terça-feira, 1 de junho de 1971

POR DENTRO DO GIBI - Item 1B - Iron Man 38 (Junho de 1971)


"Este mundo está cheio de pessoas. Uma boa parte delas tem coisas desagradáveis no passado que gostaria de esquecer. E a gente deixa que elas esqueçam?"
(Tony Stark)


CATÁLOGO:
 
Revista: Iron Man 38
Data da publicação: Junho de 1971
Editor: Stan Lee
Arte de capa: Sal Buscema
Apresentação da revista: 32 páginas coloridas, formato 25,7 x 16,8cm, lombada com grampos
Título da História: When Calls Jonah
Argumento: Gerry Conway
Desenhos: George Tuska
Arte-Final: Mike Esposito
Letras: Jean Izzo

HISTÓRIA (o texto a seguir é uma adaptação parcial do roteiro)

A história já começa com o Homem de Ferro cercado por criminosos e com uma tipoia imobilizando um de seus braços (sim, ele está com a armadura ao mesmo tempo). Na sua frente, um homem jaz abatido.

Voltando ao passado para descobrirmos como o herói se meteu naquela enrascada, o enredo nos leva até o escritório de Tony Stark, onde o industrial recebe Lee, o responsável pelo departamento pessoal da empresa. Lee informa que um sujeito veio pedir emprego e queria discutir o caso pessoalmente. O nome do sujeito é Frank Majors. Stark pergunta o que há de errado com aquele sujeito, afinal. Lee relata o drama de Majors:

Frankie foi criado na parte mais pesada do Harlem de Nova Iorque... onde muito cedo entrou para o crime. Frankie tinha muitas coisas a seu favor que outros não tinham... principalmente inteligência e uma incrível habilidade de escolher o jeito certo de fazer dinheiro... Depois de algum tempo, ele entrou com sucesso no mundo dos jogos... Mas a mãe de Frankie, revoltada com os negócios do filho, preferiu ir para um asilo... Naquele dia, alguma coisa mudou no íntimo de Frankie...

O que até então havia sido um desesperado meio de sobrevivência, tornou-se um grotesco estilo de vida... Frankie Majors dedicou-se totalmente ao crime e à desonestidade... Seus negócios cresceram tanto que ele começou a faturar mais de cem mil dólares por ano... E por isso ficou na mira de um gangster chamado Jonah, que lhe pedia quarenta por cento do lucro de seus negócios no Harlem. Não aceitando de imediato, Frankie recebeu ameaças de um dos capangas de Jonah, chamado Gardênia.

Duas semanas depois, Gardênia se encontrou com Frankie em um depósito, dizendo que havia uma grande transação que o faria mudar de ideia. O vigia do local apareceu e Gardênia, sem a menor razão, assassinou-o, jogando a arma do crime perto do corpo. Antes que Frankie pudesse raciocinar, Gardênia desapareceu de vista e a polícia chegou ao local, pegando-o no que acreditavam ser um flagrante. Naturalmente, no tribunal ninguém acreditou em Frankie. Muitas outras acusações haviam surgido durante as investigações... E o inevitável veredicto do juiz tirou Frankie completamente do caminho de Jonah!

Entretanto, Frankie mostrou-se um prisioneiro modelo! Ele estudou no laboratório da prisão e com a mesma inteligência que o havia feito enriquecer, aprendeu tudo sobre eletrônica... Por sua notável conduta, em apenas alguns anos Frankie conseguiu uma condicional. E agora Frankie está nas Indústrias Stark. Lee, antes de dispensar Frankie, decidiu contar a Stark o relato feito pelo próprio Frankie, pois o industrial costumava dizer que contrataria qualquer pessoa pelo que ela sabe fazer... e lhe perguntar se valia a pena correr o risco de contratá-lo.

Stark lembra Lee que este mundo está cheio de pessoas com coisas desagradáveis no passado que gostaria de esquecer... e que nós mesmos, muitas vezes, não as deixamos que elas esqueçam. A resposta de Stark é... Sim! O industrial dá a Frankie um mês para ver como ele se sai.

