domingo, 31 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 45

- Adventure Comics 338 (Novembro de 1965)

Histórias:

* "The Weddings That Wrecked The Legion" - Escrita por Jerry Siegel e desenhada por John Forte

Glorith.

A bela e vilanesca Glorith surgiu como uma espécie de auxiliar do vilão Mestre do Tempo. Apesar disso, seus poderes eram tão vastos que rivalizavam com os do seu líder. Além de sua beleza (maléfica, mas ainda assim muito evidente), sua mais poderosa arma era uma ampulheta capaz de fazer quem a segurasse revujevenescer, tornando-se jovem, depois criança, depois bebê... até se tornar uma espécie de ameba involuída. Pois é essa arma que o Mestre do Tempo pretende usar contra seus inimigos da Legião dos Super-Heróis.

Glorith arma uma emboscada para a maioria dos legionários e eles acabam sendo transformados em versões crianças. Tudo acontece em um parque de diversões onde vemos a Legião Criançada se divertir. O escritor Jerry Siegel é esperto (ou malandro) o suficiente para explicar que os uniforme se adaptaram aos corpos reduzidos devido a serem feitos de um tecido futurista que se adapta ao crescimento de quem usa (no caso, encolhimento de quem usa).

O Mestre do Tempo, julgando-se vitorioso, aparece no parque e trai Glorith. Acontece que a ampulheta não funciona contra a vilão por ela usar um par de luvas especiais que anulam seu efeito. O vilão pede para que ela tire uma das luvas e faz com que toque a ampulheta. Glorith, dessa forma, rejuvenesce até a forma de ameba.

Após o ato de traição, Mestre do Tempo tem outra utilidade para os ingênuos mini legionários ao invés de transformá-los em ameba. Prometendo doces e brinquedos para a criançada, faz com que usem seus poderes para, inocentemente, cometerem pequenos grandes crimes. Os únicos que ficam de fora, por não terem caído na armadilha, são Brainiac 5 e Superboy. Esses na verdade, ficam presos por uma barreira temporal criada pelo vilão.

Mas, Mestre do Tempo descobriria que não basta ser vilão, tem que participar! As crianças, que pensavam estar pegando guloseimas, percebem que alguns objetos que roubaram não são exatamente doces prometidos pelo Tio Mestre do Tempo (acreditem, ele chega a chamar a si mesmo dessa forma!). O mini Transmutador, capaz de transformar a matéria, usa seu poder para que a nave do vilão se torne um enorme caramelo... inclusive (adivinhem) a máquina que criava a barreira temporal que impedia Superboy e Brainiac 5, que chegam para dar uma sova no inimigo.

Quase enlouquecido com a birra dos fedelhos, Mestre do Tempo fecha um acordo de fazê-los voltar ao normal em troca de ser deixado em paz. Brainiac 5 (sob protestos do Superboy) aceita a chantagem e seus colegas voltam ao normal.

Mas, Brainiac 5, ao contrário do que imaginavam, não ia deixar barato. Antes do acordo, percebe que o mini Astron quer o que pensa ser um brinquedo nas mãos do Tio Mestre do Tempo. Era nada menos do que um controlador portátil da barreira do tempo... que Brainiac ajusta para barrar a nave do vilão... deixando-o preso no planeta onde pousou. E, num trocadilho sem dó nem piedade, os legionários terminam essa aventura concluindo que foi fácil... como tirar o doce de uma criança.

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 44

- Adventure Comics 337 (Outubro de 1965)

Histórias:

* "The Weddings That Wrecked The Legion" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

Casamentos entre legionários.

Tenho que admitir... Em todos esses anos em que escrevo Âmago (e quando digo TODOS, me refiro até a época em que esse humilde espaço era um fanzine), uma coisa aprendi com os quadrinhos: você nunca pode dizer que já viu de tudo. É bem verdade que a quantidade vence a qualidade das histórias, principalmente no industrializado mercado americano dos "comics" de super-heróis. Mas, para o bem ou para o mal, vez ou outra, surge alguma "pérola" que você lê e não acredita no que está vendo. Ou melhor... acredita mas fica pasmo em saber como um escritor pode viajar tanto na maionese (e nem perguntem o que deve ser a tal "maionese").

Por pouco, por muito pouco, esse artigo da história da Legião ia ficar sem nada que eu pudesse escrever. Simplesmente porque... dessa vez... admito perante todos... fiquei sem palavras! E isso não é um elogio e muito menos uma crítica. É queixo caído, mesmo! Queixo caído em ver como um escritor pode "viajar" na tal maionese! Mas... a ética e o respeito pelos leitores de Âmago me dizem que tenho que escrever algo. Portanto, amarrem bem os seus queixos e me acompanhem.

A constituição da Legião dos Super-Heróis não permite que integrantes casados façam parte do grupo. E, justo quando a Terra está para sofrer uma invasão, vemos dois romances surgirem, se firmarem... e terminar em matrimônio. E, mesmo que se fizesse algum mistério, talvez nenhum leitor iria adivinhar quem são os casais. Afinal, por mais estranho que pareça, em nenhum momento das histórias passadas eles mostraram alguma afinidade um com o outro. Os pombinhos são: Satúrnia e Relâmpago; Ultra Rapaz e Moça Fantasma (Etérea). Sob as frias críticas de Brainiac 5 (aqui fazendo a vez de líder da Legião), o casamento acontece... e os quatro integrantes saem do grupo.

Para suprir o desfalque no seu quadro de integrantes, novos candidatos surgem para ocupar a vaga. Inclusive, alguns integrantes da Legião dos Substitutos tentam novamente (porém, em vão) fazer parte da Legião dos Super-Heróis. No final, três novos heróis são selecionados... mas trazem um segredo em comum: são os alienígenas invasores disfarçados e que se aproveitaram para infiltrar-se no grupo!

Apesar de, aparentemente, a Legião cair em uma espécie de emboscada armada pelo invasores, logo os heróis mostram estar a par da situação, viram a mesa, e acabam derrotando os invasores. Mas... como?

Tudo correu bem graças a uma idéia de Brainiac 5. Ele toma ciência de que os alienígenas estão observando cada passo da Legião e cria um plano para incitá-los a plantar espiões entre os legionários. Uma das formas é a famosa seleção de novos canditados. Para que o plano de se recrutar novos heróis se torne mais convincente, alguns integrantes terão que sair. É então que ele tem a idéia do desligamento devido a matrimônio e escolhe dois casais de legionários para simular um casamento. A inclusão de Satúrnia é um ponto importante, pois os alienígenas se sentiríam mais a vontade com alguém que pode ler mentes longe do grupo. Feito isso, eles caem fácil na mentira, realmente enviam os espiões, que já estavam sendo esperados... mesmo porque os outros candidatos eram da Legião de Substitutos, que também foi convocada para "atuar" na seleção.

Plano ousadíssimo, sem dúvida. Tudo bem que robôs (desculpa esfarrapada) foram usados para o matrimônio não ser oficial... mas... os beijos e amassos (que, inclusive, os alienígenas "voyeurs" espionam) entre os envolvidos... não foi simulado por robôs. E não foram mesmo! Tanto que, depois da missão, essa... digamos... integração entre colegas de grupo... desperta sentimentos entre eles que até então não existiam. E os pombinhos de mentira, agora são apaixonados de verdade.

Love is in the air...

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 43

- Adventure Comics 335 e 336 (Agosto e Setembro de 1965)

Histórias:

* "Starfinger" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte
* "The True Idetity Of Starfinger" - Escrita por Mort Weisinger e desenhada por John Forte

Zoroastro.

A primeira versão do vilão Starfinger (batizado no Brasil de Zoroastro em sua versão mais contemporânea) trazia um certo mistério para os quadrinhos. Afinal, tudo indicava que ele era um dos legionários disfarçado. A brincadeira aqui era adivinhar quem deles era a possível ameaça.

