quinta-feira, 25 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 227


- Legion of Super-Heroes 55 (Dezembro de 1988)
.
Histórias:
.
* "Different Paths" - Escrita por Paul Levitz e Keith Giffen, desenhada por Ernie Colón, José Luis García-López, Keith Giffen e Erik Larsen

Com tantos personagens envolvidos na Legião dos Super-Heróis, é natural que um leitor esqueça um personagem ou outro. Mas não TODOS os leitores, uma vez que cada um pode ter o seu legionário favorito. Essa edição mostra o destino de quatro deles que estão fora das grandes missões e, em alguns casos, até mesmo fora da Legião.

O destino da Feiticeira Branca (com desenhos inspirados de Ernie Colón) está no Mundo dos Bruxos, onde ela aprendeu artes místicas. Diferente da aluna de outrora, a legionária agora tem a difícil missão de ensinar.

Brainiac 5 (desenhado por Keith Giffen) voltou para o seu mundo natal, mas já sente falta de seus companheiros.

Sonhadora (desenhadda por Garcia-López) vive um pseudo-romance com o herói xanturiano Atmos. Ambos passam por uma saia justa quando voltam para o planeta dele, apenas para se deparar com o herói daquele planeta, Ástron, antigo (e verdadeiro) amor dela.

Bloko (desenhado por Erik Larsen) passa por mudanças em seu corpo rochoso e parece ter encontrado alguém que pode orientá-lo. Alguém que pode não ter intenções tão nobres quanto parece.



domingo, 21 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 226


- Legion of Super-Heroes 54 (Dezembro de 1988)
.
Histórias:
.
* "Strength In Numbers" - Escrita por Paul Levitz e Keith Giffen, desenhada por Keith Giffen
Publicado no Brasil na revista DC 2000 nº 20, em Agosto de 1991, pela Editora Abril


Como a Legião dos Super-Heróis combate ameaças por vários planetas (e não apenas na Terra), havia um local para onde tantos criminosos eram enviados, o planeta Takron-Galtos. Após a Crise Nas Infinitas Terras, esse planeta foi destruído e uma nova prisão, semelhante a uma gigantesca nave, foi criada: O Labirinto. Para lá, por exemplo, foram enviados os membros da última versão da Legião dos Super-Vilões. E é nessa prisão que esse arco se inicia.

Uma rebelião acontece no Labirinto e alguns legionários são escalados para contê-la. Polar, atual líder da Legião, fica em dúvida se está mandando os legionários corretos mas, quase que por sorte, sua liderança é eficiente em evitar o pior.

Com os detentos novamente sendo levados para suas celas, percebe-se que tudo não passou de uma distração para se libertar uma das mais perigosas inimigas da Legião: a Imperatriz Esmeralda.

O desenhista Keith Giffen aparentemente termina a reformulação visual dos personagens, dando-lhes uniformes que mais se assemelha a jaquetas, ainda coloridos, mas com menos aparência de colantes, o que dá uma humanização interessante aos legionários (que, na história, dizem odiar as novas vestimentas).
 

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 225


- Legion of Super-Heroes 53 (Dezembro de 1988)
.
Histórias:
.
* "Hunters And Hunted" - Escrita por Paul Levitz e Keith Giffen, desenhada por Keith Giffen
Publicado no Brasil na revista DC 2000 nº 19, em Julho de 1991, pela Editora Abril


Enquanto Polar se preocupa com uma Legião dos Super-Heróis desunida e desmantelada, outros legionários cumprem missões particulares com certo sucesso.

Penumbra vê sua nave, levando seu agora marido Mon-El para se recuperar de ferimentos, ser atacada e só tem que contar com ele, mesmo debilitado, para os tirar daquela situação.

Tellus, Moça Relâmpago e Rapaz Magnético conseguem capturar o alienígena que está causando distúrbios climáticos no planeta Braal. E as insunuações da legionária para o jovem herói magnético começam a tomar contornos de humor na história. Ele se mostra absurdamente ingênuo perante o assédio da colega, o que já está tirando a paciência da moça.
 

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 224


- Legion of Super-Heroes 52 (Novembro de 1988)
.
Histórias:
.
* "Rites Of Passage" - Escrita por Paul Levitz e Keith Giffen, desenhada por Keith Giffen
Publicado no Brasil na revista DC 2000 nº 17, em Maio de 1991, pela Editora Abril


Com a saída de Brainiac 5 e sob a liderança vacilante de Polar, a Legião dos Super-Heróis se vê em meio a uma crise interna.