Assim que o chefe do departamento pessoal sai da sala, Tony abre rapidamente um painel móvel, onde se encontra a sua armadura de Homem de Ferro. Stark imagina que Lee deve achá-lo um idiota inocente... mas sabe que de vez em quando precisamos acreditar nas pessoas pra mostra que ainda somos humanos. Ainda assim, isso não significa que ele fará as coisas às cegas e decide investigar um pouco a tal história de Frankie Majors. E pra cuidar disso, ninguém melhor do que... o Homem de Ferro!

Pouco tempo depois, no arquivo policial da cidade, o Homem de Ferro encontra todas as evidências contra Frankie. Conclui que apenas o tal Jonah deve saber a verdade. E durante o dia todo, até o anoitecer, as investigações do Homem de Ferro continuam... Investigações que revelam as mudanças que ocorreram durante os anos em que Frankie Majors esteve na prisão. Por exemplo, descobre que Anthony Gardênia é o chefão agora... e ele resolveu assumir o nome de Jonah na nova posição.

O herói não espera se embrenhar tanto no meio daquele tipo de gente, mas se dirige até a mansão de Gardênia, já esperando uma desagradável recepção. De fato, logo é abordado por capangas e se deixa capturar para ser levado para dentro. Gardênia o recebe com escárnio. O Homem de Ferro diz que foi enviado por Tony Stark no intento de avisar o gangster para deixar Frankie Majors em paz. Gardênia, irônico, diz que também tem um recado... o de que não gostam de sujeitos que esquecem o seu passado e que existe uma senhora muito bondosa que nenhum deles quer ver machucada. O herói diz ter entendido o recado... e que o chefe de polícia também irá gostar de ouvir. Gardênia ordena que seus homens atirem para calar a boca do Homem de Ferro e o herói é alvejado de todos os lados. Stark havia se recuperado a pouco de um ataque cardíaco e, mesmo com a armadura, sente quando o tiro de um fuzil o atinge em cheio. Ferido, o Homem de Ferro cai. Ele se levanta e golpeia Gardênia e seus capangas. Com isso, o herói mostra que podia acabar com eles naquele instante... mas, além de não querer ser parecido com os criminosos, prefere esperar até poder engaiolar toda a corja legalmente. O Homem de Ferro sai da mansão, destroçando o telhado e se sente bem pelo que fez... a ponto de se questionar se fez aquilo para acariciar o próprio ego.

Voltando a assumir a identidade de Tony Stark, o industrial vai bater um papo com o próprio Frankie, que está trabalhando até tarde em seu primeiro dia de trabalho. Stark diz a Frankie que ele é muito bem vindo. Frankie agradece, termina seu trabalho e vai embora com sua garota, Louise. Por muitos dias, Stark fica com as palavras de gratidão de Frankie em sua mente.

Certa noite, ao passar em um dos piores bairros da cidade, Stark vê Frankie sendo atacado por dois criminosos. Stark não tem tempo de vestir a armadura, mas decide ajudar assim mesmo. Ao chegar ao beco para onde Frankie foi levado, se surpreende como o rapaz consegue se virar sozinho, fruto de seus treinos em boxe enquanto esteve preso. Stark alerta Frankie quando um dos criminosos saca uma arma. Ao tentar ajudá-lo, Stark é atingido no ombro por um tiro. Frankie derrota o criminoso e leva Stark para o hospital da fábrica, onde ele fica sob os cuidados de Kevin O'Brien.

Kevin conhece a identidade secreta do Homem de Ferro. Por isso Stark pediu para ser levado a ele, já que não precisaria explicar porque o colete metálico que mantém seu coração batendo o salvou do tiro fatal, apesar do ferimento ter sido feio.