O novo vilão surge com seu uniforme especial e de seus dedos saem uma enorme combinação de raios capazes de derrotar todos os legionários. Na verdade, os raios por si não são o único problema, já que Zoroastro os usa de uma forma como se conhecesse muito bem as fraquezas de cada herói. Isso se torna mais evidente quando surge a suspeita de que se trata de um legionário. Consegue, por exemplo, deter Superboy com um raio de kriptonita e quase mata o herói Astron, sendo que este só e salvo graças a intervenção de Mon-El.

Aparentemente agindo como um ativista, o vilão começa a atacar as sete maravilhas do século 30. Cada uma dessas maravilhas já despertam curiosidade suficiente nesta história. Temos, por exemplo, uma cidade INTEIRA que se desloca por trilhos gigantescos pelos mares. Outra maravilha é uma cachoeira reversa, criada graças a um equipamento que drena a água do mar e a joga para cima de uma encosta com pressão o suficiente para dar a impressão de que ela está indo na direção inversa do que seria uma queda. De maravilha em maravilha, Zoroastro vai ludibriando os legionários.

Por fim, descobre-se que o vilão é na verdade... Relâmpago! Mas... como e por que ele teria se tornado um vilão? Tudo é explicado quando se revela que o médico que cuidava do herói (o mesmo que lhe criou o braço mecânico quando o natural foi amputado), com sua sede por experimentos científicos, desejava roubar um novo minério capaz de rejuvenescer qualquer ser vivo. Para distrair a Legião, o cientista hipnotiza Relâmpago e cria os raios em seu braço. Junto com o conhecimento sobre o grupo (afinal, por se médico particular de Relâmpago, tinha certa intimidade com todos), seu plano iria bem até ser descoberto como o verdadeiro Zoroastro.

E novamente Relâmpago como saco de pancadas! Quando não está sendo morto ou amputado, ainda é usado como vilão misterioso...

sábado, 30 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 42

- Adventure Comics 334 (Julho de 1965)

Histórias:

* "The Unknown Legionnaire" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

O Legionário Desconhecido.

História de mistério adaptando o mito do Soldado Desconhecido para o século 30, onde se passam as aventuras da Legião dos Super-Heróis.

A Legião persegue um maléfico cientista até o planeta de Proty II, a gosma mutante que serve de bichinho de estimação do Camaleão. Lá, descobrem que as criaturas semelhantes a Proty II, que também são capazes de tomar a forma do que imaginarem, estão a serviço do vilão.

Para revelar quem pode ser uma criatura que muda de aparência, Brainiac 5 cria uma espécie de spray que anula essa capacidade. Ao demonstrar sua criação, Camaleão e Proty II, os únicos que poderiam mudar de forma e ajudar mais efetivamente naquele ambiente hostil, acabam sendo borrifados e tendo suas capacidades anuladas temporariamente.

Os legionários acabam em desvantagem, mas são salvos por um misterioso herói com máscara de chumbo que prefere não revelar sua identidade. O novo personagem é tão misterioso que nem mesmo Satúrnia, ao usar seus poderes telepáticos para revelar sua identidade, é capaz de localizar nenhuma memória passada. Chamam-no, assim, de Desconhecido.

Desconhecido tem poderes como super-força, super-velocidade e visão de raios x, muito parecidos com os de Superboy. O próprio Superboy não sabe quem ele é. Sua visão de raios x não penetra chumbo e, portanto, não pode ver através da máscara. Por falar em chumbo, chega a conclusão de que também não se trata de Mon-El, que tem poderes semelhantes mas é envenenado ao contato com esse metal. Também descarta a possibilidade de ser o Ultra Rapaz, uma vez que esse só pode usar um poder por vez.

Juntamente com esse novo aliado, conseguem libertar os Legionários presos e desbaratar o controle do vilão, que se dizia um descendente do cientista que foi capaz de dar poderes camaleônicos aos proteanos.

No final da aventura, revela-se que o Desconhecido era ninguém menos que... Supergirl!!!!!!!!! Tudo aconteceu quando a heroína voltava ao passado e esbarra em uma nuvem de kriptonita vermelha. Com isso, sua memória desaparece e ela tem sua visão de raios x alterada, capacitando-a de ver através de chumbo. Com o pouco de memória que lhe resta (e a dica em um bilhete em sua capa), a heroína, que teme por sua identidade uma vez que não sabe que os legionários são seus amigos, cria a misteriosa nova identidade e volta ao futuro para ajudá-los.

Mesmo com o mistério resolvido, e a memória da Supergirl retornando, os legionário criam uma estátua em homenagem ao Desconhecido, pois foi esse herói que simbolizou a vitória contra mais essa ameaça.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 41

- Adventure Comics 333 (Junho de 1965)

Histórias:

* "The War Between Krypton And Earth" - Escrita por Jerry Siegel e desenhada por John Forte

Guerra Civil Legionária!

O que é a criatividade, não? Para o bem ou para o mal, ela pode levar uma história por caminhos espantosos. Imaginem um conceito ou uma sugestão de história que poderia parecer simples. Tipo... vamos dividir a Legião dos Super-Heróis para lutarem uns contra os outros. Esta história poderia muito bem ser só isso. Mas a desculpa para tal acontecimento é algo... não diria inconcebível... mas psicodélico o bastantes para a década em que foi criada.

A Legião dos Super-Heróis descobre indícios de que houve uma espécie de guerra entre o planeta Krypton (lar original do Superboy) e a Terra. Algo espantoso, já que nunca se ouviu falar sobre tal guerra. Para investigar esse mistério, dividem-se em dois grupos. O primeiro vai ao passado longínquo (e põe longínquo nisso) de Krypton e encontra antigos colonizadores que pretendem construir uma arca e partir para outro planeta, que por acaso seria a Terra. O segundo grupo parte para a Terra, em uma época tão antiga que o nosso Sol era vermelho. Esse detalhe, que mais servia de licença poética na história, limitava os poderes do Superboy, que funcionavam graças ao Sol ser amarelo.

Quando o grupo de kriptonianos chega a Terra, entra em conflito com o povo local, que era formada pela lendária civilização de Atlântida. O clima pouco amistoso entre os dois povos contamina os grupos de legionários, sendo que cada um toma partido dos interesses de cada lado. Esses dois grupos eram liderado por Satúrnia e Brainiac 5, que se desentendem e dão forma a briga, acabando por se tornar uma verdadeira guerra de superpoderes. Para deixar essa história, que já era maluca, com clima de romance clássico, há uma espécie de atração entre integrantes das duas facções. Um é o Superboy e a outra é uma atlante chamada Leta Lal (Superman e a velha mania de conhecer personagens com iniciais LL...)

Ao final do conflito, que na verdade acaba se tornando uma espécie de impasse, a atmosfera da Terra começa a se tornar maléfica para os atlanteanos e esses tem que se adaptar a um novo meio ambiente. A evolução natural desse povo os levaria a se tornarem uma raça aquática, meio peixe meio humana. Essa evolução é acelerada para que eles não morram com a atmosfera e suas cidades são afundadas no mar pelo poder de aumentar o peso de Astron (Star Boy). Do lado dos kriptonianos, seu legado foi ter trazido gigantescos lagartos em suas arcas, que ficaram na Terra e se tornaram os dinossauros pré-históricos.

Dessa forma, a "pequena" briga entre legionários foi responsável pelo:
a) surgimento do povo aquático de Atlântida.
b) a submersão da própria Atlântida
c) o surgimento dos dinossauros.

E pensar que era apenas uma história onde os legionários lutariam uns contra os outros...

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 40

- Adventure Comics 332 (Maio de 1965)

Histórias:

* "The Super-Moby Dick Of Space" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhadas por John Forte

Relâmpago, o azarado.

