segunda-feira, 29 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 74


- Adventure Comics 375 e 376 (Dezembro de 1968 e Janeiro de 1969)

Histórias:
* "The King of The Legion" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Win Mortimer e Jim Shooter
* "The Execution of Chamaleon Boy" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Win Mortimer e Jim Shooter


The Wanderers.

O obscuro grupo The Wanderers apareceu do nada nas aventuras da Legião dos Super-Heróis como outro grupo de combate ao crime que agia de forma independente pelo espaço. Com pinta de justiceiros, era natural que o primeiro encontro entre os dois grupos se desse em um enorme quebra pau... e a história até começa incitando isso. No entanto, logo nos primeiro quadros, mostram um respeito mútuo, cada um considerando o outro como lenda das galáxias.

Os Wanderers eram formados por Celebrand, líder estrategista do grupo; Psyche, capaz de controlar as emoções; Quantum Queen, capaz de projetar e se transformar em energia; Elvo; mestre espadachim que carrega uma espada de energia; Dartalg, especialista em dardos explosivos; Ornitho, alienígena alado capaz de se transformar em qualquer pássaro; e Imorto, mercenário que nunca morre, rejuvenescendo cada vez que isso acontece.

Uma curiosidade, quando abordou uma volta a esse grupo, o desenhista Dave Cockrum havia criado um novo integrante. Porém, a idéia não deu muito certo e Cockrum foi trabalhar na Marvel. Lá, introduziu seu personagem em outro grupo de heróis, os mutantes X-Men. Esse personagem era ninguém menos que o demoníaco (na aparência) Noturno.

Apesar da história começar em clima amistoso, logo a situação volta ao "normal" para um encontro entre heróis. Ou seja, eles tinham que se enfrentar. Quando os Wanderers passam por uma nebulosa sinistra, eles se tornam maus por uma semana. Coincidentemente, um desafio é lançado por uma misteriosa mão gigante aos legionários: eles são questionados quem entre eles é o mais poderoso. A Legião encara o desafio como uma chance de realmente provar quem é o melhor e usa a captura dos Wanderers do mal como teste para a decisão.

No final, o mais improvável legionário é quem se dá melhor na tarefa: Saltador. No entanto, ao ser condecorado, uma estranha força o faz desaparecer. É quando aparece na sala: o Saltador??? Os legionários descobrem então que quem se passava pelo balofo herói era ninguém menos que o Camaleão, que assumiu a forma do colega para vencer uma das capturas.

Camaleão é levado a uma dimensão onde os habitantes agem como se estivesse na corte do Rei Arthur. A escolha do legionário mais forte deveu-se ao fato do campeão ter que enfrentar um terrível barão daquele reino. Ao vitorioso, a mão em casamento da belíssima princesa. De cara, o Camaleão se apaixona pela bela princesa e aceita o desafio. No entanto, os nobres cavaleiros são reticentes quanto ao seu campeão. Afinal, escolheram o Saltador e aquele era outro herói. Mesmo assim, Camaleão enfrenta o barão e o vence.

O ritual antes do casamento com a bela princesa consistia em colocar a cabeça em uma pedra, onde o "noivo" era abençoado por dois machados acima de seus pescoço. Os legionário conseguem uma imagem de onde o Camaleão está, justo quando ele passava por este estranho ritual. Julgando que o colega será degolado, os legionário o trazem de volta... que fica possesso por ter perdido o casamento com sua bela princesa.


terça-feira, 23 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 73


- Adventure Comics 374 (Novembro de 1968)

Histórias:

* "Mission: Diabolical" - Escrita por Jim Shooter Mort Weisinger, desenhada por Win Mortimer e Jim Shooter

Leland McCauley

R. J. Brande, financiador do grupo Legão dos Super-Heróis, era conhecido como o homem mais rico do século XXX. No entanto... quem seria o SEGUNDO homem mais rico? Tal qual um Patocôncio, rival do Tio Patinhas no universo em quadrinhos da Disney, Brande tinha um "segundo da lista" que também o odiava por esta posição; Uma dor de cotovelo bilionária, diga-se de passagem. O "rival" em questão era Leland McCauley, que era mais conhecido por sua inveja do que por sua fortuna. Tanto que, nesta história, ele é usado (e acusado) como laranja dos problemas enfrentados pelos heróis.

Um a um, os legionários são sequestrados por uma organização terrorista liderada pelo misterioso Scorpion. Infiltrando-se no grupo, os legionários descobrem e enfrentam a gangue Taurus. Para ajudá-los o Chefe da Polícia Científica, Zoltorus, tenta colocar o milionário Leland McCauley na parede, uma vez que o próprio R. J. Brande anda sumido depois dos sequestros de legionários. McCauley, no entanto, desdenha do chefe de polícia que nem uma prova tem sobre seu envolvimento.

