sábado, 31 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 656

 - Adventure Comics 8 (Maio de 2010)
> Publicada no Brasil na revista Superman nº 101 pela editora Panini


Histórias:

* "The Future Is Prologue" - Escrita por Sterling Gates, desenhada por Travis Moore, artefinalizada por Júlio Ferreira
* "The Future Is Now" - Escrita por Jams Robinson, desenhada por Julian López, artefinalizada por Bit


No futuro, os legionários se deparam com uma estranha anomalia no espaço que ameaça tragar todo o Universo em questão de dias. A fonte dessa anomalia é a morte do Superman, causada pelo vilão Brainiac, antepassado do legionário Brainiac 5.

No presente, o último integrante do Esquadrão de Espionagem da Legião se revela para Superboy, em Smallville: trata-se do Transmutador. Superboy, agora a par da missão de seus amigos, consegue acalmar e mostrar a Mon-El a situação. Juntos, terão que enfrentar Brainiac, do outro lado do Sol, em Nova Krypton, onde o vilão está prestes a causar o fim do futuro.

A+:

* A revista Adventure Comics passa a ter mais participação da Legião dos Super-Heróis, uma vez que o grupo terá importante participação na saga do Superman conhecida como A Última Batalha de Novo Krypton.

* O nome Brainiac é quase um título, uma linhagem familiar entre os alienígenas do planeta Colu. O Brainiac original (ou Brainiac 1) ficou sendo conhecido como um dos mais famosos e perigosos vilões a enfrentarem o Superman.

Brainiac 2, ou Vril Dox, era filho desse vilão e líder do grupo conhecido como L.E.G.I.Ã.O. (que não era exatamente formado por descendentes dos legionários, mas tem uma formação que muito lembra dos heróis do futuro).

Brainiac 3 era filho de Vril Dox e, ainda criança, tinha intelecto suficiente até mesmo para controlar o grupo do próprio pai.

Há uma certa polêmcia no que se refere a Brainiac 4. Uma das versões mostra que ELA é mãe de Brainiac 5, uma mulher psicótica, que abandonou o filho ainda bebê, para se tornar uma terrorista interplanetária. Outra versão mostra que trata-se do pai de Brainiac 5, um coluano que quer restabelecer o nome dos Brainiacs e mostrar, com o seu filho, que eles podem ter sua honra e seu valor.

Brainiac 5, por fim, é o conhecido gênio da Legião e carrega o peso e a polêmica desse nome em sua época.

sexta-feira, 30 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 655

 - Superman 697 (Abril de 2010)
> Publicada no Brasil na revista Superman nº 101 pela editora Panini


História:

* "The Espionage Squad" - Escrita por James Robinson, desenhada por Bernard Chang e Javier Pina

A Terra não conta mais com a proteção de Superman, que agora mora do outro lado do Sol, em um novo planeta Krypton, que ressurgiu juntamente com seus conterrânos. Nosso planeta, porém, está bem protegido por Mon-El, um daxamita que tem os mesmos poderes do homem de aço.

Mon-El também auxilia a Polícia Científica e, com ela, faz uma descoberta surpreendente. Um dos cadetes não é exatamente o que dizia ou parecia ser. Trata-se de um alienígena durlaniano capaz de alterar a própria forma. Seu nome, Camaleão. Quando descoberto, Camaleão diz que é líder de um esquadrão de espionagem de uma tal de Legião, vinda da futuro. Fugindo da base da Polícia Científica, o espião é auxiliado por outros integrantes do citado grupo, por acaso outros oficiais da polícia que estavam disfarçados. Mon-El é ludibriado pelos diferentes poderes desses integrantes.

Mais tarde, o Superboy contata Mon-El e lhe promete apresentar pessoas interessadas em conhecê-lo. Não por acaso, são os integrantes da Legião.

Continua...

A+ :

* Quando o espião descoberto revela ser um durlaniano, o herói Guardião alerta Mon-El pelo fato de que essa raça já tentou invadir a Terra. De fato, os durlanianos do presente, juntamente com diversas outras raças e liderados pelos domínions, tentaram invadir a Terra na minissérie Invasão, publicada em 1989.

* O Esquadrão de Espionagem da Legião, era um grupo secreto de integrantes que agia tão sorrateiramente, que suas missões eram desconhecidas até mesmo de outros integrantes.

Originalmente, o grupo (que não era fixo) era formado por legionários com poderes que dessem um tom discreto e de infiltração (no caso do transmorfo Camaleão, a encolhedora Violeta e o Rapaz Invisível, por exemplo). Como o passar do tempo, esse deixou de ser um padrão para os integrantes dessas missões, dando até mesmo um ar de conspiração para suas ações.

quinta-feira, 29 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 654

 - Superman: Secret Origin 2 (Dezembro de 2009)
> Publicada no Brasil na revista Superman nº 91 pela editora Panini


História:

* "Superboy and the Legion of Super-Heroes" - Escrita por Geoff Johns, desenhada por Gary Frank, arte finalizada por Jon Sibal

Mais uma reformulação da origem do Superman, onde é reinserido a idéia de que Clark Kent já usava seus superpoderes quando menino, ou seja, como o famoso Superboy.

Apesar das boas intenções, Clark ainda tinha suas dúvidas quanto a agir como herói. Ressentia-se, apesar de poderoso, de ser diferente dos demais, principalmente porque já sabia ser de outro planeta. Inclusive, ele mesmo se acha ridículo usando o uniforme clássico pelo qual seria conhecido (com a famosa cueca para fora das calças).

Outros elementos do passado são reinseridos nessa nova origem. O contato com a Legião dos Super-Heróis, por exemplo, foi crucial para que clark se sentisse mais a vontade no papel que iria ocupar. Levado por seus novos amigos para o futuro, onde a Legião agia, Clark descobre que ser herói, acima de tudo, pode ser algo divertido.

Paradoxalmente, a Legião foi responsável por dar a Clark o senso heróico necessário para suas ações futuras. Ações essas que inspirariam a criação da própria Legião, no futuro.