Chega a ser engraçado como o legionário Relâmpago sofre a piores consequências dentro do grupo. Foi o primeiro legionário a morrer em combate, mas nem o "descanso eterno" durou tanto para mantê-lo longe de encrencas. Logo, ele foi ressucitado e tudo ia bem... até agora. Dessa vez, Relâmpago não morreu, mas sofreu uma gravíssima mutilação que marcaria o personagem nas histórias futuras.

Imaginem uma história futurista, com planetas alienígenas e naves espaciais, apresentando uma versão de Moby Dick. Tudo bem, baleias no espaço seria absurdo demais... então o jeito era transpor apenas a essência da obra de Herman Melville para os quadrinhos, certo? É... certo... Mas o escritor Edmond Hamilton preferiu seguir pelo caminho do "absurdo demais", ou seja, voltemos a idéia de uma baleia no espaço.

A Moby Dick...ou melhor dizendo... a Super-Moby Dick Espacial (lembrando os filmes antigos de monstros) era uma criatura com o formato de baleia e asas que lembravam um morcego. Ah, sim e voava pelo espaço normalmente. Alimentava-se de minérios e atacava naves espaciais para devorar suas cargas. Relâmpago é o primeiro herói a tentar atacar o monstrengo, mas não imaginava como o corpo dele reagiria ao receber uma descarga de seus raios. É então que o herói recebe uma forte descarga em seu braço, que fica dolorido, piora, gangrena... e precisa ser amputado, acabando por receber uma prótese mecânica como lembrança da malfadada aventura.

Até aqui a tragédia segue a risca a fonte literária, mostrando Relâmpago obcecado em se vingar, tal qual o Capitão Ahab da obra de Melville. Essa obsessão começa a preocupar os outros legionários e também vai contra a constituição do grupo, que rege que a vida é sagrada e não deve ser tirada de forma alguma... independente da criatura que os ameace. Nem mesmo Superboy é capaz de agir, pois a criatura comeu kriptonita o suficiente para afetá-lo.

Após várias tentativas de capturar o monstro, a Legião finalmente vê Relâmpago chegar perto dele... e disparar um raio diretamente de seu braço mecânico. Supresos, eles, que esperavam a morte certa da baleia, veem ela diminuir de tamanho. Acontece que o braço mecânico do herói foi incrementado com raios positivos pelo mesmo cientista responsável pelo crescimento do animal.

Mas Relâmpago não esqueceria dessa aventura tão cedo. E ficaria marcado de forma pouco discreta durante as próximas aventuras.


segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 39

- Adventure Comics 328 a 331 (Janeiro a Abril de 1965)

Histórias:

* "The Lad Who Wrecked The Legion"
* "The Bizarro Legion"
* "The Secret Of The Mystery Legionnaire"
* "The Triumph Of The Legion Of Super-Villains"


- Escritas por Jerry Siegel e desenhadas por Jim Mooney

Jim Mooney.

O legendário e saudoso desenhista Jim Mooney faz parceria com o não menos legendário e saudoso escritor Jerry Siegel nessa fase das aventuras da Legião. O primeiro ficou famoso por seu trabalho nas aventuras do Homem-Aranha e o segundo é ninguém menos do que o criador do Superman e do universo que rodeia o personagem. E a dupla aparece em uma fase do grupo em que a bruxa parecia estar meio que solta no futuro. A fase negra era tamanha que, pela primeira vez, uma história foi publicada com continuação na edição seguinte.

Uma das curiosidades dessa fase foi o encontro com uma versão do vilão Bizarro, que era uma versão distorcida do Superman/Superboy, mas divertia por mostrar sempre o inverso do que o personagem fazia. Em seu mundo, uma versão contrária da Terra, tão contrária que o planeta era quadrado, havia versões de outros personagens ligados ao herói. E a Legião não poderia ficar de fora dessa, digamos, experiência bizarra. Dessa forma vemos Legião Bizarra ser formada. Brainiac 5, por exemplo, que é um gênio da Legião, na versão "bizarrializada" é burro a ponto de ser pateta.

Mas o pior sufoco que a Legião enfrentou estava na escolha dos novos heróis. O que antes parecia engraçado por mostrar candidatos com poderes absurdos (apesar de vermos um rapaz capaz de atrair sujeira e outro com poder fedorendo, como se fosse um gambá), mostra que também pessoas mal intencionadas e dissimuladas podem conseguir entrar para o grupo.

Uma dessa péssimas aquisições foi um jovem chamado Command Kid, capaz de gerar ilusões e que deu muito trabalho para a Legião. Apesar da dor de cabeça que deu, o jovem não era inteiramente culpado pelos seus atos. Ele havia sido possuído por uma entidade alienígena e foi exorcizado no momento em que teve contato com ouro, a única fraqueza da criatura.

Logo em seguida... mais uma péssima seleção. Dynamo Boy é mal mesmo. Não precisa de entidade nenhuma pra possuí-lo. Manipulador e causador de intrigas, faz com que os Legionários se desentendam e acabem sendo expulsos um a um. Depois de TODOS os heróis originais terem sido expulsos, só sobra o jovem vilão que se declara líder do local.

Dynamo Boy, praticamente dono da situação, precisa convocar novos integrantes para sua nova Legião. Mas só conta com os candidato rejeitados. É quando aparece a Legião dos Super-Vilões e, maldade por maldade, todos se dão muito bem. O plano então é mostrar para o mundo que são a Nova Legião dos Super-Heróis... de dia, para praticar crimes a noite.

Superboy lidera a resistência contra o novo grupo e, juntamente com Transmutador, consegue expulsar Dynamo Boy e levar os Vilões para um asteróide que está prestes a explodir. Temendo a própria morte, a Legião dos Super-Vilões se entrega e os Legionários voltam a ser um grupo... mais cuidadoso com os novos integrantes que virão.
*

domingo, 24 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 38

- Adventure Comics 327 (Dezembro de 1964)

Histórias:

* "The Lone Wolf Legionnaire" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

Lobo Cinzento

Selvagem, instintivo, violento, solitário, carismático e com poderes que lembram um feroz animal. Não, não é Wolverine, que seria criado anos depois e em outra editora... Trata-se de Lobo Cinzento, personagem que deu sua contribuição como uma espécie de "bad boy" da Legião dos Super-Heróis, mesmo tendo uma alma mais de herói do que anti-herói.

Em um circo intergalático, a Legião se depara com um estouro de camelefantes (mistura de camelo com elefante... animais alienígenas esquisitos eram outra sensação das histórias futuristas). Incapazes de deter as enormes criaturas, vêem um veloz acrobata tomar conta da situação e dominar as feras. Pluma (ex-Garota Relâmpago) se encanta com o jovem e o convida para integrar o grupo. Arredio, Karth Arn (o nome Lobo Cinzento seria usado no futuro), diz que sua sina é andar sempre sozinho, Também não dá explicação para tanta amargura, mas se afasta até de certa forma grosseiramente.

Mais tarde, investigando um crime em outro planeta, a Legião descobre uma série de evidências que levam até... Karth Arn. Mesmo com as evidências, Pluma insiste em defender sua nova paixonite e tentar provar sua inocência. A perseguição leva Karth a derrubar a nave da Legião para que esses não fossem tragados para outra dimensão. Essa atitude nobre não condizia com as acusações que ele vinha recebendo. Mesmo assim, ele continua arredio e até mesmo pede para que a moça se afaste... pois ele não era humano!

A investigação leva os heróis até o laboratório do Doutor Marr Londo, que morreu anos atrás deixando o lugar para seu filho, Brin Londo. Brin conta que Karth era um andróide criado por seu pai e que saiu fora do controle, explicando o porque dos atos criminosos. Apesar da história fantástica, a verdade por trás dela era ainda mais estranha.
Brainic 5 descobre que Brin Londo é, na verdade, o andróide descontrolado e que Karth é o verdadeiro Brin Londo, filho do cientista. Quando seu pai era vivo, Brin recebeu descargas de um maquinário que lhe deus poderes como superagilidade e capacidades acrobáticas. A dedicação ao filho despertou certa inveja no andróide, que causou amnésia em Brin e o fez pensar que ele era o andróide.