Graças a ajuda da Legião dos Heróis Substitutos e a infiltração de Sonhadora na Gangue Taurus, os legionários descobrem que Scorpius é na verdade... R.J. Brande???? Calma... a história tem um clima de desenho animado Scooby-Doo e o Brande em questão é apenas uma máscara para esconder a verdadeira identidade do vilão, que é ninguém menos que... Chefe Zoltorus???? Chega, né? Pois Zoltorus fingia ajudar os legionários e havia tomado o lugar de Brande, utilizando sua fortuna para formar seu grupo criminoso. E, de quebra, tentou incriminar McCauley para desviar a atenção.


segunda-feira, 22 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 72


- Adventure Comics 373 (Outubro de 1968)

Histórias:

* "The Tornado Twins" - Escrita por Mort Weisinger, desenhada por Win Mortimer e Jim Shooter

Win Mortimer

Para quem conhece a famosa (e escrachada) série de TV dos anos 60, Batman (aquela com Adam West e Burt Ward, famosa por suas onomatopéias POW SOC BAM), lembra muito bem não só da música tema como também da abertura em tom de animação (ou desanimação) com a dupla dinâmica enfrentando uma variedade de vilões e criminosos. Reza a lenda que aquelas cenas foram inspiradas na arte de Win Mortimer. O desenhista, no entanto, ficou mais famoso por sua contribuição com as aventuras do Superman. Porém, como não poderia deixar de ser, também teve importante participação nas aventuras da Legião dos Super-Heróis, uma vez que o próprio grupo era uma espécie de sub-produto das histórias do homem de aço.

Nessa aventura, a Legião é humilhada por uma casal que aparenta ter superpoderes: os Gêmeos Tornado. Durante um certo período, toda e qualquer ameaça na Terra era resolvida pelos Gêmeos, que utilizavam de supervelocidade para resolver os problemas.

Surge um clima de "dor de cotovelo" dentre os legionários, que tentam descobrir, afinal de contas, qual é a dos Gêmeos. Além de se tornarem mais famosos que a Legião (consequentemente humilhando-os perante o público), a dupla recusava a participação dentro do grupo, preferindo agir sozinhos. Investigando sobre o passado dos dois, os legionários descobrem que eles são cidadãos comuns e não tinham superpoderes. Mas então... como conseguiam utilizar supervelocidade? E, pior de tudo (para os legionários), a inteção da dupla era realmente ajudar... já que a investigação sobre o passado tencionava descobrir algum podre sobre os dois.

Ao final da história, descobre-se que o casal era Don e Dawn Allen, descendentes diretos de Barry Allen, herói do "passado" conhecido como Flash (o velocista da Liga da Justiça). Seus poderes, identicos ao de seu antepassado, eram passageiros e por isso a "pressa" (literalmente) e a recusa em se tornarem legionários. Salvar o dia como faziam era uma forma de homenagear o herói da família.

A dupla seria reaproveitada em histórias futuras e ficariam conhecidos como os pais de outros dois heróis velocistas: XS, que integraria a Legião, e Impulso, garoto velocista que substituiria o lugar de parceiro mirim do Flash, conhecido como Kid Flash.


sábado, 20 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 71


- Adventure Comics 371 e 372 (Agosto e Setembro de 1968)

Histórias:

* "The Colossal Failure" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan
* "School for Super-Villains" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan


Academia da Legião. A Volta do Lobo Cinzento. Chemical King.

Já faz um bom tempo que uma das principais atrações das aventuras da Legião dos Super-Heróis não acontece: a seleção de novos heróis para o grupo. Em alguns casos, inclusive, é até mesmo usado o método de inclusão por mérito, uma vez que o herói em potencial mostre seu valor em alguma ameaça enfrentada pelo grupo.

Curiosamente, a evolução dessas seleções seguiu seu rumo natural nas histórias seguintes. Isso não foi exatamente planejado pelo autores, mas casou perfeitamente com uma linha de raciocínio dentro da cronologia dos heróis. Afinal, durante muitos anos vários seres superpoderosos (ou não) passaram pelas famosas seleções. Muitos foram rejeitados (e, apesar de cruel. era a parte mais divertida do evento) e outros, apesar de não mostrados nessa opção, tinham lá seu potencial, mas precisavam de orientação ou treino para, finalmente, fazer parte do grupo. Uma espécie de "repescagem" de heróis. Por outro lado, era natural que os rejeitados pudessem ser abordados para fazer parte de outro grupo... que não precisava ser exatamente de... heróis.

Essa aventura começa quando os pais de Colossal (legionário capaz de aumentar o próprio tamanho e que, até então, não tinha lá tanto destaque) são transformados em vidro por dois meliantes. Para não destroçar os "pais de vidro", os bandidos exigem que Colossal revele todo o plano de treinamento de um legionário, para que pudessem aplicá-los em um outro grupo.

Acuado, Colossal começa a falhar de propósito em missões e seus colegas o recolocam para treinar na Academia da Legião, local onde recrutas são treinados antes de estarem aptos a agir com os membros oficiais. Mas a intenção de Colossal era justamente essa. Dentro da Academia, tem contato com o programa de treinamento legionário, para que possa passá-los aos seus chantagistas.

Mas a encenação de Colossal não passa despercebida pelo legionário Saltador, que decide investigar e descobre os programas de treinamento da Academia na residência de seu colega. O legionáirio, então, é expulso do grupo, não podendo se defender temendo pela vida de seus pais.

Mesmo assim, a Legião dos Super-Heróis, com a ajuda da legionária encolhedora Violeta, descobre o verdadeiro motivo do estranho comportamento de Colossal, e isso os leva ao líder da gangue de chantagistas: o vilão Tarik, o Mudo (chamado assim por realmente ser mudo e se comunicar através de uma espécie de elo mental com um andróide que sempre está ao seu lado... uma forma bizarra de ventriloquismo). Descobrem também que Tarik está usando o programa de treinamento para formar uma espécie de Legião dos Super-Vilões (diferente daquela formada por adultos e que já enfrentou os legionários) formada por superpoderosos que foram rejeitados pela Legião dos Super-Heróis.

