de energia.

Na sede da SHIELD, Capitão América toma conhecimento do desaparecimento misterioso de seu parceiro.

Continua...

terça-feira, 13 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 202

 - Captain America and the Falcon 200 (Agosto de 1976)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 19, pela Editora Bloch ("Plano de Ataque")


História:

* "America Will Die" - Escrita e desenhada por Jack Kirby, artefinalizada por Frank Giacoia

Mason Harding foi ludibriado pela elite de William Taurey e co-criou a bomba de pavor, sem saber que Taurey a usaria para dominar os Estados Unidos. Escapando do vilão, consegue entregar as coordenadas de sua localização ao Capitão América, que segue com uma tropa de soldados para a propriedade dele, enquanto o Falcão segue para o local onde se encontra uma bomba de pavor gigante.

Na sede de Taurey, Capitão América se apresenta como um "amigo" de Steve Rogers. Acontece que o vilão tem fixação por derrotar o descendente do homem que derrotou seu antepassado, por acaso chamado Steven Rogers. O que Taurey não sabia era que esse descendente era o próprio Capitão América. Essa confusão se deve ao fato de que Taurey, até por não saber que o descendente é o herói, contava que havia mais uma geração depois de Steve, já que esse lutou na Segunda Guerra, sem saber que esse foi congelado por décadas até ressurgir nos anos 60.

O herói desafia Taurey na frente de sua elite, sugerindo uma espécie de duelo nos mesmos moldes de seus antepassados, ou seja, cada um portanto uma pistola, permanecendo vivo apenas aquele que disparasse primeiro. Taurey, apesar do ódio nos olhos, declina do desafio, por medo de ser derrotado ou humilhado na frente de seus seguidores.

Enquanto isso, Falcão consegue desarmar e destruir a bomba de pavor. Inicialmente o herói vê a ironia da situação ao perceber que, por ser negro, e seus antepassados terem sofrido tanto com a escravidão, está lutando no bicentenário dos Estados Unidos. Porém, tem consciência de que se Taurey vencer, uma nova era de escravidão poderá surgir.

Após a destruição da bomba, Falcão e Capitão se comunicam, sendo que esse último dá a notícia de que a missão foi cumprida... e a nação americana continua de pé.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 201

 - Captain America and the Falcon 199 (JUlho de 1976)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 18, pela Editora Bloch ("O Homem Que Vendeu os Estados Unidos")


História:

* "The Man Who Sold the United States" - Escrita e desenhada por Jack Kirby, artefinalizada por Frank Giacoia

Os realistas enviam uma armadilha para matar o Capitão América. O herói vê o carro do cientista Harding, responsável pela criação da Bomba de Pavor, se aproximar. Ao tentar abordar o carro, Capitão é salvo pelo Falcão... que o leva a uma distância segura... para que não seja morto pelo carro, carregado de bonecos explosivos.

No entanto, uma surpresa aparece no mesmo local. O próprio Harding, que conseguiu fugir da base de realistas, munido de uma miniatura da Bomba de Pavor, que entrega ao Capitão América para que esse consiga deter os criminosos. Revela também que foi ingênuo ao ajudar os conspiradores, afim de cuidar da saúde debilitada de sua filha, Carol.

Na base dos realistas, é dada a ordem para disparar a Bomba gigante de pavor... que irá destruir os Estados Unidos.

Continua...

domingo, 11 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 200

 - Captain America and the Falcon 198 (JUnho de 1976)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 17, pela Editora Bloch ("História de Amor do Capitão")

História:

* "Cap's Love Story" - Escrita e desenhada por Jack Kirby, artefinalizada por Frank Giacoia

Após encontrar o nicho da Bomba de Pavor vazia, e o local mostrando apenas as peças que se encaixavam para montá-la, Capitão América investiga a casa do inventor dela, Mason Harding. Ele não é exatamente um terrorista, mas um cientista que foi forçado a criar tal arma para o grupo que pretende destruir os Estados Unidos. Na casa, Capitão América descobre que o cientista protege sua filha, Carol, que se recupera de uma operação. Essa situação, porém, deixa a moça solitária e sensível.

Mostrando confiança no Capitão América, que acabou de invadir sua casa, Carol acaba conquistando mais que a simpatia do herói. Mesmo em missão, ele a convida para um passeio na praia próxima e comparece... na identidade de Steve Rogers. Na retaguarda, o Falcão protege o casal de ataques inimigos. Os dois se dão bem logo de início e Carol descobre que Steve e o Capitão são a mesma pessoa. Mas, mesmo amando, a garota revela a Steve que ela está morrendo...