A Legião prende o verdadeiro criminoso e, para a felicidade de Pluma, Lobo Cinzento, ou melhor, o futuro Lobo Cinzento, aceita ingressar no treinamento para fazer parte do grupo de heróis.
*

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 37

- Adventure Comics 324 (Setembro de 1964)

Histórias:

* "The Legion of Super-Outlaws" - Escrita por Jerry Siegel e desenhada por John Forte
> Publicado no Brasil, em 1968, na revista Almanaque de Superboy 1968, epla Editora Ebal.

Os Heróis de Lallor.

A diversidade de poderes dentro da Legião dos Super-Heróis era de uma criatividade proporcional ao tamanho do grupo. Personagens esquisitos, então, surgiam aos montes, principalmente nas esperadas seleções de novos heróis para a Legião. E se você acha que os personagens que surgiam eram por demais ridículos... então, ora, crie você mesmo um personagem!! Dentro dessa proposta, os leitores puderam opinar: que novo personagem e que novo superpoder poderia ser criado dentro das aventuras da Legião? Surgiam assim os Heróis de Lallor, formados por: Duplo (ou Rapaz Duplicada), capaz de imitar qualquer superpoder (obviamente o mais poderoso desse novo grupo); Evolvo, capaz de evoluir até uma forma com inteligência super avançada ou involuir até o mais selvagem descendente de sua raça; Moça Gás, capaz de tornar seu corpo gasoso; Moça Vida, capaz de dar vida a qualquer objeto inanimado; e Rapaz Zoológico, capaz de se transformar em qualquer animal.

Os Heróis de Lallor surgiram após seus pais serem expostos a radiação de explosões nucleares em seu planeta natal. Curioso notar aqui uma certa "resposta" da editora DC Comics a sua principal rival, a Marvel Comics, uma vez que os personagens dessa (que surgiam na década de 60) tinham suas origens ligadas a radiação. Fazendo uma comparação mais direta, os Heróis de Lallor, que nasceram com poderes devido a alterações genéticas, tinham semelhança com os X-Men da Marvel. Conceitualmente, apenas, pois os poderes eram bem diferentes destes.

Esses novos heróis, apesar de seu enorme poder, viviam apavorados devido ao regime ditatorial de seu planeta. Aproveitando-se dessa ingenuidade, o irmão do Rei das Selvas, personagem que foi rejeitado pela Legião e morreu tentando se vingar do grupo, aproveita para distorcer a verdade e jogar os Heróis de Lallor contra o grupo. Os lallorianos, com seus poderes claramente superiores aos dos Legionários (imaginem Duplo imitando o poder do Superboy!), facilmente conseguem dominá-los.

Mas acontece um certo imprevisto no plano de conquista. Perseguindo Violeta, a legionária capaz de reduzir seu próprio tamanho, Duplo acaba salvando-a e se apaixona pela moça. Com esse amor, surge a desconfiança por parte dos Heróis de Lallor, que acabam descobrindo que foram enganados e a Legião, ao contrário do que foram obrigados a acreditar, é formada por heróis de ações nobres.

Desfeito o mal-entendido, os Heróis de Lallor retornam a seu planeta, dessa vez como heróis da resistência a ditadura, e com o aval da Legião dos Super-Heróis.
*

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 36

- Adventure Comics 323 (Agosto de 1964)

Histórias:

* "The Eight Impossible Missions" - Escrita por Jerry Siegel e desenhada por John Forte

Eleições para um novo líder.

Proty II (sim, aquela "coisa" que serve de mascote do Camaleão) anda ficando abusado depois que entrou para a Legião dos Super Animais. Imaginem que essa espécie de gelatina ambulante liderou uma espécie de gincana para que fosse tomada uma decisão importantíssima dentro do grupo: a escolha do novo líder.

As regras consistiam em adivinhar uma espécie de senha, que iria aparecendo conforme as missões fossem cumpridas. Dando o ponta pé inicial, Proty II dá a primeira dica: ele escreve seu nome ao contrário (ficando Ytorp) e se transforma em uma versão quebradiça de si mesmo. Isso remonta ao vilão Bizarro, inimigo do Superman que é uma versão deformada do herói e age sempre ao contrário, inclusive falando de forma contrária ao que quer transmitir (exemplo: quando diz que vai subir, ele desce). As missões seguintes (algumas com certo grau de periculosidade) são cumpridas pelos legionários e eles tem que adivinhar quais as pistas que surgem nela.

No final, Satúrnia consegue matar a charada e é eleita a nova líder. A prova consistia em reunir a primeira letra do nome ou sobrenome daqueles que foram escolhidos para cumprir as tarefas. Dessa forma temos:

(S) aturn Girl (Saturnia)
(U) ltra Boy (Ultra Rapaz)
(P) hantom Girl (Garota Fantasma, futura Etérea)
(E) lement Lad (Transmutador)
(R) oss (Pete Ross, considerado membro honorário)
(B) rainiac 5 (Brainiac 5)
(O) lsen (Jimmy Olsen, outro membro honorário)
(Y) torp (Proty ao contrário)

O jogo de letras forma o nome Superboy, sendo que a data comemorava a entrada do herói no grupo e, afinal, ele era o motivo da formação do mesmo.

Pra uma massa gelatinosa, até que Proty II ocupava bem o tempo dos legionários e já tinha inteligência o suficiente para mobilizá-lo por uma história inteira!
*

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 35

- Adventure Comics 322 (Julho de 1964)

Histórias:

* "The Super-Tests of the Super-Pets" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

Proty II, o super-herói.

A Legião dos Super-Animais já era uma coisa estranha de se ver (se bem que pela ingenuidade da época...), mas um dos mascotes de super-heróis era mais estranho do que todos eles juntos: Proty II. Ele é uma espécie de massa capaz de se transformar em qualquer coisa, desde uma arma até imitar uma pessoa. Uma "coisa", enfim. Mascote do Camaleão, legionário que também é capaz de mutar para qualquer outra criatura, Proty II, apesar de sua estranha forma (ou "desforma") tinha lá seu carisma.

Os legionários se preparam para destruir de uma vez por todas a barreira temporal do Senhor do Tempo. Até mesmo a Legião dos Heróis Substitutos (agora tratados como reservas) são convocados. Para suprir a ausência dos heróis e defender sua base, Superboy busca a Legião dos Super Animais para defendê-la.

Proty II, o mascote do Camaleão muito queria ir com o seu dono, mas ele prefere que a criaturinha fique na base junto com os outros animais. Mas Proty II não é exatamente um animal. É uma "coisa", uma massa disforme ou "uma bolha" como lembram os outros animais. Mas, ainda assim, queria se integrar aos outros mascotes. Surge assim uma versão do que seria a seleção de novos integrantes. Só que agora entre os animais. E da mesma forma que os Legionários aplicam duras provas para que novos heróis possam entrar em suas fileiras, os animais também testam Proty a exaustão.

Proty II, sempre comicamente desesperado, consegue vencer todas as provas com muita criatividade (ou com toda a criatividade que uma massa disforme que pode se transformar em tudo possa ter). E o mais interessante é que, na maioria das vezes, essas provas exigem que interaja com os legionários oficiais, provando que é tão inteligente quanto os donos dos animais que estão exigindo provas de seu valor.

No final, a criaturinha torna-se o novo integrante da Legião do Super-Animais e, com sua humildade, acaba se tornando o mais improvavelmente carismático mascote dos quadrinhos.
*

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 34

- Adventure Comics 321 (Maio de 1964)

Histórias:

* "The Code of the Legion" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

Senhor do Tempo.