Alguns integrantes se disfarçam de criminosos para infiltrar-se no grupo e desmantelá-lo, libertando os pais de Colossal e, consequentemente, desfazendo o mal entendido com o colega. Nessa missão em especial, são utilizados os heróis Lobo Cinzento (sumido desde sua primeira aparição, aparentemente sendo treinado na Academia) e Chemical King, um personagem que seria frequente e, ao mesmo tempo, obscuro dentro do grupo.


LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 70

- Adventure Comics 369 e 370 (Junho e Julho de 1968)

Histórias:

* "Mordru The Merciless" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan

* "The Devil's Jury" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan

Mordru.

Um dos maiores e mais perigosos vilões da Legião dos Super-Heróis surge nessa edição com cara de história de terror. Mordru o poderosíssímo feiticeiro do futuro, mostra aliar magia e conhecimentos científicos do futuro, tornando-se invencível ao ponto de conquistar planetas inteiros. E, verdade seja dita, bota a Legião para correr.

Nem mesmo os mais poderosos legionários, no caso Superboy e Mon-El, parecem ser páreo para a nova ameaça que surge no espaço: Mordru! Os dois super heróis chegam a base cambaleantes após uma vigorosa e infrutífera batalha contra o vilão que, com sua magia, vem conquistando um planeta após o outro. Resta aos legionários, numa decisão desesperadora... fugir! E a ameaça é tamanha que o grupo foge para o passado, para a pequena cidade de Smallville, cidade original de Superboy.

Mesmo no passado, Mordru ameaça encontrar os legionários fugitivos e os destruir. Para se esconder, nenhum deles pode assumir suas identidades heróicas e decidem se esconder sob identidades civis. Superboy, Mon-El, Penumbra e Dama Dupla, os legionários remanescentes, decidem então ter uma vida simples na pacata cidade. A tarefa se mostra mais difícil do que se imagina, uma vez que Smallville sofre diversos ataques que não podem ser resolvidos, já que eles não devem revelar suas identidades. Têm, por exemplo, que lidar com a chegada de um violento gângster que aterroriza a população local. Resta aos legionários usar um pouco de criatividade para enfrentar as ameaças, algo que conseguem com a ajuda dos cidadãos.

Mas o próprio Mordru tenta fazer com que os heróis se revelem, causando diversas ilusões ameaçadoras. Para localizá-los, Mordru usa os olhos da própria Lana Lang para visualizar onde eles se escondem. Vendo seu inimigo cada vez mais poderoso, os heróis decidem tomar uma medida mais desesperadora ainda. Com a ajuda de um maquinário hipnótico de Superboy, apagam de suas mentes todo o resquício de que eram heróis. Suas identidades civis agora são a única vida que conhecem. Isso atrapalha a sondagem mental do feiticeiro vilão, mas não o faz desistir.

Com a ameaça cada vez mais eminente, e com Smallville sendo ameaçada de destruição (para se ter uma idéia, Mordru faz com que a cidade seja lançada ao espaço), os heróis são obrigados a restaurar suas memórias... e serem capturados pelo vilão. Em um primeiro ataque, ainda tentam usar o elemento surpresa, fantasiando seus amigos com seus uniformes para enganá-lo, mas o contra ataque do feiticeiro acaba derrotando-os.

Em uma acesso de fúria, Mordru usa toda seu poder para criar uma enorme bola de fogo que destruirá os heróis. Tal força, no entanto, acaba abalando sua base subterrânea, que desmorona sobre ele, soterrando-o.

Quando os legionários retornam ao futuro, imaginando que seus colegas foram destruídos, descobrem que estes conseguiram enganar o vilão com as ilusões da Feiticeira Escarlate (irmã da legionária Sonhadora, que previu os ataques do vilão) e da Princesa Projectra, que fez com que Mordru imaginasse que os havia destruído.

Um grande sufoco para os legionários que estiveram a um passo de serem literalmente dizimados por esse vilão feiticeiro enloquecido.


quinta-feira, 18 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 69


- Superboy 147 (Maio de 1968)

Histórias:

* "The Origin Of The Legion" - Escrita por E. Nelson Bridwell e Mort Weisinger, desenhada por Pete Constanza

A origem da Legião dos Super-Heróis..

Essa edição especial da revista Superboy republica várias histórias onde o garoto de aço teve influência na Legião e seus primeiros encontros com os integrantes do grupo. Porém, a história de introdução mostra alguns momentos antes mesmo dos três legionários fundadores (Cósmico, Relâmpago e Satúrnia) terem visitado o herói.

No futuro, três jovens com superpoderes se conhecem em um vôo interplanetário. Neste mesmo vôo está o milionário R. J. Brande, que é abordado por criminosos assim que a nave pousa na Terra. Os três jovens salvam o milionários usando seus poderes de manipulação do magnetismo (Cósmico), eletricidade (Relâmpago) e ainda descobrem as intenções dos meliantes pela leitura de suas mentes (Satúrnia).