Bloko, o legionário rochoso, encara o fato de que pode ser o último e solitário ser de sua espécie. Penumbra leva Mon-El até Daxam, afim de que ele seja operado dos graves ferimentos que sofreu nas mãos do Senhor do Tempo. Mas como operar um corpo invulnerável? Desesperada, a legionária amputa seu dedo mindinho, ritual cerimonial de matrimônio entre seu povo, para se ligar definitivamente ao herói. Enquanto isso, Tellus, Moça Relâmpago e Rapaz Magnético (irmão mais novo de Cósmico) vão até o lar deste último, o planeta Braal e se deparam com um alienígena que tem causado enorme tremores de Terra pelo planeta.

Dois pontos interessantes dessa edição que mais serve de ressaca pós-saga (da conspiração). A ironia de Keith Giffen mostra suas garras tanto no andamento do roteiro quanto nos visuais criados por ele. A criaturinha andróide deixada por Brainiac 5 para apresentar seu laboratório aos legionários nada mais é do que uma versão anã do vilão gigante Validus. Mais irônico impossível.

Também há um certo clima de sedução por parte da Moça Relâmpago no que se refere ao Rapaz Magnético. Interessante como seu (quase) sutil flerte caminha aborda o fato de que ele é um garoto (em relação a ela) que está se transformando em herói... e em um homem que está despertando sua atenção, criando um clima sacana no ar... e por parte dela!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 223


- Legion of Super-Heroes Annual 4 (Novembro de 1988)
.
Histórias:
.
* "Secrets Within The Star" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Barry Kitson
* "Sunset, Sunrise" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Garry Leach


Na primeira história desse anual da Legião, temos o resultado das investigações do Camaleão a respeito do vilão Zoroastro. Em uma situação complicada, o legionário conta com o resgate de seus outros companheiros do grupo de espionagem para livrá-lo e a seu companheiro Colossal.

Por falar em Colossal, é revelado que o vilão é um criminoso conhecido desse legionário, dos tempos em que ele pertencia a Polícia Científica. Em fuga, esse criminoso encontrou um poderoso anel onde estavam encarceradas as suas asseclas (tal qual uma lâmpada de Aladin). Além de as libertar ele adquiriu enorme poder e assim nasceu Zoroastro.

Quando os outros legionários e a Polícia Científica invadem a base do vilão, sua escapatória se dá em esconder-se dentro do anel junto as suas assistentes. Este anel, recolhido pela legionária Violeta, recebe a vigilância da polícia para que o vilão não escape. Enquanto isso, ele planeja a morte da Legião quando dali sair.

Na segunda história uma nova tentativa do herói Atmos em se aproximar de Sonhadora. Acontece que a legionário fazia par com Astron, ex-legionário que também era herói de Xantu, planeta de Atmos. Como Astron não mais pertence a Legião (e a vida de Sonhadora), o segundo herói daquele planeta se vê atraído pela beleza de Sonhadora e faz de tudo para conquistá-la.
 

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 222


- Legion of Super-Heroes 51 (Outubro de 1988)
.
Histórias:
.
* "The Trial of Brainiac Five" - Escrita por Paul Levitz e Keith Giffen, desenhada por Keith Giffen
Publicado no Brasil na revista DC 2000 nº 16, em Abril de 1991, pela Editora Abril

Após consumado o plano conspiratório para destruir o vilão Senhor do Tempo, o legionário Brainiac 5 é levado a julgamento por quebrar uma das mais importantes regras da Legião, que é a de não tirar a vida de um ser consciente. Porém, neste caso, não é o vilão quem está sendo objeto do julgamento, mas o Homem Infinito. Acontece que este outro vilão foi usado pelo gênio da Legião para destruir o Senhor do Tempo.

Liderados por Polar, então um afetado e intempestivo líder, começa uma discussão sobre o direito de se tirar uma vida. O julgamento (e a história em si) toma contornos mais profundos quando leva-se em conta que o Homem Infinito, em sua forma humana, já estava em estado vegetativo devido a seu grande poder. Os rumos da discussão, portanto, tem leves contornos sobre a velha questão da eutanásia.

No final da votação, Brainiac 5 é inocentado de suas ações e é permitido que ele fique na Legião. Até mesmo os governos da Terra demonstram apoio a sua presença, mas isso devido a contribuição tecnológica que seu gênio pode dar a humanidade.