Viagens no tempo sempre foram complicadas de se lidar devido aos inúmeros paradoxos que o tema pode causar. Ações causadas no passado podem alterar o futuro que, por sua vez, podem não disponibilizar a forma como o passado foi alterado, anulando, assim, a alteração neste mesmo futuro (sim, a teoria é complicada mesmo lendo a frase detalhadamente). Curiosamente, o vilão conhecido como Senhor do Tempo tem uma existência nos quadrinhos tão complexa quanto as manipulações do tempo que ele causa.

Ele surgiu discretamente, meio que um personagem a ser esquecido, em uma aventura passada da Mulher Maravilha. Na verdade, o personagem ali apresentado, conhecido como Mestre do Tempo, aparentemente pouco tinha a ver com o mesmo tradicional inimigo da Legião dos Super-Heróis. E mesmo nas histórias do grupo, ele apareceu de uma forma pouco comum pra época (porém comum nos dias de hoje).

Dentro das outras aventuras dos heróis, o Senhor do Tempo aparecia em uma subtrama dentro da história principal. Ou seja, enquanto enfrentavam outras ameaças, os legionários se preocupavam como vencer a barreira temporal criada pelo vilão, que impedia que visitassem o futuro ainda mais distante. Nesta edição, o vilão age mais ativamente, saindo um pouco de sua posição defensiva, ainda que não tenha uma aparição tão substancial ou um confronto mais direto com seus inimigos.

A Legião dos Super-Heróis enfrenta uma ameaça e citam usar a arma conhecida como Concentrador. Satúrnia se sente apavorada apenas em ouvir o nome de tal arma e diz que jamais poderão usá-la. Obviamente, os inimigos ficam curiosos sobre o que se trata o tal Concentrador e tentam de tudo para descobrir mais sobre ele.

Por outro lado, a força policial do futuro também se preocupa com a existência de uma arma tão poderosa que não possa ser explicada. Mais que isso, preocupam-se caso algum inimigo acabe forçando algum legionário a entregá-la. Para garantir a segurança, os legionários são submetidos a situações extremas para provarem que jamais irão entregar o segredo mesmo sob tortura.

Todos eles, de uma forma ou outra, conseguen manter a boca fechada. Mas Relâmpago é o único que acaba revelando a verdade. O Concentrador é uma arma capaz de reestruturar átomos, destruindo qualquer coisa ou criando outras através deles. Como punição por ter revelado o segredo, o herói é preso em uma espécie de gaiola onde irá cumprir prisão perpétua.

No cativeiro, Relâmpago revela porque fraquejou. Ele desconfiou que o chefe de polícia não era quem dizia ser. Superboy e Mon-El, utilizando visão de raios-x, confirmam o que ele diz... revelando que o chefe de polícia é na verdade o Senhor do Tempo, que tomou o lugar do verdadeiro para saber mais sobre o tal Concentrador que poderia derrubar a barreira temporal que ele criou.

Furioso por descobrir que Relâmpago mentiu, o vilão faz com que estrelas negras caiam sobre o planeta. É aí que Brainiac 5 utiliza a tal arma, capaz de rechaçar esse tipo de ameaça, porém, consumindo toda a energia local (e de boa parte do universo). Relâmpago é solto, o Senhor do Tempo foge ainda mais furioso e livre para ameaçar o grupo mais adiante. Tudo é uma questão de tempo.
*

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 33

- Adventure Comics 320 (Abril de 1964)

Histórias:
* "The Revenge of the Knave from Krypton" - Escrita por Jerry Siegel e Otto Binder e desenhada por John Forte e George Papp

A volta do delinquente Dev-Em. Delinquente?

Da última vez que viu o delinquente kriptoniano Dev-Em, Superboy viu sua imagem manchada em Smallville pelo vilão antes que esse partisse para algum lugar do futuro. Ao visitar a Legião dos Super-Heróis, Superboy reencontra seu inimigo, mas tem uma surpresa... que traz desconfiança.

Aparentemente, Dev-Em se regenerou e está trabalhando para uma força policial do futuro, que tenta desbaratar uma rede de espionagem. A idéia do cínico Dev-Em é levar alguns aparelhos da sede da Legião, afim de enganar o criminoso Molock, líder da rede de espionagem, dizendo que ele roubou tais aparelhos para se infiltrar na gangue. Mas Superboy, desconfiado de Dev-Em, não aceita muito a idéia, achando que ele está mesmo é querendo roubar os aparelho (como fazia em Kripton). Para evitar surpresas desagradáveis, Superboy prefere se disfarçar de Dev-Em e cumprir a missão. Afinal, com ele, os aparelhos estariam seguros.

Disfarçado de Dev-Em, Superboy consegue se infiltrar na rede de Molock e começa a demonstrar os aparelhos que "roubou". A última supresa é um pedaço de kriptonita dourada, capaz de retirar permanentemente os poderes de um kriptoniano. Para surpresa de todos, isso não acontece e o herói desmantela a rede criminosa.

A explicação de como Superboy escapou da radiação dourada é que Proty II, o mascote do Camaleão que é capaz de se tornar qualquer coisa, entrou na caixa destinada ao minério e se disfarçou afim de salvar o herói. E, o mais impressionante, essa jogada teve o dedo de... Dev-Em, provando que ele realmente está mudado.

A Legião o convida para fazer parte do grupo, mas Dev-Em sente prazer em seu trabalho na força policial e recusa o convite.
*

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 32

- Adventure Comics 319 (Março de 1964)

Histórias:

* "The Legion's Suicide Squad" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

O dia de glória dos Substitutos.

Em um planeta aparentemente desabitado, surge uma enorme construção que emite rajadas capazes de incapacitar toda e qualquer nave. Mais do que isso, a enorme torre tem uma espécie de defesa automática que anula todo e qualquer ataque a ela. A consequência disso, entre outras, é que planetas inteiros estão ficando sem seus suprimentos de comida, uma vez que a rota comercial passa diante dessa nova ameaça.

A Legião dos Super-Heróis tenta atacar a torre mas, grupo a grupo, ela revida valendo-se do ponto fraco de cada integrante e até mesmo enviando armas mais poderosas que seus poderes. O último grupo a atacá-la é formada pela Legião dos Heróis Substitutos que, talvez por ser subestimada, consegue fazer com que Noturna, que tem superpoderes apenas a noite, invada o local e descubra... que ela é controlada apenas por dois velhinhos assustados. Acontece que o local foi construído para ser uma espécie de refúgio dos dois, afim de guardar sua paz de invasores e acabou se tornando uma diversão ao deter os legionários.

Esclarecida a situação de que os velhinhos não causaram toda essa confusão por mal, a Legião de Substitutos é recebida pela população da Terra como verdadeiros heróis... tendo desta vez a Legião dos Super-Heróis como espectadores de sua vitória.
*

domingo, 17 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 31

- Adventure Comics 318 (Março de 1964)

Histórias:

* "The Mutiny Of The Legionnaires" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

Legião a beira de um ataque de nervos.
Quem disse que super-heróis não fica estressado? Isso é tão verdade que a Legião dos Super-Heróis foi obrigada a criar uma regra específica para evitar esses casos.

Tudo começou quando Solar e Cósmico descobrem um planeta que está prestes a ser destruído e tem a enorme responsabilidade de resgatar todos os habitantes do local, além de procurar um novo lar adequado a suas necessidades.

Diante de tamanho desafio... Solar pira! De uma hora pra outra, desesperado em resolver a situação, torna-se um integrante irritado e mandão, exigindo o máximo de seus companheiros. Os legionários, por sua vez, tentam deter sua ansiedade mas isso é visto por ele como sendo uma traição. Acreditando estar sozinho, Solar ameaça destruir a arca que leva os habitantes do planeta condenado e os legionários acabam em um impasse.