Agradecido por ter sido salvo do atentado, Brande utiliza sua fortuna para financiar o que seria o início da Legião dos Super-Heróis. Para inspirar os jovens heróis, o milionário lhes mostra dois exemplos do passado: Superboy e sua prima, Supergirl. Decidem assim, voltar ao passado e conferir o espírito heróico daquele que seria o exemplo para todo o grupo: Kal-El, o Superboy.


domingo, 14 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 68


- Adventure Comics 368 (Maio de 1968)

Histórias:

* "The Mutiny Of The Super-Heroines" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan

O motim das super-heroínas.

Ah... Essa história deve ser o sonho de qualquer sadomasô! Se você é um leitor que gosta de apanhar de mulher... essa é a sua revista!

Uma embaixadora alienígena é resgatada de um acidente pelos legionários. No planeta dela, diferente da Terra, a sociedade é um matriarcado, onde as mulheres dominam toda a cultura e governo.

Horrorizada com o domínio masculino da Terra, a embaixadora decide manipular as heroínas da Legião dos Super-Heróis para virar a mesa. Para isso, utiliza estatuetas que representam as legionárias e as banha com uma estranha radiação que sai de seu bracelete. Com isso as legionários vêem seus poderes aumentarem incrivelmente, superando até mesmo seus colegas homens do grupo.

Além dos poderes aumentados, as legionárias começam a cair na lábia da embaixadora e decidem tomar a frente da Legião, entendendo que seus colegas são inúteis diante do que elas são capazes de fazer. São superiores, enfim, tanto em poder como em inteligência. A única que fica um tanto quanto abalada com tanto feminismo radical é Supergirl, devido a seus sentimentos para com Brainiac 5. Ela também estranha como a embaixadora tem tanto cuidado com aquele bracelete que carrega.

A Embaixadora decide dar mais poder as heroínas a ponto de querer que elas matem os homens da Legião. Mas, ao usar o bracelete, ele explode em seu pulso, desfazendo o controle que tinha sobre as garotas. Isso aconteceu devido a um explosivo que Supergirl disfarçou como adereço para o bracelete de sua então líder. Mas a embaixadora, não aceitando a derrota, carregava um dente com veneno e o usa, sacrificando-se para não voltar a seus líderes como fracassada. Isso é que é "mulher-macho"!


LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 67


- Adventure Comics 367 (Abril de 1968)

Histórias:

* "No Escape From The Circle of Death" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan

O Círculo Negro e a nova sede da Legião.

Esqueçam aquele prédio, que mais parecia um foguetinho de ponta cabeça, que servia de sede da Legião. Na aventura passada, os Cinco Fatais parecem ter feito um favor destruindo aquela sede (não que ela não tivesse lá seu charme...). A história dessa edição começa com a construção de uma nova sede. E que sede!!! Agora os heróis tinham como base um enorme edifício futurista que deixava bem claro que ali era o local onde se reunia o maior grupo de heróis do século XXX. Em contrapartida, também é a época em que surge o maior grupo terrorista daquele século, o Círculo Negro.

Enquanto a sede da Legião dos Super-Heróis passa por uma radical reforma, os integrantes do grupo tiram uma espécie de folga. Em comemoração a nova morada, a Legião recebe diversos presentes das mais variadas regiões do espaço. Brainiac 5 se delicia com as diversas maravilhas tecnológicas que o grupo recebe, sendo que uma delas é um mistério até mesmo pra ele.

No Japão, Karate Kid se depara com a invasão do grupo terrorista conhecido como Círculo Negro. Altamente equipados e com uma estratégia de invasão que conta com os legionários debandados devido a reforma da sede, o Círculo Negro facilmente vai derrotando os heróis contra atacando seus poderes com diversos equipamentos feitos para esse fim.

No meio dessa crise, resta a Brainiac 5 montar o único presente que ainda não havia desvendado. Para sua surpresa, a Máquina Miraculosa (como viria a ser conhecida) é um poderoso artefato que, com um único pensamento, rechaça todos os terroristas para fora do planeta Terra, resolvendo facilmente a questão. Tal máquina, no entanto, com seu altíssimo potencial, é isolada para não ser usada nem por legionários, nem por seus inimigos.

sábado, 13 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 66


- Adventure Comics 365 e 366 (Fevereiro e Março de 1968)

Histórias:

* "Escape Of The Fatal Five" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan
* "The Fight For The Championship Of The Universe" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan


> Publicadas no Brasil na revista Coleção Invictus nº 22, pela editora Nova Sampa, em 1995

Penumbra.

Uma nova legionária... que não passou pela famosa seleção de novos integrantes.

O pacato e avançado planeta Talok VIII sofre uma drástica mudança e se torna um planeta militarizado e hostil. Tal mudança é influenciada por estranhas presenças vindas de outra dimensão. Esses "vultos" nada mais são do que os vilões do grupo Cinco Fatais, que haviam sido expulsos para outra dimensão após sua última batalha contra a Legião dos Super-Heróis. De lá, o grupo manipulava os governantes de Talok para que se tornassem uma potência militar, afim de lhes servirem assim que saíssem dessa dimensão.

Os legionários Cósmico, Superboy, Karate Kid e Brainiac 5 são convocados para ajudar na crise e são guiados por uma nativa de Talok, Tasmia Mallor, que seria conhecida futuramente como a heroína Penumbra e que tinha poderes de controlar as trevas, fazendo com que qualquer ambiente mergulhasse na completa escuridão.