Mesmo com um resultado positivo, Brainiac 5 decide deixar a Legião dos Super-Heróis, disponibilizando seu laboratório aos outros legionários e deixando seu poderoso cinto de campo de força para a ex-Dama Dupla, que perdeu um de seus corpos na batalha contra o Senhor do Tempo e agora, aparentemente, não tem nenhum superpoder.

Enquanto isso, o esquadrão de espionagem parte ao resgate de Camaleão e Colossal.

Interessante discussão sobre a valorização da vida e mesmo o direito a se tirar uma vida abordada nessa edição. Uma forma inteligente de desenvolver a personalidade de cada um dos heróis legionários, que nessa altura já não são poucos, mostrando o ponto de vista peculiar de cada um deles sobre o assunto.

Visualmente também é interessante como o desenhista Keith Giffen usa esse momento um tanto quanto formal para alterar os uniformes dos legionários conforme o atual estilo de seu traço.

domingo, 14 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 221


- Legion of Super-Heroes 50 (Setembro de 1988)
Publicado no Brasil na revista DC 2000 nº 15, em março de 1991, pela Editora Abril

.
Histórias:
.
* "Life and Death at the End of Time" - Escrita por Paul Levitz e Keith Giffen, desenhada por Keith Giffen

CONSPIRAÇÃO (parte 5 de 5)


Agora que todos os legionários sabem o plano secreto dos "conspiradores" (aniquilar o vilão Senhor do Tempo), basta viajar para o fim dos tempos e destruí-lo, certo? Errado! Ainda há um trunfo na manga dos conspiradores...

Com a ajuda de Rond Vidar, os legionários montam um cubo do tempo capaz de levá-los até o vilão. Porém, ao ligar o aparelho, apenas Brainiac 5, Mon-El, Satúrnia e Dama Dupla (os conspiradores) são levados... Para a surpresa de todos os outros legionários, essa ação foi premeditada de acordo com o plano inicial dos quatro.

No fim dos tempos, os quatro legionários encaram o onipotente vilão. Mon-El, o mais poderoso deles é derrotado facilmente. Os poderes mentais de Satúrnia não são suficientes para sequer abalar o Senhor do Tempo. Dama Dupla, a maior vítima dessa empreitada, capaz de dividir-se em dois corpos distintos, vê um de seus corpos ser desintegrado (!!!!).

Sem que os outros soubessem, Rond Vidar, o engenheiro do tempo, os segue e mostra um trunfo inesperado... ele agora se tornou um Lanterna Verde. Essa é a explicação de como ele escapou da morte. Como seu pai, o vilão Universo, era um Lanterna renegado, Vidar roubou seu anel e passou a usá-lo. Mesmo assim, todo o poder do anel não é páreo para o vilão.

Restou a Brainiac 5 utilizar sua inteligência e seu plano inicial para dar cabo do vilão. Como trunfo ele leva o vilão (desacordado) Homem Infinito. O plano baseia-se no fato de que o Senhor do Tempo representa o fim dos tempos e o Homem Infinito... bom... representa o infinito. Logo, essas duas poderosas forças se anulam e o vilão é destruído. Infinito, apesar de anteriormente culpar Brainiac 5 por sua criação, o perdoa no momento da explosão.

Os quatro legionários e Rond Vidar voltam ao seu tempo, com graves sequelas dessa arriscada aventura... mas com a certeza que a ameaça do Senhor do Tempo foi resolvida.

Uma inspirada trama para marcar a volta de Keith Giffen como desenhista da série e comemorar o número 50 da revista da Legião. Inspirada como o texto final dessa saga, escrita por Paul Levitz:

"Todas as coisas terminam aqui, mesmo as que nunca começaram. Sonhos se tornam pó, vidas se apagam da memória. Em todo o Universo, há energia apenas para remoer os fragmentos do passado e abandonar a esperança de futuro. Este era seu reino, e seu dia chegou.

Todos os seres vivos contemplaram este lugar em pesadelo e estremeceram. Se a lógica briga com a fé quanto à natureza do começo, o mesmo se dá com o fim.A lógica decreta que tudo o que começa precisa terminar. Este era o destino dele, que por fim se concretizou. Eles dão nome ao desconhecido e fingem entendê-lo. Chamam isto de final dos tempos e acreditam que não viverão para estar aqui.

Ele já recebeu milhares de nomes. Noite. Morte. Apocalipse. Eternidade. Entropia. Tempo. Para poucos que ousaram olhar seu rosto, que não é rosto, ele ficou conhecido como Senhor do Tempo. Para tudo o que vive, se mexe e espera o próximo amanhecer, ele é o inimigo.