Continua...

sábado, 10 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 199

 - Captain America and the Falcon 197 (Maio de 1976)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 16, pela Editora Bloch ("Rochas em Chamas")

História:

* "The Rocks Are Burning" - Escrita e desenhada por Jack Kirby, artefinalizada por Frank Giacoia

Capitão América enfrenta o gladiador que roubou seu escudo. Enquanto a multidão grita para que haja morte, o ladrão atira o escudo contra o próprio Capitão. Sabendo da trajetória de sua trajetória (que sempre volta para quem o atirou), o herói se esquiva e este volta ao gladiador... causando uma grande explosão que o mata. O que o Capitão América não sabia era que o vilão havia instalado uma bomba plástica no escudo. Mas, o que o vilão não sabia, é que o escudo voltaria quando lançado.

Capitão América, apesar de ter vencido a disputa, se recusa a receber o pote de ouro oferecido por Sheila Chadwick. Isso enfurece a multidão que decide linchá-lo. No entanto, no momento da confusão, o exército (que procurava pelos Realistas a um bom tempo), invade o local, fazendo a multidão entrar em pânico.

Sheila e seu pai fogem do local e este garante que a Bomba de Pavor gigante já está armada.

Continua...

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 198

 - Captain America and the Falcon 196 (Abril de 1976)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 15, pela Editora Bloch ("A Corrida da Morte")


História:

* "Kill-Derby" - Escrita e desenhada por Jack Kirby, artefinalizada por D. Bruce Berry

Preso novamente, juntamente com o Falcão, em uma cela reforçada na base dos Realistas, Capitão América nota que também levaram seu escudo. Para recuperá-lo, ele terá que aceitar participar de uma violenta prova onde lutará com outros fanáticos de armadura sobre patins (o formato, no entanto, se assemelha a um skate).

Uma corrida com os tais patins se inicia com golpes duros entre os participantes. Sem utilizar armadura, Capitão América consegue não só se livrar dos golpes, mas derrotar seus oponentes. Falcão logo é tirado da disputa devido a uma arma que dispara uma rede que o prende. A multidão delira, em especial a jovem Sheila Chadwick, filha do líder dos Realistas, que exigiu a presença dos heróis na competição.

Após derrotar os outros combatentes, Capitão América consegue localizar aquele que carrega seu escudo. Ele não se importa com o prêmio da disputa ser um vaso de ouro, pois seu escudo representa muito para estar na mão de criminosos. Portanto, com fúria nos olhos, o herói parte pro tudo ou nada para recuperá-lo.

Continua...

A+:

* História inspirada no filme Rollerball - Os Gladiadores do Futuro, de 1975, dirigido por Norman Jewison, estrelado por James Caan. Trailer: http://www.youtube.com/watch?feature=related&v=CtkvGfJbmQA

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 197

 - Captain America and the Falcon 195 (Março de 1976)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 15, pela Editora Bloch ("Mundo de 1984")


História:

* "1984!" - Escrita e desenhada por Jack Kirby, artefinalizada por D. Bruce Berry

Dentro da base dos Realistas, Capitão América e Falcão conseguem se libertar da cela onde estão presos com as criaturas embrutecidas criadas pelos criminosos. No meio da batalha, são interrompidos pela chegada de uma garota chamada Sheila Chadwick, respeitada pelo exército dos realistas, pois é a filha do líder deles.

Servindo como guia do local, Sheila leva os heróis até uma espécie de sala de treinamento do grupo, onde pessoas se mostram em transe ao assistir as ordens dadas por um rosto em um telão. É uma espécie de lavagem cerebral que os torna mais violentos, o que é demonstrado quando atacam como animais um boneco em uma forca (chamada de Máquina do Amor) e rotulado com "falso liberal". Segundo Sheila, tudo não passa de uma condicionamento e o rosto é totalmente criado por computador, não sendo de uma pessoa real (algo que os seguidores não sabem).

Assim que demonstram seu horror contra aquela imagem, os heróis são atacados por uma enorme mulher em uma armadura, ficando desacordados. Sheila informa a seu pai, via sistema de comunicação, que os heróis já sabem sobre a Bomba. Eles, ainda desacordados, são levados pela mulher de armadura.

Continua...

A+:

* No Brasil, o nome "Sheila" foi uma adaptação feita pela Editora Bloch, uma vez que, no original, a personagem se chama Cheer Chadwick.

* O título da história refere-se ao livro 1984, escrito por George Orwell (na verdade, pseudônimo de Eric Arthur Blair). Nesta obra, é retratado um regime de governo totalitário e repressivo, que controla e massifica a população. Como o livro foi escrito em 1949, refere-se ao ano título como sendo uma sociedade futuro. Nessa história, publicada em 1976, apesar de não se passar no futuro, a idéia de um tempo sombrio que ainda virá também tem o mesmo tom.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 196

 - Captain America and the Falcon 194 (Fevereiro de 1976)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 15, pela Editora Bloch ("A Horda Troiana")


História:

* "The Trojan Horde" - Escrita e desenhada por Jack Kirby, artefinalizada por Frank Giacoia

Capitão América e Falcão são imunizados pela SHIELD contra os efeitos da Bomba de Pavor. Uma vez imunes e sem seus uniformes (vestidos como agentes), invadem a sede da organização conhecida como os Realistas da América. No local, uma imensa criatura lança rochas contra sua nave, que acaba caindo. No chão, os heróis descobrem que a embrutecida criatura, mais parecida com um homem das cavernas, não é má. Pelo contrário, demonstra a passividade e inocência de uma criança. E nem mesmo as rochas lançadas são de verdade, sendo feitas de espuma para esconder a base dos criminosos.