Em Talok, os legionários são dominados pelas tropas dos Cinco Fatais. Mesmo se libertando da armadilha, os heróis não conseguem impedir que os fatais rumem para a Terra e dominem Metropolis, capital dos Planetas Unidos e sede da própria Legião. Na sede, inclusive, se encontra a terceira chave que dará controle absoluto aos vilões. Para consegui-la, os fatais não poupam esforços para tentar destruir esta sede.

Os vilões praticamente derrotam os legionários, mas é Penumbra, com seus poderes de manipular as trevas, quem ganha tempo suficiente para que eles se recuperem. Ainda assim, não é uma grande virada... mas uma vantagem até que as tropas armadas da Federação dos Planetas Unidos cheguem, o que é demais para os vilões que batem em retirada.

Apesar de mais apanharem do que agirem (até a novata Penumbra), os legionários são condecorados pelo presidente por seus esforços... e Penumbra se torna uma nova e valorosa legionária.


domingo, 7 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 65


- Adventure Comics 364 (Janeiro de 1968)

Histórias:

* "The Revolt Of The Super-Pets" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Pete Constanza e Jim Shooter

A Revolta dos Super-Animais.

As histórias envolvendo os Super-Animais têm sempre aquela cara de filme com animais falantes (ou pensantes) ao estilo Baby, o Porquinho Atrapalhado. Esta aventura traz bem o clima desse gênero.

A Legião dos Super-Animais (formada por Krypto - o supercão, Raiado - o supergato, Cometa - o supercavalo; Beppo - o supermacaco e Proty - o protoplasma de estimação do legionário Camaleão) impedem que naves teleguiadas cheguem a Terra. Agem mais como animais defendendo seu território. A ação, no entanto, é repreendida por Brainiac V, que os acusa de ter atrapalhado uma ação de reconhecimento, impendindo que os legionários estudassem do que se tratavam tais naves.

Chateados e "deixados de castigo" cuidando da sede da Legião, os animais decidem deixar seus respectivos donos. Afinal, raciocinam que não são meros "bichinhos", mas animais superinteligentes. Tão superinteligentes que Krypto, o cão do Superboy, sente certo remorso ao partir. Coincidentemente, um habitante do planeta Thanl os aborda e diz que, em seu planeta, os Super-Animais são adorados como verdadeiros heróis. Seduzidos pela idéia da independência da Legião, os animais seguem o Thanliano.

A Legião dos Super-Heróis descobre que as naves abordadas pelos animais, afinal, eram uma espécie de frota inicial de invasão. Devem, portanto, desculpas aos seus mascotes... algo que é tarde demais, como informa Satúrnia sobre a partida dos animais. Quando os legionários vão até Thanl para convencê-los, acaba acontecendo um incidente inesperado. Camaleão, sentindo-se "dono" de Proty, tenta agarrar o protoplasma teimoso a força, que pede socorro a seus companheiros. Os Super-Animais consideram os legionários uma ameaça a sua independência e os expulsa do planeta.

Porém, os invasores da Terra são... os próprio thanlianos, que armaram para os super-animais a ponto deles os protegerem da Legião. Isso é descoberto por Cometa e Proty, que fingem ser candidatos a novos legionários, tendo acesso as informações obtidas pelos heróis. Uma vez desbaratados os invasores, legionários e animais conseguem capturá-los e, finalmente, fazem as pazes.


LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 64






- Adventure Comics 362 e 363 (Novembro e Dezembro de 1967)


Histórias:
* "The Chemoids Are Coming" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Pete Constanza e Jim Shooter * "Black Day For The Legion" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Peter Constanza e Jim Shooter

Mantis Morlo.

Cientistas malucos existem aos montes nos quadrinhos. E por mais catastróficas que suas ações podem parecer (no caso dos cientistas malucos "do mal"), sua figura sempre esteve ligada ao... fracasso. Mantis Morlo, apesar de ter dado certo trabalho a Legião é símbolo disso. Ou melhor, cópia de um símbolo disso. Morlo é absurdamente parecido (tanto visualmente quanto nos trejeitos) a um dos mais bizonhos cientistas malucos que já existiram: o Doutor Sivana, arquiinimigo do Capitão Marvel (Shazam!). E, como Sivana, Morlo se mostra o vilão afetado que sempre faz birra quando vai perder. Uma espécie de nerd mal da ciência.

Mantis Morlo não tem qualquer escrúpulo para realizar seus experimentos. A Legião é chamada para detê-lo justamente quando um de suas invenções ameaça poluir toda o planeta Terra. Acompanhado de uma espécie de andróide conhecido como Quimóide, que é capaz de alterar a própria estrutura química (tranformando-se em metal, pedra, madeira, etc), Morlo vê seu laboratório espacial ser destruído pelos heróis e jura vingança.

Em seguida, três planetas da Federação pedem socorro a Legião: Orando, um planeta que vive como se estivesse na Idade Média terrestre (e planeta natal da legionária Princesa Projectra), Daxam, planeta natal de Mon-El e Naltor, planeta natal de Sonhadora e Feiticeira Branca. Em cada um deles, a origem dos problemas é apenas uma: Mantis Morlo, que ataca com suas invenções poluídoras e que enlouquecem o meio ambiente de alguma forma.