A+:

* Smallville, pequena cidade do interior do Kansas onde viveu o jovem Clark Kent, tornou-se a sede da Legião dos Super-Heróis no futuro. Na época do grupo (mil anos depois de Clark ter vivido nela), a cidade apresentava traços futuristas que faziam com que se parecesse com a Metrópolis do presente. Esta, por sua vez, se tornaria capital do governo da Terra e apresentaria traços ainda mais grandiosos.

quarta-feira, 28 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 653

 - Adventure Comics 4 (Janeiro de 2012)
> Publicada no Brasil na revista Universo DC nº 6, pela editora Panini


História:

* "Long Live The Legion - Part Four - Star Crossed" - Escrita por Geoff Johns e Michal Shoemaker, desenhada por Clayton Henry, arte finalizada por Brian Reber

A última parte dessa micro saga mostrando a situação da Legião atualmente, mostra o gigantesco Bloko desesperado em encontrar sua amada, a legionária Feiticeira Branca, que foi vista pela última vez na saga Legião dos 3 Mundos e, após absorver o poder do bruxo vilão Mordru, se tornou a Feiticeira Negra.

Acompanhado de Vésper e Pulsar, Bloko encontra sua amada no Mundo dos Feiticeiros, antiga base de Mordru. Apesar de sua aparência modificada, a legionária usa seus poderes místicos para curar Bloko que, com seu corpo feito de pedra, estava se desfazendo devido a ferimentos da última batalha.

Bloko decide ficar no Mundo dos Feiticeiros, deixando Pulsar e Vésper partirem, pensando sobre a própria situação... uma vez que também são amantes fadados a não consumar sua paixão, devido a diferenças físicas.

A+:

* Bloko compara a sua situação (e a de Pulsar e Vésper) com história de Romeu e Julieta, do escritor William Shakespeare. Tal qual o clássico casal, que não podiam se amar devido a diferenças entre suas famílias, o casal de legionários também tinham seus empecilhos, mesmo que em um nível diferente. Bloko é um ser feito totalmente de pedra, diferente do delicado corpo da Feiticeira Negra. Pulsar é um homem feito de energia pura (contida em um uniforme) o que impedia qualquer contato físíco com sua amada Vésper.

terça-feira, 27 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 652

 - Adventure Comics 3 (Dezembro de 2009)
> Publicada no Brasil na revista Universo DC nº 6, pela editora Panini


História:

* "Long Live The Legion - Part Three - Running Hot and Cold" - Escrita por Geoff Johns e Michal Shoemaker, desenhada por Clayton Henry, arte finalizada por Brian Reber

Uma aventura solo entre legionários com poderes bem opostos: Solar (capaz de emitir rajadas de fogo) e Polar (com seu poder congelante). A dupla faz uma investigação no planeta Tharr, de onde veio Polar, investigando a localização de um vilão conhecido como Cryo-King, com os mesmos poderers congelantes de Polar.

A investigação (e consequente prisão do vilão) se torna uma espécie de desabafo de Solar, herói valoroso (que, inclusive, já foi eleito líder da Legião), mas que nunca foi levado muito a sério.


A+:

* No início, a seleção para novos legionários era um evento divertido ao leitor, pois mostrava os mais inusitados (para não dizer inúteis) poderes que um pretenso herói poderia ter. Com o tempo, parte dos "rejeitados" na seleção formou um grupo genérico conhecido como Legião dos Heróis Substitutos, liderados pelo então perdedor Polar. Apesar do tom de humor usado nas aventuras dos substitutos, com o tempo o grupo ganhou seu espaço, cumprindo missões de forma não menos desorganizadas e engraçadas que seus poderes.

O grupo também é uma espécie de ponto de desenvolvimento dos próprios quadrinhos durante as décadas. De engraçado, o tom foi se tornando mais sério, dramático e, de certa forma, até trágico. Afinal, ser um "rejeitado" em qualquer seleção não é tão divertido do ponto de vista de quem não foi aceito.

* O vilão Cryo-King pode ser visto como uma versão envelhecida do próprio Polar, da mesma forma que o trio de vilões fundadores da Legião dos Super-Vilões são versões envelhecidas dos fundadores da Legião dos Super-Heróis. Ironicamente, da mesma forma que Polar foi rejeitado como legionário no início, este vilão não foi muito levado a sério pela Legião dos Super-Heróis e se tornou obcecado em provar que era uma ameaça.

* O planeta Tharr, mundo natal de Polar, tem uma temperatura escaldante justamente por ser o inverso da Terra, ou seja, tem um núcleo gelado e uma temperatura altíssima. Para sobreviver ao clima quente, os habitantes desenvolveram o poder congelante como contrapartida.

segunda-feira, 26 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 651

 - Adventure Comics 2 (Novembro de 2009)
> Publicada no Brasil na revista Universo DC nº 6, pela editora Panini


História:

* "Long Live The Legion - Part One - Lightning Lad" - Escrita por Geoff Johns e Michal Shoemaker, desenhada por Clayton Henry, arte finalizada por Brian Reber

Na história curta dessa edição (com um pouquinho mais de páginas), Relâmpago é requisitado por seu irmão vilão, Lorde Relâmpago, detento na prisão de Takron-Galtos. Na verdade, Mekt deseja pedir um favor ao irmão legionário.

Durante muitos anos, Lorde Relâmpago se ressentia por ser uma anomalia em seu planeta, uma vez que não nasceu com um irmão gêmeo. Agora, ele descobriu que tudo era mentira e que seu gêmeo existe. Consequemente sendo também irmão de Garth, Mekt solicita a ele que encontre esse parente perdido.

A+:

* Uma das características dos winathianos (naturais do planeta Winath, do qual Relâmpago, Lorde Relâmpago e Pluma são originários) é que todos os habitantes nascem com gêmeos. Nascer sozinho é considerado uma anomalia, passível até mesmo de ser marginalizado pela sociedade winathiana.

domingo, 25 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 650

 - Adventure Comics 1 (Outubro de 2009)
> Publicada no Brasil na revista Universo DC nº 5, pela editora Panini


História:

* "Long Live The Legion - Part One" - Escrita por Geoff Johns, desenhada por Clayton Henry, arte finalizada por Brian Reber

Ástron continua no século XXI, com seu estado mental cada vez se deteriorando mais. Ingenuamente, o legionário capaz de controlar a densidade conversa com pombos, quase destrói uma pista de boliche em Smallville e recebe a ajuda do legionário telepata Tellus. Recobrando momentaneamente sua concentração, desespera-se em ser ajudado antes que sua mente se deteriore mais.

A+:

* A Legião dos Super-Heróis surgiu na revista Adventure Comics 247, em 1958, dividindo uma aventura com o Superboy. Devido ao sucesso dessa momentânea aparição, os personagens continuaram a aparecer e até mesmo ganharam aventuras próprias. Com isso, dividiam espaço com o garoto de aço na mesma Adventure Comics, onde surgiram.