Todas as coisas terminam aqui, mesmo as que nunca começaram. Sonhos se tornam pó, vidas se apagam da memória. Em todo o Universo, há energia apenas para remoer os fragmentos do passado e abandonar a esperança de futuro. Este era seu reino, e seu último dia chegou".
 

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 220


- Legion of Super-Heroes 49 (Agosto de 1988)
.
Histórias:
.
* "A Time To Live" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Pat Broderick

CONSPIRAÇÃO (parte 4 de 5)


Ao confrontar os conspiradores, tanto Sensora quanto os outros legionários são vítimas de um extenso ataque sonoro que os desequilibra momentaneamente. É o início das investidas do terrorista Zoroastro que, também, acaba de descobrir os disfarces dos legionários espiões Camaleão e Colossal.

Com o momentâneo cessar do ataque, Sensora consegue colocar os conspiradores contra a parede e, finalmente, é revelada a verdade sobre os planos sombrios que cercam alguns membros:

No funeral de Superboy, morto pelo Senhor do Tempo, os legionários que hoje formam o grupo de conspiradores chegaram a conclusão que o vilão era uma ameaça muito poderosa tanto para os legionários quanto para a época futura em que viviam. Afinal de contas, ele representava o fim dos tempos e do universo. Decidem, portanto, elaborar um plano que quebrava com um importante código da Legião: nunca matar. Era necessário ir até os domínios do Senhor do Tempo e exterminá-lo antes que ele voltasse a atacar. A ação desesperada foi planejada justamente porque percebeu-se que o maior de todos os legionários, Superboy, caiu diante da batalha com o vilão. Os outros legionários, obviamente, não concordaríam com a ação suicida. Mas, como algo deveria ser feito (e para proteger seu colegas) decidiram seguir em frente sem os outros.

Esclarecido o que estava ocorrendo, inclusive o fato de utilizar uma estrela anã para energizar uma suposta máquina do tempo (idéia catastrófica da edição anterior), os conspiradores agora contam com a ajuda de outros legionários.

Porém, mesmo com o intelecto de Brainiac 5, não conseguem criar um dispositivo de viagem no tempo satisfatório. Problema esse que é resolvido pela chegada de um surpreendente novo integrante da empreitada: Rond Vidar, diretor do Instituto do Tempo, criador das principais máquinas do tempo do futuro... supostamente morto recentemente pelo vilão (e seu pai) Universo.

Continua...

sábado, 13 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 219


- Legion of Super-Heroes 48 (Julho de 1988)
.
Histórias:
.
* "A Time To Die" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque e Pat Broderick

CONSPIRAÇÃO (parte 3 de 5)


Sensora toma ciência da conspiração interna da Legião dos Super-Heróis e toma as rédeas da situação, a ponto de convencer Tellus e Rapaz Magnético a deixarem a investigação por sua conta. A experiente legionária tem uma abordagem menos discreta e um posicionamento mais agressivo em colocar seus antigos colegas contra a parede e confessarem o que está havendo realmente.

Para complicar ainda mais e evidenciar que algo de podre se esconde entre os legionários, os conspiradores, liderados (ou administrados) por Brainiac 5, trazem uma estrela anã para a sede da Legião, afim de energizarem um equipamento misterioso, ligado aos motivos da conspiração. A experiência, no entanto, quase destrói a sede e põe em risco o próprio planeta. Todos se perguntam sobre o porque de alguns legionários arriscarem tanto em uma pesquisa fadada ao fracasso. O que traz mais desconfiança sobre os motivos obscuros dos conspiradores.

Camaleão continua sua investigação entre a organização criminosa de Zoroastro e descobre que seu colega legionário, Colossal, é refém do vilão.

Continua...
 

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 218


- Legion of Super-Heroes 47 (Junho de 1988)
.
Histórias:
.
* "Conspiracy Theory" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque e Pat Broderick

CONSPIRAÇÃO (parte 2 de 5)

Tellus não encontra muitos aliados fortes em sua busca desesperada para desbaratar a conspiração, mas sente-se na obrigação de continuar a tentar. Para piorar a situação, desabafa com sua ex-professora da Academia, Dama Dupla, uma legionária veterana a quem confia o segredo. Mas, para seu azar, ela também faz parte do grupo dos conspiradores.

Enquanto isso, Camaleão continua se infiltrando no mundo criminoso de Zoroastro, descobrindo uma grande organização que planeja atacar outros planetas.

Continua...
 