Na verdade, a ameaça aos três planetas é apenas uma distração para que o vilão ataque seu verdadeiro alvo: a Terra. Ele pretende lançar uma espécie de míssil que fará com que os oceanos e rios peguem fogo até tornar o planeta uma pequena bola de cinza no espaço. E... de fato... é isso que Morlo vê acontecer!

Mas tudo não passa de um truque dos legionários, valendo-se dos poderes ilusionistas da Princesa Projectra e de um espião infiltrado, Camaleão, que tomou a forma de um Quimóide e acompanhou o desenvolvimento dos planos de Morlo. Desmascarado, o incompetente cientista do mal é preso pelos heróis.


LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 63




- Adventure Comics 361 (Outubro de 1967)

Histórias:

* "The Unkillables" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Jim Mooney

Dominions.

Os dominions são uma raça alienígena das mais ameaçadoras no universo de heróis da editora DC Comics. Sua cara com dentes pontiagúdos e fininhos expostos (alegria de qualquer dentista...) não nega suas más intenções. Mas, no início, em suas primeiras aparições, não eram tão ameaçadores assim. Os dentes a mostra davam até certa cara de coitados para os mesmos. Ainda assim, eram considerados ameaças cósmicas e quase atolaram a Legião em um incidente diplomático.

Já faziam décadas que a Federação dos Planetas Unidos enfrentavam os Dominions no espaço. Um grupo de embaixadores dessa raça tem que ser escoltado em segurança, afim de que negociações para o fim dessa guerra avancem. Os legionários são selecionados pelo próprio presidente para oferecer segurança a esses embaixadores. Vale lembrar que boa parte da população da Terra protestava contra a presença desses que eram considerados inimigos universais.

O caminho da escolta dos embaixadores passa por locais ameaçadores e os legionários ainda tem que enfrentar uma liga de assassinos interessados na morte dos mesmos. Ao final da escolta, os heróis descobrem que os assassinos também faziam parte dos domínions e se interessavam mais pela continuidade da guerra. Esses assassinos foram criados a partir do dna de famosos matadores da história. Também descobrem que não estavam escoltando os verdadeiros embaixadores, mas imagens holográficas deles, que já haviam chegado ao destino em segurança.

Em várias passagens dessa aventura, os próprios legionários desconfiam que vão ser atacados pelos embaixadores a qualquer momento... o que não ocorre. Essa insegurança e o segredo por traz da própria presença dos alienígenas, mostra o quanto eles poderiam ser manipuladores e traiçoeiros... mesmo ainda tendo cara de coitados na época.


sábado, 6 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 62


- Adventure Comics 359 e 360 (Agosto e Setembro de 1967)


Histórias:
* "The Outlawed Legionnaires" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan
* "The Legion Chain Gang" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan


Takron-Galtos.

A superprisão para vilões do futuro de Takron-Galtos seria citada várias vezes nas aventuras da Legião dos Super-Heróis. Afinal, era pra lá que levavam os inimigos enfrentados pelo grupo, quando detidos. Curiosamente, a primeira vez em que foi citada no quadrinhos, nesta aventura, foi justamente os integrantes da Legião quem foram presos.

Surpreendentemente, o vice-presidente, que tomou posse após a morte suspeita do presidente, declara que as atividades da Legião dos Super-Heróis são... ilegais. Afinal, ninguém tinha o direito de praticar a justiça com as próprias mãos. Mais surpreendente ainda é que a própria polícia e a população concordava plenamente com essa decisão. Os heróis agora tem que conviver em um mundo onde eles são marginalizados pelo povo e até mesmo por seus parentes, que concordam plenamente que suas atividades anteriores eram arriscadas demais.

Mesmo sob uma lei tão severa, parte dos legionários se vê obrigada a agir, quando um monotrilho carregado de inocentes descarrilha e cai para a morte certa. Mesmo salvando os passageiros, tal atitude é tomada como desobediência a nova lei... eles são condenados... e presos em Takron-Galtos, o superpresídio espacial. Outra parte do grupo é presa em Metrópolis mesmo e os demais, após a tentativa frustrada de contatar R. J. Brande (financiador do grupo, que agora também apóia a nova lei), fogem para os esgotos da cidade.

Apesar da situação mais do que crítica, o grupo que fugiu para os esgotos encontra acidentalmente um avançado laboratório subterrâneo. Estudando o local, descobrem que era o antigo esconderijo do cientista e vilão Luthor, arquiinimigo do Superman, e que os recursos ali deixados podem em muito ajudá-los.

Enquanto o grupo detido em Takron-Galtos tenta armar uma rebelião, os legionários remanescentes descobrem que toda a população está sob efeito de uma droga hipnótica. Brainiac 5 cria uma fórmula que desfaz o efeito hipnótico e a missão agora é levá-la até o reservatório de água.

Os legionários conseguem chegar até o vice-presidente para tentar tirá-lo do efeito hipnótico. Mas ele não parece ter sido afetado. Todas as suas ações até então pareciam ser plenamente conscientes. Esse mistério é explicado por um jovem que chega com parte da polícia (já fora do transe) para prendê-lo. O jovem é Rond Vidar e o vice-presidente é, na verdade, seu pai... o vilão Universo.