Em 2009, os legionários literalmente voltaram às origens. A revista Adventure Comics foi relançada, apresentando como atração principal o Superboy (que não é o mesmo Clark Kent de anteriormente) e uma pequena história (com meia dúzia de páginas) com a Legião.

* A revista Adventure Comics surgiu em dezembro de 1935 com o nome de New Comics. A partir do número 12, em janeiro de 1937, passou a se chamar New Adventure Comics. Em novembro de 1938, no número 32, passa a se chamar Adventure Comics, continuando assim até setembro de 1983, encerrando-se com a edição de número 503. Em suas últimas edições, eram publicadas apenas republicações de histórias passadas.

Apesar da retomada do título sob o número 1, em 2009, a capa da edição informa que essa pode ser considerada a edição de número 504, dando continuidade ao antigo título.

Em 1999, houve um especial chamado também de Adventure Comics, trazendo histórias da Sociedade da Justiça.

* O título dessa micro saga, "Long Live The Legion", é o grito de guerra da Legião: "Longa Vida à Legião".

* Enquanto conversa com os pombos, Ástron convida um deles para se tornar um legionário, lhe dando o nome de Garoto Pássaro. No início, os nomes dos legionários sempre tinham algo de Lad, Boy ou Girl (Rapaz-alguma coisa, Garoto-alguma coisa ou Garota-alguma coisa). Mesmo depois dos personagens se tornarem adultos, citar isso se tornou uma brincadeira recorrente entre seus integrantes.

sábado, 24 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 649

 - Final Crisis: Legion of Three Worlds nº 5 (Fevereiro de 2009)
> Publicada no Brasil na revista Superman & Batman nº 56, pela editora Panini


História:

* "Book Five" - Escrita por Geoff Johns, desenhada por George Perez, arte finalizada por Scott Koblish


O trunfo da Legião contra o Superboy Primordial mostra ser o renascido... Superboy, mas a versão que acreditava-se ser um clone do Superman no passado (sendo, na verdade, parte clone de Luthor). Paradoxalmente, enquanto Primordial enfrenta este Superboy, nos confins do tempo Superman enfrenta o Senhor do Tempo, que é uma versão do Primordial envelhecida.

Porém, há uma brecha no plano do vilão, que até então dizia saber que o resultado daquela batalha o favorecia. Superboy cria uma cicatriz no Primordial, que aparece imediatamente no peito do seu "eu" futuro. Ou seja, a vitória do vilão não é tão certa, mas uma suposição que pode ser alterada com ações no tempo passado. Sua aparente vitória, mostrada através de um portal, só era possível devido ao acesso que tinha a várias épocas e realidades.

Mordru drena muito da energia mística e se torna a ameaça mais imediata a ser enfrentada em Metrópolis. Para detê-lo, a Feiticeira Branca drena toda essa energia e mesmo a essência do vilanesco bruxo, mas isso tem um preço... ela se torna algo aparentemente mais sombrio, a Feiticeira Negra.

O Senhor do Tempo, desorientado, é lançado até a Fortaleza da Solidão, onde encara sua contraparte mais jovem, chamada Primordial. Este, por sua vez, arrogante e impulsivo, não acredita que se tornará tão velho e ataca o Senhor do Tempo. Com isso, causa um colapso no espaço/tempo que o lança para sua dimensão original, onde todas as aventuras que viveu não passam de... histórias em quadrinhos. Ao chegar nessa realidade, inclusive, seus pais originais estão horrorizados, pois estão lendo suas últimas aventuras nessas mesmas revistas, no qual podem ver que ele é um vilão.

Após o funeral dos legionários mortos na batalha (inclusive perdoando o segundo Karate Kid por votar contra eles na Federação), as outras Legiões são enviadas para suas dimensões originais. A Legião mais jovem (que apareciam nos quadrinhos nos anos 90) como não tem mais uma dimensão original, que foi destruída, é enviada para o Multiverso de outras dimensões, onde viverão novas aventuras.

Ao final, Primordial fica preso em sua dimensão original, podendo apenas acompanhar seus inimigos pelas histórias em quadrinhos.

A+ :

* Quando a Legião dos anos 90 decide partir para aventuras no qual vagarão por multiversos, Ferro define que eles serão como nômades vagando pelas dimensões. Essa é uma citação que relembra um obscuro grupo que atuava como coadjuvantes no universo da Legião dos Super-Heróis, também conhecidos como Os Nômades (The Wanderers, no original)

sexta-feira, 23 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 648

 - Final Crisis: Legion of Three Worlds nº 4 (Janeiro de 2009)
> Publicada no Brasil na revista Superman & Batman nº 55, pela editora Panini


História:

* "Book Four" - Escrita por Geoff Johns, desenhada por George Perez, arte finalizada por Scott Koblish

No tempo presente (ou seja, mil anos antes de quanto acontecem as aventuras da Legião), o legionário Ástron, que se exilou nessa época, cumpre uma tarefa a mando de Brainiac 5 (no futuro). Em um cemitério, desenterra um corpo cuja lápide mostra o sobrenome... Kent.

No futuro, continua a batalha entre legionários e todos os vilões qu já enfrentaram. Para terror de Superboy Primordial, quem o ataca é o velocista Kid Flash, trazido do limbo por Brainiac 5 e XS.

Mas o lado do mal também tem suas surpresas. Quando, aparentemente, o Primordial estava sendo derrotado, a mão gigante do Senhor do Tempo, um dos mais poderosos inimigos da Legião, sequestra Cósmico, Satúrnia, Relâmpago (os três fundadores do grupo) e Superman (em quem se inspiraram). Primordial descobre que os heróis estão planejando algo (ligado a missão de Ástron no passado/presente) e que surgirá da antiga Fortaleza da Solidão do Superman, no Pólo Norte, para onde ele parte desesperadamente.

Na Fortaleza da Solidão um grupo de legionários acessa a antiga câmara matricial que recuperou o Superman quando o herói foi dado como morto (ao enfrentar o monstro Apocalypse). Também recebem os legionários que visitaram o passado e trazem um fio de cabelo do jovem Lex Luthor. Esse item terá grande importância na missão.

Ironicamente, quando Primordial chega ao local, é o legionário considerado o mais azarão do grupo quem se responsabiliza por atrasá-lo: Polar. Apesar de, obviamente, não durar muito contra o supervilão, é auxiliado por Solar, que decide deixar a passividade e se juntar a Legião.