Sem nada poder fazer a não ser seguir ordens de seu descontrolado colega, os legionários são expulsos da nave e passam por diversos planetas inóspitos até conseguirem recuperar o rumo e alcançar a nave de Solar. Ao chegar nela, descobrem que o colega está paralisado. Cumpriu a missão até ali, mas o estresse foi o suficiente para fazer que entrasse em colapso nervoso e ficasse catatônico. Após entregarem os habitantes a seu novo lar, levam Solar para uma bateria de testes até que ele volte ao normal.

Depois da experiência, cria-se a regra que nenhum legionário poderá participar de cinco missões seguidas, o que seria a desculpa perfeita para os futuros escritores das histórias desse heróis fazerem uma espécie de rodízio entre os personagens que já não eram poucos e não paravam de aparecer.
*

sábado, 16 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 30

- Adventure Comics 317 (Fevereiro de 1964)

Histórias:
* "The Menace of Dream Girl" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

Sonhadora.

Uma das mais belas futuras integrantes da Legião dos Super-Heróis surge nesta edição. Bela a ponto de causar uma pequena guerra dos sexos dentro do grupo.

Nura Nal foi uma candidata a pertencer a Legião, com um poder tão peculiar que, aparentemente, seria rejeitada. Ele consistia em... sonhar. Quando a bela heroína dormia, tinha sonhos com o futuro e, assim, era possível evitar tragédias que ainda não aconteceram. No entanto, eu disse SERIA rejeitada. Isso graças a seu outro, digamos, poder: sua beleza. De fato, de tão bela, nenhum integrante masculino da Legião foi capaz de rejeitá-la. Já as meninas... Mesmo assim, como a maioria do grupo (e dos votos) vinham da ala masculina, Sonhadora foi aceita como nova Legionária.

Nas primeiras missões, demonstrando que seu poder tinha lá sua utilidade, Sonhadora começa a agir estranhamente. Seu primeiro passo (e interesse) é entender e praticamente decorar a constituição da Legião. Com isso, coincidentemente, as missões que participam levam os outros integrantes a situações onde acabam por quebrar as regras dessa constituição. Como integrante oficial, a heroína, que sabe as regras na ponta da língua, vai eliminando seus colegas por suspensão e até mesmo expulsão do grupo. Isso sem citar casos mais extremos, como o da Moça Relâmpago, que acaba perdendo seus poderes elétricos em uma missão com a nova colega.

Esse modo aparentemente vilanesco de agir é investigado por Astron (apaixonado pela nova colega), que acaba descobrindo o segredo de Sonhadora. Como ela era capaz de prever o futuro, em um desses sonhos preveu a morte de sete legionários. A eliminação desses, portanto, era uma forma de tentar alterar esse futuro, uma vez que no dia da tragédia eles não estaria fazendo parte da equipe. Com essa atitude agora entendida como nobre, a desconfiança para com Sonhadora (além da dor de cotovelo das garotas) muda para a aceitação e consideração de uma nova amizade.

Mas... e a Moça Relâmpago? Como ficaram seus poderes já que eles foram perdidos em missão. Na verdade, eles mudaram. Seu poder agora é o de tornar qualquer objeto e até mesmo um edifício superleve, sendo capaz de levantá-lo. Futuramente, esta personagem seria conhecida como Pluma, nome mais adequado a essa nova capacidade. Afinal de contas, a Legião já tinha o seu integrante com poderes elétricos, que inclusive era o irmão de Pluma, conhecido como Relâmpago.
*

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 29

- Adventure Comics 316 (Janeiro de 1964)

Histórias:

* "The Renegade Super-Hero" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

O primeiro legionário a ser expulso (ou quase isso).

Procurando localizar criminosos alienígenas, os legionários descobrem que um de seus integrantes, o Ultra Rapaz, tem um passado criminoso mal resolvido. E a Legião dos Super-Heróis não perdoa! Decidem expulsar seu colega, mesmo ele tendo deixado (e escondido) sua carreira criminosa no passado e tendo provado seu valor várias vezes. Mais que isso, decidem que ele deve ser entregue as autoridades e o perseguem implacavelmente. De todos os integrantes, apenas a Garota Fantasma (futura Etérea) acredita em sua inocência (denotando até mesmo um interesse romântico pelo herói).

Com os seus agora ex-colegas em seu encalço, Ultra Rapaz e a Garota Fantasma (que tenta ajudá-lo a fugir) acabam sendo capturados pelos alienígenas criminosos que, enfim, eram a origem do problema. Surpreendentemente, o herói se alia aos criminosos e promete levá-los até a sede da Legião, entregando as armas secretas do grupo. Chegando lá, dispara uma arma congelante contra o grupo e os prende.

Após a captura dos alienígenas, Ultra Rapaz explica que tudo não passou de um arriscado plano para prender os vilões. Usando sua supervelocidade (lembrando que o herói tem praticamente os mesmos poderes que o Superboy, porém só pode usar um de cada vez), consegue alterar os registros da polícia colocando-o como um suspeito criminoso. Com isso, sabia que seria expulso do grupo e considerado fora-da-lei, o que atraíria os alienígenas para que pudessem incorporá-lo ao grupo e descobrir os segredos dos legionários.

Um arriscado e corajoso plano que destacou um pouco mais esse personagem.
*

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 28

- Adventure Comics 315 (Dezembro de 1963)

Histórias:

* "The Legionaire's Super-Contest" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

O reconhecimento dos Substitutos.

Finalmente, depois de novamente salvar a Terra anonimamente, a Legião dos Heróis Substitutos recebem o reconhecimento da Legião dos Super-Heróis e lhes dão uma chance de ouro. A proposta é que, após uma série de testes monitorada pelos legionários oficiais, um dos substitutos seja aceito no grupo.

Todos os testes são escolhidos em ambientes onde as situações são adversas aos estranhos poderes dos Substitutos. Cada um deles é acompanhado por um legionário que, com seu poder, resolveria a situação. Ou seja, teriam que provar ser tão dignos ou melhores do que os legionários, resolvendo situações que seriam facilmente solucionadas pelos heróis oficiais.

Polar tem que descongelar cientistas que foram petrificados no frio do espaço. Para isso, usa seu poder de congelamento (sim, algo muito estranho na situação) para levá-los para dentro de um vulcão. O poder congelante protege a todos do calor. O teste, bem sucedido, é acompanhado por Solar.

Noturna, com sua superforça que só funciona na escuridão, tem que enfrentar um ditadora que tem superforça devido a luz do Sol. Apesar da óbvia surra inicial, consegue organizar o povo oprimido para que criem uma fogueira alimentada por rochas negras, que gera uma enorme fumaça que cobre a claridade, deixando a ditadora mais fraca e, consequentemente, aumentando a sua. O teste é acompanhado por Superboy.

O Garoto Clorofila, com seu poder de acelerar o crescimento de plantas, tem que rachar uma montanha ao meio. Encontrando vegetação rasteira no topo dela, ele tem uma idéia. Planta um tipo de árvores no topo e acela o crescimento das mesmas até que a montanha se parta. O teste é acompanhado por Relâmpago.

Ígneo, capaz de cuspir fogo, tem que ajudar o povo de um planeta, onde chove eternamente, a acender pelo menos uma tocha. Seu poder inflamável não é páreo para a torrencial chuva que cai o tempo todo. Mas, já desanimado, senta-se ao lado de um rio e percebe manchas negras saindo da água. É então que, utilizando o cinturão de vôo da Legião e saltando ao lado do rio, faz pequenos buracos por onde começa a jorrar petróleo. Com seu poder acende pequenas tochas do líquido que brota da terra. O teste é acompanhado por Saltador.