Com o vilão preso e o restante do grupo livre de Takron-Galtos, a Legião aceita Rond Vidar como mais um legionário honorário.


quinta-feira, 4 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 61


- Adventure Comics 358 (Julho de 1967)
Histórias:

* "The Hunter" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por George Papp e Jim Shooter

O Caçador.

Otto Orion, o Caçador, era um milionário excêntrico que passava seus dias caçando animais selvagens pela galáxia. Mesmo possuindo uma espécie de zoológico particular com as mais estranhas e ferozes criaturas, a emoção de uma caçada perigosa parece estar sumindo em seu dia a dia. Entediado, ele procurava desafios maiores. É então que tem a idéia de caçar humanos com poderes fantásticos, que rivalizassem com suas habilidade de caçador... ele iria caçar legionários.

Para convencer os heróis, o Caçador solta as mais selvagens criaturas na Metrópolis do século XXX. Sua condição é que os legionários o sigam até seu planeta-safári e participem de uma caçada por suas selvas. Se conseguirem tocar um totem no alto de uma montanha, todos eles seriam libertos.

Utilizando as mais variadas estratégias de caça, o Caçador consegue capturar a maioria dos legionários envolvidos. Apenas o Rapaz Invisível consegue ludibriar a perseguição e só é alcançado nos últimos metros até o totem (apesar de invisível, ele poderia ser localizado com naves-scanners do Caçador). Assim que Rapaz Invisível toca o totem, o cinturão do Caçador explode. O "vilão" (se é que poderia ser taxado dessa forma) explica que o desafio não seria verdadeiro se não fosse de vida ou morte. Dessa forma, colocou uma bomba em seu cinturão que só seria ativada caso o totem fosse tocado. E o Rapaz Invisível, responsável por salvar seus colegas, vê Otto Orion morrer... mostrando que ele não era exatamente mau, mas tinha um código de ética distorcido... a ponto de tirar a própria vida.


quarta-feira, 3 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 60


- Adventure Comics 357 (Junho de 1967)
Histórias:

* "The Ghost Of Ferro Lad" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan

O Fantasma de Ferro.

Uma história de terror sobrenatural com heróis de ficção científica! E não é que deu certo? Tudo bem que o corpo do herói Ferro nem esfriou direito já que não o deixam descansar em paz. Mas, aqui, isso até que foi bem conduzido em uma história que convence pela qualidade. E, por via das dúvidas, é melhor ler esse artigo com as luzes acesas...

Superboy, Cósmico, Solar e Princesa Projectra vão até o satélite que funciona como uma espécie de cemitério de heróis para homenagear o finado Ferro. Ao voltarem para sua base, estranhos acontecimento levam a crer que o fantasma do colega anda assombrando o local. Superboy, em especial, já tem um certo remorso por perder o amigo na explosão que destruiu o Devorador de Sóis, já que era ele quem foi designado para a missão. Os demais acabam ficando impressionados com os estranhos acontecimentos que vem ocorrendo e julgam estar sob a mira de um fantasma enfurecido. Até mesmo Satúrnia vê sua mente ser sobrecarregada quando tenta localizar algo de anormal. Sobra apenas o intelecto científico e extremamente cético de Brainiac 5 para tentar resolver o mistério.

Os heróis chegam a formar uma espécie de sessão espírita para invocar a alma do ex-companheiro, que aparece diante de um ainda cético Brainiac 5. Essa aparição, enfurecida, pede que o grupo seja desmanchado. Só assim irá deixá-los em paz e ele poderá descansar eternamente. Impressionados, os legionários vêem seu grupo se desmanchar.

Ao tentar retornar para sua época, Superboy é capturado pelo vilão Controlador, que revela ter sido um dos responsáveis por manipular o Devorador de Sóis. Pertencente a uma raça ancentral, o Controlador decidiu dominar nossa dimensão mas viu seus planos serem frustrados pelo sacrifício de Ferro. Revela também que esteve o tempo todo manipulando a situação de forma que os legionários se sentissem assombrados e até mesmo usou seus vastos poderes mentais para sobrecarregar Satúrnia.

Superboy consegue convocar seus colegas e eles tentam deter o Controlador. Este, por sua vez, tenta explodir a câmara onde eles se encontram, mas é detido por uma voz que o assusta a ponto dele ter uma ataque cardíaco e morrer. Brainiac 5 apenas encontra o corpo do Controlador, sem saber exatamente o que houve. Para a mente do cético legionário, o que importa é que mais um plano de conquista foi detido. Assim que os legionários saem, o espectro de Ferro, provavelmente a voz misteriosa que o vilão ouviu, caminha nos corredores vazios.

Ah, decidiu acender a luz?


terça-feira, 2 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 59


- Adventure Comics 356 (Maio de 1967)

Histórias:

* "The Five Legion Orphans" - Escrita por JE. Nelson Bridwell e Mort Weisinger, desenhada Curt Swan

Legionários Órfãos.

É comum, nos quadrinhos, personagens do gênero super-heróis serem órfãos. De certa forma, isso mostra uma espécie de independência dos protagonistas, algo que pode ser até mesmo convertido ao leitor dessas histórias. Afinal, o público alvo, formado por jovens, geralmente passam por uma fase mais... digamos... rebelde, no qual batalham por seu lugar ao mundo longe das asas e ordens dos "mais velhos".