No dia seguinte, para surpresa de Stark, Frankie pede demissão. O jovem agradece pela oportunidade e se despede. Stark fica intrigado sobre o que deva ter acontecido. Decide não deixar as coisas daquele jeito, pois sabe que Frankie está com sérios problemas e é orgulhoso demais pra chorar por ajuda. Quer queira, quer não, Frankie será ajudado por certo vingador chamado Homem de Ferro!

Já com a armadura, o Homem de Ferro localiza o carro de Frankie e voa a uma distância na qual não pode ser visto. Vê Frankie descer do carro com cara de preocupado, caminhar pela escuridão até um túnel sujo e cheio de escombros, atalho que o leva diretamente ao cais do porto... onde Gardênia mantém Louise como refém. Quando o Homem de Ferro vê Frankie reagindo contra Gardênia e colocando sua vida em risco, decide entrar na briga, mesmo com um braço imobilizado. Frankie é atingido e cai ao chão, aos pés do Homem de Ferro. Gardênia os ameaça e o herói fica sem reação.

Enquanto Gardênia se gaba, o Homem de Ferro aproveita para fazer uns ajustes na sua manopla. Gardênia percebe algo estranho e ordena que ele levante as mãos. Em seguida, o gangster manda levarem Frankie e Louise para uma "voltinha" e que façam parecer um acidente. O Homem de Ferro havia ajustado sua armadura para que o disparo saísse pela manopla do braço imobilizado, surpreendendo Gardênia. Com isso, os dois conseguem derrotar os criminosos.

Antes de se encontrar com Gardênia, Frankie telefonou pra polícia comunicando o local do encontro e, exatamente no horário combinado, os policiais aparecem. O Homem de Ferro diz a Frankie que Stark espera que ele volte ao trabalho e Frankie confirma que irá voltar.

ANTECEDENTES:

- Na edição original anterior, Iron Man 37, Tony Stark ainda sofria com seus problemas cardíacos. Por isso, na história da edição 38 é citada certa fraqueza dele devido a um ataque recente.

DEPOIMENTOS:

Você se recorda dessa história? Ela te marcou de alguma forma? Tem alguma curiosidade sobre ela? Nos envie seu depoimento/curiosidade sobre ela. Ele poderá figurar na seção "Depoimento", eternizando seu nome junto ao "Por Dentro do Gibi"! Envie seu depoimento para saladeperigobrasil@gmail.com


ATENÇÃO: Esta edição se encontra momentaneamente fora de estoque na loja. Em breve deixaremos a disposição para que você possa adquiri-la. Mas se você gosta de história com o Homem de Ferro, temos muitas outras para sua coleção. Visite: Sala de Perigo : Homem de Ferro

quinta-feira, 1 de janeiro de 1970

POR DENTRO DO GIBI - ITEM 1A - Captain America 106

 CATÁLOGO:

Revista:
Captain America 106
Data da publicação: Outubro de 1968
Editor: Stan Lee
Arte de capa: Jack Kirby
Apresentação da revista: 20 páginas coloridas, formato 25,7 x 16,8cm, lombada com grampos

HISTÓRIAS DESSA EDIÇÃO:

Título : Cap Goes Wild!
Argumento: Stan Lee e Jack Kirby
Desenhos: Jack Kirby
Arte-Final: Frank Giacoia
Letras: Sam Rosen

HISTÓRIA (o texto a seguir é uma adaptação parcial do roteiro):

"É no furor de uma grande batalha que nossa história tem início..." O edifício da SHIELD está sendo atacado e o Capitão América tenta deter os invasores. O herói nota que um deles foge com uma caixa. Apesar de desconhecer como chegaram até ali, o Capitão percebe que se trata de um destacamento oriental. Mas agora o que ele quer mesmo é recuperar a misteriosa caixa. De repente, o herói ouve um zumbido. Acima deles, um eletroímã suspenso por um helicóptero captura a caixa. Antes, o herói ouve algo sobre tal "Operação Réplica".