Logo, Capitão e Falcão são recepcionados por um verdadeiro exército de Realistas, que os prende em uma cela cheia de criaturas deformadas e embrutecidas, provavelmente fruto de experiência do grupo. De fato, descobrem que as criaturas são criadas para servir os realistas e que seu destino será parecido. Vestindo seus uniformes, decidem reagir também em favor da liberdade das criaturas escravizadas.

Em outro local, um homem que se identifica como William Taurey, planeja levar os Estados Unidos a uma situação que antecede a sua independência, voltando, inclusive, com a escravidão humana. Sem saber sobre o Capitão, Taurey curiosamente tem como inspiração a vingança por seu antepassado ter sido derrotado por Steven Rogers, antepassado do herói.

Continua...

A+:

* Os nomes dos vilões aqui apresentados trazem um discreto contexto histórico. O sobrenome de William Taurey soa como tory, nome dado a uma filosofia política britânica que defendiam a monarquia, se opondo ao liberalismo. Já seu principal general, chamado Heshin, tem esse nome por soar como Hessian, nome dado aos soldados alemães contratados pelos britânicos no sécuo XVIII para lutar na Guerra Revolucionária Americana.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 195

 - Captain America and the Falcon 193 (Janeiro de 1976)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 14, pela Editora Bloch ("Bomba do Pavor")


História:

* "The Madbomb Screamer in the Brain" - Escrita e desenhada por Jack Kirby, artefinalizada por Frank Giacoia

Capitão América e Falcão disputam uma amigável queda de braço, enquanto Leila Taylor lhes prepara um café, quando, de repente, os heróis são tomados por uma fúria e ódio que quase o fazem destruir o apartamento. Mais que isso, a própria Leila também é tomada por uma fúria assassina. Fora do apartamento, a situação não parece melhor. A cidade inteira parece ter enlouquecido, com seus cidadão tomados por uma fúria destrutiva.

Quando o Capitão América, tentando controlar a raiva, tenta sair, ele encontra um pequeno dispositivo que parece estar causando o fenômeno. Usando toda sua força de vontade para conter a própria fúria, o herói utiliza seu escudo para destruir o dispositivo, encerrando assim a onda de loucura que abateu-se nas imediações.

Um agente da SHIELD chega até o local e chama o dispositivo de Bomba do Pavor, capaz de levar suas vítimas a uma loucura assassina. O agente leva o Capitão América e o Falcão até uma base do governo, onde poderão estudar tal arma. Estranhamente, para se entrar na base, os heróis passam por várias armadilhas, levando-os a acreditar que tudo não passa de uma conspiração do próprio governo americano. Ao chegarem em determinada sala, o secretário de Estado explica que as armadilhas foram feitas para testar se eles eram os verdadeiros Capitão e Falcão.

O secretário de Estado, explica que aquela foi apenas uma pequena bomba de pavor. Outra dela, do mesmo tamanho, havia destruído uma cidade inteira com sua onda de loucura. No entanto, as investigações da SHIELD mostram que uma versão bem maior da mesma bomba está prestes a ser lançada... e ser capaz de destruir os Estados Unidos.

A+:

* Jack Kirby retorna para a revista do Capitão América literalmente tomando-a para si. E não só pelo fato dele mesmo escrever e desenhar a própria. A impressão que se tem é que Kirby cria, a partir daqui, uma espécie de universo próprio do Capitão América, com novos personagens coadjuvantes e descartando muitos dos outros criados em sua ausência. Nem mesmo o mascote do Falcão, Asa Vermelha, foi poupado do corte. Algumas excessões, no entanto, aparecem vez ou outra, como é o caso de Leila Taylor, namorada do Falcão. O próprio Falcão mesmo só não foi descartado devido ao título ter ser firmado como "Capitão América e o Falcão". Curiosamente, NESTA EDIÇÃO, a revista chama-se apenas "Capitão América". Um susto que foi corrigido na edição seguinte.

* A idéia para a capa original dessa revista havia sido planejada para apresentar um efeito 3D (com a utilização dos famigerados óculos vermelho/azul).