Nos confins do tempo, uma revelação promete mudar toda a batalha. O Senhor do Tempo, retira o seu capuz e demonstra ser... o Superboy Primordial envelhecido! Ou seja, ele sabe, mais do que ninguém que irá sobreviver a batalha.

Continua...

quinta-feira, 22 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 647

 - Final Crisis: Legion of Three Worlds nº 3 (Dezembro de 2008)
> Publicada no Brasil na revista Superman & Batman nº 54, pela editora Panini

História:

* "Book Three" - Escrita por Geoff Johns, desenhada por George Perez, arte finalizada por Scott Koblish

No funeral de Rond Vidar, no planeta Oa, Mon-El convence Sodam Yat a assumir o anel (ou anéis) de Lanterna Verde e ajudá-los contra o Superboy Primordial. Afinal, o alienígena já havia enfrentado o vilão no passado, sendo salvo por seu anel, uma vez que foi atingido por uma barra de chumbo, elemento fatal para sua espécie, a dos daxamitas.

Na Terra, a guerra entre a Legião dos Super-Heróis e dos Supervilões toma os céus de Metrópolis. A Liga da Justiça ataca a sede da Federação dos Planetas Unidos, mas são detidos por uma equipe de legionários.

A ajuda literalmente chove dos céus, quando dezenas de integrantes das Legiões dos outros dois mundos entram na luta. Interessante aqui notar a integração entre as contrapartes, uma vez que nunca se encontraram antes. Essas diferenças, além da idade, está até mesmo nos caminhos e destinos que cada um dos heróis percorreram em seus respectivos mundos.

Mesmo tendo três versões de cada legionário em campo, alguns dos heróis não tem suas contrapartes. Isso é explicado devido a algumas mudanças feitas pela influência de viagens temporais, que nem sempre levam o viajante ao mesmo universo de origem. Dois exemplos disso é o legionário Portal (que, com sua personalidade forte, julga que não há uma contraparte sua por preconceito dos legionários daquele mundo) e XS, a velocista que tem em sua descendência ligações com o herói Flash. XS, inclusive, é a grande arma a ser utilizada no plano de Brainiac 5.

Utilizando uma esteira de aceleração, feita para viagens temporais/dimensionais e acionada pela velocidade de XS, e uma das varinhas de eletricidade da Legião, os legionários trazem para o futuro o único herói capaz de aterrorizar Superboy Primordial: Impulso!

A+ :

* O personagem Sodam Yat foi criado pelo escritor britânico Alan Moore e pelo desenhista Kevin O'Neil, em 1986, para a revista Tales of the Green Lantern Corps Annual nº 2. Sendo um daxamita, raça muito parecida com a kriptoniana e, portanto, com os mesmos poderes do Superman, faziam de Sodam um dos mais poderosos Lanternas existentes. A intenção de Moore era usar esse conceito em um projeto chamado Crepúsculo dos Super-Heróis, onde seria mostrado o fim dos principais heróis da DC Comics. Este Lanterna, sendo um alienígena tão poderoso, seria responsável pela morte do Superman.

* Com a informação de que o Superboy Primordial perdia seus poderes sobre radiação vermelha, Cósmico retira a armadura do vilão, mas este ainda consegue escapar. Com isso, seu visual fica parecendo uma espécie de roupa colada escura (quase uma roupa de baixo usada com a armadura), que remete ao visual do personagem Dev-Em, antigo coadjuvante tanto das histórias do Superboy quanto da Legião. Sendo originalmente um kriptoniano (anos mais tarde reformulado para um daxamita, tornando o Superman o único kriptoniano vivo), Dev-Em foi criado pelo mesmo escritor responsável pela criação do Superman, Jerry Siegel, e pelo desenhista George Papp, na revista Adventure Comics nº 287, em junho de 1961.

quarta-feira, 21 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 646

 - Final Crisis: Legion of Three Worlds nº 2 (Novembro de 2008)
> Publicada no Brasil na revista Superman & Batman nº 53, pela editora Panini


História:

* "Book Two" - Escrita por Geoff Johns, desenhada por George Perez, arte finalizada por Scott Koblish

Uma equipe de Legionários parte para o Mundo dos Feiticeiros, afim de resgatar uma antiga colega de grupo, a Feiticeira Branca, que foi sequestrada pelo mago Mordru. Mesmo conseguindo seu intento, e enfrentando os poderes místicos do vilão, o pequeno grupo é surpreendido pela Legião dos Supervilões, liderados pelo Superboy Primordial. Mesmo com o auxilio de Rond Vidar, o último Lanterna Verde, os heróis estão em grande desvantagem.

Rond joga os legionários por um portal estelar, que os leva até a base da Legião, e enfrenta os vilões praticamente sozinho. Resistindo o máximo que pode, é capturado e morto pelo Primordial diante de seu próprio pai, o vilão Universo, que tenta apoderar-se de seu anel de Lanterna, mas este, assim que Rond morre, parte para o espaço a procura de um novo guerreiro para usá-lo. A missão do anel, por não ter encontrado ninguém, termina no moribundo planeta Oa (antigo lar dos Lanternas Verdes), onde é capturado por um misterioso e solitário personagem.

Na sede da Legião, alguns integrantes discordam da decisão de Superman em tentar regenerar o Superboy Primordial, tornando-o uma espécie de Superboy oficial da Legião. Para alguns, chegou-se a uma situação onde justifica-se quebrar um dos mais importantes itens da constituição do grupo, o de nunca matar.

Enquanto parte da equipe enfrenta os vilões, que chegam a Terra, Brainiac 5, na antiga sede da antiga Liga da Justiça (dentro de uma caverna) consegue um dispositivo que traz os membros das legiões de outros dois mundos para o dele. Apesar das diferenças entre suas contrapartes (principalmente de personalidade) a intenção é formar um exército maior para enfrentar a ameaça.

Mon-el e Penumbra partem para Oa com o corpo de Rond Vidar. No planeta, encontram a misteriosa figura que mora nas sombras do planeta morto: Sodam Yat, o último guardião do universo.

A+ :

* No início dessa edição, vemos a personagem Shikari perdida em uma espécie de limbo, tentando encontrar caminho no meio dele. Interessante notar que a última vez que a personagem foi vista, o universo onde vivia foi totalmente apagado, levando todos os legionários a se sacrificarem no processo, sendo enviados para o mesmo limbo. Isso ocorreu no especial com o encontro entre Legião e Novos Titãs, onde as aventuras dos legionários dos anos 90 chegavam ao fim e eram transformados em novas versões (reformuladas pelo escritor Mark Waid e pelo desenhista Barry Kitson).