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 217


- Legion of Super-Heroes 46 (Maio de 1988)
.
Histórias:
.
* "On The Fourth Hand" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque e Pat Broderick

CONSPIRAÇÃO (parte 1 de 5)

Trama inspiradíssima que levou os leitores a se questionarem sobre um mistério sombrio que rondava o grupo e, de fato, está recheado de muitas reviravoltas, preparando também terreno para a volta do desenhista Keith Giffen ao título.

Tudo começa quando Polar, então líder eleito da Legião, desconfia que há algum segredinho sórdido entre legionários e decide investigar. Seleciona Tellus para ser uma espécie de espião por ser um dos telepatas do grupo e ser um dos mais novos integrantes, recém formado da Academia da Legião e, portanto, um dos mais confiáveis até então.

De fato, Tellus descobre um segredo terrível entre os legionários e, o que é pior, da mente da mais poderosa telepata do grupo, além de fundadora, Satúrnia. Existe realmente uma conspiração entre os legionários e envolve um pequeno grupo dos mais importantes integrantes. Tellus se mostra tão horrorizado que inicia uma cruzada solitária para tentar impedir o que vai acontecer.

Como trama paralela (mas não menos importante nem menos intrigante), Camaleão usa seu status de espião para se infiltrar na guangue que o levará até o vilão Zoroastro, que voltou a agir sorrateiramente. Este sub-trama é desenhada pelo artista Pat Broderick.

Continua...
 

terça-feira, 9 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 215


- Legion of Super-Heroes Annual 3 (Outubro de 1987)
.
Histórias:
.
* "There's No Substitute for the Real Thing" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque

A NOVA LEGIÃO DOS HERÓIS SUBSTITUTOS

Quando a Legião dos Heróis Substitutos surgiu, a intenção era mostrar o lado engraçado dos candidatos que foram rejeitados pela Legião dos Super-Heróis, principalmente por terem poderes tão ridículos quanto a situação em que foram rejeitados. Mas, com o tempo (e as décadas), a piada foi perdendo a graça.

Na década de 80, temos Polar, um dos fundadores dos atrapalhados Substitutos, como líder da Legião "principal". Portanto, a nova Legião Substituta carregam um sentido mais literal de seu nome, ou seja, substituem os legionários em missões onde não é possível estes estarem presentes. E o mais curioso dessa nova formação é que, Cósmico, líder e principal fundador da Legião dos Super-Heróis, agora lidera os substitutos.

Cósmico e sua namorada, Noturna, encontram problemas no planeta dela quando a raça alienígena dos domínions tem um plano de conquista a nível dimensional partindo dali. O herói convoca seus colegas da Legião dos Super-Heróis para auxiliar, mas todos eles estão em alguma missão, não podendo ajudar. Porém, da Academia da Legião, Saltador atende o chamado e leva os alunos que tem ao alcance: o novo Marcial, Rainha Cometa e Rapaz-Visão. Junto com o casal e mais Dama Dupla (esposa do Saltador) temos a nova Legião dos Heróis Substitutos.

A missão é cumprida com eficiência heróica e o grupo decide se manter unido e de prontidão para novas missões.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 215


- Legion of Super-Heroes Annual 2 (Janeiro de 1986)
.
Histórias:
.
* "Child of Darkness, Child of Light" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Keith Giffen e Curt Swan

Em uma história que serviu de epílogo para a Saga das Trevas Eternas (o arco mais famoso da Legião dos Super-Heróis), o vilão Darkseid sequestra um dos gêmeos filhos de Relâmpago e Satúrnia e, ao que tudo indica, ele o transfomará no monstro conhecido como Validus. Com isso, se fecha um círculo de cruel vingança do vilão sobre os legionários, uma vez que Validus era conhecido por ser um dos maiores inimigos do grupo, apesar de sua origem ser desconhecida. Com esse anual, vemos a finalização desse elaborado plano de vingança.

Um dos servos de Darkseid (o daxamita Ol-Vir) cria uma espécie de culto ao vilão no futuro (na época em que vivem os legionários), utilizando o monstro Validus como intimidação para quem não quiser segui-lo. Após alguns legionários debandar o culto, Ol-Vir leva a criatura para destruir a sede da Legião. No entanto, o monstro se contém ao atacar onde seria seu quarto de bebê (Satúrnia mobiliou o quarto para seu outro filho) e reconhecer o símbolo de seus pais no quadro de convocação da Legião.