Por último, Pétreo, capaz de ficar imóvel e duro feito uma pedra, tem que deter um enorme réptil de destruir uma aldeia. Ele fica imóvel, distraindo o bicho por alguns momentos. Mas esse logo o esquece e parte para atacar os habitantes da aldeia. Satúrnia, legionária capaz de controlar mentes e que acompanhava o teste, consegue deter a criatura controlando-a mentalmente, apesar do desespero de Pétreo diante do perigo.

No final, o grande vencedor é... Pétreo????? O único que, aparentemente falhou. Acontece que Satúrnia pôde ler a mente do inocente herói substituto, e sentir o desespero e preocupação com os habitantes da aldeia diante do perigo. Com isso, ele venceu a prova para entrar para a Legião que, afinal, prezava mais o caráter do que os atos heróicos. Mas Pétreo é tão "certinho" que recusa a vaga para continuar ao lado de seus companheiros substitutos.
*

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 27

- Adventure Comics 314 (Novembro de 1963)

Histórias:

* "The Super-Villains Of All Ages" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

Bolha Temporal.

Os heróis do futuro viajam pelo tempo através de uma máquina em forma de redoma transparente, chamada Bolha Temporal (ou Bolha do Tempo). Até então, apesar de utilizada em histórias anteriores, era apenas mais um artefato futurista sem um nome próprio. Nessa história, porém, essa máquina do tempo ganha destaque e é até pivô da ameaça que se abate sobre a Legião dos Super-Heróis.

Em mais uma seleção de novos heróis, a Legião rejeita os poderes de Ronn Kar (capaz apenas de ficar achatado) e de Alaktor (pois este não tem nenhum poder, valendo-se apenas de inventos que leva em um cinto). Este último, um inventor mediano, consegue tirar fotos em raios-x da sede da Legião, tendo assim o esquema de segurança do local em suas mãos.

Mais tarde, Alaktor, sabendo toda a planta da sede, consegue chegar até a sala onde se encontra uma bolha temporal e a rouba para pôr em prática seus planos vilanescos. Com a bolha, o vilão viaja ao passado e seleciona aqueles que ele considera três grandes vilões da história: o enlouquecido Nero, o assaltante Dillinger e Adolf Hitler. Levando os três ao futuro, ainda cria uma máquina que faz com que a mente destes três personagens históricos se transfiram para o corpo dos mais poderosos legionários. Dessa forma, cria uma força de ataque formada por Superboy (com a mente de Hitler), Mon-El (Nero) e Ultra Rapaz (Dillinger).

Tanta maldade reunida, enfim, não poderia acabar em uma aliança bem sucedida. Assim que os três vilões se vêem com superpoderes, tratam de se livrar de Alaktor. Mas a traição não termina aí. Entre eles mesmos, há uma intenção de se "passar a perna", voltar ao passado sozinho e dominar o mundo. Graças a essa ganância, a Legião dos Super-Heróis consegue armar uma armadilha onde cada um dos dominados atacam um ao outro com sua respectiva fraqueza (obs.: contrariando o que foi dito antes, a fraqueza de Mon-El continua sendo o chumbo, sendo que o soro que o deixa imune dura apenas 48 horas.).

Os três vilões são devolvidos a seus respectivos corpos e épocas e a bolha temporal é recuperada (apesar de terem feito uma nova para perseguir o vilão).
*

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 26

- Adventure Comics 313 (Outubro de 1963)

Histórias:
* "The Condemned Legionnaires" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por Curt Swan

Satan Girl.

Misteriosamente, todas as garotas da Legião dos Super-Heróis começam a ficar fracas e doentes. A causa é uma estranha radiação que deixa a pele delas vermelha. A situação se agrava e as garotas são enviadas para um planeta isolado onde ficarão em quarentena.

Assim que as legionárias são enviadas para a quarentena, uma nova candidata aparece com intenções de substituí-las. Apresentando-se como Satan Girl, a personagem mostra ter poder de vôo, invulnerabilidade e supervelocidade. Mas sua petulância traz realmente algo suspeito. Na verdade foi ela a responsável por contaminar as heroínas, como vingança por ter sido rejeitada na seleção de novos integrantes.

Supergirl aparece no futuro e lidera a luta contra Satan Girl. Inicialmente, a heroína pensa se tratar de uma kriptoniana, já que seus poderes são idênticos. Porém, ao expô-la a kriptonita verde, percebe que ela é imune, o que afasta essa possibilidade. Chega a pensar que trata-se de um andróide, mas essa também não é a resposta.

Mas Supergirl percebe que os poderes da vilã falham em criaturas saltitantes de um planeta isolado. Conclui que ela não pode aplicá-los em animais. Dessa forma, convoca a Legião dos Super-Animais (Kripto, Raiado, Cometa e Beppo), que consegue deter a maligna personagem.

Quando tiram a máscara da vilã, descobrem que ela é ninguém menos que... Supergirl???? Ou alguém muito parecida!!! Logo, a vilã conta sua origem. Certa época, Supergirl foi atingida pela passagem de kriptonita vermelha e a radiação do estranho material fez com que um segunda Supergirl surgisse do corpo da primeira. Essa "cópia", imune a kriptonita, também era capaz de emitir radiação vermelha, que adoecia as legionárias. Seu plano era distrair ao máximo a Supergirl, uma vez que o efeito duplicador durava apenas 48 horas antes que sumisse. E é isso o que realmente acontece. Satan Girl desaparece e volta para o corpo da verdadeira heroína, livrando as legionárias da morte certa.
*

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 25

- Superman's Pal Jimmy Olsen 72 (Outubro de 1963)

Histórias:

* "The World of Doomed Olsens" - Escrita por Jerry Siegel e desenhada por Curt Swan

Jimmy Olsen, o legionário

O jovem ruivo Jimmy Olsen foi criado para ser uma espécie de alter-ego do leitor dentro das histórias do Superman. Acabou, também, por se tornar o elemento de humor das histórias. Sem nenhum superpoder, Jimmy se valia mais de sua "xeretice" e do fato de ser considerado o melhor amigo do herói. Mesmo assim, o personagem fez sucesso o suficiente para ganhar sua própria revista, onde passava por situações esquisitas mas dentro do contexto para o qual foi criado. Também ganhou poderes dos mais esquisitos, igualmente adquiridos de forma curiosa... para não dizer cômicas. Tornou-se, assim, um jovem com o corpo elástico, um lobisomem, um porco espinho humano, uma versão superobesa e, pasmem, um homem tartaruga-gigante (tal qual os melhores seriados japoneses de monstros). Mas Olsen tinha seus méritos....

Nesta edição, já famoso, o jovem apresenta ao público todas essas transformações pela qual passou durante os anos. Curiosamente, no meio da apresentação, um alienígena, conhecido como Colecionador, invade a cena e o sequestra, alegando que ele é culpado pela destruição de grandes cidades em seu planeta, Gion-El. As radiações emitidas pelo relógio sinalizador de Jimmy, utilizado em uma frequência onde o Superman possa escutar e acudi-lo, acabou por desestabilizar a dimensão do alienígena. Como castigo, Jimmy é levado a essa dimensão e encara... as versões transformadas de si mesmo! Nem mesmo o Superman é capaz de deter a ameaça.

Desesperado, Jimmy atira o microfone, que utilizara na apresentação, contra o alienígena. Este, se esquiva demonstrando medo pelo aparelhinho. É então que Jimmy percebe que tudo não passa de uma espécie de pegadinha. O alienígena, na verdade, é Mon-El, da Legião dos Super-Heróis, uma vez que ele teme o chumbo contido no microfone. Igualmente disfarçados estão Colossal (como o Jimmy tartaruga-gigante), Camaleão (como o Jimmy elástico), Cósmico (como o garoto porco-espinho), Saltador (como o Jimmy superobeso) e Proty II (disfarçado como Jimmy Lobisomem), Este último é o segundo mascote do Camaleão, já que o primeiro morreu salvando a vida de Satúrnia.