Na Legião dos Super-Heróis, no entanto, é curioso como a maioria dos integrantes têm pais, mães, irmãos... família, enfim... e não só isso, são aceitos como heróis e se tornam até mesmo orgulho de seus familiares. No futuro onde as aventuras dos heróis se passam não há nem mesmo a preocupação de uma identidade secreta para defender, além deles mesmos, seus entes queridos. A atividade de salvar o mundo (e o universo) é vista como um emprego qualquer, onde os filhos saem da casa de seus pais em horário pré-determinado, afim de cumprirem suas atividades.

Nessa aventura, vemos uma espécie de parada dos Dia dos Pais (que, no caso, são os pais e mães) onde os legionários desfilam com seus respectivos progenitores. É uma grande festa, seguida de um banquete farto.

Mas... o que acontece com aqueles que não têm pais? É o caso de Superboy (que tem apenas pais adotivos), Mon-El (preso durante mil anos na Zona Fantasma, e conhecendo apenas os descendentes de sua família original), Sonhadora (que, apesar de tudo tem sua irmã, a Feiticeira Branca), Brainiac 5 e Transmutador (Elemental. Este é sozinho no mundo mesmo). Ressentidos, eles não participam da parada do Dia dos Pais, e sentem a falta de uma família.

Esses heróis órfãos, passam por uma situação que beira o conto de fadas. Atendendo a um chamado no planeta Zinth, acabam tendo contato com uma fonte que os faz rejuvenescer... até se tornarem crianças. Com suas mentes infantis incapazes de fazer com que ajam como heróis (apesar de manterem seus poderes) as crianças são adotadas por famílias do planeta.

Mesmo com suas mentes sem lembrar de suas vidas adultas (e agora necessitando de cuidados característicos as crianças), é Brainiac 5, com sua mente avançada, quem mantém maior ciência do que está acontecendo e cria uma fórmula que os faz voltarem a vida adulta. Após a reversão, descobre que o que parecia ser um conto de fadas é, na verdade, uma realidade dura aos habitantes do planeta.

Após a explosão de um asteróide perto da atmosfera do planeta, os habitantes de Zinth viram TODAS as suas crianças morrerem. Descobrem que a infecção causada pelo asteróide não afeta habitantes de outros planetas. Em uma matéria sobre o Dias dos Pais na Terra, descobrem que os cinco legionários são órfãos. Criam, então, uma fórmula que os faz rejuvenescer para que sejam adotados. A intenção foi das melhores e não há exatamente um vilão na história. E a mesma fórmula criada por Brainiac é usada para dissipar a radiação do sangue dos zinthianos, fazendo com que, brevemente, as crianças comecem a nascer novamente (como prevê a Sonhadora).

De certa forma, os heróis órfãos passaram por mais do que uma simples aventura. Tiveram, afinal, o seu merecido Dia dos Pais.

segunda-feira, 1 de março de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 58


- Adventure Comics 355 (Abril de 1967)

Histórias:

* "The War Of The Legions" - Escrita por Jim Shooter e Mort Weisinger, desenhada por Jim Shooter e Curt Swan * "The Six-Legged Legionnaire" - Escrita por Otto Binder e Mort Weisinger, desenhada por Curt Swan

A Rainha Inseto.

Essa edição teve duas histórias da Legião dos Super-Heróis. Ou melhor... uma e meia, já que a primeira é uma espécie de epílogo da edição anterior, onde vemos uma última aventura da Legião adulta. Epílogo desnecessário, aliás.

Após o retorno do Superman ao passado (ou presente), a Legião dos Super-Vilões decide atacar a Legião dos Super-Heróis. Até aí, nada incomum. A novidade (e nem sempre elas são boas) é que, assim que o grupo está sendo derrotado, recebem a ajuda de dois robôs misteriosos, onde a única pista de suas identidades são as letras "L" e "M' estampadas nos seus corpos metálicos (na verdade armaduras). Os dois derrotam os vilões e revelam ser... Luthor e Mxyzptlk! Hã??? Mas o que os vilões das histórias do Superman estão fazendo no futuro? E ainda ajudando os heróis???? A explicação é pior que o impacto. Acontece que tratam-se de descendentes dos vilões originais que, no futuro, não seguindo as maldades de seus antepassados, levam a vida como defensores da lei. Eu avisei. Próxima história?

Na segunda aventura da edição, o foco é Lana Lang, interesse amoroso das histórias do Superboy. Nessa época, a moça possuía uma espécie de anel alienígena que a fazia tomar a forma de qualquer inseto e, consequentemente, as capacidades deles. Mas não exatamente o tamanho. Ela se transformava numa versão do inseto, em um tamanho proporcional ao corpo humano e mantinha sua cabeça no corpo da criatura. Com esses bizarros poderes, Lana era conhecida como Rainha Inseto.

Com tais poderes de transformação, Lana tencionava fazer parte da Legião. É então que pede a Superboy que a leve para o futuro, para que possa passar pelas famosas seleções de novos legionários. É, no entanto, recusada por seu poder se originar de uma fonte artificial, ou seja, o anel alienígena. Mesmo assim, a ousada protagonista das histórias de Superboy decide participar de uma missão da Legião na Antártida, salvando-os das armadilhas de um vilão local. Com essa prova de boa vontade, Lana é aceita como legionária honorária... apesar de perder o anel alienígena e quase ficar presa pra sempre na forma de um inseto gigante.