Aparentemente, diferente de seus colegas, Shikari não encontrou o mesmo caminho que os levou a um novo universo, ficando perdida para sempre no limbo. Porém, aqui é mostrado que todos os seus colegas ficaram tão perdidos quanto ela, sendo que o novo universo que se abriu era OUTRO universo com OUTROS legionários, que não eram exatamente os mesmos.

Quando Brainiac 5 utiliza o dispositivo que convoca as duas legiões de outros mundos, esses legionários dos anos 90 são retirados do limbo.

* Rond Vidar foi criado como personagem coadjuvante das aventuras da Legião pelos escritores Jim Shooter e Mort Weisinger e pelo desenhista Curt Swan, na revista Adventure Comics 349, em outubro de 1966.

Durante sua trajetória, mostrou ser uma autoridade no que se referia a tecnologia utilizada para viagens temporais e se tornou um dos melhores amigos do antisocial Brainiac 5.

Tempos depois, Rond se apoderou de um anel de Lanterna Verde, em uma época em que a tropa desses heróis não mais existia. Tornou-se assim o último (e único) Lanterna Verde do universo. O anel pertencia, na verdade, a seu pai, que também foi um Lanterna, mas acabou se renegando e tornando-se o vilão Universo.

terça-feira, 20 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 645

 - Final Crisis: Legion of Three Worlds nº 1 (Outubro de 2008)
> Publicada no Brasil na revista Superman & Batman nº 52, pela editora Panini


História:

* "Book One" - Escrita por Geoff Johns, desenhada por George Perez, arte finalizada por Scott Koblish

O Senhor do Tempo, célebre inimigo da Legião, recupera no espaço-tempo o corpo do Superboy Primordial, versão do Superboy que se tornou amargo e sanguinário após seu universo ter sido destruído na Crise nas Infinitas Terras. No entanto, o jovem vilão aterrisa na Terra do século XXXI, mil anos depois do período em que apareceu pela primeira vez, e percebe que a História não foi generosa com sua passagem, mesmo sendo alguém tão poderoso. Decide vingar-se de todos destruindo os heróis daquele período, conhecidos como Legião dos Super-Heróis.

O plano do Primordial é reunir um time contrário aos legionários, formado por seus mais terríveis inimigos, que ficaram conhecidos como Legião dos Super-Vilões. Para sua surpresa, assim que encontra os fundadores dessa maligna Legião, Lorde Relâmpago, Rainha de Satúrno e Rei Cósmico, percebe que eles o adoram como inspiração para suas maldades, da mesma forma que o Superboy (que se tornou Superman) inspirou a Legião dos Super-Heróis.

Após a prisão dos membros da Liga da Justiça do futuro, liderados pelo racista Terráqueo (que prega que a Terra não deve tolerar a presença de alienígenas), a Legião foi considerada obsoleta e a Federação dos Planetas Unidos pretendem extingui-la. Praticamente todas as raças envolvidas concordam com esse veredito. Para surpresa de Cósmico, Satúrnia e Relâmpago, até mesmo um ex-legionário (Myg, o segundo Karate Kid), expõe os conflitos internos do grupo, alegando certa desorganização em um grupo que se propõe a proteger o universo.

Mas um ilustre visitante consegue chamar a atenção dos conselheiros para a importância do grupo: o bilionário, R.J. Brande, desaparecido a um bom tempo retornando para salvar os pupilos que sua fortuna financiou, em agradecimento por terem salvo sua vida de um atentado. Mesmo aparentemente convencendo o público, por ironia do destino o pior acontece. Leland McCauley o segundo homem mais rico da Terra e rival de Brande nos mundo dos negócio, desfere vários tiros no bilionário, assassinando-o na frente de todos. Leland utilizou uma espécie de elmo que não permitiu Satúrnia de ler seus pensamentos, e balas que não eram de metal, impossibilitando Cósmico de detê-las. Dessa forma, numa inversão da origem do grupo, onde conseguiram salvar Brande, todos vêem sua falha em protegê-lo. Isso diante dos conselheiros da Federação, que agora estão mais do que convencidos pela dissolução do grupo.

Ademais, a Legião tenta se recuperar como pode. Da Zona Fantasma, conseguem resgatar Mon-El, o mais poderoso dos legionários, lançado naquela dimensão invisível pelo Terráqueo. Polar tenta convencer Solar a voltar para o grupo. O legionário se afastou devido a depressão advinda do fato de seus poderes solares terem sido usados por Terráqueo para tornar o Sol vermelho e impedir Superman de ajudar seus amigos do futuro. E o próprio Superman é convocado para auxiliar na crise que se abate sobre o grupo.

Brainiac 5 tem uma idéia quando é informado que o Superboy Primordial pertence a outra dimensão/outra Terra. Consegue contatar as outras versões paralelas da Legião: ao leitor, refere-se a uma Legião mais jovial (que foi publicada nos anos 90) e a uma versão mais adulta (que apareceu na reformulação proposta por Mark Waid/Barry Kitson). Em comum, Superman já se encontrou, contando com a que lhe convocou, com as três Legiões.

É o início da Legião dos Três Mundos, minissérie que se interliga com o período de reformulação da editora DC Comics, conhecida como Crise Final.

A+ :

* Apesar do momento histórico mostrar um planeta Terra xenofóbico em relação aos alienígenas (graças ao preconceiro pregado pelo vilão Terráqueo), 15% do planeta Terra é habitado por seres de outros planetas.

* Myg, o segundo Karate Kid, foi criado em 1985 por Paul Levitz e Steve Leghtle e não tem ligação direta com o primeiro Karate Kid (que havia sido morto pelo vilão Nemesis, anos antes). De gênio explosivo e um tanto rebelde (bem ao contrário de seu "xará"), esse herói participou pouco da Legião dos Super-Heróis, mais entrando em conflito com seus integrates do que colaborando.