Os invasores não conseguiram fugir, mas o helicóptero de fuga deles sim e, com ele, levaram a caixa. O Capitão América não está lá de muito bom humor e não recebe bem um agente da SHIELD enviado pelo Coronel Fúria (Nick Fury) para cuidar dele. Com a insistência do agente, o Capitão aceita sua carona e lhe questiona o que havia na caixa. É então que toma ciência de que se tratava de uma fórmula para criação de superandróides. Ambos entram no hotel onde o Capitão está hospedado pela porta dos fundos, apesar de não estar usando a máscara, o herói ainda está de uniforme e isso pode chamar muito a atenção.

Dentro do quarto, Steve pega o telefone mas desiste de ligar. Ele prefere deixar Sharon Carter em paz. O herói, que ainda está de mau humor, exige que o agente fale logo o que está fazendo ali. Ele teme que seja algo sobre Sharon, mas não é. O agente da SHIELD quer lhe mostrar um filme caseiro produzido por um estúdio de Hollywood. O filme começa como um documentário da Segunda Guerra Mundial, com cenas do Capitão atuando juntamente com Bucky. Até então, não há novidades. Em uma cena, o herói está com um inimigo ferido... e apontando um rifle pra ele. Então... atira a sangue frio! Steve fica horrorizado. Aquele filme é falso, pois essa cena nunca aconteceu. Alguém o quer mostrar como um sanguinário. Steve quer saber quem falsificou aquele filme, mas nem o agente sabe. Na verdade, foi enviado por Fúria pois ele achava que o herói toparia descobrir, uma vez que lhe fornecerão o nome do estúdio. Steve aceita e solicita uma passagem no próximo voo para Hollywood.

Chegando a Hollywood, o Capitão América liga para Cyril Lucas, responsável pelo estúdio Infinity Productions. Diz que viu algumas cenas do nome filme sobre ele e quer que algumas cenas sejam alteradas. Cyril aceita e o convida para supervisionar as alterações.
Algum tempo depois, o Capitão América chega ao estúdio mas estranha o fato de não haver nenhum guarda e nada estar trancado. Encontra cenários sofisticados, denotando que se trata realmente de um estúdio. Mas a calmaria a sua volta mexe com seus instintos. Nota alguém atrás dele e, ao se virar... encontra alguém idêntico a Steve Rogers! O Capitão América é atacado pela réplica de Steve Rogers, que demonstra ter uma força sobre-humana. O intento da réplica é tomar o seu lugar. Com uma só mão, o vilão arranca um poste de aço como se fosse de papelão. Apesar de conseguir se defender com o escudo, o herói percebe que precisa assumir a ofensiva. Com um chute, consegue afastar a criatura e tomar à ofensiva. Seu oponente também demonstra ser mais rápido e não demonstra sinais de cansaço. A réplica consegue agarrar o braço esquerdo do herói... o braço com o qual ele empunha o escudo. Com sua maior defesa mobilizada, o herói fica a mercê dos ataques da réplica.

Um homem surge dos cenários e tenta ajudar o Capitão, sendo levantado no ar pela réplica. A distração do vilão é a chance que o Capitão precisava. A réplica atira o homem que ajudou o Capitão América no ar. Apesar do Capitão contra atacar, a réplica parece nem sentir seus golpes, logo se recuperando e imobilizando o Capitão, envolvendo-o em alguns destroços e tentando amarrar suas pernas. O Capitão consegue se soltar das amarras e contra atacar. É quando percebe que o corpo da réplica começa a tremer todo e a brilhar. O androide (como conclui o Capitão) está desesperado e sua estrutura molecular parece estar em colapso. Ao persegui-lo, o herói é impedido pelo agente da SHIELD que assistia a tudo e diz que não será bonito ver quando o androide começar a se desmanchar. Explica que a SHIELD permitiu que a fórmula fosse roubada porque ainda não tinha sido testada e precisavam de uma cobaia. Agora já se sabem que não é seguro usá-la, pois depois de um tempo o androide gerado começa a se dissolver. O Capitão lembra-se de capturar os produtores, mas o agente explica que, como falharam com seus "patrões" orientais, não terão para onde fugir. A SHIELD já estava de olho em Cyril e o Capitão lembra que o outro (na verdade, Willie, irmão de Cyril que não concordava com a traição do irmão ao país) acabou sendo morto pelo androide ao tentar ajudá-lo.