Ol-Vir descobre que Relâmpago e Satúrnia estão de folga e leva Validus para destruí-los. A intenção, no entanto, é inversa. Como cruel destino planejado por Darkseid, a situação toma o rumo do monstro capturar o filho do casal e Relâmpago, desesperado, estar pronto para usar suas rajadas elétricas para matar a criatura. É impedido por Satúrnia que, com seus poderes mentais, descobre que Validus é, na verdade, filho deles.

Ol-Vir vê seu plano (de fazer com que pai matasse o próprio filho) ir por água abaixo. Pior que isso (para o vilão), é ver que Satúrnia implora a Darkseid (representado por trevas), para que devolva seu filho a forma normal... o que é atendido prontamente. E prontamente, também, Ol-Vir é literalmente transformado em cinzas devido a sua falha.

A história termina não como uma vitória dos legionários, mas com Satúrnia indo até o templo de Darkseid agradecer por conceder seu filho de volta... mesmo ela sabendo que há uma dívida e um temor maior pelo vilão no futuro. Algo que é evidenciado por uma sinistra gargalhada ecoando nas trevas do templo já vazio.

domingo, 7 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 214


- Legion of Super-Heroes 45 (Abril de 1988)
.
Histórias:
.
* "Unlucky Streak" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque, Dave Cockrum, Keith Giffen, Mike Grell, Kurt Schaffenberger e Curt Swan

Comemorando os 30 anos de criação da Legião dos Super-Heróis, essa edição centraliza a história no legionário Relâmpago.

Os Senhores da Sorte, intrigados com a história de vida do herói (e houve época em que Relâmpago era o mais azarado herói dos quadrinhos), decidem testá-lo libertando da prisão seu pior inimigo: Lorde Relâmpago, que também é seu irmão.

A partir de então há várias passagens a respeito do passado do legionário, cada um deles desenhado por um artista diferente, porém que já fez parte das histórias do grupo.

O conflito final entre herói e vilão deixa os outros legionários de fora, uma vez que a batalha assume um ar pessoal de uma briga entre irmãos. Relâmpago vence o conflito sobre seu psicologimante descontrolado irmão.

sábado, 6 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 213


- Legion of Super-Heroes 44 (Março de 1988)
.
Histórias:
.
* "Quislet's Story" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque

Quislet é um dos mais estranhos legionários já criados, para não dizer um dos mais estranhos personagens dos quadrinhos. Já seria estranho em ter um herói em forma de mini-nave e é mais estranho ainda saber que ele, na verdade, é um amontoado de energia que ocupa a tal mini-nave. Nessa edição, o que já era estranho toma contornos mais esquisitos quando é mostrado um pouco do que é Quislet afinal de contas.

Como convém, a aventura começa de forma esquisita, já que Quislet criou uma espécie de buraco negro dentro de seu quarto, na sede da Legião, para levar ele e Pulsar (legionário feito de energia, mas em forma humanóide) a sua dimensão de origem.
Nessa dimensão, todas as criaturas são feitas de energia, sendo Quislet uma espécie de explorador/astronauta que foi colocado dentro da mini-nave para explorar outras dimensões e indo parar no mundo da Legião.

Seus conterrâneos não aceitam bem a idéia de Pulsar, considerado alienígena, estar visitando essa estranha dimensão e decidem exterminá-los. Quislet, sentindo-se agora como um honroso legionário, livra Pulsar do local e também foge para a sede da Legião, provando que, apesar de sua estranha aparência, já tem a verdadeira essência de um herói.

Edição quase minimalista, uma vez que uma dimensão feita de energia e seres de energia só podem ser desenhados com formas geométrias estranhas.
 

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 212



- Legion of Super-Heroes 42 e 43 (Janeiro de Fevereiro de 1988)
> No Brasil, publicadas na revista Super-Homem nº 63 e Liga da Justiça 11, da Editora Abril, em Setembro e Novembro de 1989

.
Histórias:
.
* "To Sleep A Thousand Years" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque
* "And Wake To Find A Dream" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque


MILÊNIO

A saga conhecida como Milênio interligou todas as revistas com os heróis da editora DC Comics no final da década de 80. A trama trazia a ameaça dos andróides conhecidos como Caçadores Cósmicos, que foram criados pelos Guardiões do Universo para que protegessem o universo. Mas as máquinas acabaram saindo do controle e os Guardiões procuraram outra forma de vigiar os cosmo, criando a Tropa dos Lanternas Verdes.

Pois bem... Centenas de anos depois, os refugos desses Caçadores Cósmicos ressurgem para dominar o Universo do qual foram expulsos/abandonados. A brincadeira editorial aqui é adivinhar quem era o traidor dentre os personagens coadjuvantes dos principais heróis da editora. Esse traidor era sempre um Caçador disfarçado que espionava o herói desde então.