* A volta de Jack Kirby é comemorada com ênfase na capa, algo que, até então, não havia sido feito para nenhum profissional daquela editora. Com sua volta, também vemos as famosas criações únicas e geométricas do desenhista. A própria Bomba do Pavor tem em seu interior o que parece ser uma miniatura de cérebro humano no lugar do que seria um chip. A grande bomba, mostrada no final, mostra um cérebro semelhante, mas em proporções gigantes em relação a nova bomba.

* O secretário de Estado mostrado na história é Henry Kissinger, diplomata americano na vida real ao qual é dado o crédito de obter o cessar fogo na guerra do Vietnã (apesar de ser confidente do presidente Richard Nixon).

* A volta de Kirby também acaba se tornando um grande planejamento para uma das maiores coincidência das histórias em quadrinhos. Aqui, como a saga mostrará, começa uma aventura para salvar os Estados Unidos de um ataque terrorista no bicentenário da independência daquele país. Coincidentemente, o climax se daria na edição de número 200, que seria publicada em julho de 1976, ou seja, EXATAMENTE no mês em que os Estados Unidos comemoravam seus 200 anos de independência. Uma coincidência muito bem sacada e planejada, já que o personagem título da revista, Capitão América, praticamente símbolo daquele país, não protagonizava a mesma desde seu primeiro número. A revista veio a se chamar Captain America já em seu número 100, sendo antes chamada de Tales of Suspense

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

O DIÁRIO DE STEVE ROGERS - Parte 194

 - Captain America and the Falcon 192 (Dezembro de 1975)
> Publicada no Brasil na revista Capitão América nº 14, pela Editora Bloch ("O Vôo do Perigo")


História:

* "Mad-Flight" - Escrita por Marv Wolfman, desenhada por Frank Robbins, artefinalizada por D. Bruce Berry

Voltando de Los Angeles, onde houve o julgamento do Falcão, o Capitão América tem urgência em chegar em New York. Sua pressa chega a fazê-lo usar a sua credencial prioritária da SHIELD para embarcar em um vôo fretado. Para seu espanto, o avião em que embarca está ocupado por vários criminosos. Até mesmo a "aeromoça" está a caráter, vestida apenas com munições, solicitando que os passageiros deixem suas armas com ela. Apesar disso, o herói consegue passar com seu escudo, embaixo de suas roupas.

Como se as coisas já não estivessem ruins (e a situação beirava o cômico, com Steve Rogers tentando se ambientar entre os criminosos), o anfitrião desse vôo é um velho conhecido do herói: o vilão Doutor Faustus. Tudo não passa de uma espécie de reunião onde o vilão organiza um ataque a Manhattan, para onde se encaminham, utilizando armas obsoletas e roubadas da Stark International (mas que, ainda assim, são mais modernas que as da polícia local). Uma dessas armas é uma espécie de raio que paralisa a pessoa escolhida como alvo, por vezes com resultados irreversíveis. Diante da revelação desse plano, Rogers vai até o banheiro e se troca, surgindo como o Capitão América.

Ao lutar com os criminosos (até então levando a melhor), o Capitão América é atingido pelo raio paralisante, dando a Faustus tempo suficiente para mandar um recado para os novaiorquinos. Para sua surpresa, o herói logo se recupera e retoma a luta. No meio da confusão, um tiro é disparado, causando a descompressão da nave. Faustus é sugado para fora do avião e os demais só não tem o mesmo destino porque o Capitão América lança seu escudo no rombo do avião, impedindo que mais criminosos sejam lançados.

Diante de um avião com um rombo, o herói faz o que pode para mantê-lo estabilizado e conseguir pousá-lo no aeroporto. O problema é que ele já está concentrado no pouso, não tendo tempo de se defender dos criminosos que agora o ameaçam. É quando tem a idéia de se comunicar com a torre e dizer que aquele é o vôo 9-1-1. Esse é o código para se chamar a polícia, que logo lota o aeroporto e, assim que pousam, livram o herói, prendendo todos os criminosos presentes.

A+:

* A "aeromoça" vestida apenas com munições seria mais do que uma sexy ajudante de vilão. A coadjuvante era Karla Soften, que seria, futuramente, a vilã conhecida como Rocha Lunar. Apesar de ser apresentada como uma espécie de "faustete", vale lembrar que Karla também era psicóloga, assim com o vilão Doutor Faustus.

* Primeira história da revista Capitão América "E" Falcão onde o segundo não aparece.

* Última edição desenhada por Frank Robbins.

* O último quadro da história apresenta uma imagem do Capitão América desenhado por Jack Kirby. Não era apenas propaganda da editora. De fato, o lendário desenhista voltaria a trabalhar com o Capitão na próxima história.

* História com um certo ritmo de James Bond em sua ação. Inclusive com um toque de criminosos um tanto quanto bizarros, como é o caso de Salto Alto, que utiliza tamancos de plataforma como sua marca registrada.