CURIOSIDADES:

* A replica que o Capitão América enfrenta, gerada através de uma fórmula roubada da SHIELD, trata-se de um LMD, sigla Life Model Decoy, ou Modelo de Vida Artificial, como ficou conhecido no Brasil. Trata-se de androides muito realistas e que substituem agentes da SHIELD para enganar seus inimigos em missões em que os mesmos simulam morrer. Esses androides foram criados em 1965 para as histórias solo de Nick Fury e já deram muita dor de cabeça para a organização, uma vez que já se revoltaram contra seus criadores.

* Stan Lee sempre foi muito enfático e eloquente em suas narrativas. Chegava a fazer citações a várias personalidades da cultura para ilustrar suas chamadas. Quando é mostrado a base dos orientais, Lee cita atrizes americanas, já que a ação foi cortada pra outro local senão estúdios onde poderiam ser mostradas algumas de suas estrelas. Temos a citação das beldades Raquel Welch (cujo maior sucesso até a publicação original dessa história era de Viagem Fantástica, dirigida por Richard Fleischer em 1966; trailer : https://www.youtube.com/watch?v=-hjiVViMuS4 ), Stella Stevens (de O Professor Aloprado, dirigido e estrelado em 1963 por Jerry Lewis; trailer : https://www.youtube.com/watch?v=INanfI4FL8A ), Sandy Dennis (de Quem Tem Medo de Virginia Woolf?, dirigido por Mike Nichols, com Elizabeth Taylor, Richard Burton e George Segal, em 1966; trailer : https://www.youtube.com/watch?v=L78nejGfX-A) e Faye Dunaway (de Bonnie e Clyde - Uma Rajada de Balas, dirigido por Arthur Penn, com Warren Beatty, em 1967, trailer : https://www.youtube.com/watch?v=hZpm1zj9510).

* Uma espécie de referência reversa ou visão do futuro? É isso o que acontece quando vemos, em uma história em quadrinhos, um estúdio de cinema, cheio de quinquilharias de efeitos especiais, cujo produtores têm o sobrenome... Lucas! Pode-se se pensar que essa era uma referência a George Lucas, o "pai" da franquia Star Wars. Porém, se fosse uma homenagem, não seria pela saga espacial. Afinal, essa história foi publicada em 1968 e o primeiro Star Wars (Uma Nova Esperança) é de 1977. George Lucas dirigiria seu primeiro filme, chamado THX 1138, apenas em 1971.

* Alguns aspectos (ainda) mais explícitos sobre o tema da Guerra Fria nessa história estariam na fala do Capitão América, quando ele diz que a Réplica foi programada pelos "vermelhos", apelido dado aos inimigos da América naquele período, os comunistas (nessa história, mais especificamente os chineses trabalhando sob supervisão dos russos).
* O líder dos comunistas tem a aparência que, claramente, se refere ao líder comunista chinês Mao Tsé-Tung, apesar do nome não ser citado explicitamente (ainda que o close dispense qualquer identificação).
ANTECEDENTES:

- A revista americana Captain America 105, mostrava o embate do Capitão América contra um grupo de vilões organizado por Batroc. No introdução da história, o herói assiste um documentário onde vê seu ex-parceiro Bucky. Relembra que sua morte se deveu ao infeliz final de uma de suas aventuras e conclui que seu estilo de vida pode colocar em risco que se aproxime dele. Baseado nisso, reconsidera seu relacionamento com Sharon Carter (onde já se falava em casamento), pois poderia colocar a vida da moça em risco. Decide, então, se afastar dela. Esse, afinal, era o motivo para que o herói estivesse com o humor em baixa na edição seguinte.