Mas, no caso da Legião dos Super-Heróis, sagas interligando revistas podiam ser um problema a parte. Acontece que as histórias da Legião aconteciam mil anos após os outros heróis da casa. Isso significava que, se um vilão vencesse nas outras revistas, o futuro já estaria dominado por eles. Já que o futuro parecia não estar ameaçado, logo o leitor subentendia que os Caçadores foram derrotados no passado.

No entanto, o escritor Paul Levitz desencanou desse detalhe de planejamento editorial, explorando o fato de que um Caçador Cósmico pode ter se atrasado na conquista... por mil anos!

Seguindo a regra da saga, o Caçador é um coadjuvante próximo aos legionários. No caso, a escolhida foi Laurel Kent, suposta descendente do Super-Homem que, convenhamos, não havia sido aproveitado devidamente... dessa forma sendo ideal para ser sacrificada. A moça se revela uma caçadora cósmica e usou os galanteio de Solar para conseguir informações para seus colegas. Colegas que ela descobre tarde demais que já não mais existem (ou seja, os heróis venceram no passado). Com isso, acaba se autodestruindo. É o fim de Laurel Kent, assim enterrada pelos legionários que a conheceram durante mais tempo como a suposta colega de grupo do que como andróide assassino.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 211



- Legion of Super-Heroes 40 e 41 (Novembro e Dezembro de 1987)
> No Brasil, publicadas na revista Super-Homem nº 61 e 62, da Editora Abril, em Julho e Agosto de 1988

.
Histórias:
.
* "What Starfinger Touches" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque
* "Shall Ne'er Burn So Bright" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque


A Terra e o planeta Tharr (lar do atual líder da Legião dos Super-Heróis, Polar, recebe contínuos ataques terroristas por ordem do vilão Zoroastro. Os legionários ainda não tiveram um contato direto com esse novo vilão (que assumiu o nome de um antigo rival deles), mas aqui conseguem encontrá-lo e enfrentá-lo cara a cara.

Zoroastro assume uma imagem de líder de grande organização criminosa e terrorista. Seus adeptos, temerosos diante de sua presença, dão a impressão de serem verdadeiros fanáticos pela causa que ele defende (que, diga-se de passagem, não fica bem clara até aqui). O megalomaníaco vilão parece não poupar esforços para defender o próprio orgulho. Dessa forma, não pensa duas vezes em explodir seu próprio satélite para derrotar os legionários, mesmo que, aparentemente, isto leve a sua própria morte.

Os legionários escapam da fúria suicída de Zoroastro, mas Colossal é ferido diretamente pelo vilão e é obrigado a se afastar para sua recuperação, sob os olhos de sua dedicada esposa durlaniana.
 

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 210


- Legion of Super-Heroes 39 (Outubro de 1987)
> No Brasil, publicadas na revista Super-Homem nº 58, da Editora Abril, em Abril de 1988

.
Histórias:
.
* "The One That Got Away" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque e Curt Swan

Através de lembranças da policial Gigi Cusimano (um dos contatos da Legião com a Polícia Científica), tomamos conhecimento de fatos até então inéditos, como a origem do legionário Colossal, que ganhou seus poderes após ser atingido por um meteorito em Marte. Nessa época, ele (que também era cadete da Polícia) e Gigi mantinham um relacionamento que ia bem até o citado acidente, que o fez adquirir a capacidade de aumentar o próprio tamanho.

Agora com superpoderes, o policial Gim Allon percebeu que a Polícia Científica oferecia poucos recursos para a aplicação de suas habilidades especiais e decide entrar para um grupo que, então, estava se formando na Terra: A Legião dos Super-Heróis. Sua incursão como legionário, no entanto, o separa de Gigi, que decidiu seguir sua carreira como policial.

Além de sabermos mais sobre a origem do personagem, também ficamos sabendo de algumas curiosidades, como o fato do legionário Camaleão, que ingressava na Legião na mesma época, ter adotado esse codinome graças a uma idéia do próprio Colossal. O durlaniano não sabia que podia se usar codinomes até que Gim se apresentou com o nome de Colossal. Este, por sua vez, analisando a capacidade do futuro colega em mudar de forma, contou-lhe sobre um réptil terrestre chamado camaleão e este adotou o nome desde então.