* Os três fundadores da Legião dos Super-Vilões, Rei Cósmico, Rainha de Satúrno e Lorde Relâmpago, são uma irônica versão dos três fundadores da Legião dos Super-Heróis, Cósmico, Satúrnia e Relâmpago. No entanto, não eram exatamente contrapartes dos heróis, vindas de outra dimensão (como era comum em se mostrar nas histórias da DC Comics). Eram, sim, renegados dos respectivos planetas dos heróis, sendo considerados criminosos em cada um deles.

segunda-feira, 19 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 644

 - DC Universe 0 (Junho de 2008)
> Publicada no Brasil na revista Universo DC Especial: Começa a Crise Final nº 1, pela editora Panini

História:

* "Let There Be Lightning" - Escrita por Grant Morrison e Geoff Johns, desenhada por George Perez, Doug Mahnke, Tony Daniel, Ivan Reis, Aaron Lopresti, Philip Tan, Ed Benes, Carlos Pacheco e J.G. Jones, arte finalizada por Scott Koblish, Christian Alamy, Tony Daniel, Oclair Albert, Matt Ryan, Jeff De Los Santos, Ed Benes, Jesus Merino e J.G. Jones

Pequeno prelúdio de aprensentação da Crise Final, evento da editora DC Comics que fecha uma trilogia de Crises (sendo Crise nas Infinitas Terras, a primeira, e Crise Infinita, a segunda) e que tinha como objetivo reformular/atualizar seus principais personagens e conceitos. Essa nova empreitada foi elaborada pelos dois mais badalados escritores da casa, Grant Morrison e Geoff Johns, que vinham fazendo um excelente e elogiado trabalho em revistas mensais da empresa.

A minissérie principal é interligada, além de eventos nas revistas mensais, a diversas sub-minisséries que abordavam personagens específicos (de certa forma, que não tinham mais uma revista mensal onde poderiam se desenvolver as consequências do evento).

A Legião é mostrada sendo atacada por vilões do século XXXI, por criaturas de sombras (espécie de asseclas do vilão da primeira Crise) e são auxiliados pelo Superman.
 

domingo, 18 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 643


- Dreamwar 6 (Novembro de 2008)

História:

* "...Perchance to Dream" - Escrita por Keith Giffen, desenhada por Lee Garbett, arte finalizada por Trevor Scott

O desespero do garoto Quimera, que está proporcionando o encontro dos universos DC E Wildstorm através de seus sonhos, o leva a tomar uma medida que destruirá a Terra. Ele está criando um Devorador de Sóis dentro da Lua. Ou seja, se um devorador já não fosse ameaça suficiente (afinal, como o nome diz, trata-se de uma enorme criatura capaz de devorar o Sol) a própria eclosão da Lua, em seu nascimento, pode extinguir a vida no planeta.

As equipes se dividem em uma missão para a Lua (acompanhado de perto pelos legionários, que estão acostumados a enfrentar um Devorador), onde tentarão deter o monstro, e outra para procurar o garoto adormecido, que está sonhando tudo. É interessante notar que cada um dos mundos difere na opinião do que fazer diante da crise. Para os radicais da Wildstorm, basta matar o garoto, o que poderia fazer com que aquela realidade (mesclando os personagens de ambos os mundos) durasse para sempre. Para os heróis da DC (particularmente para Superman), matar é errado e o que deve ser feito é apenas acordar o garoto. Porém, com isso, eles (que são parte do sonho) deixariam de existir. A decisão do Superman de sacrificar a si mesmo e a seus colegas chega a dar um outro tom da palavra "heroísmo" para os personanagens Wildstorm, pouco acostumados com tanta nobreza.

Quando o garoto é acordado, de fato os construtos de heróis da DC desaparecem. Mas a aventura marcou o universo Wildstorm para sempre.

A+:

* A criatura conhecida como Devorador de Sóis tem parte importante dentro da mitologia da Legião. Considerada uma das maiores ameaças do Universo, foi responsável pela primeira morte do herói Ferro, que se sacrificou para deter uma delas.

* A participação pouco comum (não que houvesse algo comum nessa minissérie) da Legião nessa saga mostra o imenso carinho com que o escritor Keith Giffen tem com os personagens. Ele mesmo foi um dos mais famosos desenhistas e escritores das aventuras da Legião nas décadas de 70, 80 e 90.

sábado, 17 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 642


- Dreamwar 5 (Outubro de 2008)
História:

* "Bad To The Bone" - Escrita por Keith Giffen, desenhada por Lee Garbett, arte finalizada por Trevor Scott

Como os heróis dos dois universos finalmente parecem ter se entendido e uniram esforços para não se matarem, o garoto sonhador conhecido como Quimera agora lança outros invasores no universo Wildstorm: supervilões! Os heróis dos dois mundos unem-se para enfrentar uma horda diversificada das maiores ameaças do universo DC.

Na Sibéria, a Legião e o Stormwatch enfrentam qwardianos, criaturas alienígenas da dimensão de antimatéria do Universo DC. Isso até a chegada de Validus, inimigo da Legião ligado ao grupo Quinteto Fatal... que pode piorar as coisas caso também apareçam. Um problema enfrentado aqui é que a Legião, agora que tomou consciência do que está acontecendo, prefere não matar e o Stormwatch acredita que, com isso, estão mais atrapalhando do que ajudando... já que estão dispostos a assassinar seus inimigos.

Continua...

sexta-feira, 16 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 641

 - Dreamwar 4 (Setembro de 2008)

História:

* "Ressurrection" - Escrita por Keith Giffen, desenhada por Lee Garbett, arte finalizada por Trevor Scott

Ao que tudo indica, os heróis do universo DC estão respondendo a uma entidade chamada Quimera. Ela é representada por um garoto que está "sonhando" as batalhas sangrentas entre os dois mundos.

Pouco a pouco, a Liga da Justiça vai percebendo que as lutas entre os heróis não podem ser reais. Ambos os lados colocam de lado suas diferenças e informam seus heróis que as batalhas se encerrem. Do lado da Legião, que sofre mais baixas, quem termina com as lutas é o Flash, que pede concentração dos legionários ao que estão fazendo. Saltador lembra da constituição da Legião, que diz que não devem matar.

Apolo e Meia Noite, integrantes do grupo Authority, chegam até o local onde está o garoto que manipula os universos. Antes que possam atacar, uma versão do monstro Apocalypse (o mesmo que ficou famoso por matar o Superman) emerge do trailer onde está dormindo e mostra que a situação está mesmo fora de controle.

Continua...

quinta-feira, 15 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 640

 - Dreamwar 3 (Agosto de 2008)

História:

* "Mettle" - Escrita por Keith Giffen, desenhada por Lee Garbett, arte finalizada por Trevor Scott

O massacre no universo Wildstorm continua dos dois lados.