A brincadeira serviu para que os legionários fizessem uma espécie de iniciação para Jimmy, já que ele estava sendo nomeado... um legionário honorário! Era uma homenagem por suas ajudas (diretas ou indiretas) ao Superman e, consequentemente, ajudando em alguns casos da Legião.
*

domingo, 10 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 24

- Adventure Comics 312 (Setembro de 1963)

Histórias:

* "The Super-Sacrifice Of The Legionnaires" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

A ressurreição de Relâmpago (dessa vez vai!)

Tanto alfinetaram, tanto provocaram... que não se podia deixar o herói Relâmpago de lado. Apesar da estranheza de como o tema morte é tratado (morreu? vamos ressucitar, ué...), a brincadeira dessa edição é saber quem vai morrer para que o herói reviva.

Mon-El retorna de uma missão para descobrir uma forma de reviver o Relâmpago, mas não traz notícias muito animadoras. Satúrnia, capaz de ler mentes, acha que o companheiro está escondendo alguma informação.

Depois das notícias frustrantes de Mon-El, o grupo decide partir, cada um em uma tentativa diferente, em busca da solução para reviver seu colega. Todas as alternativas encontradas, no entanto se mostram ineficientes para resolver o problema.

Satúrnia, ainda desconfiada de Mon-El, consegue descobrir o que o companheiro estava escondendo. Na verdade, ele encontrou sim uma solução para reviver Relâmpago. No entanto, a solução iria tirar a vida de alguém. Em um planeta devastado por relâmpagos, um desses iria atingir uma espécie de eletrodo, feito de um metal especial, que conduziria eletricidade até o legionário, porém eletrocutaria outro. Satúrnia, se sentindo culpada pela morte do colega (afinal ele se sacrificou para defendê-la em uma missão suicida), decide trapacear e levar o único eletrodo que atrairá os relâmpagos. Enquanto monta sua ferramenta, a heroína é vista pelo bichinho de estimação do legionário Camaleão, Proty, uma criatura de protomatéria, que aparenta ser feita de massa disforme e que é capaz de se moldar em qualquer formato.

Os legionários se reúnem em volta do caixão, até que um raio finalmente atinge justamente Satúrnia e esta morre. Relâmpago revive e, antes que se desespere pelo sacrifício da colega... outra Satúrnia corre desesperada na direção dos acontecimentos. No chão, o corpo da "outra Satúrnia" volta ao normal... no formato (ou "desformato") da criatura Proty que, em sua ingenuidade, decidiu salvá-la.
*

sábado, 9 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 23

- Adventure Comics 311 (Agosto de 1963)
Histórias:

* "The War Between The Substitute Heroes And The Legionnaires" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

A volta da Legião dos Heróis Substitutos

Novamente, os substitutos do mundo de heróis do futuro se vê em enrascada enquanto estão no banco reserva. Quando a Legião dos Super-Heróis recebe mais uma missão para ser cumprida no espaço, os heróis substitutos (liderados pelo rejeitado Polar), enfrentam o que parece ser uma invasão alienígena. Não dando conta da ameaça, os substitutos decidem chamar os Legionários de volta, mas estes recebem a notícia como um incômodo e acham que eles mais atrapalham do que ajudam. Exigem, portanto, que o grupo de heróis substitutos sejam desfeitos imediatamente.

A atitude pouco simpática dos Legionários se torna ainda mais estranha quando estes retornam a Terra e usam de força letal para debandar os substitutos. Não pensam duas vezes em, por exemplo, destruir o corpo de Pétreo, que é capaz de ficar duro como uma rocha. Para alívio do grupo, o "corpo" não passava de uma estátua para despistar o maquinário da Legião.

O estranho comportamento daqueles que deveriam ser os heróis é explicado quando estes se revelam sua verdadeira forma: alienígenas que controlavam o maquinário para dominar a Terra. Mas os alienígenas dão o azar de serem vulneráveis ao frio, justamente diante de alguém como Polar, que é capaz de congelar tudo a sua volta. Com isso, novamente, a Legião dos Heróis Substitutos frustram uma invasão sem que nem mesmo os Legionários saibam de seu valor.
*

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 22

- Adventure Comics 310 (Julho de 1963)

Histórias:

* "The Doom Of The Super-Heroes" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

A morte dos legionário. TODOS os legionários!

Já que matar um legionário foi tão chocante (com o perdão do trocadilho, uma vez que o legionário morto se chamava Relâmpago)... o que dizer de matar TODOS os legionários? Será que os heróis ganharam mais espaço na revista Adventure Comics apenas para encontrarem seu fim? Talvez não...

Um misterioso vilão, que utiliza uma máscara de ferro e fica conhecido simplesmente como Mascarado, começa a causar destruição imitando os poderes de praticamente TODOS os legionários. Um a um, grupo a grupo, os integrantes acabam não só sendo derrotados mas mortos pelos poderes imitados de seus colegas. No final, sobra apenas o Superboy (que veio do passado para tentar ajudar) que parece perceber um padrão que dê a resposta para derrotar o vilão.

Primeiramente, os heróis já haviam percebido que o vilão utilizava um exoesqueleto que dava idéia que ele tinha um tamanho maior do que aparentava. Tratava-se de um vilão de estatura pequena, praticamente um anão. Algumas pistas deram a Superboy a dica de que os poderes imitados na verdade eram magia. Tratava-se do duende interdimensional conhecido como Mxyzptlk, inimigo do Superboy (e futuramente do Superman). Na verdade, era um descendente do vilão no futuro da Legião.

Descoberta a farsa, Superboy consegue ludibriar o duende e derrotá-lo da única forma possível: fazendo-o dizer o seu nome ao contrário. Feito isso, o vilão volta a sua dimensão e tudo o que causou volta ao normal. Sendo assim, a Legião nunca morreu e muito menos se lembra dos últimos fatos... a não ser Superboy, que terá mais cautela quando o duende vilão retornar novamente.
*

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS - Parte 21

- Adventure Comics 309 (Junho de 1963)

Histórias:
* "The Legion of Super-Monsters" - Escrita por Edmond Hamilton e desenhada por John Forte

Mais Legião por edição.

Com o tempo, as histórias da Legião dos Super-Heróis foram tomando mais e mais conta da revista Adventure Comics onde, até então, predominavam as aventuras do Superboy. A capa, no entanto, continua apresentando o Superboy, uma vez que o personagem é de mais fácil identificação. Com esta edição, vemos uma história com mais páginas para o grupo, tanto que a mesma é dividida em duas parte (trata-se da mesma história, só havendo a divisão talvez devido ao espaço publicitário).

Continuam a aparecer candidatos com poderes esquisitos para se tornarem legionários. As "vítimas" da rejeição dessa vez são uma garota que pode produzir arco-íris (já mostrada sendo rejeitada) e um tal de Rei das Selvas que se diz controlar qualquer fera espacial mentalmente. Esse personagem só é rejeitado porque se distrai e uma fera quase o mata. Mas, diferente dos rejeitados que se sentiam coitados e aceitavam um "não" amistosamente, o Rei das Selvas decide se vingar pela humilhação.

O agora vilão, controlando um grupo de criaturas espaciais perigosas (ao qual chamou de Legião dos Super-Monstros), começa uma onda de crime e terrorismo que abala o grupo de heróis. Satúrnia, que também tem poderes mentais, não consegue deter as feras, tamanho é o poder de seu adversário.

Mas o destino reserva um fim irônico para o vilão. Quando escolheu as feras para seu exército de monstros, apareceram criaturas que também foram rejeitadas por ele devido seu poder parecer inútil a sua empreitada. Uma dessa criaturas, um quase simiesco monstro de gás, se revolta e ataca o vilão, transformando seu corpo em um elemento gasoso. É o fim da Legião dos Super-Monstros.
*