A história é contada iniciando-se com uma espécie de brincadeira, onde Gigi segura uma caixinha dando idéia de que seria alguma espécie de aliança. Em seguida, vemos que ela está indecisa se aceita ou não um encontro com Solar (o grande paquerador da Legião), o que faz o leitor pensar se ela não está para decidir uma espécie de noivado com o herói. No final da história, ao recusar o encontro com Solar, Gigi mostra que a caixinha contém uma estrela de comandante da Polícia Científica, cargo que passa a aceitar desde então, e mostrando que continua dedicada a sua carreira, acima de decisões pessoais.

Apesar da arte de Greg Larocque (então desenhista oficial da série) estar presente, nos trechos onde a policial relembra o passado, a arte fica por conta do veterano desenhista Curt Swan, que dá um visual clássico a história.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 209




  
- Legion of Super-Heroes 37 e 38 (Agosto e Setembro de 1987)
- Superman 8 (Agosto de 1987)
- Action Comics 591 (Agosto de 1987)
> No Brasil, publicadas na revista Super-Homem nº 53 e Super Powers nº 11, da Editora Abril, em Novembro de 1988

.
Histórias:
.
* "A Twist In Time" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque
* "Future Shock" - Escrita e desenhada por John Byrne
* "Past Imperfect" - Escrita e desenhada por John Byrne
* "The Greatest Hero Of Them All" - Escrita por Paul Levitz, desenhada por Greg Larocque


A Morte do Superboy.


Quando a editora DC Comics tocou o projeto Crise Nas Infinitas Terras, além de comemorar os seus 50 anos no mercado, também colocou um pouco de ordem em sua infinidade de personagens e mundos paralelos (com versões dessa infinidade de personagens) para que, assim, iniciasse vida nova praticamente do zero, deixando suas histórias de mais fácil compreensão aos leitores e de forma que os escritores pudessem trabalhar as histórias com uma linha cronológica e lógica mais firme.

Por exemplo... Super-Homem agora tem uma origem mais simples. Não existem trocentos kriptonianos, kriptonitas de várias cores, super isso ou super aquilo. Super-Homem é o único kriptoniano vivo que chega a Terra e tem uma vida aparentemente normal, desenvolvendo seus poderes gradualmente. Chega a plenitude de seus poderes apenas na vida adulta, quando começa a atuar como o herói uniformizado que conhecemos.

Mas manipular cinquenta anos de histórias, com tantos personagens e detalhes em cada um deles é algo que dá uma incrível margem para falhas de planejamento. Em alguns casos, é bem verdade, não se trata nem de ser uma falha, mas uma escolha em que um detalhe é sacrificado pelo bom andamento de outro.

Assim sendo, já que o Super-Homem só viria a se tornar o super-herói na idade adulta, como explicar a existência da Legião dos Super-Heróis, uma vez que o grupo do futuro foi criado inspirado pelas aventuras de um Superboy, o Super-Homem quando adolescente, mas que nunca existiu? A resposta está nessa pequena saga, interligando a revista da Legião com alguns títulos mensais do Super-Homem.

Quem descobre que o passado foi alterado (em parte pelo evento Crise) é o herói Cósmico em sua última viagem pelo tempo. A partir daí, um grupo de legionários viaja até o passado e encontra o Superboy que conhecem, aparentemente sem muita alteração. No entanto, estranhamente, o garoto de aço tenta capturar seus colegas alegando que é necessário para se salvar o universo. Parte dos legionários consegue escapar e vai parar em uma época em que o Super-Homem já é adulto... mas não se trata do mesmo herói que foi Superboy!

A explicação é que o vilão Senhor do Tempo, antes da nuvem de antimatéria gerada pela Crise, encontrou uma espécie de universo paralelo e compacto, onde os únicos planetas importantes eram a Terra e Krypton, e o manipulou de forma que controlasse aquele Superboy. Chantageou o herói livrando o mundo de ser destruído, mas tencionava que esse destruísse os legionários no processo.

Esclarecido que Super-Homem e ESTE Superboy eram heróis distintos, estava explicada a existência da Legião, mas a um preço muito alto. Para deter o maquinário do vilão, Superboy se sacrifica e morre no futuro, na sede da Legião. Era o fim de um herói clássico que, mesmo não devendo ter existido, marcou época e teve um trágico capítulo final em prol das mudanças da editora.

Além do evento em si ter chamado a atenção dos leitores, o envolvimento (óbvio) do escritor e desenhista John Byrne, em um grande momento de sua carreira (sendo o responsável pela reformulação do Super-Homem), ajudou a capitanear a saga que mostrava que, apesar das mudanças, ajustes ainda estavam lá para serem feitos.