Na Sibéria, a Legião é descoberta e os heróis fazem o possível para escapar do grupo Stormwatch... até mesmo matar! Nem mesmo os soldados feridos são poupados, uma vez que Transmutador elimina os poucos sobreviventes. Mesmo assim, é morto por um membro da Stormwatch. Solar é outro legionário que encontra seu fim. Estranha-se, no entanto, que os uniformes dos legionários são de vários períodos do tempo.

Outros grupos atacam bases dos heróis daquele universo e a batalha que se segue é sangrenta. Assim como o Arqueiro Verde, Batman é morto. Superman é o único que percebe que há algo errado.

Continua...

quarta-feira, 14 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 639

 - Dreamwar 2 (Julho de 2008)

História:

* "First Strike" - Escrita por Keith Giffen, desenhada por Lee Garbett, arte finalizada por Trevor Scott

Eu havia falado que os heróis da Wildstorm eram mais cruéis do que os heróis da DC Comics, não? Bom... Vamos repensar tudo isso...

Sem um motivo aparente, o plano dos heróis DC não parece ser um mero incidente. Há algo planejado entre os grupos que estão aparecendo. Novos Titãs, Liga da Justiça, Legião dos Super-Heróis, Sociedade da Justiça. Todos agem como se houvesse um objetivo, como se fosse uma invasão. E há um consenso entre os grupos... que é o de matar os heróis daquele universo. O que estará acontecendo, afinal?

Continua...

terça-feira, 13 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 638

 - Dreamwar 1 (Junho de 2008)

História:

* "Chimera Rising" - Escrita por Keith Giffen, desenhada por Lee Garbett, arte finalizada por Trevor Scott

Em meados dos anos 80, houve uma explosão de popularidade dos quadrinhos de super-heróis, catapultando o nome de escritores e desenhistas desde então. Essa tendência continuou crescendo até a década seguinte, onde praticamente o mercado de quadrinhos implodiu.

Os mais renomados profissionais da área tornaram-se independentes das grandes editoras e formaram suas próprias ou partiram para empreitadas mais pessoais. Uma dessas novas direções foi a editora Image. Uma de suas grandes estrelas, o desenhista Jim Lee, então um dos nomes mais populares da Marvel Comics (onde, entre outros títulos, desenhou os X-Men), criou seus próprios personagens que se tornariam mais tarde parte de uma espécie de universo particular, conhecido como Wildstorm.

Wildstorm se tornou um selo e, como a proposta inicial da Image era dar mais poder sobre os direitos dos personagens a seus criadores, Jim Lee decidiu barganhar sua nova criação... com uma grande editora, a DC Comics. É fato que a intenção dos novos autores era se tornar tão grande quanto as maiores editoras de quadrinhos (Marvel e DC), mas sua popularidade profissional não era o bastante para enfrentar décadas de experiência administrativa que as concorrentes acumulavam.

Inicialmente, o selo Wildstorm, agora publicado pela editora DC Comics, não misturava seus personagens com outros da casa (Superman, Batman, Liga da Justiça...). Com o tempo, porém, e graças aos inúmeros encontros de personagens de "universos" diferentes, o mundo criado por Jim Lee mostrava ter mais em comum com os tradicionais personagens do que se pensava.

Muitos desses encontros (comumente chamados de crossovers) aconteceram tanto na Marvel quanto na DC. Mas a consagração desses dois universos aconteceu na minissérie Dreamwar, onde se pode comparar claramente as diferenças entre dois mundos. Apesar de também conter super-heróis, o mundo de Wildstorm é mais cruel e sanguinário do que o do universo DC. Inclusive o caráter de seus heróis.

Nesse encontro definitivo entre esses dois mundos, várias edificações do universo DC simplesmente aparecem no universo Wildstorm. A Torre Titã, base de operações do grupo Novos Titãs aparece no meio de uma prisão onde o herói Majestic (espécie de Superman do mundo Wildstorm) entra em conflito com os estranhos jovens.

Na Rússia, um estranho foguete (com formas tão simples quanto uma nave desenhada por uma criança, simplesmente aparece encrustrado no solo gelado. Para os leitores mais veteranos essa cena traz uma lembrança bastante comum: a base de operações da Legião dos Super-Heróis tem justamente o formato de um foguete enfiado na terra.

As autoridades locais e o grupo de heróis conhecido como Stormwatch (espécie de grupo que atua livremente por todo o planeta) investigam a localidade e não encontram dois distintos cavalheiros: Camaleão e Rapaz Invisível, que se infiltram para descobrir onde estão afinal.

Continua...

segunda-feira, 12 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 637

 - Legion of Super-Heroes 50 (Março de 2009)

História:

* "Hack The Infinity Net" - Escrita por Justin Thyme, desenhada por Ramon Bachs, arte finalizada por John Livesay

Uma horda de monstros destruidores ataca a Terra e, além de serem em um número bem maior do que os legionários, ainda são criaturas controladas por uma raça desconhecida, não sendo formado por corpos vivos.

Para enfrentar a ameaça em seu próprio ambiente, Brainiac 5 digitaliza a mente de alguns legionários e os envia ao mundo "espiritual" onde estão vindo as ordens de controle da invasão.

Os legionários digitalizados descobrem que a raça que os ataca na verdade está longe de ser belicosa. É formada por criaturas frágeis que, justamente por isso, decidiram deixar o mundo material e digitalizar toda a espécie para um mundo imaterial onde estariam mais seguros. Porém, com o tempo, criaram os destruidores para digitalizar toda a vida do mundo material. A secretária dos Planetas Unidos que foi morta, por exemplo, teve sua mente digitalizada e está vivendo nesta dimensão. Mas a paz dura pouco quando descobrem que a governante daquele local adquiriu o poder de "deletar" aqueles que a desagradam.

No mundo material, os destruidores chegam até a sede da Legião e atacam o laboratório de Brainiac 5, onde estão os corpos de seus colegas digitalizados. Brainiac 5 só não é morto por estar protegido em seu campo de força. Isso lhe dá tempo de criar uma defesa virtual que domina a dimensão dos invasores e desliga todos os destruidores. O preço por isso, no entanto, é a aparente morte dos legionários que estão na dimensão virtual, uma vez que seus corpos físicos foram destruídos no ataque...

No entanto, contando com a possibilidade de algo dar errado, Brainiac 5 fez cópias biológicas dos legionários. Explica que isso é o mesmo que a capacidade de nosso corpo regenerar células mortas que são expelidas diariamente. O que fez foi acelerar o processo, criando novos corpos. As mentes digitalizadas são inseridas neles e... os legionários estão vivos! Mais que isso, o gênio da Legião aproveita a experiência e traz outra mente do mundo imaterial: Sonhadora, sua "esposa" que agora ocupa um novo corpo físico entre os legionários.

A+ :

* Final de mais uma série mensal da Legião. Jim Shooter, o escritor regular da série, no entanto, não participou do desfecho da própria saga que criou (e nem mesmo o desenhista Francis Manapul, restando, da equipe atual, apenas o artefinalista John Livesay). Quando foi anunciado que o clássico escritor voltaria escrever histórias da Legião, os leitores ficaram animados com a notícia. Afinal, Shooter começou sua carreira com esses, na década de 60, e o carinho que tinha por eles só poderia trazer bons resultados. Ou não...

Nem a crítica nem o público simpatizou com a fórmula que o escritor utilizou para contar sua história, considerada antiquada para a época em que foi publicada. O que funcionava na década de 60 não era exatamente o formato ideal para 2008/2009, por exemplo.

Shooter imaginava contar a saga em dezoito (!) edições, onde fecharia com um grande final. Obviamente, isso tornou a revista arrastada e, de certa forma, deixando o leitor um tanto perdido com o que estava acontecendo. Para tentar consertar esse imprevisto (que duraria um ano e meio, afinal), os editores da DC Comics decidiram cortar várias cenas e edições da grande saga de Shooter. Isso trouxe desconforto ao escritor (que já tinha fama de não ter um gênio muito fácil de lidar) e ocasionou sua saída prematura do título, mal concluindo a saga como desejava terminar.

Ironicamente, Shooter, na década de 80, foi editor-chefe da Marvel Comics e tinha a fama de cortar várias edições criadas por escritores e desenhistas da época, inclusive com acessos de fúria humilhando os profissionais. Mesmo levando a editora para uma época de ouro, catapultando as vendas (e mudando, de certa forma, o mercado de quadrinhos americano), essa mesma direção não funcionava mais e Shooter acabou por ser vítima de um remédio muito parecido com o que aplicava quando estava no comando.

domingo, 11 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 636

 - Legion of Super-Heroes 49 (Fevereiro de 2009)

História:

* "One Evil" - Escrita por Jim Shooter, desenhada por Francis Manapul, arte finalizada por John Livesay

Brainiac 5 investiga a arma emuladora de poderes dos monstros destruidores. Descobre que eles não são exatamente vivos, mas uma espécie de fantoches controlados a distância. Acompanhado de outros legionários, encontra um planeta onde milhões dessas criaturas estão sendo contruídas. Por coincidência, descobre também que a comitiva do novo planeta do Sistema Solar... não passa de criaturas controladas também a distância.

A ligação entre os dois fatos (os monstros destruidores e a delegação do novo planeta) está muito além do que o gênio da Legião supõe. Relâmpago, através da presidenta da Terra, descobre que a arma que matou a secretária da Federação... é o mesmo emulador estudado por Brainiac.

Princesa Projectra, enlouquecida devido a perda de seu planeta, entra em conflito com Etérea e a fere gravemente, deixando-a desacordada. Na enfermaria, mesmo protegida por Satúrnia, a Princesa manipula a mente da legionária e apaga as lembranças de Etérea sobre o ataque. Pior, o maior suspeito de tê-la atacado é Lobo Cinzento, amado da Princesa que havia discutido com Etérea momentos antes. A natureza do ataque, inclusive, remete a sua selvageria.

No meio dessa crise interna, a presidenta da Terra chama os legionários para uma urgência: bilhões (sim, bilhões...) de destruidores estão atacando o planeta Terra.

Continua...

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 635

 - Legion of Super-Heroes 48 (Janeiro de 2009)

História:

* "The Edge of Doom" - Escrita por Jim Shooter, desenhada por Francis Manapul, arte finalizada por John Livesay

Uma delegação do novo planeta que surgiu no Sistema Solar visita a Terra a os secretários dos Planetas Unidos. Sendo uma raça nova e desconhecida, a missão diplomática tem como objetivo a integração da mesma mostrando pontos chaves da administração. Os novos visitantes utilizam um aparelho parecido com uma arma, mas que se mostra ser uma espécie de sensor onde todo conhecimento é gravado.

Enquanto isso a Legião está ocupada com uma nova seleção de candidatos a legionários. Dentre os quatro, que passam por uma bateria de testes, apenas Gazela, a jovem encontrada no planeta que serve de estação de esqui e que demonstrou habilidades especiais devido ao controle de seu próprio metabolismo, foi aceita como nova integrante. Uma surpresa no meio da seleção fez com que um antigo legionário fosse reintegrado: Solar, que havia liderado os ex-terroristas da Terror Firma.

Brainiac 5 descobre que os monstros alienígenas que estão atacando vários planetas (e se adaptando aos poderes de legionários, quando esses os enfrentam) tem uma natureza muito peculiar. É como se eles não pertencessem a dimensão onde estão e sim em um plano... mais espiritual.

Na delegação que visita a Terra, um incidente acontece. O "gravador" de conhecimento dos alienígenas é apontado para a secretária dos Planetas Unidos, que não reage pois imagina que estão assimilando as informações que ela está passando. Porém, a delegação desaparece em seguida... e a secretária está morta.

Continua...

A+:

* Na seleção para novos legionários, uma das candidatas é Noturna, antiga personagem que pertenceu a Legião dos Heróis Substitutos e já foi a amada de Cósmico. Nessa nova versão, a personagem é vista pela primeira vez mas, assim como em suas aparições anteriores, sua superforça que só funciona no escuro não é suficiente para que ela figure entre os membros ativos do grupo.

sexta-feira, 9 de março de 2012

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 634


- Legion of Super-Heroes 47 (Dezembro de 2008)

História:

* "Dream Wedding, Blind Love" - Escrita por Jim Shooter, desenhada por Rick Leonardi, arte finalizada por Dan Green

Enquanto a Legião se prepara para uma guerra alienígena, Brainiac 5 continua tendo visões com a falecida legionária Sonhadora. Essas visões tornam-se cada vez mais reais, a ponto do cético legionário procurar uma médium para ajudá-lo a fazer contato com aquela que considera sua amada.

Real ou não, a médium diz estar possuída pelo espírito de Nura e, juntamente com Brainiac 5, tem um encontro ideal, que culmina com votos de casamento entre os dois. Brainiac 5 percebe que tudo aconteceu em seus sonhos... mesmo assim, considera que a essência de Sonhadora é uma força sapiente.